Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Projeto de Extensão da Unesc levará mais cidadania a comunidades em Forquilhinha

Projeto de Extensão da Unesc levará mais cidadania a comunidades em Forquilhinha
Ação tem a parceria da Prefeitura Municipal, Associação de Moradores e da ONG Cata Vento (Foto: Divulgação) Mais imagens

Agregando conhecimentos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia de Agrimensura e Engenharia Civil, a Unesc pretende colaborar com o bem estar de comunidades de Forquilhinha. Por meio do Projeto de Extensão EMI (Escritório Modelo Interdisciplinar), a Universidade realiza um projeto urbanístico e arquitetônico de espaço social e comunitário em área pública municipal do Bairro Nova York, em Forquilhinha.

O foco da ação, que tem apoio da Prefeitura, da Associação de Moradores e da ONG Cata Vento Coletivo Cultural de Forquilhinha, é voltado à atuação em projeto de urbanização e de implantação de equipamentos de cultura, esporte e lazer, em área pública, destinada aos moradores dos bairros Nova York, Ouro Negro e Vila Franca.

Um dos primeiros encontros com a comunidade, para o início do desenvolvimento das atividades, foi realizado nesta quinta-feira (4/10). Neste contato inicial a comunidade foi dividida em grupos para pensarem e formularem proposições de melhorias voltadas as crianças, aos jovens, aos adultos, aos idosos, a homens e mulheres, formando cartazes com seus destaques.

O projeto tem a participação dos professores Jorge Luiz Vieira (coordenador da ação), Evelize Chemale Zancan e Vanildo Rodrigues. Colaboram ainda com as atividades os acadêmicos bolsistas Eloiza Neves, Sara Arns Camilo e João Otávio Damázio. Como estagiário, atua o aluno Jardel da Silva Serafim e como voluntário Mateus Nazário Filisbino.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 05 de outubro de 2018 às 21:07
Compartilhar Comente

Unesc inicia projeto “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”

Unesc inicia projeto “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”
Projeto de Extensão leva oportunidade de aprendizado até o Presídio Santa Augusta (Foto: Divulgação) Mais imagens

Esta quinta-feira (4/10) marcou o início de uma oportunidade valiosa oferecida aos detentos do Presídio Santa Augusta, em Criciúma. Nesta data, foi oficialmente iniciado o Projeto de extensão “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”, do Programa de Extensão Território Paulo Freire da Unesc. A ação é mais uma atividade que levará conhecimento para além do campus e tem objetivo de oferecer o contato com a literatura no espaço carcerário.

Conforme uma das professoras do curso de Letras participante do projeto, Cibele Freitas, a leitura pode contribuir para o resgate da cidadania dos reclusos, transformando e promovendo uma redescoberta da aprendizagem. “Além disso, essa iniciativa prevê também uma contribuição para o projeto "Despertar pela leitura”, o qual é realizado pelo Estado no Presídio, e tem como proposta a leitura de livros e elaboração de resenhas com fins de remição da pena, conforme assegura a Lei de Execução Penal”, destacou.

Ao receberem a proposta de participar das atividades semanais, de acordo com a professora, os detentos se mostraram interessados e formaram inclusive uma fila de espera para ingressarem no grupo. “A princípio serão dez participantes por encontro e iremos atendendo essa demanda. A cada semana iremos discutir textos literários, fazendo com que eles, das mais variadas escolaridades, consigam interpretar e consigam escrever seus próprios textos, transformando-os também como cidadãos”, completou.

Participam ainda das atividades do projeto o professor Richarles de Carvalho e duas estagiárias, todos do curso de Letras, e a professora Janete Trichês, do curso de Direito.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 04 de outubro de 2018 às 16:20
Compartilhar Comente

Unesc recebe representantes da Capes

Unesc recebe representantes da Capes
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior esteve na Universidade tratando sobre encaminhamentos para o curso de Doutorado em Educação da Instituição (Fotos: Divulgação) Mais imagens

A Unesc recebeu nesta quinta-feira e sexta-feira (13/9 e 14/9), os consultores da Comissão de Área da Educação da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) Robeert Evan Verhine e José Rubens Lima Jardilino. Os representantes da Comissão estiveram na cidade para dialogar com a reitoria, com a equipe do programa de pós-graduação, alunos e professores e para avaliar a criação do curso de Doutorado em Educação da Unesc, além de acompanhar o funcionamento do atual Mestrado em Educação da Instituição. O encontro foi considerado positivo, já que resultou na recomendação do curso.

Conforme José Rubens, a proposta de doutorado já havia recebido parecer provisório favorável à aprovação e cabe ao resultado da visita desta semana a confirmação do processo. Além de reuniões realizadas na reitoria e em outros momentos com os docentes e mestrandos do Programa, o grupo ainda visitou as instalações da coordenação, secretaria, e os demais espaços como, salas de aula, sala de professores, salas de atendimento, biblioteca e laboratórios.

Para o diretor de Pesquisa e Pós-Graduação, Oscar Montedo, receber os representantes da Capes no campus é excelente, pois é a oportunidade de conhecerem a realidade da Unesc: uma Universidade bem estruturada e, de fato, qualificada para receber o curso de Doutorado. "A visita serve para que eles levem à Coordenação a opinião e a visão do quão grande somos. A primeira impressão dos avaliadores foi bastante positiva”, destacou.

De acordo com a reitora da Universidade, Luciane Ceretta, a visita trouxe imensa satisfação. “Primeiro por todas as considerações que a comissão fez sobre a nossa universidade, as condições que ela tem na pesquisa, o destaque que ela tem na pós-graduação mestrado e doutorado e, sobretudo, sobre o próprio mestrado em educação”, salientou.

A expectativa quanto ao resultado do processo, conforme Luciane, são as melhores possíveis. “Nossa perspectiva prevê que teremos, quão breve possível, o doutorado em Educação aprovado, o que poderá contribuir muito com o desenvolvimento da região por meio dos investimentos na formação de professores”, completou a reitora.

As atividades com os visitantes foram acompanhadas ainda pela pró-reitora Acadêmica, Indianara Reynaud Toreti, pelo diretor de Ensino de Graduação da Unesc, Marcelo Feldhaus, e pelos professores do PPGE Carlos Renato Carola, Ricardo Luiz de Bittencourt, André Cechinel e Vidalcir Ortigara.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 14 de setembro de 2018 às 20:07
Compartilhar Comente

Unesc apresenta projetos de extensão no Conselho Nacional de Saúde

Unesc apresenta projetos de extensão no Conselho Nacional de Saúde
Professora Ioná Vieira Bez Birolo representou a Universidade (Foto: Divulgação) Mais imagens

­A Unesc esteve representada, nesta semana, no Conselho Nacional de Saúde. A responsável por levar ações da Universidade à Brasília para compartilhar a nível nacional foi a professora Ioná Vieira Bez Birolo, representando a pró-reitora Acadêmica, Indianara Reynaud Toreti.

A professora abordou, na quarta-feira (12/9), a importância da extensão universitária para o fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde), destacando os mais de 200 projetos realizados por acadêmicos e professores da Unesc.

Conforme Ioná, a oportunidade foi aproveitada para apresentar o universo que envolve a Unesc. “Destacamos um pouco do contexto da nossa Universidade Comunitária e como, à partir das suas experiências exitosas em Extensão, ela transforma a região em que está inserida”, pontuou.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 13 de setembro de 2018 às 19:16
Compartilhar Comente

Comunidade conhece atuais projetos do Território Paulo Freire

Comunidade conhece atuais projetos do Território Paulo Freire
Representantes da Unesc apresentaram atividades vigentes para 2018-2020 no projeto (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

As Lideranças das comunidades atendidas pelo Programa de Extensão Território Paulo Freire, da Unesc, conheceram na noite de quarta-feira (5/9), os projetos aprovados e o que serão colocados em prática a partir deste mês para o período de atuação 2018-2020. As propostas apresentadas contemplam temáticas, apontadas anteriormente como necessidade pela própria comunidade e serão trabalhadas por alunos e professores dedicados a 12 diferentes projetos.

O Programa de Extensão é realizado pela Universidade desde 2013 e atualmente tem a coordenação da professora Scheila Martignago Saleh. A intenção das atividades é de ampliar a capacidade de autonomia das comunidades e levar cidadania das mais variadas formas. “Nós estivemos aqui ouvindo as demandas das lideranças e agora voltamos para apresentar os projetos aprovados e que logo serão colocados em prática. Toda a equipe está muito ansiosa e entusiasmada para ver tudo isso se tornando realidade mais uma vez”, comentou Scheila.

Conforme a coordenadora, o engajamento da comunidade é o ponto crucial para o sucesso das atividades. “Se a comunidade quer, com certeza dá certo. No Bairro São Francisco, por exemplo, já realizamos um dos projetos e tivemos um resultado excelente. Eles já desenvolveram autonomia e agora podemos levar o aprendizado para outra localidade. Assim, vamos exercendo nosso papel’, completou.

Participação ativa

Os moradores do Bairro Nova Esperança Nilton Vaz e Lourival Carlos Alves fizeram questão de participar da reunião com as lideranças da Unesc e ouviram atentamente a apresentação de cada um dos projetos. Segundo Nilton, agora sua tarefa é levar adiante as informações à comunidade. “Isso é muito interessante e faz a diferença para os nossos bairros. Vou contar para a comunidade e incentivá-los a participar. Eu mesmo já faço caminhada e fisioterapia com a Unesc e é algo muito bom para mim. Temos que aproveitar esse espaço que recebemos”, salientou.

Um dos depoimentos mais emocionantes da noite foi o da diretora da Escola Padre Carlos Weck, do Bairro Mineira Velha, Tomazia Alexandra Martinhago. O impacto sentido dentro da instituição através dos projetos do Território, de acordo com Tomazia, é imensurável. “Com esses projetos e tudo o que nos oferecem, a Unesc faz valer seu título de Universidade Comunitária. Ela simplesmente transforma realidades”, destacou.

Conforme a diretora, o sentimento ao participar de atividades como as apresentadas é de gratidão e segurança por saber que pessoas preparadas estão projetando o futuro das comunidades. “Os projetos atendem as mais variadas faixas de público e fazem com que as pessoas se sintam como verdadeiros cidadãos. A cidadania acontece por meio da informação e é isso o que estamos recebendo. É muito valioso”, completou Tomazia.

Os bairros contemplados pelo Território Paulo Freire são: Vila Belmiro/Jardim União, Progresso, Vila Manaus, Mineira Velha, Santa Luzia, Mineira Nova, São Sebastião, São Defende, Imperatriz, Nova Esperança, Santo André e São Francisco.

Projetos apresentados:

Bem Viver com Alzheimer;

Cartografia participativa no território Paulo Freire: resgate da cidadania pelo reconhecimento do lugar em que se vive;

Cidadania na Terceira Idade: o envelhecimento saudável no Território Paulo Freire;

Diálogos Urbanos no Território Paulo Freire - políticas públicas e construção do direito à cidade; Educação Ambiental em escolas do Território Freire, localizadas próximas ao bairro Santo André;

ESCOLA DE PAIS E FILHOS: diálogos entre universidade, escolas e comunidade; GOSTAR - Grupo Operacional em Saúde: Tecnologia da Informação e Comunicação, Apoio e Reeducação no Combate ao Sobrepeso e Obesidade de Crianças e Adolescentes Residentes na Área de Abrangência do TPF;

Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania;

Núcleo de Atenção Multidisciplinar a Saúde do Idoso – Namusi;

Projeto de Atenção Materno Infantil e Familiar - Pamif: Interdisciplinaridade Com Grupos Grávidos e Com Bebês;

Soft Skills em contextos de vulnerabilidade social: Formando cidadãos para a indústria 4.0 e com competências relevantes para o Século XXI;

Tartaruga: Esportes aquáticos (natação, Biribol e Polo aquático) para Idosos portadores de Doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs).

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 06 de setembro de 2018 às 16:03
Compartilhar Comente