AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Unesc trabalha na produção de respiradores mecânicos para auxiliar serviços de saúde

Unesc trabalha na produção de respiradores mecânicos para auxiliar serviços de saúde
Este é o sétimo projeto da Instituição em benefício da comunidade desde o início da pandemia Mais imagens

Com o objetivo de auxiliar a atuação dos serviços de saúde diante da pandemia de coronavírus, a Unesc está desenvolvendo protótipos de respiradores mecânicos. Este é o sétimo projeto da Instituição em benefício da população desde de que a pandemia chegou ao Sul de Santa Catarina. A iniciativa está sendo elaborada em conjunto pelo curso de Engenharia Mecânica, reitoria da Universidade e Mestrado em Saúde Coletiva. A expectativa é que os itens possam ser entregues em 15 dias, em conformidade com a disponibilidade de peças.

O professor da Unesc Adriano Bernardin lidera a implementação do projeto. Ele explica que o foco é prestar apoio diante do maior problema causado pelo vírus: a falência dos pulmões. “O protótipo terá baixo custo, será confiável e atenderá às necessidades das equipes de UTI que enfrentam a pandemia do coronavírus. Para auxiliar no tratamento são necessários respiradores, que, dependendo do número de vítimas que os necessitem, não serão suficientes nas unidades de tratamento intensivo da região. Frente à urgência, o curso vislumbrou duas alternativas. Em ambas ideias, a consideração principal é a saúde e necessidades fisiológicas do paciente, sendo que cada sistema tem suas vantagens sobre o outro”, esclarece.

Em etapa de aprimoramento, um dos modelo foi proposto em projeto aberto pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e o outro pensado pelo grupo da Instituição. “Estamos verificando as necessidades de operação do equipamento com uma equipe médica, que usa um exemplar similar e propõe ajustes para os detalhes, seguindo os padrões de normalização e segurança do equipamento”, explica o coordenador de execução, professor Fábio Souza.

“Nos dois casos, podemos dizer que estamos verificando qual a tecnologia mais adequada em função do que uma equipe médica necessita, pois sistemas muito simples tem enfrentado problemas de operação”, completa Souza.

Também colabora com o projeto o professores Adilson Souza, com consultoria do professor pesquisador e presidente da Comissão Temporária de Acompanhamento e Prevenção da Unesc, doutor Felipe Dal Pizzol, que é médico e atua em Unidades de Terapia Intensiva. 


Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

30 de março de 2020 às 20:55
Compartilhar Comente

Deixe um comentário

Ouça o que está escrito