AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Núcleo da Unesc auxilia trabalhadores na recuperação da saúde

Núcleo da Unesc auxilia trabalhadores na recuperação da saúde
Local presta acompanhamento psicológico, fisioterapêutico, médico, nutricional e de enfermagem (Foto: Divulgação) Mais imagens

Os trabalhadores formais ou informais que necessitam de cuidados em saúde têm na Unesc um espaço dedicado ao seu bem-estar. O Nupac-ST (Núcleo de Promoção e Atenção Clínica a Saúde do Trabalhador) oferece atendimentos gratuitos de reabilitação para pacientes em atividade ou afastados para tratamento de Dort (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). O Núcleo presta acompanhamento psicológico, fisioterapêutico, médico, nutricional e de enfermagem.

A oportunidade é oferecida a trabalhadores da rede pública e privada, mesmo que ainda estejam na fase de suspeita que o problema tenha relação com o trabalho. “Se a pessoa não estivesse trabalhando ela poderia não estar com este agravo à saúde? Se a resposta for sim, então existe algum nível de relação com o trabalho e este é o perfil de pessoas com sintomas osteomusculares, objeto de atenção do Núcleo. Ele envolve especialmente as disfunções dos membros superiores e da coluna vertebral”, explica o coordenador do Nupac, Willians Longen. 

Os agendamentos para os serviços podem ser feitos pelo telefone (48) 3431-2651 ou no e-mail nupac@unesc.net. Os atendimentos ocorrem nas Clínicas Integradas da Unesc.

Conheça o Nupac

O Núcleo é formado por uma equipe multiprofissional e tem o objetivo de recolocar o paciente em condições de exercer suas funções e recuperar sua saúde, tanto física quanto psicológica. Os atendimentos são realizados por profissionais de saúde, professores e estudantes dos cursos da Universidade e do Mestrado Profissional em Saúde Coletiva.

Desde 2016, o Nupac promove atividades pensando na qualidade de vida do trabalhador. O projeto foi idealizado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas em Saúde do Trabalhador, ligado ao PPGSCol (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Unesc). A iniciativa é aprovada pelo Ministério Público do Trabalho.

Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 04 de fevereiro de 2019 às 16:00
Compartilhar Comente

Unesc promove conscientização sobre o AVC na praça Nereu Ramos

Unesc promove conscientização sobre o AVC na praça Nereu Ramos
Atividade faz parte da campanha de prevenção “Reerguendo-se após AVC” (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Vamos falar sobre o AVC (Acidente Vascular Cerebral)? Quem passou pela praça Nereu Ramos na manhã deste sábado (1º/12) encontrou um espaço dedicado a informar e conscientizar sobre a maior causa de mortes no Brasil, com uma vítima a cada seis segundos e um total de 100 mil mortes por ano segundo o Ministério da Saúde. A ação, promovida pelo curso de Medicina da Unesc, buscou mostrar que é possível superar as limitações do Acidente Vascular Cerebral e prevenir o crescimento da doença por meio do conhecimento.

Ao todo, mais de 150 pessoas conversaram com os estudantes da Universidade no local. Janete Oliveira, moradora da área central de Criciúma, tem 57 anos e percebeu a movimentação quando caminhava pela praça. Para ela, foi uma grata surpresa poder refletir sobre o assunto. “É sempre importante falar sobre a saúde. O tempo vai passando e este assunto acaba ficando de lado. Hoje, por exemplo, sai de casa para aproveitar o dia de sol e só prestei atenção em mim quando passei pelo espaço da Universidade. Foi um momento de aprender e ir além, de lembrar que é valioso cuidar de si próprio”, destaca Janete.

A atividade faz parte da campanha de prevenção “Reerguendo-se após AVC”, ligada ao dia comemorado em 29 de outubro, o Dia Mundial de Combate ao Acidente Vascular Cerebral.

O Acidente Vascular Cerebral

Popularmente conhecido como “derrame”, o Acidente gera a interrupção da passagem do sangue no sistema nervoso central. O professor do curso de Medicina da Unesc, Eraldo Belarmino Júnior, conta que em alguns casos uma dor de cabeça, tontura, esquecimento, dificuldade para caminhar, perda de força ou dificuldade de equilíbrio pode indicar um problema cerebral e deve-se consultar um neurologista ou um médico de confiança.

Segundo Belarmino, prevenção se faz com hábitos saudáveis. “Pessoas que procuram ter uma rotina de sono, ter uma alimentação saudável, exercitar o corpo de maneira adequada e com orientação e não fumar vão ter uma longevidade e uma qualidade de vida maior”, comenta o professor da Unesc. “É mais fácil parar um veículo no plano do que ladeira abaixo. Se você possui fatores de risco e não se previne ou não segue orientações profissionais fica mais difícil de frear a progressão da doença. Mas se procura se cuidar através de hábitos saudáveis, consultas médicas regulares e segue orientação profissional, mesmo acometido pela doença esse veículo fica mais fácil de frear”, complementa.

O grupo considerado de risco pela doença é formado por idosos, diabéticos, hipertensos, pessoas com ameaça de AVC prévio (teve sinais, mas não teve a lesão, sendo transitório), pacientes com problemas cardíacos, alcoolistas, obesos, sedentários e fumantes estão mais propensos a desenvolver a doença.

Unesc auxilia no tratamento

No Sul de Santa Catarina, o auxílio de reabilitação é oferecido gratuitamente pela Unesc, por meio do CER (Centro de Reabilitação), que possui profissionais capacitados para o atendimento desses pacientes. Médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, fonoaudiólogos, enfermeiros e assistentes sociais são alguns dos profissionais que trabalham de maneira integrada na reabilitação e ressocialização de pessoas que tiveram AVC.

Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 01 de dezembro de 2018 às 12:41
Compartilhar Comente

Unesc conscientiza sobre diabetes e contribui com pesquisa nacional do Ministério da Saúde

Unesc conscientiza sobre diabetes e contribui com pesquisa nacional do Ministério da Saúde
Número de rastreamentos superou a expectativa dos organizadores (Foto: Divulgação) Mais imagens

A Farmácia Solidária da Unesc promoveu atividades de rastreamento da diabetes, conscientizou sobre a doença e contribuiu com pesquisa nacional do Ministério da Saúde. A ação foi realizada durante a segunda quinzena de novembro com pacientes das Clínicas Integradas.

No total, foram realizados 63 rastreamentos, superando a expectativa de 30 atendimentos, estipulada pelos organizadores. Os dados foram enviados aos órgãos responsáveis pela pesquisa e serão divulgados juntos a campanha nacional. O estudo também é uma iniciativa do CFF (Conselho Federal de Farmácia).

A coordenadora do curso de Farmácia da Unesc, Juliana Lora, avalia a participação da Unesc como fundamental diante de seu papel com a comunidade. “A Universidade sabe da importância deste projeto e com responsabilidade comunitária resolveu aderir ao movimento e aplicar a pesquisa dentro do campus”, afirma.

Na Unesc, os cuidados com a diabetes são realizados no PAMG (Programa de Automonitoramento Glicêmico), que em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde presta assistência a mais de mil e 800 pessoas com a doença.

Tratamento gratuito

De acordo com o Ministério da Saúde, a diabetes muitas vezes não apresenta sintomas e o SUS (Sistema Único de Saúde) oferece gratuitamente atenção integral contra a doença, com ações de prevenção, detecção, controle e tratamento medicamentoso nas unidades básicas de saúde e hospitais públicos.

Medicamentos gratuitos também podem ser obtidos por meio do programa Aqui Tem Farmácia Popular, parceria do Ministério da Saúde com mais de 34 mil farmácias privadas.

Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 29 de novembro de 2018 às 18:07
Compartilhar Comente

Unesc leva informações sobre AVC para a praça Nereu Ramos

Unesc leva informações sobre AVC para a praça Nereu Ramos
Ação tem o objetivo falar sobre superar limitações e prevenir o crescimento da doença (Foto: Divulgação) Mais imagens

A Unesc vai levar conhecimentos e cuidados sobre AVC (Acidente Vascular Cerebral) para a praça Nereu Ramos neste sábado (1º/12) . Quem passar pelo local vai poder conversar com professores e estudantes da área de saúde da Universidade para conhecer a doença e participar de atividades de prevenção. A ação tem o objetivo de mostrar que é possível superar as limitações do acidente vascular cerebral e prevenir o crescimento da doença por meio da informação.

O professore do curso de Medicina da Unesc, Eraldo Belarmino Júnior, conta que em alguns casos uma dor de cabeça, tontura, esquecimento, dificuldade para caminhar, perda de força ou dificuldade de equilíbrio, pode indicar um problema cerebral e deve-se consultar um neurologista ou um médico de confiança.

Segundo Belarmino, prevenção também se faz com hábitos saudáveis. “Pessoas que procuram ter uma rotina de sono, ter uma alimentação saudável, exercitar o corpo de maneira adequada e com orientação e não fumar vão ter uma longevidade e uma qualidade de vida maior”, comenta o professor da Unesc. “É mais fácil parar um veículo no plano do que ladeira abaixo. Se você possui fatores de risco e não se previne ou não segue orientações profissionais fica mais difícil de frear a progressão da doença. Mas se procura se cuidar através de hábitos saudáveis, consultas médicas regulares e segue orientação profissional, mesmo acometido pela doença esse veículo fica mais fácil de frear”, complementa.

A atividade faz parte da campanha de prevenção “Reerguendo-se após AVC”, ligada ao dia comemorado em 29 de outubro, o Dia Mundial de Combate ao Acidente Vascular Cerebral.

Conheça o AVC

O AVC (Acidente Vascular Cerebral), segundo o Ministério da Saúde, é a doença que mais mata no Brasil, sendo uma vítima a cada seis segundos e um total de 100 mil mortes por ano. Popularmente conhecido como “derrame”, o Acidente gera a interrupção da passagem do sangue no sistema nervoso central. Segundo Belarmino, existem dois tipos de AVC: isquêmico e hemorrágico. O primeiro, causado por obstrução da circulação de sangue em um vaso no cérebro e o segundo, pelo rompimento de uma artéria cerebral, ocasionando sangramento.

O grupo considerado de risco pela doença é formado por idosos, diabéticos, hipertensos, pessoas com ameaça de AVC prévio (teve sinais, mas não teve a lesão, sendo transitório), pacientes com problemas cardíacos, alcoolistas, obesos, sedentários e fumantes estão mais propensos a desenvolver a doença.

Cuidados e tratamento

Apesar dos dados alarmantes sobre a doença, com cuidados simples é possível prevenir o problema ou mesmo minimizar as suas consequências. Sintomas como dor de cabeça, vômitos, tontura e perda de equilíbrio, dificuldade para engolir ou confusão mental podem estar associados com a doença. “Se a pessoa está um pouco confusa, peça para ela sorrir. Um desvio labial pode ser sinal de AVC. Peça também para ela te abraçar. Se ela tiver perda de força ou dificuldade para movimentar o braço, pode ser AVC. Já no caso da musicalidade, peça para ele ou ela falar ou cantar e perceba se está com a fala enrolada ou arrastada. A partir do momento que você tem algumas dessas alterações, ligue para o Samu (192) pedindo ajuda para atendimento. Estas são orientações simples e que a população deve saber”, explica Belarmino.

Unesc auxilia no tratamento


No Sul de Santa Catarina, o auxílio de reabilitação é oferecido gratuitamente pela Unesc, por meio do Centro de Reabilitação (CER), que possui profissionais capacitados para o atendimento desses pacientes. Médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, fonoaudiólogos, enfermeiros e assistentes sociais são alguns dos profissionais que trabalham de maneira integrada na reabilitação e ressocialização de pessoas que tiveram AVC.

Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 28 de novembro de 2018 às 20:01
Compartilhar Comente

Ação na Unesc conscientiza sobre diabetes

Ação na Unesc conscientiza sobre diabetes
Clínica Escola e Serviço de Enfermagem distribuíram peras durante a quarta-feira (14/11) (Foto: Divulgação) Mais imagens

O Dia Mundial do Diabetes foi marcado por uma ação simbólica especial na Unesc. A Clínica Escola e o Serviço de Enfermagem da Universidade distribuíram peras durante a quarta-feira (14/11) e conscientizaram sobre a doença, que segundo o Ministério da Saúde atingiu 68% mais brasileiros em 2018.

Segundo a enfermeira da Universidade, Zoraide Rocha, o tema "a família e o diabetes" foi escolhido para as campanhas de 2018 e 2019.

A enfermeira e professora Neiva Junkes Hoepers conta que na Unesc os cuidados com a diabetes são realizados no PAMG (Programa de Automonitoramento Glicêmico), que em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde presta assistência a mais de mil e 800 pessoas com a doença.

Tratamento gratuito

De acordo com o Ministério da Saúde, o SUS (Sistema Único de Saúde) oferece gratuitamente atenção integral contra a doença, com ações de prevenção, detecção, controle e tratamento medicamentoso nas unidades básicas de saúde e hospitais públicos.

Medicamentos gratuitos também podem ser obtidos por meio do programa Aqui Tem Farmácia Popular, parceria do Ministério da Saúde com mais de 34 mil farmácias privadas.

Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 14 de novembro de 2018 às 16:29
Compartilhar Comente