Newsletter Newsletter RSS RSS

Dia Internacional da Justiça

Dia Internacional da Justiça
Mais imagens
Postado por: Aline Demboski 08 de dezembro de 2017 às 10:11
Compartilhar Comente

EdiUnesc participa de Encontro de Editores

As colocaboradoras Vanessa Medeiros, supervisora administrativa da EdiUnesc e Aline Demboski, assistente administrativa da editora, participaram do I Encontro de Editores da Universidade do Sul de Santa Catarina - Unisul Pedra Branca, na Palhoça, que ocorreu no dia 7 de dezembro.

O encontro contou com a presença de editores, bibliotecário e pró-reitores de instituições do Sistema Acafe, os quais tiveram troca de experiências a respeito dos periódicos.

Uma das demonstrações foi realizada pelo professor Dr. Miguelangelo Gianezini, membro do Conselho Editorial da EdiUnesc e editor da Revista Desenvolvimento Socioeconômico em Debate, da Unesc.  

Postado por: Aline Demboski 08 de dezembro de 2017 às 09:24
Compartilhar Comente

Professor da Unesc lança obra em parceria com Instituto Olho D’ Água e Unicamp

Professor da Unesc lança obra em parceria com Instituto Olho D’ Água e Unicamp
Mais imagens

A Unesc, por meio do LAPIS (Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz), o Instituto Olho D’ Água, do Piauí, e o Laboratório de Arqueologia Pública Paulo Duarte, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) reuniram conhecimentos para criar o livro Digital “A multivocalidade da Arqueologia pública no Brasil: Comunidades, práticas e direito”. A obra está disponível desde esta terça-feira (5/12) e foi viabilizada pela Editora Unesc.

O e-book reuniu informações resultantes das pesquisas dos professores doutores Juliano Bitencourt Campos, Pedro Paulo Abreu Funari e Marian Helen Rodrigues, com foco na arqueologia pública e na gestão de patrimônios.

Campos, que desenvolve seus trabalhos na Unesc, conta que este campo de atuação da Arqueologia foi iniciado no fim do século 20 e vem se expandindo. Ele explica ainda que seu objetivo é relacionar a prática arqueológica com as sociedades e comunidades indígenas. “A Arqueologia Pública vem se popularizando nas duas últimas décadas. Esta área, que antes era masculina, hierárquica e militar, passou a incluir mulheres e indígenas nas qualificações acadêmicas. Assim, foram cruzadas pesquisas que resultaram na revista, formada por uma rede de pesquisadores multidisciplinares do Brasil e Exterior”, esclarece.

Outro fator de destaque, segundo Campos, são as várias áreas do conhecimento que se completam. “Unimos contribuições de variadas regiões do país e perspectivas teóricas e multidisciplinares, englobando à Arqueologia, Letras, História, Ciências Ambientais, Pedagogia, Música, Turismo, Geografia, Ambiente e Sociedade, Filosofia, Comunicação Social, Jornalismo, Oceanologia, Direito, Antropologia Social, conhecimentos acadêmicos, profissionais e indígenas. Essa mistura mostra a fertilidade desta área de pesquisas”, afirma.

Os interessados podem conhecer a obra através link

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

06 de dezembro de 2017 às 17:54
Compartilhar Comente