Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais

Unesc leva ações de conscientização à Praça Nereu Ramos no Dia Mundial da Água

Unesc leva ações de conscientização à Praça Nereu Ramos no Dia Mundial da Água
Atividades envolveram diversos setores da Universidade e 11 escolas da Gered (Fotos: Vitor Netto) Mais imagens

Segundo dados da ANA (Agência Nacional de Águas), “estima-se que 97,5% da água existente no mundo é salgada e não adequada ao consumo humano direto nem à irrigação da plantação”. Já o número de água doce, de 2,5%, tem a sua maior parcela, que corresponde a 69%, considerada de difícil acesso. Nesta sexta-feira, comemorou-se o Dia Mundial da Água e, além de celebrar este bem natural tão precioso e necessário para a sociedade, a data serve para relembrar destes números alarmantes e de trabalhar pela conscientização e preservação da água.

A Unesc, com o seu comprometimento com a preservação do meio ambiente realizou, na tarde desta sexta-feira (22/3), ações de conscientização e preservação da água e de assuntos relacionados ao Rio Criciúma. As atividades ocorreram na Praça Nereu Ramos e contaram com a participação de diversos setores da Universidade e de 11 escolas da Gered (Gerência Regional de Educação) de Criciúma.

Projetos inovadores

De acordo com a professora da Unesc, Andrea Rabello, a ação teve o intuito da propagação de conhecimento sobre a água. “A partir da parceria com a Gered, as escolas desenvolveram trabalhos e estudos sobre o assunto, sobre a importância da água e seus impactos e os estudantes trouxeram os trabalhos aqui na ação para apresentá-los”, explicou.

Um exemplo é o estudante do 2º ano do Ensino Médio do Cedup (Centro de Educação Profissional) Abílio Paulo, Yuri Lopes Machado, que utilizou o seu conhecimento em informática para propor medidas para a preservação da água e do meio ambiente. Em seu projeto, ele apresentou os principais tipos de contaminação dos lençóis freáticos e uma maquete em 3D de uma barragem de resíduos sólidos.

Conforme o estudante, a atividade proporcionou ampliar seus conhecimentos sobre a água. “Foi um projeto dinâmico em que tivemos que ir atrás das informações, uma atividade realizada fora da sala de aula, ou seja, tivemos que correr atrás das informações e estudar o assunto”, comentou. Com tanto empenho, o aluno mostrou que realmente aprendeu sobre o assunto. “A contaminação é um processo causado pela ação do ser humano e que acaba acarretando em nós mesmos”, acrescentou.

Conscientização sobre o Rio Criciúma

Outras atividades realizadas na ação contaram com a temática do Rio Criciúma. O rio já serviu de componente essencial para o desenvolvimento da cidade e hoje encontra-se escondido. Um exemplo, de acordo com o coordenador da Comissão Permanente de Meio Ambiente e Valores Humanos da Unesc, Carlyle Torres Bezerra de Menezes, é o local onde foi realizada a atividade, pois o rio passa por baixo da Praça.

De acordo com Carlyle o objetivo da ação foi de sensibilizar a sociedade para causas da água da região e do Rio Criciúma. “A maioria da população não conhece o rio, mas ele tem vida, ele está presente em nós e tem a possibilidade de renascer”, enfatizou.

Os pontos que o professor destaca sobre a atenção para o Rio Criciúma são as questões que envolvem as nascentes, a liberação de esgoto no rio, a poluição das bocas de mina que tem contato com o rio e os produtos de empresas que não são corretamente descartados. “Para ele ter vida, precisamos preservar as nascentes, pois não adianta trabalharmos onde ele corre, se a nascente não estiver boa”, comentou o coordenador.

A atividade na Praça Nereu Ramos contou com a participação do PPGCA (Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais), do PPGE (Programa de Pós-Graduação em Educação), Museu de Zoologia da Unesc Morgana Cirimbelli Gaidzinski, e dos cursos de Engenharia Ambiental e Sanitária, Ciências Biológicas, Geografia, Artes Visuais, Teatro, História, Letras, Matemática e Pedagogia.

Junto à ação realizada na Praça, a Unesc TV produziu um vídeo-documentário sobre o Rio Criciúma, em que apresenta a história do rio e suas interferências, pois mesmo silencioso, está presente no cotidiano da cidade.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Vitor Netto Henrique 22 de março de 2019 às 17:39
Compartilhar Comente

Unesc presente na inauguração da Sede Administrativa da Reserva Biológica Estadual do Aguaí

Unesc presente na inauguração da Sede Administrativa da Reserva Biológica Estadual do Aguaí
Evento ocorreu nesta quinta-feira (21/3) (foto: Divulgação) Mais imagens

A coordenadora adjunta do PPGCA (Pós-Graduação em Ciências Ambientais), Vanilde Citadini Zanette, levou o nome da Unesc ao evento de inauguração da Sede Administrativa da Reserva Biológica Estadual do Aguaí. Nesta quinta-feira (21/3), o IMA (Instituto do Meio Ambiente) de Santa Catarina realizou a abertura do espaço, que recebrá pesquisadores e ambientalistas para atuar na unidade de conservação.

Segundo Vanilde, a Reserva está entre as dez unidades de conservação administradas pelo IMA e protege uma área de sete mil hectares da Mata Atlântica. O local abrange os municípios de Morro Grande, Nova Veneza, Siderópolis, Treviso e Bom Jardim da Serra.

Sede Administrativa

Localizada dentro das instalações da Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis, a Sede conta com salas administrativas, alojamentos, cozinha e banheiro. “Por se tratar de uma reserva biológica, caracterizada pela proteção integral da área, não é permitido acesso público. A visitação é autorizada para pesquisas científicas e projetos de educação ambiental”, explica Vanilde.

O evento contou com a presença do Presidente do IMA, Valdez Rodrigues Venâncio, e do coordenador da Reserva Biológica Estadual do Aguaí, Joel Casagrande.

Leonardo Ferreira – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 22 de março de 2019 às 12:15
Compartilhar Comente

Unesc promove aula inaugural com Luiz Marques, vencedor do prêmio Jabuti 2016

Unesc promove aula inaugural com Luiz Marques, vencedor do prêmio Jabuti 2016
Marques também participará de uma roda de conversa com pesquisadores (Foto: Assessoria de imprensa/Unicamp) Mais imagens

A Unesc receberá nesta quinta-feira (14/3) o vencedor do prêmio Jabuti 2016, Luiz Marques, para uma aula inaugural e conversas com pesquisadores. Com a temática “Capitalismo e Colapso Ambiental”, o professor do Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), abordará o assunto do livro que lhe rendeu a premiação Jabuti na categoria Ciências da Natureza, Meio Ambiente e Matemática. A troca de conhecimentos, gratuita e aberta ao público, ocorrerá a partir das 19 horas, no Auditório Edson Rodrigues, Sala 19 do Bloco P, da Universidade.

Segundo Marques, seu estudo aborda o capitalismo como expansivo e destruidor. O professor afirma que o modelo econômico está levando o planeta a um quadro de devastação ambiental. “Reverter essa tendência requer, em meu entender, a desmontagem da máquina acumulativa e expansiva do capitalismo. Para o modelo, ser é crescer e quanto mais dificuldade ele encontra para se expandir, mais ambientalmente destrutivo ele se torna”, explica Marques.

O palestrante também ressalta que o capitalismo está extinguindo ou ameaçando um número crescente de espécies, incluindo o ser humano. Para o presidente da Comissão de Meio Ambiente e Valores Humanos da Universidade, Carlyle Torres Bezerra de Menezes, a vinda do especialista agrega importantes conversas fomentadas em grupos de pesquisas da Unesc “Marques tem estudos fundamentais na área do meio ambiente e sua vinda assume um grande papel dentro do contexto ambiental atual do Brasil, frente às tragédias recentes”, frisou.

Carlyle destaca também a atuação internacional do professor, que tem participações em eventos mundiais realizados na América e Europa. A obra, que deu origem a palestra “Capitalismo e Colapso Ambiental” pode ser encontrada na Livraria Unesc.

O evento é uma realização do PPGE (Programa de Pós-Graduação em Educação), do PPGCA (Pós-Graduação em Ciências Ambientais) e da Comissão de Meio Ambiente e Valores Humanos da Universidade.

Rodas de conversa


Na sexta-feira (15/3), Marques participará de uma roda de conversa sobre políticas públicas e demandas ambientais. Com a temática “O cenário brasileiro atual e as ciências ambientais”, pesquisadores do Sul de Santa Catarina se reunirão no Auditório Edson Rodrigues, Sala 19 do Bloco P, da Unesc, a partir das 9 horas.

O evento da manhã também contará com a participação do coordenador adjunto de Ciências Ambientais da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Jairo Schmitt.

Já durante a tarde, ocorrerá outra roda de conversa, com o tema “Perspectiva da Pós-Graduação na Conjuntura do Brasil atual”. O encontro iniciará às 14h30, também no Auditório Edson Rodrigues.

Leonardo Ferreira – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 13 de março de 2019 às 15:33
Compartilhar Comente

Unesc com vagas na Graduação, Especializações, Mestrados e Doutorados

Unesc com vagas na Graduação, Especializações, Mestrados e Doutorados
Mais imagens

Graduação

A Unesc lançou nesta quinta-feira (28/02) um programa que concede bolsas de estudos de 50% de desconto nas mensalidades durante todo o curso, para alunos ingressantes. Chamado de PróUnesc, o programa inclui as modalidades PróSaúde, PróEngenharia e PróGestão para ingresso em cursos que ainda possuem vagas ociosas em diversas fases.

Outra novidade é que o Escolha Unesc teve suas inscrições prorrogadas até dia 15 de março. Para mais informações, acesse o link

Mestrados

Na área da saúde, a Unesc está com processo seletivo aberto para o Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Atenção Psicossocial. As inscrições seguem até dia 6 de março e as inscrições podem ser feitas no site da Universidade. O PPGSCol (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva) também segue com o processo seletivo aberto até dia 14 de março e as incrições podem ser feitas aqui.

O PPGCEM (Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Materiais), que tem como área de concentração a Tecnologia de Materiais, segue com as inscrições abertas até 7 de março. link

Doutorados

O Doutorado do PPGCEM (Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Materiais) também está com as inscrições abertas até 7 de março. link 

Bolsas e descontos

O PPGCA (Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais) está com inscrições abertas para bolsas ou taxas escolares de Mestrado e Doutorado do Prosuc/Capes (Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Comunitárias de Educação Superior). As inscrições seguem até o dia 28 de fevereiro e para mais informações, os interessados podem acessar os links: Mestrado e Doutorado

O Artigo 170 também está com processos seletivos abertos até 18 de março. A bolsa garante um percentual de desconto de no mínimo 25% podendo chegar a 100% no valor da mensalidade, de acordo com a análise da situação socioeconômica. Para ter direito, o aluno precisa estar regularmente matriculado em um curso de graduação da Universidade. 

Fomento à pesquisa

O PIC 170 (Programa de Iniciação Científica) também está com inscrições abertas até 18 de março. O Programa utiliza de recursos do Artigo 170 e visa fomentar a pesquisa executada por acadêmicos sob a orientação de professores da Universidade. Para mais informações, os estudantes podem acessar o documento no link.

Confira no infográfico todas as opções disponíveis. link

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Ana Sofia Schuster 01 de março de 2019 às 16:18
Compartilhar Comente (1)

Defesa Pública de tese - DANILO BARBOSA DE ARRUDA

O Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais convida a comunidade acadêmica para a Defesa Pública de Tese abaixo relacionada:

Doutorando: DANILO BARBOSA DE ARRUDA

Título: “AMÉRICA LATINA E RECURSOS NATURAIS: ENTRE A RETÓRICA DESENVOLVIMENTISTA E O DISCURSO NEOLIBERAL”.

BANCA EXAMINADORA

Membros Titulares:
Prof. Dr. Geraldo Milioli (Presidente e Orientador)

Prof. Dr. Nilzo Ivo Ladwig (UNESC)

Profa. Dra. Natália Martins Gonçalves (UNESC)

Prof. Dr. Daniel Rubens Cenci (UNIJUI)

Prof. Dr. Nicolas Floriani (UEPG)

Membro Suplente:

Profa. Dra. Teresinha Maria Gonçalves (UNESC)

Resumo: Para tentar compreender o panorama latino-americano vigente é preciso usar recursos históricos, culturais, espaço-temporal, contextualizar e tecer uma conjectura de escravidão, dominação indígena e sistema produtivo que engendraram as raízes do subdesenvolvimento atual. Nesta esteira, devido à complexidade do tema, se faz necessário uma analise sistemática e devidamente fundamentada do sistema produtivo no passado e no presente, com a reprodução do capital a qualquer custo, mesmo que isso signifique o esgotamento dos recursos naturais. O sistema capitalista tal como está colocado tem assegurado a reprodução do lucro e garantia de reserva mercado tanto como produtor de matéria-prima, como consumidor no cenário da periferia global como limitações ante os países da América Central, Caribe e América do Sul, denominados genericamente ‘ América Latina’. Ante a necessidade de compreender o arcabouço que permitiu o desenrolar do neoliberalismo, globalização e manutenção de um sistema produtivo, científico e tecnológico em colapso, o papel da América Latina tem destaque para estratégias de perpetuação da ordem internacional em vigor. Este trabalho não tem o condão de exaurir a temática que cerca a América Latina, seus desafios e perspectivas para a seara humana, social, ambiental e político-econômico, mas sim, contemporizar as ambivalências e simbolismos inerentes aos mesmos. Consoante o exposto, os objetivos do presente visam um estudo interdisciplinar entre desenvolvimento regional latino-americano, epistemologia do sul e o tratamento da problemática latino-americana sob uma visão interna. Assim sendo, o (sub) desenvolvimento das nações latino-americanas traz para o cerne a discussão do modelo hegemônico ocidental de civilizações, seus paradoxos e insustentabilidade. A proposta de trabalho vincula-se a uma perspectiva teórica e qualitativa, com análise de dados secundários, uso de fonte e revisão bibliográfica otimizando o tema tratado para construção da justificativa. Os resultados oportunizam uma releitura da América Latina, numa interface entre sustentabilidade e sociedade, sob o eixo de uma ciência pública que avança para questionar os dilemas latino-americanos pertinentes ao desenvolvimento local.

Palavras-chave: Sistema Produtivo. Desenvolvimento Local. Sustentabilidade. Latinoamericano.

Data: 08/03/2019               Horário: 09h30min             Local: Bloco P – Sala 18

Por: Michele Ribeiro Dos Santos 01 de março de 2019 às 14:29
Compartilhar Comente