Colégio Unesc

Família, formatura e vestibulares pautam encontro de pais de alunos do Colégio Unesc

A noite da última terça-feira (16/04) foi de confraternização para os alunos do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Unesc e seus familiares. Reunidos com o corpo docente e direção da instituição de ensino, eles discutiram pontos pedagógicos de ensino, tais como propostas pedagógicas, formatura e vestibulares. A reunião fez parte de uma série de encontros com os pais e responsáveis por todos os estudantes do Colégio Unesc, que discutem temas pertinentes a cada série.

A coordenadora geral, Marlene Pires, fez a abertura da reunião dando as boas-vindas e agradecendo a parceria dos pais. “Somos gratos pela confiança na proposta pedagógica e nos profissionais do Colégio Unesc e aos alunos, por estarem encerrando um ciclo no Colégio e abrindo outro ciclo na Universidade”, disse. Marlene ainda destacou o apoio da Reitoria e da Diretoria de Ensino da Unesc em relação ao novo planejamento do Colégio. A coordenadora pedagógica do Colégio, Carina de Freitas também recepcionou os pais e alunos. "Família e escola precisam caminhar juntos para o sucesso escolar e o bem estar de todos", ponderou, também agradecendo a confiança dos presentes. 

Os professores regentes da turma do 3º ano prosseguiram com a pauta da reunião. Em um primeiro momento, a professora Wânia Inácio da Silva Ramos agradeceu a parceria dos familiares nas questões escolares dos alunos. “É de extrema importância que os pais continuem oferecendo este apoio para os filhos, fortalecendo os laços familiares e educacionais”, colocou.

Em seguida, a professora Mainara Figueiredo Cascaes expôs a importância dos vestibulares e da preparação exigida dos alunos. “Grande parte do que é abordado com o 3º ano tem relação com os vestibulares”, disse. “É necessário conhecer as provas e, sobretudo, ter incentivo dos pais para um bom resultado”, completou Mainara.

Família em foco

A professora Normélia Ondina Lalau de Farias foi a responsável por comandar uma dinâmica com os pais. “Cada um recebeu um post-it e uma caneta, onde escreveram uma palavra de inspiração para seus filhos e os outros alunos. Depois, as palavras serão coladas numa árvore, dando vida e inspiração para a sala do 3º ano”, explicou a docente. A brincadeira focou em desenvolver o afeto familiar e criar um ambiente de incentivo aos alunos.

Questões referentes à formatura dos alunos também foram discutidas. Com uma comissão voluntária de seis pais, assuntos como arrecadação de recursos para diminuição do valor total da formatura entraram em pauta. Rifas, venda de doces, barracas de cachorro quente, abraço e correio elegante na Festa de Inverno, patrocínios e uma mensalidade voluntária de R$ 50 por família formarão o fundo monetário para alcançar o objetivo.

Ao final da reunião, o professor Márcio Justos Evaldt foi o responsável pela música ao vivo durante o lanche oferecido aos pais e alunos. Acompanhado da aluna Júlia Borges Cechella, ele embalou os estudantes e seus familiares com sucessos da música brasileira. O sorteio da rifa de páscoa também foi realizado durante o encontro, tendo premiada a cartela vendida pela professora Normélia.

Fagner Santos - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing


 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Fagner Santos 18 de abril de 2019 às 11:01
Compartilhar Comente

Representantes de aldeia indígena deixam mensagem de amor e igualdade na Unesc

Representantes de aldeia indígena deixam mensagem de amor e igualdade na Unesc
Visitantes vieram da aldeia Tekoa Marãngatú, de Imaruí, para conversa com professores e alunos em evento promovido pelo Museu de Zoologia (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

Índios da aldeia Tekoa Marãngatú, de Imaruí, estiveram na Unesc na tarde desta quarta-feira (17/04) compartilhando lições sobre sua história, sua cultura e seu dia a dia em evento promovido pelo Museu de Zoologia Professora Morgana Cirimbelli Gaidzinski em parceria com o Ânima (Programa de Relações Colaborativas e Valorização Humana) em alusão ao Dia do Índio, celebrado no dia 19 de maio. Entre as informações deixadas pelos visitantes as principais foram as lições de amor e igualdade entre os seres humanos. Acompanharam o evento acadêmicos de cursos de graduação e crianças do Colégio Unesc.

A atividade consistiu em uma roda de conversa em que cada um dos quatro visitantes pôde destacar algo da história ou dos costumes da aldeia. Para a idealizadora da ação, a coordenadora do Museu, Morgana Cirimbelli Gaidzinski, o momento pôde ser resumido em riqueza e honra por tê-los na Universidade. “Estamos muito felizes por ter tido essa oportunidade e por conhecermos um pouco mais a riqueza dessa cultura”, destacou.

Conforme o coordenador do programa Ânima da Universidade, João Batanolli, grande estudioso e parceiro da aldeia há mais de 20 anos, a lembrança do Dia do Índio evidenciada pelo evento do Museu é de extrema importância, porém a data não é só de comemoração. “É uma data que também representa muita tristeza, muita luta. Apesar de tudo o que já aconteceu com eles, temos também muito a agradecer e aprender com sua cultura. Eles nos mostram muitas coisas, entre as principais, mostram como poderíamos ser simples e felizes. Nos dão o exemplo na prática de como viver a vida com paciência e humildade”, destacou.

O cacique da aldeia, o jovem Fabiano Alves, de apenas 29 anos, aproveitou sua fala para relembrar um pouco do passado, da chegada dos imigrantes ao Brasil. Após aprender muito sobre tudo isso, conforme o cacique, eles têm consciência de que Deus criou o mundo para que o ser humano vivesse em harmonia com a natureza.

Os demais membros da aldeia, Irineu Benite, Daiana da Silva e Floriano da Silva, abordaram ainda assuntos como a educação das crianças, a espiritualidade e as tradicionais pinturas em seus corpos. “Eles estão aqui, muito próximos, e possuem uma cultura completamente diferente e bastante preservada na aldeia. É incrível de ver. Em um dos dias que estive lá ouvi que nós, brancos, criamos as crianças para serem inteligentes e eles criam para que sejam pessoas boas. Eles têm toda razão”, completou João Batanolli.

O evento contou ainda com contribuições dos professores Jairo José Zocche, Juliano Bittencourt Campos, Mário Guadagnin, Guilherme Elias, Carlos Renato Carola e Ana Karen Rosado, professora que apresentou o trabalho realizado sobre o tema com a sua turma no Colégio Unesc.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 17 de abril de 2019 às 19:32
Compartilhar Comente

Resultado Eleição Grêmio Estudantil - 2019

Resultado Eleição Grêmio Estudantil - 2019
Mais imagens
Por: Daiani Colombo Ferreira 16 de abril de 2019 às 16:52
Compartilhar Comente

Nadounesc: natação como ferramenta para o desenvolvimento humano de crianças e adolescentes

Às 13h de todas as segundas e quintas-feiras, Ricardo Felício da Silva, 15 anos, entra na piscina do Complexo Esportivo da Unesc. Junto com um grupo de outros colegas do Colégio Unesc, o adolescente participa das aulas de natação do projeto Nadounesc, ministradas pelo professor e coordenador do projeto, Márcio Justo Evaldt.

Após quase dois meses frequentando a classe, Ricardo agora sabe como coordenar respiração e movimentos de nado, mergulhar e até flutuar na piscina. “Aprendi muita coisa nova, e isso me ajudou na movimentação das minhas pernas e braços”, coloca o estudante.

O conhecimento adquirido acabou melhorando a qualidade de vida de Ricardo. Ele teve um Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), ou Isquemia Cerebral, o que afetou os movimentos do lado esquerdo do corpo. O Nadounesc é uma das ferramentas que o Colégio Unesc possui para incluir e auxiliar alunos com necessidades especiais a se desenvolverem com mais eficiência e segurança.

E quem atesta é o próprio Ricardo. “Na piscina eu me sinto seguro, confortável e tranquilo”, afirma, sorridente. “Lá, eu aprendi coisas que me ajudam todo dia, e tem mais gente aprendendo e melhorando”, lembra o estudante, referindo-se a outro colega, asmático, que agora consegue controlar melhor a respiração em ambientes aquáticos. “Eu vi o progresso, e meu irmão que também tem asma fez natação e isso ajudou muito”, confirma Ricardo.

Respeito às especificidades

Além de Ricardo, outros 35 alunos participam do Nadounesc, divididos em duas turmas. “O processo consiste em coordenar respiração e movimentos para o deslocamento no meio líquido, de maneira progressiva”, expõe o professor responsável pelo projeto, Márcio Justo Evaldt. Portanto, o Nadounesc oferece condições para que todo e qualquer estudante possa aprender a nadar e conhecer seu próprio corpo no processo.

“Buscamos ofertar o conhecimento para todos, utilizando-se de ferramentas para facilitar a compreensão do aprendizado e, com isso, melhorar o desenvolvimento técnico de cada um dos alunos”, completa Evaldt. Os alunos desenvolvem conhecimento histórico, cultural e técnico das modalidades de nado olímpico: crawl, costas, peito e borboleta.

Reitoria da Unesc oferece projeto gratuito para os alunos do Colégio

Iniciado em fevereiro deste ano, com a aprovação da Reitoria da Unesc, o Nadounesc é gratuito e leva como um de seus objetivos a ampliação da oferta de projetos no contraturno escolar vespertino. O foco, claro, é a natação.

“Nossos alunos e pais solicitam e perguntam sobre a oferta de oficinas no contraturno, e o Nadounesc é uma ótima oportunidade”, informa a diretora do Colégio Unesc, Marlene Pires. “Somos privilegiados por termos um ambiente com a estrutura da Universidade e, dentro deste espaço, temos disponibilizada a piscina para nossos alunos. Agradecemos muito a reitora Luciane Ceretta”, complementa Marlene.

Talentos podem representar instituição de ensino

Além de todo o desenvolvimento pessoal e humano, o Nadounesc pode apresentar alto rendimento da modalidade. Um exemplo que é outra meta do projeto: inserir os alunos participantes em competições futuras. “Eles poderão representar o Colégio Unesc e a própria Unesc a partir do momento em que estiverem aptos para uma competição”, afirma Evaldt.

Com a participação em competições, a visibilidade dos competidores e da própria instituição de ensino é ampliada. “O Nadounesc disponibiliza o ambiente e condições para que os alunos possam desenvolver a máxima capacidade no nado”, comenta o professor. “Atendemos o anseio da comunidade escolar em ter atividades no contraturno, em específico, a natação”, finaliza.

​Fagner Santos - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Fagner Santos 12 de abril de 2019 às 13:35
Compartilhar Comente

Crianças do Colégio Unesc aprendem lições de natação com acadêmicos de Educação Física

Crianças do Colégio Unesc aprendem lições de natação com acadêmicos de Educação Física
Projeto une atividades da escola com a disciplina de Modalidades Aquáticas da graduação (Foto: Divulgação) Mais imagens

Alunos do Colégio Unesc, de seis a dez anos, estão tendo a oportunidade de aprender lições de natação com acadêmicos do curso de Educação Física. Os pequenos participam de aulas sobre sobrevivência na água e noções básicas de natação por meio do projeto Com Vivendo na Escola. A ação é conduzida pelos alunos da disciplina de Modalidades Aquáticas sob supervisão da professora, Elaine Marin, em parceria com o GPEAA (Grupo de Pesquisa em Exercícios Aquáticos Avançados).

De acordo com o coordenador do GPEAA e professor do curso de Educação Física, Luciano Acordi, este é um modelo de ensino aplicado que contempla de maneira unificada acadêmicos e crianças num mesmo ambiente. “Este tipo de ensino faz com que nossos futuros professores saiam da graduação mais preparados para o mercado de trabalho, e que nossas crianças recebam um atendimento de excelência”, comentou.

Na atividade realizada nesta semana, cada criança foi acompanhada por um estudante do curso durante o horário da disciplina. 

Mayara Cardoso - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 10 de abril de 2019 às 17:03
Compartilhar Comente