Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Unesc recebe prêmio Destaque Regional Sul

A Unesc também foi homenageada pelos seus 50 anos de fundação no evento de entrega do prêmio Destaque Regional Sul, promovido pela TV Litoral Sul. A cerimônia de entrega das premiações às marcas mais lembradas da região aconteceu na noite desta quinta-feira, 28/06, no AM Master Hall.

Além da homenagem pelo aniversário de cinco décadas, a Unesc ainda recebeu o prêmio Destaque, como a mais lembrada entre as instituições de ensino superior do sul de Santa Catarina. A premiação foi entregue à reitora da Unesc, Luciane Ceretta. Ela comenta que esta homenagem, assim como outras que a Universidade tem recebido pela passagem dos 50 anos, é um reconhecimento extremamente importante. “A Unesc sente-se extremamente lisonjeada por mais esta premiação, que reconhece a trajetória vitoriosa da nossa universidade. Queremos parabenizar também o trabalho realizado pela equipe da TV Litoral Sul, uma emissora da nossa região”, destacou.

Juntamente com a Unesc, o evento, que está na sua quinta edição, premiou empresas dos mais variados segmentos. O resultado surgiu conforme pesquisa realizada em maio deste ano, pelo Instituto Datafocus, em 49 bairros de Criciúma. Para o diretor da TV Litoral Sul, Sandro de Mattia, o prêmio é uma forma de valorizar estas marcas. “O Instituto de pesquisa define quais as marcas que estão na cabeça do consumidor e reunimos os vencedores para essa premiação”, destaca.

Para chegar aos nomes das marcas mais lembradas foram aplicados 400 questionários e a metodologia utilizada respeitou o perfil socioeconômico da cidade de Criciúma, quanto a idade, gênero, sexo, grau de escolaridade e renda familiar. “Foi perguntado aos entrevistados qual empresa eles consideravam destaque nos segmentos elencados pela pesquisa, e as respostas vieram de forma espontâneas. Dentro dessa mostra o resultado refletiu proporcionalmente aquilo que representa a cidade de Criciúma”, explica Charles Cargnin, do Datafocus.

Ana Sofia Schuster - Assessoria de Imprensa Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Ana Sofia Schuster 29 de junho de 2018 às 00:40
Compartilhar Comente

Formação Continuada marca início da preparação dos professores para o ano letivo

Formação Continuada marca início da preparação dos professores para o ano letivo
Evento, que dura três dias, tem programação variada (Fotos: Vitor Netto) Mais imagens

Novas metodologias, troca de conhecimento, fortalecimento de atividades e construção do bem-estar dentro de sala de aula. Este são apenas alguns assuntos tratados no programa de Formação Continuada Docente de 2018. O evento, que dura três dias, iniciou na tarde desta segunda-feira (5/2) e contou com a participação de diversos coordenadores e do corpo docente da Universidade.

O principal objetivo é consolidar corpo de professores de excelência, fortalecendo as atividades acadêmicas de ensino, pesquisa e extensão, norteando as ações em sala de aula. Também buscando ampliar as políticas e programas de formação continuada e sustentar as atividades acadêmicas.

Interação com os professores

No período da tarde, os participantes puderam conhecer o programa e as atividades que serão realizadas nele. Um kit, chamado “Kit do Possível”, com um mapa interativo da Universidade foi entregue aos coordenadores dos cursos.

Já no período da noite, os estudos iniciaram através da dinâmica de outro “Kit do Possível”. Nele, os professores ganhavam uma foto antiga da Unesc em forma de cartão-postal, algumas folhas soltas, uma linha e agulha. Contando com o auxílio dos profissionais do Cedoc (Centro de Documentação e Memória), eles deveriam costurar as folhas soltas, formando um pequeno livro de anotações.

Após essa dinâmica, os participantes puderam prestigiar a palestra com a professora doutora da Unesp, Maria Antônia de Azevedo, com o tema “A formação do professor universitário na atualidade: das crises às possibilidades de inovação”. Maria Antônia é graduada em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, tem mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria, doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado em Pedagogia Universitária pela Unisinos (Universidade do Vale do Rio dos Sinos). Ela tem ênfase em Pedagogia Universitária, formação de professores, processos de gestão escolar e universitária e interdisciplinar.

Para a reitora Luciane Ceretta, a Formação Continuada agrega ainda mais aos professores. “Temos um time de docentes muito competentes nos aspectos técnicos e científicos, e a fim de que a excelência acadêmica seja garantida, nasce na Unesc um novo programa de Formação Continuada, que se constituirá em um espaço sistemático e permanente de construção do projeto de ensino e aprendizagem. Da identidade do docente investigativo, de integração entre profissionais e entre cursos, além da discussão das questões relevantes da prática pedagógica. A nova formação continuada deve contemplar as transformações dos estudantes que chegam até a Universidade, mais apropriados de ferramentas associadas a tecnologia, a capacidade de diálogo e de assumir posições diante do cenário a eles apresentado”, afirma.

O diretor de Ensino de Graduação, Marcelo Feldhaus é um dos responsáveis pelo programa em 2018. Para ele, a estrutura pedagógica em um curso de graduação é essencial. “Aqui na Formação nós temos o desafio de discutir políticas da sala de aula, gerar discussões de ensino, ver o que o curso está necessitando, pensar em um processo dinâmico diferente, construir novas ideias, ampliar as interlocuções e repensar os processos que já utilizávamos”, explica Feldhaus.

Segundo a pró-reitora Acadêmica, Indianara Becker, a Formação tem como propósito servir de espaço de transformação, de troca e de reflexão. “Ser professor universitário requer um processo cotidiano de ensinar e aprender. Requer envolvimento com todas as dimensões acadêmicas. A proposta apresentada aos docentes da Unesc, coloca-os como protagonistas de sua própria formação, em que a partir de sua trajetória constituída e de seu olhar para sua prática e inquietações cotidianas, promova reflexões e transformações no fazer docente”.

Saiba mais

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Assessoria de imprensa 06 de fevereiro de 2018 às 09:22
Compartilhar Comente

Unesc utiliza peixes em pesquisas científicas

Unesc utiliza peixes em pesquisas científicas
Zebrafish possui características similares às dos mamíferos (Foto: Mayra Lima) Mais imagens

Quando se fala em pesquisa científica, logo se pensa em camundongos e ratos participando de testes. E isso é natural, já que aproximadamente 95% dos estudos experimentais utilizam roedores. No entanto, nos últimos anos, os laboratórios vêm abrindo espaço para uso do zebrafish (peixe-zebra), que possui características similares as dos mamíferos. No Brasil, o modelo de pesquisa com este animal tem apenas 16 anos; já, na Unesc, foi implantado em 2015 para estudos sobre alcoolismo.

A primeira menção ao zebrafish foi feita em 1981 pelo biólogo e professor da Universidade do Estado de Oregon, nos Estados Unidos, George Streisinger. Ele é considerado o introdutor do peixe na pesquisa, após perceber as vantagens do uso deste animal em estudos genéticos. O professor doutor Eduardo Pacheco Rico, do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Unesc), fez parte do grupo de pesquisadores que introduziram o peixe-zebra em estudos desenvolvidos no Brasil e, segundo ele, a área de neurociências foi a primeira a se valer do modelo.

Rico explica que na Unesc os peixes são utilizados para avaliar o grau de toxicidade e os efeitos neurológicos e comportamentais do uso abusivo de álcool em diversas etapas da vida. “Conseguimos estudar as reações do álcool no organismo desde a fase embrionária, já que os ovos são transparentes”, comenta. Para isso, diferentes doses de fármacos (princípio ativo de substâncias) são colocadas na água dos tanques em que eles vivem.

Por serem de pequeno porte, os peixes exigem um espaço menor nos laboratórios de pesquisa e têm manutenção mais fácil. Segundo Rico, este animal tem uma elevada taxa de reprodução e já teve o seu genoma (conjunto de todos os genes) sequenciado, o que revelou uma semelhança com os mamíferos. No entanto, ele não tiraria o espaço dos roedores nas pesquisas. “O zebrafish é um modelo alternativo e complementar ao tradicional. Há pesquisas que são mais interessantes com o uso de roedores e outras com o peixe. Mas os dois modelos também podem ser utilizados para analisar diferentes pontos do mesmo estudo”, afirma.

Destaque em pesquisa


A pesquisa sobre alcoolismo com o peixe-zebra é coordenada por Rico e realizada com a participação de alunos do PPGCS e dos cursos de graduação em Biomedicina, Ciências Biológicas e Psicologia da Unesc. Ela é um exemplo do intercâmbio de conhecimento incentivado na Universidade por meio da pesquisa, do ensino e da extensão. E só neste tempo em que está sendo desenvolvida, a pesquisa já formou quatro mestrandos e tem a participação de seis alunos de iniciação científica entre bolsistas e voluntários.

Segundo o pró-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unesc, Oscar Montedo, a pesquisa é uma das áreas de destaque. “A Instituição tem investido significativamente em pesquisa de alto nível para manter a excelência acadêmica de seus cursos. A pesquisa coordenada pelo professor Eduardo, alinhada com o que de mais moderno tem sido praticado no mundo, comprova isto”, afirma Montedo.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 19 de dezembro de 2017 às 13:12
Compartilhar Comente

Unesc é reconhecida pelo CREA/SC com Diploma do Mérito

Unesc é reconhecida pelo CREA/SC com Diploma do Mérito
Solenidade de entrega ocorreu em Florianópolis (Foto: Divulgação) Mais imagens

A semana tem sido de reconhecimento do trabalho desenvolvido pela Unesc. Na noite desta quarta-feira (6/12), a Universidade recebeu do CREA/SC (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina) o Diploma do Mérito, concedido para pessoas e instituições que prestam relevantes serviços e contribuem para o aprimoramento técnico das profissões que compõem o Sistema Confea (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia)/CREA, e para o desenvolvimento tecnológico sustentável do Estado e do país e para a melhoria da qualidade de vida dos catarinenses.

A cerimônia de homenagem aos condecorados com o Mérito Catarinense 2017 ocorreu em Florianópolis e a Unesc foi indicada para receber a honraria pela Ascea (Associação Sul Catarinense de Engenheiros e Arquitetos). O pró-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Oscar Montedo, representou a Instituição na entrega do Diploma do Mérito. O evento teve ainda a participação do diretor da UNA CET (Unidade Acadêmica de Ciências, Engenharias e Tecnologias da Unesc), Evanio Nicoleit.

Para a reitora da Unesc, Luciane Ceretta, a deferência é um indicativo de que os esforços e investimentos da Instituição em ensino, pesquisa e extensão para formar profissionais comprometidos com o trabalho e com a sociedade estão surtindo efeito. “A homenagem do CREA precisa ser compartilhada com nossos professores, acadêmicos e funcionários dos cursos de Engenharia e Tecnologia. Este Diploma do Mérito também é de cada um deles”, afirma.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 07 de dezembro de 2017 às 17:17
Compartilhar Comente

Unesc oferece opção de Seguro Educacional para acadêmicos

Unesc oferece opção de Seguro Educacional para acadêmicos
Estudantes e responsáveis poderão aderir (Foto: Arquivo) Mais imagens

O estudante da Unesc já pode contar com um novo benefício. Trata-se do Seguro Educacional, um serviço que oferece auxílio para acadêmicos quitarem as mensalidades em caso de situações inesperadas.

Segundo a reitora Luciane Ceretta, a intenção é oferecer alternativas para que os estudantes consigam realizar o desejo de concluir o curso superior, sem que imprevistos os impeçam de continuar os estudos e a busca por um futuro melhor.

O seguro pode ser utilizado pelo acadêmico ou pela pessoa responsável (pai, mãe ou outro representante legal) por custear as mensalidades de seu curso. Pode ser utilizado por calouros e veteranos.

As coberturas oferecidas são em caso de morte do beneficiário; invalidez permanente total por acidente; perda de renda por desemprego involuntário; perda de renda por incapacidade física total e temporária e perda de renda por falência. Em todos os casos, o beneficiário receberá uma indenização para quitar a dívida com a Instituição.

O segurado pode utilizar o benefício após 60 dias da contratação do serviço e o tempo de espera para solicitar a indenização da cobertura ocorrerá entre 15 e 90 dias.

Para contratar o serviço, o aluno pode entrar em contato com a Centac (Central de Atendimento ao Acadêmico) para maiores informações e entrega do termo de adesão.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 21 de novembro de 2017 às 09:42
Compartilhar Comente