AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Atividades presenciais na piscina da Unesc promovem qualidade de vida à comunidade

Atividades presenciais na piscina da Unesc promovem qualidade de vida à comunidade
Programa de Atividade Física, Saúde e qualidade e Vida está em ação após dois anos de pausa nos atendimentos (Foto: Divulgação) Mais imagens

O Programa de Atividade Física, Saúde e qualidade e Vida (PAFSq) da Unesc está retornando com as suas atividades presenciais na piscina do campus. Após dois de pandemia, idosos portadores de diabetes, hipertensão e depressão com o ciclo de vacinação completo, estão sendo selecionados para participarem das atividades aquáticas.

As ações envolvem três projetos de Extensão da Universidade: o projeto Tartaruga que oferece aulas de natação, o Lazerativo e Projeto de Ação Multidisciplinar da Saude de Idosos (Pansi), que oferecem aulas de hidroginástica, além de atendimentos psicológicos, de enfermagem e nutricionais para idosos.

Conforme um dos coordenadores do projeto, Luciano Acordi, o foco é a promoção da saúde mental e física na melhor senilidade. “Para os acadêmicos, novas experiências, aprendizado. Para os professores, pesquisa.  Tudo isso é integrado a extensão, consolidando tripé de uma Universidade comunitária”, defende.

Neste semestre cerca de 80 idosos estão sendo selecionados para participarem das pesquisas que acontecem nos projetos que tem sua base nas atividades aquáticas.

A ideia central dos estudos acadêmicos realizados em paralelo é investigar o efeito de três intervenções divididas como: grupo 1 - natação; grupo 2 - hidroginástica com frequência de duas vezes por semana e grupo 3 -  hidroginásticas uma vez por semana, levando em consideração respostas piscofisiologicas envolvendo os idosos comorbitos.

Os projetos são coordenados pelas professoras Neiva Junkes e Karin Gomes e pelo professor Luciano Acordi, sendo apoiados pelos cursos de Enfermagem, Psicologia e Educação física.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

28 de abril de 2022 às 17:55
Compartilhar Comente

Projeto Amora leva orientações sobre direitos humanos das mulheres a trabalhadoras

Projeto Amora leva orientações sobre direitos humanos das mulheres a trabalhadoras
Atividade foi conduzida por acadêmica voluntária do projeto (Foto: Divulgação) Mais imagens

Informação. Uma palavra simples, mas tão cheia de significado. Foi com foco na cidadania por meio da informação que o Projeto Amora, da Unesc, levou conhecimento ao evento promovido Transportadora Peregrina, de Içara, em alusão ao Dia Internacional da Mulher.

A ação, realizada na noite de segunda-feira (07/03), nas dependências da empresa foi ministrada pela acadêmica Nathália Amaral, voluntária do Projeto Amora. Nathália abordou os direitos humanos das mulheres e as conquistas alcançadas nas últimas décadas.

O conteúdo foi recebido atentamente por quase 30 colaboradoras da transportadora, além de dez colaboradoras da Loja Lima Calçados, de Cocal do Sul.

O Projeto Amora existe desde 2011 e envolve professores acadêmicos dos cursos de graduação em Direito e Psicologia em atividades de educação em direitos humanos das mulheres, especificamente na prevenção da violência doméstica.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

08 de março de 2022 às 19:43
Compartilhar Comente

Projeto da Unesc forma nova turma de Agentes de Paz no bairro Paraíso

Projeto da Unesc forma nova turma de Agentes de Paz no bairro Paraíso
Escola Municipal Linus João Rech recebeu o projeto Movimento pela Paz promovido pela Universidade (Fotos: Divulgação) Mais imagens

A Escola Municipal Linus João Rech, do bairro Paraíso, ganhou 39 novos Agentes de Paz. Os novos defensores da cultura de paz na comunidade são estudantes do terceiro e quarto ano da escola, participantes do projeto Movimento pela Paz (MOP), do Núcleo de Saúde Coletiva da Unesc, e formados oficialmente nesta semana. Eles passaram por atividades desenvolvidas por profissionais da Residência Multiprofissional em Saúde Mental da Universidade com aprendizados que foram desde o autocuidado, a autoconfiança, o respeito às diferenças, boas amizades, cuidado com os animais e o ambiente, presença da família e até alimentação saudável.

Criado pelo Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PPGSCol), o projeto vem sendo implementado em 13 diferentes escolas neste segundo semestre. No bairro Paraíso o trabalho foi conduzido desde junho pela psicóloga Daniela Pizoni e pelo farmacêutico Dauvan Rosa do Amaral, residentes em Saúde Mental.

Para Daniela, o aprendizado oportunizado aos estudantes foi único não só para as crianças, mas também para os residentes envolvidos. “Foi uma experiência muito positiva para nós, que somos trabalhadores da saúde. O projeto MOP é bastante completo e alcança várias temáticas, que nos ajudaram a trabalhar promoção de saúde de um jeito leve e divertido. A participação das crianças durante os encontros e o carinho delas no encerramento, pedindo para que voltássemos e agradecendo, foi um sinal de que o projeto foi um sucesso”, relata.

Além dos certificados de Agentes de Paz, o encerramento do projeto contou com a entrega de três mascotes para as turmas. Os brinquedos foram confeccionados a partir dos desenhos criados pelas crianças.

Mayara Cardoso - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

17 de agosto de 2021 às 21:54
Compartilhar Comente

Unesc colabora com a formação de agentes da paz

Unesc colabora com a formação de agentes da paz
Projeto Movimento pela Paz leva informação, debate e conscientização a escolas de Criciúma, entre elas o Colégio Unesc (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

Os caminhos que levam à cultura de paz passam por inúmeros assuntos. Autoconfiança, boas amizades, respeito às diferenças, o cuidado com o ambiente e com os animais, a presença da família, a qualidade das informações processadas e até a alimentação saudável, a prática de atividades físicas e as demonstrações de afeto estão entre os quesitos que podem fortalecer um ambiente pacífico. Pensando nisso, o Núcleo de Saúde Coletiva da Unesc promove, desde 2018, o Projeto Movimento pela Paz (MOP), ação de extensão que leva, de forma didática e interativa, conceitos de paz ao ambiente escolar, especialmente ao Ensino Fundamental 1.

Quem coloca em prática o projeto idealizado no Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PPGSCol) são profissionais que integram a Residência Multiprofissional em Saúde Mental em encontros periódicos com turmas de escolas, geralmente situadas nas comunidades nas quais atuam nas Unidades de Saúde. Neste ano um dos diferencias do Projeto está na execução com duas turmas do Colégio Unesc, sob responsabilidade das psicólogas residentes Beatriz Dieke Moreira e Lauriane Pizzoni.

Integrantes do corpo técnico do Programa Acolher, outra ação da Universidade com foco na atenção à saúde mental da comunidade, as psicólogas escolheram o Colégio da própria instituição para receber a proposta com turmas de terceiro e quinto ano.

Idealizador da ação e professor do PPGSCol, Jacks Soratto elencou 12 temáticas a serem abordadas de modo a favorecer a cultura de paz. “Dessa forma embasamos um projeto e quem o executa são os residentes. Essa é uma forma de extensão, de tecnologia social e de ajuda enquanto seres humanos dispostos a fazer a diferença”, explica.

No primeiro ano no qual o projeto foi colocado em prática, conforme Jacks, foram contemplados mais de 1.200 estudantes em 133 encontros divididos entre 17 escolas. “Em 2021 estamos retomando o projeto em 13 escolas e formado mais de 350 novos agentes da paz para continuar multiplicando esses conceitos por onde estiverem”, comenta.

Reflexos positivos no Colégio Unesc

Ao receber a proposta de fazer parte do MOP, conforme a diretora do Colégio Unesc, Giselle dos Passos Vieira, a escola viu a oportunidade de lapidar ainda mais os valores já abordados em sala de aula. “Somos muito privilegiados por estarmos dentro de uma grande Universidade e podermos receber projetos como esse. Tenho certeza de que os encontros trouxeram reflexões importantes para os alunos e farão a diferença em suas vidas”, destaca em agradecimento.

As discussões propostas, a escuta qualificada e as atividades desenvolvidas, conforme a professora do quinto ano, Sandra Tramontin, reforçam e apoiam os ensinamentos e os vínculos entre a turma. “Foi providencial. Aos poucos as crianças foram se envolvendo, se sentindo acolhidas e se reconhecendo um no outro. Os encontros fortaleceram a semente do bem já plantada pela família e pela escola”, acrescenta.

Experiência profissional

Para as residentes que planejaram e executaram ações voltadas a cada idade, a entrega do certificado de agente da paz, realizada nesta terça-feira (13/3), significa uma missão cumprida. “As crianças se mostraram muito participativas e oportunizaram que nós adquiríssemos experiência em uma área diferente da qual estamos habituadas a trabalhar”, comenta Beatriz.

Além do desafio de implementar o projeto já desenhado pelo PPGSCol, as psicólogas precisaram adotar ações que permitissem a realização das dinâmicas de forma híbrida. “Anteriormente o MOP era realizado em escolas públicas e sem ensino híbrido. Com o período de pandemia e o ensino híbrido do Colégio Unesc nós adaptamos o planejamento e aplicamos as estratégias também com as crianças que acompanham as aulas de casa. Foi um desafio, mas recompensador”, completa Lauriane.

A ideia é de que no segundo semestre de 2021 outras turmas recebam o projeto Movimento pela Paz.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

13 de julho de 2021 às 17:58
Compartilhar Comente

Unesc lança programa que leva atividades à comunidade de oito bairros no entorno do campus

Unesc lança programa que leva atividades à comunidade de oito bairros no entorno do campus
Projeto estende ações que já englobavam 12 bairros de Criciúma (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

As comemorações do Dia da Extensão foram marcadas com um lançamento histórico na Unesc nesta segunda-feira (3/5). A Universidade oficializou a abertura do Projeto Território Paulo Freire 2, programa que levará as ações de extensão a outros oito bairros no entorno do campus e completa a ação já efetiva do Território Paulo Freire 1. No total a Instituição passa a atuar diretamente em 20 bairros de Criciúma especificamente com estes programas. A noite de lançamento contou ainda com a palestra “Extensão Universitária e o Currículo: Reflexões sobre a Articulação com o Ensino e a Pesquisa”, com a professora doutora Sônia Regina Mendes dos Santos, evento transmitido pelo canal da Unesc TV no Youtube.

Fazem parte do Território Paulo Freire 2 os bairros Pinheirinho, Santa Augusta, Jardim Angélica, Paraíso, Boa Vista, Universitário, Tereza Cristina e Milanese. As lideranças das comunidades estiveram na Universidade para prestigiar o lançamento e conferir de perto aquilo que em breve estará à disposição dos seus bairros.

Ter a participação dos representantes, de forma presencial ou virtual, representa, para a pró-reitora Acadêmica da Unesc, Indianara Reynaud Toreti, o que a Instituição tem de principal em seu DNA. “Estar aqui nesta noite é motivo de muita alegria e orgulho. Não pela celebração de uma data do calendário acadêmico, mas pelo que ela representa. O dia, junto de toda a execução da política de extensão, demonstra o quanto esta dimensão acadêmica é importante para a nossa Instituição. Estar na Unesc é estar em uma Universidade Comunitária que tem a extensão como eixo condutor do processo de construção acadêmica, bem como de desenvolvimento da região”, pontuou, acrescentando ainda a importância da presença da convidada a palestrar neste momento especial.

Momento de celebrar um grande passo

A representatividade do evento, mesmo que virtual, para a diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias da Universidade, Fernanda Sônego, é motivo de união e confraternização entre academia e comunidade. “Em tempos tão difíceis que estamos vivendo, a nossa Universidade tem sido exemplo de protagonismo e tem mostrado sua relevância em ser comunitária e dedicada ao desenvolvimento de toda a região. Dando ainda mais sentido a isso, estamos aqui lançando a extensão do Território Paulo Freire 1 para o 2, que abarcará mais oito bairros no entorno da nossa Universidade com nove projetos em edital criado exclusivamente para esse projeto”, destacou.

Lições de Paulo Freire

Assessora da Diretoria de Extensão Cultura e Ações Comunitárias e coordenadora dos programas Território Paulo Freire 1 e 2, Sheila Martignago Saleh aproveitou a oportunidade para destacar a interligação entre os trabalhos e os ensinamentos de Paulo Freire. “Ele nos ensina que é preciso discutir a dimensão histórica do saber, sua imersão no tempo, sua instrumentalidade, tema de indagação e amplo diálogo, uma vez que a educação é dialógica diferente na alienação mediante pensamento formalista comumente repetido. Segundo os ensinamentos de Paulo Freire, a Extensão Universitária pode nos apresentar uma prática educativa de diálogo que não se propõe a estender conhecimento as pessoas envolvidas na ação, a manipulá-las, mas, sim, considerá-las sujeitos de decisão e transformação”, pontuou entre sua fala, na qual destacou ainda a integração entre a Instituição e a comunidade, o que legitima projeto pedagógico da Unesc.

Orgulho em fazer parte do projeto

Participaram ainda da mesa virtual de autoridades da noite o vice-presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Vitor Teixeira e a presidente da União das Associações de Bairros de Criciúma (UABC), Andrea Zomer.

Em nome dos acadêmicos, Vitor colocou o DCE mais uma vez à disposição dos projetos de extensão, que proporcionam diferentes oportunidades de formação além da sala de aula. “Falo em nome dos estudantes, que têm muito orgulho em fazer parte dessa Universidade. Uma Instituição que nos forma não somente como bons profissionais, mas, sim, como bons cidadãos. É uma grande honra fazer parte do lançamento desse projeto, que irá demonstrar ainda mais a grandiosidade da nossa Unesc”, disse.

Pedagoga, Andrea destacou também seu apreço aos projetos levados até as comunidades dos bairros e, iniciante na função de presidência, confirmou o desejo de estreitar cada vez mais os lados da Associação e da Universidades. “Acredito muito nessa parceria e vejo o quanto nossas comunidades podem estar se abrindo para receber as ações da Universidade. A gente sabe a riqueza que pode ser na vida das pessoas quando um programa de extensão como esse é realizado junto da sua comunidade. É transformador”, acrescentou em nome dos colegas representantes dos bairros.

Palestra inspiradora

Logo após o lançamento oficial o público foi presenteado com a palestra de Sônia Regina Mendes dos Santos. As palavras da professora associada aposentada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, pós doutora em Educação, foram recebidas com entusiasmo por mais de 600 espectadores.

O conteúdo compartilhado pela convidada segue disponível no canal da Unesc TV noYouTube no link:

Encontros entre participantes dos projetos marcaram a programação

Os trabalhos do Dia da Extensão iniciaram na manhã desta segunda-feira na Unesc, com encontros virtuais envolvendo gestores, professores e estudantes da Unesc e lideranças comunitárias e participantes dos projetos de extensão.

No primeiro evento do Dia da Extensão, dois professores de cada área do conhecimento apresentaram projetos dos quais são coordenadores. Na área de Ciências Sociais Aplicadas, os professores Abel de Souza e Andréia Citadin falaram sobre as iniciativas de extensão que coordenam. Os professores Ana Cláudia Barbosa e Mário Guadagnin, representaram os cursos de Ciências, Engenharias e Tecnologias da Unesc. Os projetos desenvolvidos por cursos da área de Humanidades, Ciências e Educação foram representados pelas professoras Katiúscia de Oliveira e Miriam da Conceição. Já as professoras Paula Zugno e Fabiane Fabris apresentaram projetos que coordenam na área de Ciências da Saúde. 

Após as apresentações, a Diretoria de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias propôs perguntas norteadoras do diálogo entre coordenadores dos projetos e participantes.

No período vespertino, foi a vez de professores dos diversos cursos da Universidade apresentarem como estão se organizando e as estratégias para a curricularização da extensão. A professora Rosimari de Oliveira Duarte, falou da experiência do curso de Medicina e a professora Ariete Minetto, das iniciativas do curso de Fisioterapia. Já a professora Marta Hoffmann apresentou aos presentes as experiências do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, assim como a professora Aline Savi, socializou as iniciativas de Arquitetura e Urbanismo.

De Engenharia Civil, a apresentação dos projetos para a curricularização da extensão foi realizada pela professora Elaine Pavei Antunes. Pelo curso de Pedagogia, a professora Gislene Camargo compartilhou as iniciativas, assim como a professora Fabiane Ferraz, pelo curso de Enfermagem.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

03 de maio de 2021 às 22:38
Compartilhar Comente