AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Programa Pós-Graduação em Direito realiza 1º Seminário de Autoavaliação

Programa Pós-Graduação em Direito realiza 1º Seminário de Autoavaliação
Encontro teve a participação de docentes e discentes do Mestrado em Direito (Fotos: Reprodução) Mais imagens

O Programa Pós-Graduação em Direito (PPGD) da Unesc, reuniu de maneira virtual, professores e alunos para o 1º Seminário de Autoavaliação. O encontro ocorreu de manhã e à tarde e teve como convidado o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unijuí), Maiquel Ângelo Dezordi Wermuth, que compartilhou a experiência e o trabalho realizado pelo mestrado e pelo doutorado.  

Na abertura do evento, a pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unesc, Gisele Coelho Lopes, salientou que a autoavaliação, proposta pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), é um incentivo para que os programas olhem para si e avaliem como trabalham o processo de aprendizagem e ressignifiquem suas práticas. “A autoavaliação é um tema que significa reconhecer o que nós fazemos e entender o que podemos fazer para melhorar de forma qualitativa aquilo que fazemos e que a tradição consagrou como prática. Quando não fizemos a autoavaliação, podemos incorrer em equívocos e há falta de nitidez no que podemos ampliar o olhar a melhorar o que a tradição nos ensinou”.

O coordenador do PPGD, Antonio Carlos Wolkmer, ressalta que é de extrema importância que se repense como foi este período para o ensino para o PPGD, além das perspectivas de futuro e os novos desafios. “Nosso Programa é relativamente novo e é um diferencial na nossa região e no Sul do Brasil pela preocupação com os Direitos Humanos e Cidadania e o engajamento com a comunidade, já que somos uma universidade comunitária, e temos esse trabalho diferenciado na sociedade. Esta será uma avaliação rica para traçarmos metas e levantarmos desafios que teremos nos próximos quatro anos”.

A abertura do evento teve ainda a presença da coordenadora do curso de Direito, Márcia Piazza, e do coordenador adjunto do PPGD, Reginaldo Vieira.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

20 de agosto de 2021 às 15:23
Compartilhar Comente

Universidade promove debate sobre terras indígenas

Universidade promove debate sobre terras indígenas
Evento virtual contou com a participação de pesquisadores, professores e estudantes (Foto: Reprodução) Mais imagens

A Unesc recebeu nesta quarta-feira (18/8), professores, estudantes e pesquisadores para dialogarem em um encontro virtual sobre “Direito à Terra: Marco temporal e a demarcação de terras indígenas”. O debate foi desenvolvido a partir da ação judicial que solicita a possibilidade de os povos indígenas reivindicarem e terem o reconhecimento de demarcação das terras que já ocupavam antes da promulgação da Constituição Federal brasileira de 1988, ou seja de 05 de outubro de 1988. A previsão é que o julgamento ocorra no dia 25 de agosto e a decisão terá repercussão geral e será aplicada a outras 27 ações idênticas que também tramitam na Corte Superior.

O webnário teve a mediação do professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGA), Juliano Bittencourt Campos. Segundo ele, o tema é de extrema relevância para o debate na academia. “Não é de hoje que os povos indígenas do Brasil vêm sendo atacados, descreditados e exterminados em nome da “verdade”. Nesta noite, vamos falar de violência que não vem de hoje. Violência que vai ganhando ares de justiça, de legitimidade, de liberdade para todos”.

O mestrando do PPGCA, Fabiano Alves (Karai), integrante do povo indígena Guarani, da Terra Indígena Tekoá Marangatu, em Imaruí, apresentou as concepções da cosmovisão indígena em relação ao meio que se habita e as diferenças dos modos de vida dos povos indígenas e dos povos não indígenas para com todas as formas de vida e a natureza como um todo. “Para nós, povos indígenas, a terra e o uso dela é parte de nossa vida, de nosso modo de viver. Pedimos autorização para a terra para usar suas árvores, suas águas, seus outros habitantes com vida”.

O indigenista, professor e doutorando do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental (PPGPlan/Udesc), Nuno Nunes, apontou contradições, dubiedades e outros problemas no chamado marco temporal. Nuno embasou-se na Constituição Federal para demonstrar os direitos dos povos indígenas reconhecidos por lei. No entanto, conforme Nuno são apontadas fragilidades na lei, ou na forma como a interpretação da lei é feita, conduzida e argumentada, com foco em atribuir vantagens para atividades de grande monta econômica, em detrimento das populações indígenas ou não de determinadas áreas protegidas ambientalmente.

O vice-reitor da Unesc e professor do curso de Direito, Daniel Preve, destacou os elementos constitutivos para a configuração da inconstitucionalidade do reconhecimento do marco temporal junto ao Supremo Tribunal Federal. “A demarcação de terras aos povos indígenas é um direito e uma garantia fundamental assegurada aos povos originários pela Constituição Federal brasileira de 1988, em seu artigo 231, como também pelos pactos e acordos internacionais nos quais o Brasil é signatário”, afirma.

O evento teve ainda a participação do coordenador do Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD), Antonio Carlos Wolkmer; do coordenador adjunto do PPGD, Reginaldo Vieira; dos professores do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGA), Carlyle Bezerra, Vanilde Citadin e Terezinha Gonçalves e dos professores do curso de História, Paulo Osório e Marli de Oliveira Costa.

O webnário foi realizado em conjunto pelos cursos de História e de Direito da Universidade, do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neab), do PPGCA, do PPGD, do Grupo de Pesquisa em Direito à Cidade e Políticas de Sustentabilidade Urbana e Ambiental (GPDUC) e do Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz (Lapis) da Universidade.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

19 de agosto de 2021 às 15:34
Compartilhar Comente (1)

Mestrado realiza evento virtual sobre pesquisa na área do Direito

Mestrado realiza evento virtual sobre pesquisa na área do Direito
Evento virtual foi promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Direito (Fotos: Reprodução) Mais imagens

Professores e alunos do Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD) da Unesc, estiveram reunidos nesta segunda-feira (16/8), para debater o tema “Como fazer pesquisa em Direito?”. O evento virtual teve a participação do professor doutor e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade do Estado Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Gustavo Silveira Siqueira.

O palestrante trouxe sugestões tanto para jovens pesquisadores, quanto para quem está pensando em iniciar na área de ciência. “Pesquise o que você gosta, o que te apaixona e observe se o tema se encaixa na instituição. E tome cuidado com as outras disciplinas. Não basta citar um historiador ou filósofo para ser um trabalho interdisciplinar. Às vezes, entrar em um ramo em que não estamos habilitados e não pesquisamos pode ser perigoso”.  

Siqueira orienta ainda que os estudos sejam direcionados para proposições, melhorias e resolução de problemas que sejam da realidade em que o pesquisador viva.

O coordenador do PPGD, Antonio Carlos Wolkmer, ressaltou a importância da pesquisa científica para o Direito. “Este é um tema que desperta interesse e nada melhor que ouvir um especialista e aprender com quem tem uma carreira voltada para a pesquisa criativa e comprometida com a realidade social”.

Já o coordenador adjunto do PPGD, Reginaldo Vieira, lembrou que fazer pesquisa na área do Direito é desafiador, porém, de extrema importância para a sociedade.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

18 de agosto de 2021 às 16:58
Compartilhar Comente

Obra de Paulo Freire e sua importância são debatidos em aula inaugural na Unesc

Obra de Paulo Freire e sua importância são debatidos em aula inaugural na Unesc
Professor doutor Jaime José Zitkoski foi o convidado do evento virtual realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (Fotos: Reprodução) Mais imagens

A importância da obra de Paulo Freire na atualidade, a pedagogia freireana e suas bases filosóficas e as contribuições do educador para uma pedagogia das lutas por libertação foram pontos abordados na manhã desta quarta-feira (26/5), durante a aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Unesc. O evento online teve a presença do professor doutor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Jaime José Zitkoski.

O palestrante é graduado e possui mestrado em Filosofia e é doutor em Educação. Na UFRGS, atua nos cursos de Licenciaturas na área de Filosofia da Educação e no Mestrado e Doutorado em Educação. Seu trabalho tem ênfase em Educação Popular e Estudos Sobre Universidade, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Popular, Paulo Freire e os desafios da universidade na perspectiva da emancipação social e bem viver na América Latina. É autor de livros sobre Paulo Freire e a pedagogia freireana.

Na aula inaugural do PPGE da Unesc, Zitkoski falou sobre o tema “Paulo Freire: uma nova pedagogia voltada para a humanização do mundo”. Segundo o professor, os livros “Pedagogia do Oprimido” e “Pedagogia da Libertação” são obras coletivas, pois despontam como uma pedagogia engajada nos processos de emancipação social. “Paulo Freire estava sempre se recriando e em movimento, aberto para as diferenças culturais e às novas realidades”, comenta.

Zitkoski pontua que a obra de Freire traz claro que o ser humano nunca está pronto e sim, em construção e que nos humanizamos ou desumanizamos a partir das relações com as pessoas. “A tendência do ser humano é se construir como um ‘ser mais’. O que dá sentido a nossa existência é a busca constante por sermos felizes. Esta natureza não é inata, ela vem se construindo historicamente enquanto espécie humana, indivíduo. Neste sentido, a educação precisa ter um compromisso de mudança do ser humano para melhor e é aí que está o processo de humanização, que acontece também a partir da ampliação dos horizontes de consciência e do alargamento da visão de mundo”.

O palestrante tratou ainda da importância de a comunidade estar inserida na escola, participando ativamente do projeto pedagógico dela, à exemplo do que diz a escola cidadã – um movimento que pensa a educação popular dentro da educação escolar. “Temos que pensar a escola como um dos polos culturais mais importantes da comunidade em que ela está inserida”.

Evento prestigiado

A aula inaugural do PPGE teve a participação de professores e alunos de mestrado e de doutorado da Universidade e de pesquisadores e egressos da Instituição.

O coordenador do PPGE, Vildacir Ortigara, afirma que o legado de Paulo Freire precisa ser lembrado e reforçado. “O PPGE está sempre atento às questões contemporâneas e o tema da aula inaugural está diretamente ligado a isso. Lembramos o patrono da educação brasileira, que neste ano completa 100 anos de resistência, pela obra dele ainda estar presente. Precisamos reafirmar o legado de Paulo Freire, ainda mais neste momento em que passamos”, afirma.

O evento teve ainda a participação do coordenador adjunto do PPGE, Rafael Rodrigo Mueller; da professora da linha de pesquisa “Educação e Produção do Conhecimento nos Processos Pedagógicos”, Graziela Giacomazzo; do professor da linha de pesquisa “Educação, Linguagem e Memória”, Carlos Renato Carola e da professora da linha de pesquisa “Formação e Gestão em Processos Educativos”, Janine Moreira.

Milena Nandi – Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

26 de maio de 2021 às 15:34
Compartilhar Comente

Desafios da pós-graduação são debatidos durante Aula Magna do Mestrado em Direito

Desafios da pós-graduação são debatidos durante Aula Magna do Mestrado em Direito
Professor doutor Felipe Chiarello foi o convidado do evento virtual que marcou o início das atividades de uma nova turma do PPGD (Fotos: Reprodução) Mais imagens

As inquietações do docente, as questões disruptivas relacionadas ao ensino na atualidade e as diferenças entre gerações no processo de ensino e aprendizagem foram alguns dos assuntos levantados e refletidos na última semana, durante a Aula Magna do Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD) da Unesc. À frente do debate esteve o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Felipe Chiarello de Souza Pinto. O evento virtual contou com a participação de professores, mestrandos, alunos da nova turma e egressos do PPGD.

Durante a Aula Magna “Os Desafios da Pós-Graduação: Caminhos e Perspectivas”, o convidado contou suas experiências como pós-graduando e posteriormente, como professor, trouxe observações sobre o ensino de pós-graduação na área do Direito e refletiu sobre pontos como o período de atenção dos alunos durante as aulas. Chiarello citou um estudo feito por Harvard, apontando que o período de atenção da Geração Y, hiper conectada, é de 8 minutos.

Conforme o estudo, em uma aula meramente expositiva, o índice de aprendizagem é de 5%. Se tiver material de apoio e leitura prévia, pode chegar a 10%. Caso o professor utilize audiovisual e apresentações, o índice de aprendizagem chega a 30%. Ao separar a turma em grupos e praticar cases o índice gira entre 50% e 75% e se o aluno for monitor, alcança 80%. “O que surpreendeu é que eles colocaram eletrodos nos estudantes para avaliar como o cérebro se comportava e chegaram a conclusão de que basicamente, eles estavam em sala de aula mas era como se o cérebro não estivesse naquele local, não prestava atenção. O Brasil é o quarto país mais conectado do mundo, atrás apenas de China, Índia e Estados Unidos, o que faz levanta a necessidade de repensarmos a maneira de ensinar”, afirma.

O professor Felipe Chiarello de Souza Pinto é doutor em Direito e ainda professor do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie e coordenador adjunto de programas acadêmicos da área de Direito da Capes e bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Gestão universitária enfatiza a importância da pós-graduação

Representantes da gestão universitária da Unesc participaram do evento e ressaltaram a importância para a Instituição e para o desenvolvimento regional a existência de Programas de Pós-Graduação de excelência, como o PPGD. “Um programa como o PPGD da Unesc, gera conhecimento na área do Direito e dos Direitos Humanos e desenvolve competências voltadas ao comprometimento com a sociedade”, afirma o vice-reitor da Unesc, Daniel Preve.

A pró-reitora Acadêmica da Unesc, Indianara Reynaud Toreti, salientou a alegria de estar no evento com pós-graduandos e de ver profissionais empenhados em construir uma trajetória na pesquisa e na produção do conhecimento. “O Programa de Pós-Graduação em uma universidade comunitária significa que ela está reforçando o compromisso com o desenvolvimento socioeconômico da região e para a produção de conhecimento”.

O diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da Unesc, Oscar Montedo, ressaltou a importância do evento. “O PPGD vêm demonstrando um desenvolvimento destacado por estar sempre trazendo temas modernos para debates e reforçando as redes de parceria. Só posso parabenizar a todos os professores e alunos”.

A Aula Magna faz parte de um rol de atividades desenvolvidas pelo PPGD ao longo dos quatro anos de existência. Neste período, foram quase 200 eventos científicos, além de publicações e inserções na comunidade – como quando o curso trabalhou o fortalecimento de lideranças comunitárias de 50 municípios brasileiros. O PPGD ainda se destaca pelos trabalhos em Grupos de Pesquisa e redes internacionais com outras instituições.

Homenagem

Durante a Aula Magna, um momento especial emocionou gestores, professores e estudantes que conviveram com o coordenador do curso de Direito e procurador jurídico da Unesc, João Carlos Medeiros Rodrigues Júnior, falecido no fim de março.

“O professor João tocou muito as pessoas, na sua vida pessoal e profissional. Ele deixou um legado de transformação na vida das pessoas e esse legado vai ser levado adiante. Ele tinha uma ética inegociável e valores que são tão difíceis encontrar atualmente”, salientou o professor Gustavo Borges, que conduziu a homenagem.

O coordenador do PPGD, Antonio Carlos Wolkmer, lembrou que João Carlos era uma pessoa diferenciada. “Fica para todos a presença de seu exemplo e seu espírito grandioso. Perdemos um grande líder, que inspirou e continuará inspirando com a lembrança de sua cordialidade e dedicação”.

O coordenador adjunto do PPGD, Reginaldo de Souza Vieira, que conviveu 20 anos com o professor, sendo inclusive seu orientador no Mestrado em Desenvolvimento Socioeconômico, contou que João Carlos foi um dos grandes entusiastas do Mestrado em Direito e incentivador da interlocução entre o curso de graduação em Direito e o PPGD. “Podemos honrar essa lembrança dele cuidando das pessoas que amamos e de nós mesmos”.

Milena Nandi – Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

04 de abril de 2021 às 16:52
Compartilhar Comente