AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Farmácia Escola mantém atendimentos à comunidade

Farmácia Escola mantém atendimentos à comunidade
Alguns processos foram modificados em caráter especial (Foto: Decom Criciúma) Mais imagens

A Farmácia Escola da Unesc segue prestando serviços à comunidade, de acordo com as recomendações de saúde indicadas pelo Estado e município de Criciúma. O atendimento continua sendo feito por meio do agendamentos para a distribuição dos medicamentos, mas alguns processos foram modificados em caráter especial para o período de isolamento social. 

Até o mês de maio, a renovações serão feitas automaticamente, conforme orientação da DIAF (Diretoria de Assistência Farmacêutica) de Florianópolis. A medida significa que não é obrigatória a apresentação de laudo e receita para seguir usufruindo do serviço. 

Novas solicitações de medicamentos foram suspensas por 30 dias, a partir do dia 18 de março, exceto para pacientes com pedidos para transplantes, hipertensão arterial pulmonar, anemia na doença renal crônica, dieta sintética e casos de urgência para o uso de imunoglobulina humana. Nestes casos, toda documentação poderá ser enviada por e-mail.

A Farmácia Escola orienta que usuários do grupo de risco solicite a terceiros para que faça a retirada. Durante o isolamento social, não será necessária a apresentação da declaração autorizadora, basta apenas a apresentação do documento com foto do paciente ou uma cópia, junto da ficha de controle de atendimento. Para a entrega dos medicamentos isotretinoína, acitretina e talidomida se mantém  necessária apresentação de notificação de receita e termo.

A Farmácia Escola realiza atendimentos aos pacientes com processo administrativo vigente no CEAF (Componente Especializado de Assistência Farmacêutica). Mais informações podem ser solicitadas no e-mail farmaciaescola@unesc.net, no telefone (48) 3431-2789 ou no WhatsApp (48) 9 9644-1887.   

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

09 de abril de 2020 às 09:16
Compartilhar Comente

Lideranças da Unesc dialogam com estudantes sobre experiências mediadas por tecnologia

Lideranças da Unesc dialogam com estudantes sobre experiências mediadas por tecnologia
Aulas reiniciaram no dia 1º de abril e os resultados são positivos (Fotos: Arquivo) Mais imagens

Um diálogo entre lideranças da Universidade e estudantes reafirmou a assertividade das aulas mediadas por ferramentas tecnológicas neste período de pandemia da Covid - 19. A conversa foi realizada na tarde desta quarta-feira (8/4), via Google Meet, com o objetivo de informar sobre o plano de contingência e ouvir as primeiras experiências desde de o reinício das aulas, no dia 1º de abril. 

O momento representa a continuidade do programa Diálogos Unesc com a reitoria, neste período de forma virtual, realizada na segunda-feira (30/3). As colocações da comunidade acadêmica, somadas a estratégias de gestão e o protagonismo do estudante deram origem a uma série de ações por parte da Universidade. “O diálogo com as lideranças estudantis foi excelente. Momento ímpar em que foi possível ouvir os nossos estudantes e, com isso, reorganizar a nossa rota acadêmica e de sustentabilidade institucional. Sairemos deste momento muito mais fortes do que quando entramos. O diálogo e a construção coletiva são a melhor forma para seguirmos com excelência, frente ao momento em que vivemos”, afirmou a reitora Luciane Bisognin Ceretta.

Entre as medidas tomadas para garantir a permanência estudantil, em uma Universidade que  sobrevive com 98% da receita advinda das mensalidades dos estudantes, sendo que 85% das mensalidades são  subsidiadas por bolsas de estudos, está a flexibilização dos compromissos de abril, maio e junho. Para casos em atraso, quando apresentada justificativa, não será estipulado juros. 

Outra iniciativa fomentada pela gestão é o incentivo aos órgãos públicos nas esferas estaduais e federais, defendendo o adiantamento dos recursos do Uniedu (Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina) e o pensamento de um novo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). “A Universidade não é pública ou privada. Ela não mantém fundos de reserva. Nossa luta é comunitária. A Instituição, em sua existência, realiza a tomada de ações e investe sempre pensando unicamente na comunidade”, explica o vice-reitor, Daniel Ribeiro Preve.

A gestão também terá o desafio de reajustar projetos pontuais da Instituição previstos para 2020. A criação de novos espaços de alimentação, auditórios e investimentos na estrutura educacional estão sendo revistos, com o objetivo de reverter valores para a empregá-los no momento atual, para a preparação dos docentes e na aquisição de tecnologias para o enfrentamento da situação que se apresenta. 

“Nosso compromisso é trabalhar, de forma diária, para que as aulas remotas tenham a melhor qualidade possível. A dedicação, até o retorno da presença do estudante em nosso campus, é para oferecer um serviço acadêmico que não prejudique o estudante e vá além, elevando a excelência universitária presente na Unesc”, frisou a pró-reitora Acadêmica, Indianara Becker. 

A tecnologia alinhada ao conhecimento 


Parte da iniciativa é a ampliação da tecnologia e de assessoria pedagógica, que já demonstra resultados valiosos. Desde o dia 1ª de abril, que marcou o início das atividades remotas, mais de 17 mil acessos foram registrados no AVA (Ambiente Virtual Acadêmico), 1.200 aulas online já foram ministradas via Google Meet, por mais de 800 professores, e 2.125 roteiros de aprendizagem já foram postados em espaços dedicados aos docentes.  

A resposta dos estudantes ao novo cenário são positivas. A estudante do curso de Farmácia Gabrielly Ricken da Silva compartilhou a experiência de uma conversa entre acadêmicos, professores e coordenação do curso após a primeira semana de aulas. “As falas são extremamente positivas. Aos poucos estamos nos habituando, os professores dominando mais a ferramenta e ideias como manter a interação por uso da tecnologia estão surgindo. Temos que usufruir deste aprendizado para agregar à vida acadêmica depois”, sugeriu. 

Do outro lado, os professores também comemoraram os resultados dos primeiros contatos virtual com seus alunos. “Tudo tem corrido bem. Desde o início desta situação, o processo de ensino aprendizagem foi reafirmado por meio de uma ressignificação. A qualidade da troca de conhecimentos foi enriquecida com novos meios e conforme nos adaptamos a este novo mundo temos conquistado em nome do ensino”, destacou a professora Daniela Arns Silveira. 

Segundo o gerente de TI (Tecnologia da Informação) da Unesc e professor doutor, Rogério Casagrande, o feedback reafirma a assertividade da Universidade em investir em tecnologia. Ele explica que os docentes e discentes têm a disposição um acesso remoto aos equipamentos, sistemas, capacitações e tutoriais. 

A plataforma virtual de aprendizagem foi migrada para um grande provedor mundial, suportando o acesso simultâneo com média aproximada de 400 turmas por turno. Além disso, a Universidade ampliou também o acordo com a Google, por meio da “Google for Education”, que permite à Instituição o uso ilimitado de ferramentas colaborativas como e-mail, Agenda, Meet, Classroom, GDrive e Hangouts de forma integrada.

Durante a conversa, o diretor de Ensino de Graduação da Unesc, Marcelo Feldhaus, reiterou com dados os depoimentos apresentados neste momento. Segundo sua apresentação, novas experiências, ampliação do acesso à tecnologia, engajamento, contato direto entre aluno e coordenação, novos meios de ensino aprendizagem e flexibilização de horários são afirmações frequentes na leitura dos dados. 

A regulamentação desta experiência vivida pelos estudantes da Unesc é reafirmada pela portaria número 343 do MEC (Ministério da Educação), publicada em 17 de março. O compromisso também está presente no contrato assinado entre aluno e Universidade, no ato da matrícula. 

Outras assuntos solicitados pelos estudantes


Antecipação de formaturas de alunos da área da saúde


“A portaria número 374 do MEC tem sido assunto recorrente nos últimos dias. Nesta semana, monitoramos 3 regulamentações que se contrapõem no assunto. O papel da Unesc é trabalhar que se tenha segurança na realização do ato. Fora isso, a Instituição acompanha diariamente a pauta. Se concretizada, será seguida a regulamentação”, afirmou a pró-reitora Acadêmica, Indianara Becker. 

Previsão de retorno das aulas presenciais 


“A previsão é retornar dia 20, de acordo com as diretrizes do Estado. Porém, o cenário segue em análise e não podemos adiantar o assunto. O objetivo é sempre zelar pela vida”, esclareceu a reitora, Luciane Bisognin Ceretta.

Monitorias 


“A possibilidade está em diálogo. É uma sugestão realmente válida. Temos mapeado o assunto e estudado. Existe a possibilidade do adiantamento”, afirmou o diretor de Ensino de Graduação da Unesc, Marcelo Feldhaus.

Estágio para atuar frente ao Covid - 19


“A inscrição, regulamentação e divulgação dos resultados é de responsabilidade do Ministério da Saúde”, respondeu Indianara.

O Uniedu 


“O Programa se mantém. Para quem está inscrito, existe a necessidade de uma conferência e reenvio dos dados na página do Uniedu. É um procedimento simples e rápido”, esclareceu a coordenadora da Centac (Central de Atendimento ao Estudante), Juliana Lora.

Atendimento da Centac


“O contato entre estudante e Central está sendo feito por meio dos canais virtuais. Nesta quinta-feira (9/4), estaremos atendendo de forma controlada no campus, de forma pontual e com todos os cuidados”, afirmou a pró-reitora de Desenvolvimento e Planejamento Institucional, Gisele Coelho Lopes.

Também estiveram presentes na reunião a diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias da Unesc, Fernanda Sônego e a chefe de Gabinete, Carol Bortot.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

08 de abril de 2020 às 22:48
Compartilhar Comente

Professor da Unesc colabora na elaboração das Diretrizes para Diagnóstico e Tratamento da Covid-19, do Ministério da Saúde

Professor da Unesc colabora na elaboração das Diretrizes para Diagnóstico e Tratamento da Covid-19, do Ministério da Saúde
Pesquisador Felipe Dal Pizzol também participa de grupo de pesquisa nacional sobre o uso da cloroquina em pacientes com coronavírus (Foto: Arquivo) Mais imagens

O Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (7/4), as “Diretrizes para Diagnóstico e Tratamento da Covid-19”, elaboradas por pesquisadores brasileiros. Na equipe composta por 10 profissionais, está o médico e professor doutor da Unesc, Felipe Dal Pizzol. O documento, com quase 400 páginas, é um manual pensado para colaborar com os profissionais de saúde no enfrentamento da pandemia no país.

Segundo Dal Pizzol, a publicação é fruto de três semanas de trabalho em equipe, e traz, entre outras recomendações, a forma de atendimento às pessoas que chegam nas unidades de saúde e hospitais, o manejo dos equipamentos de proteção individual (EPIs) e até o que fazer com os casos em que não há recursos para o atendimento. “Foi feita uma varredura no que está sendo pesquisado no Brasil e no mundo e elaborado um material a partir do zero. Ele será atualizado periodicamente e dará um norte para os profissionais de saúde, que assim como a população em geral, estão vivendo esta situação pela primeira vez”, comenta.

As Diretrizes publicadas pelo Ministério da Saúde são o resultado da parceria entre o Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Ministério da Saúde, via Programa de Apoio ao Desenvolvimento do SUS. O trabalho conta com a colaboração dos Núcleos de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital Sírio Libanês e do Hospital Moinhos de Vento e apoio da Amib (Associação de Medicina Intensiva Brasileira).

No manual do Ministério da Saúde, o professor da Unesc representou a Amib. Anteriormente à publicação do Ministério, a Amib havia publicado o documento chamado “Recomendações da Associação de Medicina Intensiva Brasileira para a abordagem da Covid-19 em medicina intensiva”, no qual o professor da Universidade foi o coordenador.

Para Dal Pizzol, é um privilégio poder participar de estudos que tragam informações relevantes para os profissionais de saúde e colaborem no enfrentamento da pandemia. Ele afirma que isso foi possível por fazer parte da Amib, na qual está representando a Unesc. Na Universidade, Dal Pizol ainda coordena o PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde), um dos poucos programas nota 6 (de um máximo de 7) pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Coalizão Covid Brasil  


A Unesc ainda está sendo representada por Dal Pizzol na Coalizão Covid Brasil, um grupo de profissionais que realiza pesquisas para avaliar a eficácia e segurança de medicamentos para pacientes com infecção pelo coronavírus.

Formada pelos hospitais Israelita Albert Einstein, do Coração (SP), Sírio Libanês, Moinhos de Vento, Alemão Oswaldo Cruz, Beneficência Portuguesa de São Paulo, Rede Brasileira de Pesquisa em Terapia Intensiva e Ministério da Saúde, a Coalizão Covid Brasil conta com o apoio da empresa farmacêutica EMS fornecendo os medicamentos hidroxicloroquina e azitromicina. Ao todo, nove estudos estão em curso, envolvendo entre 40 e 60 hospitais brasileiros – incluindo o São José, em Criciúma.

A previsão é a de que as pesquisas envolvam até 1 mil pessoas. Dal Pizzol participa de três estudos. Um deles ocorre no Hospital São José, onde quatro pacientes diagnosticados com coronavírus com quadro moderado a grave participam das avaliações sobre o uso da cloroquina para o tratamento da Covid-19. “A pesquisa ainda não é conclusiva e tudo está sendo feito com cautela. Ainda não sabemos os reais efeitos da cloraquina no tratamento nestes pacientes. Imaginamos que nas próximas três semanas devemos ter avanços a respeito”, afirma o professor. A pesquisa avalia a eficácia da hidroxicloroquina na melhora do quadro respiratório dos pacientes com o vírus.

Milena Nandi – Agência de Notícias

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

08 de abril de 2020 às 19:08
Compartilhar Comente

Unesc esclarece normativas que regulamentam as aulas mediadas por tecnologia

Unesc esclarece normativas que regulamentam as aulas mediadas por tecnologia
Universidade atua em um novo cenário desde o dia 1º de abril (Foto: Arquivo) Mais imagens

As normativas que regulamentam aulas mediadas por tecnologia se fazem necessárias para assegurar a excelência do ensino nas instituições educacionais. Na Unesc, Universidade com conceito máximo no MEC (Ministério da Educação), os preparativos e a estrutura montada para a qualificação das aulas remotas, com a presença ativa de um professor, foram além. 

Após a suspensão das aulas e outras atividades com a presença de público, por decisão unânime do Conselho Universitário, a Unesc buscou, durante 15 dias, tomar medidas e qualificar seu corpo docente para o desafio que estaria por vir. Investimentos em estrutura digital e fortalecimento da expertise profissional de seus professores foram foco constante neste período. Leia mais sobre o assunto no material completo. 

O professor e coordenador do curso de Direito da Instituição, João Carlos Medeiros Rodrigues Júnior, é também o procurador jurídico da Unesc, e reafirma o compromisso em honrar com qualidade o comprometimento formado com o estudante ao ingressar na Unesc. “Estamos em um momento de exceção. Situações excepcionais também são resolvidas de forma excepcional. Tão logo estaremos juntos novamente. Por hora, nossos professores estão engajados para proporcionar a melhor experiência formativa. Todos ativos, atuantes e dando o melhor de si para que possamos aproveitar a oportunidade de aprender em um novo cenário”, destaca.

🎧 Podcast | Procurador jurídico da Unesc esclarece normativas que regulamentam as aulas mediadas por tecnologia



A atuação por meio da tecnologia da informação nas aulas encontra amparo em regulamentação emitida pelo MEC. Em nível nacional, no dia 17 de março, a portaria número 343 instruiu instituições de ensino a seguir suas atividades por meio de aulas com auxílio da tecnologia. “Não se trata de deixar de lado a modalidade presencial. A graduação segue sendo oferecida da mesma forma de quando foi pactuada em contrato, quando o estudante ingressou na Instituição. Este acordo continua hígido, valendo e conforme assinado”, esclarece o procurador.

Em Santa Catarina, com a publicação do decreto número 509 em 17 de março, o Governo do Estado suspendeu a permissão de aulas presenciais por 30 dias. “São elementos importantes, que se somam ao contrato de prestação de serviços pactuado entre Instituição e estudante. O contrato de prestação de serviços educacionais prevê que 20% da carga horária dos cursos podem ser ministradas por uso da tecnologia. Temos então, a tranquilidade em informar que estamos observando e seguindo à risca a legislação pertinente neste tema”, afirma o professor.


Experiências positivas na primeira semana de aulas 

Diante deste novo mundo, o desafio foi logo superado pelas primeiras percepções positivas após aulas online. A frequência na sala de aula virtual tem sido massiva, com menos de 5% de faltas. “Foi uma ótima experiência. Ainda é uma novidade, mas superou as expectativas. Nunca foi tão rápido e fácil ter acesso à Universidade e as interações com os professores são simples, como em sala de aula”, conta o estudante de Engenharia de Materiais, Alan Camilo.



Leia os decretos  e a portaria do MEC

509 

515 

Portaria 

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

08 de abril de 2020 às 15:45
Compartilhar Comente

Tecnologia a favor do conhecimento: Unesc investe para proporcionar novas experiências formativas aos estudantes

Tecnologia a favor do conhecimento: Unesc investe para proporcionar novas experiências formativas aos estudantes
Para garantir a continuidade do semestre letivo com segurança para alunos e professores, foram implementadas aulas mediadas por tecnologia durante a quarentena (Foto: Reprodução) Mais imagens

O cenário atual exige respostas rápidas para as mais diferentes situações. Em tempos de pandemia do coronavírus, a preocupação com a saúde de alunos, professores e funcionários é uma das principais da Unesc. Soma-se a ela o comprometimento em garantir a excelência do ensino ofertado pela Instituição, que é reconhecida com conceito máximo do MEC (Ministério da Educação). Por isso, a Universidade ampliou os investimentos em tecnologias digitais, bem como em assessoria pedagógica para apoio e suporte aos estudantes neste período de distanciamento.

Com as aulas mediadas por tecnologias digitais, iniciadas em 1º de abril, a Unesc começou a escrever um novo e importante capítulo em sua trajetória de quase 53 anos, potencializando a união das áreas tecnológica e pedagógica. A pró-reitora Acadêmica, Indianara Reynaud Toreti, afirma que o uso da tecnologia a favor da aprendizagem já é uma realidade anterior ao momento atual, mas que o processo foi acelerado pela pandemia de Covid19.  “A tecnologia é um caminho sem volta. Ela não irá substituir o papel do professor, mas permitir novas experiências formativas aos estudantes. A Unesc já estava trilhando esse caminho, mas com a mudança de cenário, precisou antecipar”, comenta Indianara.

Segundo a pró-reitora, os professores encararam o desafio e a gestão universitária está recebendo feedbacks muito bons dos docentes e dos estudantes. “Para que tudo funcione, a Unesc ampliou o investimento em tecnologia, sem esquecer a parte pedagógica. As duas precisam andar juntas. Temos mais de 800 professores em trabalhando remotamente e centenas de funcionários em home office para garantir que tudo aconteça da melhor maneira”, salienta.

Ambiente Virtual de Aprendizagem

As aulas em ambiente virtual são síncronas e assíncronas. Síncronas quando as atividades ocorrem online e em tempo real, com professores e estudantes conectados simultaneamente. Assíncronas quando podem ser realizadas em qualquer tempo e em qualquer lugar.

No Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) os professores disponibilizam planos de estudo, com conteúdos; materiais de leitura; vídeos; atividades semanais; bem como links e orientações para o acesso às aulas ao vivo. 

Coordenadores e professores estão preparados para tirar todas as dúvidas dos estudantes, que poderão contar ainda com uma ampla equipe de suporte pelo e-mail: suporteonline@unesc.net e WhatsApp (48) 99644-1887.

Investimento em tecnologia com rapidez

A resposta da Unesc ao novo cenário precisou ser rápida e eficiente e, por isso, a Instituição investiu na ampliação do aparato tecnológico para garantir que os alunos continuassem o processo de formação com excelência. Foi investido em tecnologia da informação para possibilitar sua operação remota durante a pandemia da Covid19.

Segundo o gerente de TI (Tecnologia da Informação) da Unesc e professor doutor, Rogério Casagrande, as principais áreas funcionais da Unesc têm a sua disposição o acesso remoto aos equipamentos e aos principais sistemas com um conjunto de ferramentas e procedimentos seguros. “Capacitações, tutoriais e equipamentos como notebooks e celulares foram disponibilizados a um grande contingente de usuários e setores-chave para que a Unesc não paralisasse suas atividades administrativas”, comenta.

Acima, gráfico com o comparativo dos acessos simultâneos por hora no AVA Unesc, entre a primeira semana de abril de 2019 e do mesmo mês em 2020.

Com relação às atividades acadêmicas, Casagrande salienta que a Universidade investiu fortemente na plataforma virtual de aprendizagem (AVA), que foi migrada para um grande provedor mundial para suportar a nova demanda de acesso simultâneo com uma média aproximada de 400 turmas por turno. Para se ter uma ideia, no comparativo entre o dia 6 de abril de 2019 e de 2020, o volume de usuários/hora do AVA da Universidade chegou a aumentar 422%.

“A Universidade ampliou também o acordo com a Google “Google for Education”, que permite à Instituição o uso ilimitado de ferramentas colaborativas como e-mail, Agenda, Meet, Classroom, GDrive e Hangouts de forma integrada, possibilitando uma experiência formativa de qualidade aos estudantes e professores. Equipes de suporte técnico online foram capacitadas e instrumentalizadas para dar o apoio necessário à comunidade acadêmica atendendo de segunda a sábado nos três turnos”, revela.

Milena Nandi – Agência de Comunicação

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

07 de abril de 2020 às 20:02
Compartilhar Comente