Ciências Biológicas - Licenciatura

Seminário de socialização celebra a conclusão dos Programas Pibid e Residências Pedagógicas de Licenciatura da Unesc

Seminário de socialização celebra a conclusão dos Programas Pibid e Residências Pedagógicas de Licenciatura da Unesc
Pibidianos e Residentes Pedagógicos apresentaram os subprojetos no auditório Ruy Hulse (Fotos: Décio Batista/Agecom/Unesc) Mais imagens

Com a apresentação dos 12 subprojetos, encerrou na noite desta segunda-feira (28/03), a quinta edição do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e da segunda edição do Programa Institucional de Residência Pedagógica (PIRP). Os 192 bolsistas pibidianos e residentes socializaram as atividades e experiências formativas, vivenciadas nos últimos 18 meses nas escolas municipais e estaduais de Criciúma e Região.

Participam dos programas estudantes dos cursos de Artes Visuais, Ciências Biológicas, Educação Física, Geografia, História, Letras, Matemática e Pedagogia. Os dois Programas institucionais são fomentados pelo Governo Federal e há 10 anos a Unesc é contemplada nos editais por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Ministério da Educação. Neste período, a Universidade já beneficiou mais de 600 pessoas, entre estudantes, supervisores de escolas e professores coordenadores dos subprojetos. A participação nos programas garante aos acadêmicos uma bolsa de R$ 400 em dinheiro e o enriquecimento curricular.

Pibid

O Pibid é destinado aos estudantes da primeira fase até a metade dos cursos. Neste programa o acadêmico tem a possibilidade de, paralelamente à graduação, desenvolver trabalhos nas escolas, vivenciando desde o início do Curso a experiência profissional.
Segundo o coordenador do PIbid, Richarles Souza de Carvalho, é uma grande oportunidade para os discentes, desde o início da sua trajetória acadêmica, participar de uma proposta de iniciação à docência. “Essa possibilidade de conhecer a escola, vivenciar o universo escolar, é fundamental para quem busca a docência. Com certeza esse programa vem ao encontro do novo slogan da Universidade: ‘Graduação Multi. Cada dia uma nova experiência’. Um certificado de participação desse agrega bastante no currículo dos acadêmicos”, avaliou.

Ao todo, nestes 18 meses de Programa, 96 bolsistas foram envolvidos, com a coordenação de sete professores e o apoio de 12 supervisores escolares.  Apesar do programa ser desenvolvido durante a pandemia de Covid-19, para o acadêmico da quinta fase do curso de Letras, Guilherme Gaspar Lopes foi muito interessante participar do Pibid. “Para mim foi ótimo e acredito que para os demais integrantes do grupo também. Um dos resultados foi a redação de um artigo publicado agora, e, se tudo der certo, será publicado na Revista. Então será ótimo já ter o nome publicado no artigo. É uma experiência de pesquisa e de escrita com a construção de um texto acadêmico”, comentou.
O estudante ainda explicou como foi o desenvolvimento do tema. “O nosso subprojeto foi idealizado para o ensino de português como língua de acolhimento, voltado para ensinar os alunos imigrantes, oriundo do movimento migratório que Criciúma recebeu nos últimos anos”, destacou.

Os bolsistas do programa apresentaram sete subprojetos com os seguintes temas:

Matemática - “Manifestações de alunos no desenvolvimento de situações de aprendizagem para o número racional”

Geografia/Ciências Biológicas -

Artes Visuais - “Experiências no Pibid de Artes Visuais Unesc: o que ficou?"

Pedagogia  - “Alfabetização”

Língua Portuguesa - “Formação de professores para o Ensino de Língua Materna, Estrangeira e de Acolhimento”

Educação Física - “A Escola como espaço de transformação”

História - “Experiência do Pibid História: direitos humanos e migrações em diálogo com a consciência histórica”

Residência Pedagógica

O programa Residência Pedagógica é voltado para os estudantes que estão da metade para o final dos cursos de Licenciatura. O Programa está em sua segunda edição e neste período enfrentou a pandemia que limitou a presença dos envolvidos nas escolas selecionadas. Para a coordenadora da RP, Aurélia Honorato, “Diferente da primeira edição, com a pandemia, precisamos recriar, criar novas formas de pensar a escola, pensar os planejamentos junto com os professores das escolas, mas ao mesmo tempo, foi um desafio, foi um movimento muito importante”, comentou.
A Residência, conforme Aurélia, é um espaço de formação muito importante para os nossos 96 acadêmicos, sete supervisores de escolas e quatro professores da universidade. “É uma troca de experiências e aprendizados que vai favorecer e incorporar os currículos de todos, principalmente dos nossos universitários”, ressaltou.

Realização na sala de aula

A acadêmica da sétima fase do curso de Matemática, Simone Covre, se sentiu realizada com a experiência vivenciada nestes 18 meses de Programa. “Foi maravilhoso poder estar dentro da sala de aula e contemplar o tempo que a gente está lá para aprender. É muito bom saber se realmente é isso que a gente quer. No meu ponto de vista, eu sempre gostei da sala de aula, brincava quando criança de professora, sempre quis fazer uma faculdade de licenciatura e estar neste espaço é, sem dúvida, a melhor experiência”, comentou.
Sobre o tema desenvolvido pelo seu grupo, a relatora do subgrupo de Matemática explicou o objetivo. “Trabalhamos com a modelagem matemática e a Educação Ambiental. Dentro desse tema, realizamos o planejamento de aula, utilizamos materiais manipuláveis entre outras atividades. Foi muito importante por que aprendemos a planejar, avaliar, a dar aula. Na Modelagem Matemática utilizamos a matemática no ambiente. Pegamos um problema ambiental e utilizamos os modelos matemáticos para calcular e solucionar a equação ambiental”, explicou.

Cinco subprojetos foram apresentados com os seguintes temas:

Pedagogia - "Residência Pedagógica - subprojeto Pedagogia: criando jogos e brincadeiras para o ensino na pandemia"  

Matemática - "O ato de ensinar, reflexões sobre o processo de elaboração da avaliação escolar"

Artes, Letras, História - “O aprendizado da docência por meio de componentes curriculares integrados”

Ciências Biológicas - “Práticas de ensino-aprendizagem inseridas na Região Catarinense de mineração de carvão a partir da perspectiva da economia circular”

Educação Física - “Subprojeto Educação Física: experiências no programa Residência Pedagógica”

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

29 de março de 2022 às 21:30
Compartilhar Comente

Unesc integra diretoria da ADVB Santa Catarina

Unesc integra diretoria da ADVB Santa Catarina
Fotos: Mayara Cardoso/Agecom/Unesc Mais imagens

Em mais uma ação que demonstra a importância da Unesc em nível estadual e a presença da Instituição no ecossistema do desenvolvimento, a Universidade passa a ocupar cadeira na diretoria da Associação de Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil em Santa Catarina (ADVB SC). A diretoria da Associação tomou posse na noite desta segunda-feira (07/03), tendo a pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unesc, Gisele Coelho Lopes, entre os empossados.

A presidência da ADVB passa a estar sob comando do também criciumense Claiton Pacheco. A diretoria que estará ao seu lado é comporta por 40 lideranças do setor, divididas em sete regiões: Grande Florianópolis, Litoral, Meio-Oeste, Norte, Oeste, Sul, Vale do Itajaí e Serra.

Para Gisele, integrar o grupo de grandes profissionais da área é uma honra, em especial por representar a Universidade e seus princípios. “Estaremos a frente da diretoria de Desenvolvimento Socioeconômico, uma área que faz parte parte também da missão da nossa Unesc. Estamos muito felizes por integrar ainda mais de perto esse ecossistema, contribuindo com nossa experiência e aprendendo com os colegas e suas vivências”, destacou.

O grupo trabalhará a frente da ADVB no biênio 2022/2023.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

08 de março de 2022 às 08:34
Compartilhar Comente

Aulas na Unesc serão retomadas na quarta-feira

Aulas na Unesc serão retomadas na quarta-feira
Neste sábado (26/02), as turmas devem comparecer à universidade normalmente (Foto: Marciano Bortolin/Agecom/Unesc) Mais imagens

Devido ao feriado de Carnaval, conforme Calendário Acadêmico, a Unesc estará em recesso. Por isso, não haverá aulas de graduação e pós-graduação na segunda-feira (28/02). Neste sábado (26/02) as turmas devem comparecer à universidade normalmente.

A Central de Atendimento ao Estudante (Centac), a Biblioteca Central Professor Eurico Back e os setores administrativos seguem o mesmo calendário.

O Iparque funcionará normalmente na segunda-feira (28/02), das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Já nas Clínicas Integradas, o Estomizados, a Farmácia Escola, o Ambulatório de Feridas e o Nuprevips funcionarão normalmente.

O Colégio Unesc também acompanhará o recesso da Universidade.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

25 de fevereiro de 2022 às 17:36
Compartilhar Comente

O resgate de tesouros pela arqueologia em destaque na SCT da Unesc

O resgate de tesouros pela arqueologia em destaque na SCT da Unesc
Pesquisadora portuguesa Tânia Casimiro participou da programação / Fotos: Unesc TV / Reprodução Mais imagens

Inserido na programação da XII Semana de Ciência e Tecnologia (SCT) da Unesc, o 6º Workshop de Arqueologia deste ano teve, na sua temática, “A relação Brasil/Portugal na Arqueologia Colonial – 1500 a 2021)”. O workshop, realizado na última quarta-feira (10/11) no formato de palestras teve o objetivo de interligar a ciência arqueológica a diversas áreas do conhecimento. O evento online contou com a participação de professores e acadêmicos e foi organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da Universidade, reunindo os cursos de História, Geografia e Ciências Biológicas e o Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz (LAPIS).

Conforme o professor Juliano Bitencourt Campos, que mediou o debate, essa temática teve uma grande interlocução com a do evento, já que por meio de estudos que a ciência arqueológica faz a respeito dos povos originários e comunidades tradicionais, sabe-se que a relação desses com o meio ambiente era de integração. “Desta forma, a arqueologia é um mecanismo para evidenciar que nossa sociedade pautada na esfera científica tem muito a considerar sobre os conhecimentos tradicionais dos povos originários”, comentou.

A descoberta de uma nau com seus tesouros

A professora Tânia Casimiro abriu o debate abordando “Contatos, Identidade e Globalização no Mundo Atlântico – séculos XV - XIX”. Ela é de Portugal e especialista em cultura material, investigadora do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, com importante trabalho desenvolvido nas áreas da arqueologia europeia medieval e pós-medieval e das relações atlânticas.

Tânia Casimiro participou, há quatro anos, no projeto de recuperação de uma nau (navio) portuguesa descoberta em Omã, no Oriente Médio. A nau Esmeralda naufragou em 1503 na costa de Omã. A embarcação, que fazia o percurso das Índias, era incluída na armada de Vasco da Gama. Do seu interior foram recuperados 2,8 mil artefatos, na grande maioria moedas, uma esfera armilar e um emblema pessoal do rei Dom Manuel I.

A pesquisadora ainda mencionou um dos projetos realizados em Lisboa, como homenagem a todas as pessoas escravizadas na época colonial: uma ‘plantação’ com 540 pés de cana-de-açúcar em alumínio preto. A obra "Plantação-Prosperidade e Pesadelo", do artista angolano Kiluanji Kia Henda, foi a proposta mais votada para o Memorial de Homenagem às Pessoas Escravizadas.

As profundezas dos oceanos foram citadas como referenciais importantes das pesquisas. “Aquilo que acontece no Atlântico é influenciado por tudo que passa do ponto de vista global”, lembrou Tânia, pontuando o papel importante desempenhado pelas rotas marítimas na história.

Arte indígena também em destaque

A professa Mariane Sallum propôs uma reflexão da arte indígena, com abordagem da persistência nas comunidades de práticas em São Paulo. Para ela, está claro que o conhecimento e a estética resultam das relações mais variadas. A cerâmica paulista resultou da conexão de tecnologias, práticas, significados e memórias. Ela foi produzida inicialmente pelas tupiniquins, em uma aliança com os portugueses na área de São Vicente e continuada por diversas gerações de mulheres, incluindo as que vieram de fora. O exame de vasilhas inteiras, de fragmentos e dados publicados, mostra que a Cerâmica Paulista foi produzida desde o século XVI com algumas variações. “A arte indígena é fundamental para pensar como forma de resistência. Estamos vendo cada vez tantos museus com a política da descolonização”, enumerou Mariane.

Já o professor Francisco da Silva Noelli pautou o tema “Da cerâmica tupiniquim à cerâmica paulista”, que são dois conjuntos de artes fatuais que avançam até os tempos atuais. Ele lembrou que as vasilhas produzidas nessa linha temporal são observadas inclusive em museus.

“Essas comunidades que produziam a cerâmica paulista podiam estar situadas tanto nos núcleos urbanos quanto fora deles. Examinando as fontes históricas, a gente passa a perceber que a maioria das comunidades de São Paulo viviam em clareiras na floresta ou eventualmente na transição da Mata Atlântica para as áreas de campo naturais que tem em São Paulo”, comentou.

Segundo ele, há uma série de morfologias que continuaram ao longo do tempo e todos conhecem quais vasos eram usados para determinados fins, ou seja, são variações de vasilhas produzidas entre 300 e 400 anos atrás. “Temos persistências de práticas e a relação de pessoas que vão transmitindo os conhecimentos. Tem muita coisa ocorrendo agora, pois está tudo interligado”, finalizou.

Assista a programação do Workshop de Arqueologia clicando aqui.

O sucesso da SCT

O workshop de arqueologia fez parte de uma ampla programação que movimentou a SCT na Unesc. Foram mais de 2 mil inscritos nas palestras, minicursos, workshops e nos variados eventos relacionados. “Conseguimos oferecer 230 atividades e muitas formas de compartilhamento e conhecimentos”, sublinhou a professora Merisandra Cortes de Mattos, coordenadora da SCT.

A SCT termina nesta sexta-feira (12/11). Confira as últimas atrações da programação clicando aqui. A programação tem o patrocínio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-SC) e o apoio de Fapesc, CNPq, Capes e Biozenthi Dermocosméticos.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

16 de novembro de 2021 às 12:40
Compartilhar Comente

Licenciatura? Ou Bacharelado? Unesc Profissões apresenta mais opções aos futuros acadêmicos

Licenciatura? Ou Bacharelado? Unesc Profissões apresenta mais opções aos futuros acadêmicos
Mais treze cursos foram apresentados para os futuros acadêmicos(Fotos: Décio Batista) Mais imagens

As noites desta semana têm sido dedicadas ao Unesc Profissões, programa que a Universidade realiza para abrir suas portas aos futuros acadêmicos. Nesta quarta-feira (27/10) o programa apresentou os cursos relacionados às áreas de Humanidades, Ciências e Educação. No bate papo recheado de muitas atrações transmitido pela Unesc TV, em seu canal no Youtube, foram apresentados detalhes dos cursos de Artes Visuais, Ciências Biológicas e Educação Física, nas versões Licenciatura e Bacharelado, além de Física (Licenciatura), Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia e Teatro.

Uma das explicações mais solicitadas, e que voltou à pauta nesta edição do Unesc Profissões, é sobre a diferença entre Licenciatura e Bacharelado. Foi detalhado que os cursos de Licenciatura têm a mesma duração e conferem boa parte do currículo do Bacharelado. A diferença é que os formados nestes tipos de curso são aptos a ministrar aulas na educação básica, ensino fundamental e médio.

Na programação foi enfatizado também o lançamento das ferramentas disponíveis na página Escolha Unesc, elaborada para esclarecer as dúvidas e mostrar tudo o que se aprende nas graduações oferecidas pela Universidade. Na página é possível, por exemplo, realizar um teste vocacional que pode ser bastante útil na hora da escolha da futura profissão. Os interessados em participar de uma visita monitorada ao campus da Unesc também têm essa oportunidade. Para tanto, é necessário o agendamento com o setor de Relacionamento com o Estudante pelo telefone (48) 3431.2770.

Mais sobre os cursos

Os coordenadores e professores dos cursos apresentados nesta quarta-feira fizeram comentários sobre peculiaridades de cada graduação. A coordenadora do curso de Ciências Biológicas, professora Mainara Figueiredo Cascaes, comentou que “o curso tem 51 anos de história na Unesc”. Ela reforçou as diferenças entre Licenciatura e Bacharelado no ponto de vista da graduação em Biologia. “Na Licenciatura, além de permitir se tornar um professor, é possível atuar com educação em diversos espaços não formais de aprendizagem”, pontuou. “O Bacharelado forma o biólogo, que atua em três grandes áreas associadas ao meio ambiente”, destacou.

A professora Mainara salientou que há uma grande demanda por profissionais da Biologia para atuar em esferas ambientais. “Seja com animais, plantas ou micro-organismos. O campo de atuação é vasto e enriquecedor”, sublinhou. “Uma coisa eu tenho certeza, que quem vem para as Ciências Biológicas na Unesc se encanta com os detalhes da vida”, destacou.

Chamaram a atenção ainda, ao longo do Unesc Profissões desta quarta-feira, depoimentos de acadêmicos, contando suas experiências nos cursos em destaque. Cada um contou a sua trajetória e perspectivas. Foi o caso de Victória de Souza João, que abandonou o curso de Direito no Rio Grande do Sul para estudar Educação Física na Unesc, contemplada por uma bolsa via programa Uniedu.

“Ganhei essa bolsa para o curso de Educação Física Bacharelado e vim conhecer a infraestrutura que tem na Unesc. Foi amor à primeira vista, amei muito a recepção, da coordenação e dos seguranças. Apresentaram-me a piscina, as quadras externas, as quadras cobertas de vôlei, os ginásios de esportes e outros equipamentos. Comecei a ver o outro lado da Educação Física, porque tinha uma visão totalmente diferente, e a partir das aulas observei que não era só estética e sim a qualidade de vida, a saúde e o bem-estar das pessoas”, contou Victória. “Hoje eu faço parte do grupo de pesquisa na extensão, é muito gratificante começar a trabalhar com idosos que só conseguem caminhar com auxílio de muletas, andadores e, no final do projeto, você vê o mesmo idoso conseguindo caminhar sozinho, sem nenhum aparelho. Isso tudo é muito gratificante”, completou a estudante.

A programação do Unesc Profissões termina nesta quinta-feira (28/10) com a programação a partir das 19h, transmitida direto do Auditório Ruy Hülse pela Unesc TV, com foco nos cursos das áreas de Ciências, Engenharias e Tecnologias. Os cursos envolvidos nesta noite serão Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Design, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Civil, Engenharia de Agrimensura e Cartográfica, Engenharia de Materiais, Engenharia de Produção e Engenharia Mecânica.

As noites já realizadas

Relembre como foi o Unesc Profissões até agora. Relembre a programação de segunda-feira via Unesc TV clicando aqui. Na segunda, o destaque ficou por conta dos cursos da área de saúde. Na terça-feira, os cursos das áreas sociais estiveram na programação. A programação desta quarta, dos cursos das áreas de Humanidades, Ciências e Educação, está disponível clicando aqui.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

28 de outubro de 2021 às 18:21
Compartilhar Comente