Letras

Das mãos do ministro aos egressos da Unesc: Professores do Sul Catarinense recebem maior honraria da educação brasileira

Das mãos do ministro aos egressos da Unesc: Professores do Sul Catarinense recebem maior honraria da educação brasileira
Reconhecimento é entregue pelo Ministério da Educação e Gabinete da Presidência da República (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

A noite desta quarta-feira (12/12) será marcada na história da educação Sul Catarinense e na vida de dois egressos da Unesc. Os professores Mikael Miziescki, graduado em Artes Visuais, e Cristiane Dias, formada no curso de Letras, estão em Brasília para receber a Medalha da Ordem Nacional do Mérito Educativo, maior honraria da educação Brasileira, das mãos do Ministro Rossieli Soares da Silva. O presidente da República, Michel Temer, e outras autoridades políticas também participarão da solenidade.

O reconhecimento, entregue pelo Ministério da Educação e Gabinete da Presidência da República, será concedido aos professores pelo destaque no prêmio Educador Nota Dez, promovido pela Revista Abril e Rede Globo em outubro de 2018. A cerimônia de entrega da Medalha será realizada durante o 3º Encontro Formativo ProBNCC (Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular).

Momento único

O convite para receber a honraria foi uma surpresa para os professores. Cristiane conta que o chamado ocorreu durante a entrega do prêmio Educador Nota Dez. “O Ministro foi até o microfone, pediu a palavra e nos contou sobre a Medalha em meio a cerimônia, foi uma surpresa. Este tipo de reconhecimento impulsiona nosso trabalho e traz mais motivos para estar em sala de aula e fazer mais pelos estudantes”, destaca.

Veja o depoimento da professora 



Já para Miziescki, a surpresa foi um momento impar e recompensa a dedicação dos professores catarinenses. “Lidamos com muitas situações difíceis no dia a dia. Quando temos um reconhecimento como este não sabemos nem como reagir. Saber que seu trabalho está sendo reconhecido e a criação de seus alunos está recebendo visibilidade é gratificante, uma honra que jamais vou esquecer”, afirma.

Veja o depoimento do professor 



O Inglês como ferramenta de educação e inclusão



A iniciativa “We speak the same language” (Nós falamos a mesma língua), proposta pela professora de Inglês, desenvolve atividades interativas e explicativas, que retratam a importância da Língua Inglesa no dia a dia. “A intenção foi criar uma reflexão que vai da sala de aula, até a sociedade em que vivemos, colocando em pauta temas atuais como preconceito e educação”, conta.

Cristiane explica ainda que a ideia surgiu após presenciar a dificuldade de imigrantes se comunicarem com uma vendedora em um shopping da região. “Eles buscavam informações sobre empregos, mas nem a vendedora e nem ninguém conseguia ajudar. Então me ofereci para orientar. Quando estava indo para casa refleti sobre situação”, destaca.

Durante a atividade, os alunos escreveram diálogos e gravaram suas produções em áudio ou com ajuda de aplicativos, que permitiram criar “avatares” que ‘falam’ o texto digitado com diferentes sotaques, retratando as diversas possibilidades de conversação e sensibilizando os jovens para temas como empatia, respeito e diversidade.

Segundo a avaliadora do Educador Nota Dez, Laura Meloni Nassar, Cristiane dribla a ideia de que não se aprende Inglês em escola pública. “Ela mostrou a importância de ter uma língua em comum, trazendo para a aula conteúdos importantes para que as crianças pudessem conversar, pedir ou dar informações a quem precisasse, como a nomenclatura de lugares e as instruções para chegar até eles”, comentou Laura.

A atividade foi colocada em prática com alunos da escola Maria José Hülse Peixoto, do bairro Brasília.

Um novo olhar sobre a arte



A ideia de Miziescki utilizou da arte para desconstruir estereótipos e criar novos entendimentos sobre educação e criação de cultura. Por meio de estudos sobre a história da arte brasileira e mundial, produções de artistas catarinenses, visitas técnicas e atividades artísticas-culturais, que buscaram estimular um pensamento mais crítico nos pequenos artistas, o projeto “Morro Grande em Arte” questionou o que as crianças sabiam e revelou um novo olhar sobre a arte.

“Os alunos desconheciam artistas catarinenses e contemporâneos brasileiros. Existia um preconceito com relação ao abstrato e uma ridicularização da cultura local. Eles sofriam quando não atingiam suas expectativas perante a ideia de belo. Mesmo com todas as dificuldades, as produções e os conceitos foram me surpreendendo, quando percebi que eram muito inquietantes para ficar apenas restritas às paredes da escola”, frisa.

Implantada em 2014, a iniciativa propôs que os estudantes criassem sua própria versão da arte e resultou em mais de 800 produções, que já foram expostas para mais de 2.400 expectadores.

Após avaliar a iniciativa, a especialista de renome nacional em Educação Infantil e ensino de Arte, Marisa Szpigel – uma das avaliadoras do prêmio – destacou o projeto de Miziescki como inovador. “Ele coloca em foco os espaços e a curadoria, os tratando como conteúdo a ser estudado. Desde o início do ano os alunos sabem que seus trabalhos serão expostos, então se engajam em pesquisas sobre arte e a experimentam, com técnicas e linguagens ao elaborar suas criações”, destaca Marisa.

Educador Nota Dez

Em 2018, o Sul de Santa Catarina teve, pela primeira vez, professores reconhecidos como os melhores do Brasil pelo prêmio Educador Nota 10. Miziescki e Cristiane foram escolhidos, entres os dez projetos de destaque na Educação Básica Nacional, por suas práticas diferenciadas no ensino.

Criado em 1998, o Prêmio Educador Nota 10 reconhece professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. Ao longo das 20 edições realizadas, foram premiados 221 educadores, entre professores e gestores escolares, que receberam aproximadamente R$ 2,58 milhões.

Na edição de 2018, além dos egressos da Unesc, oito educadores de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo foram escolhidos. Em 21 anos, apenas cinco professores catarinenses foram contemplados. Além da Editora Abril e da Rede Globo, o prêmio é concedido pela Fundação Roberto Marinho e FVC (Fundação Victor Civita).

Texto e fotos de Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing
Produção audiovisual de Gregori Flauzino e Janine Limas - Unesc TV - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 11 de dezembro de 2018 às 16:35
Compartilhar Comente

Atividades de 2018 do projeto de extensão de leitura com detentos são encerradas

Atividades de 2018 do projeto de extensão de leitura com detentos são encerradas
Projeto é realizado com detentos do presídio Santa Augusta, de Criciúma (Fotos: Divulgação) Mais imagens

As atividades de 2018 do projeto “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”, foram encerradas em grande estilo na tarde da última quinta-feira (29/11). A ação fez parte do projeto de extensão Território Paulo Freire, da Unesc, que foi realizada com os detentos do Presídio Regional Santa Augusta, de Criciúma.

A atividade teve o propósito de resgatar a cidadania dos detentos e prevê uma contribuição para o projeto "Despertar pela leitura”, o qual é patrocinado pelo Estado de Santa Catarina e tem como proposta a leitura de livros e elaboração de resenhas com fins de remição da pena, conforme assegura a Lei de Execução Penal.

No encontro, as estagiárias do curso de Letras da Unesc, Marina Arnt e Renata Fernandes, avaliaram os encontros semanais junto aos detentos e receberam um retorno bastante positivo. “Os alunos mostraram-se extremamente satisfeitos com as atividades realizadas e ficaram animados para a continuação do projeto no próximo ano”, destacaram.

O projeto é coordenado e supervisionado pelos professores do curso de Letras, Cibele Freitas e Richarles de Carvalho, e pela professora do curso de Direito, Janete Trichês.

Vitor Netto - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Vitor Netto 30 de novembro de 2018 às 14:09
Compartilhar Comente

Curso de Letras realiza viagem de estudos para Porto Alegre

No dia 09 de novembro de 2018, os alunos do Curso de Letras da UNESC realizaram uma viagem de estudos para Porto Alegre. Na oportunidade, os alunos, juntamente com o Coordenador do Curso de Letras, Professor Carlos Arcângelo Schlickmann, e as professoras Cibele Freitas, Daniela Arns Silveira e Eloísa da Rosa Oliveira, visitaram a duas exposições em cartaz na Fundação Iberê Camargo. A primeira, “Iberê Camargo - Formas em Movimento”, que traz um recorte de diversas obras do artista que nomeia a Fundação Iberê Camargo; e a segunda, “Subversão da Forma”, que traz obras de quatro artistas distintos que apresentam temáticas semelhantes para discutir aspectos formais e conceituais da arte.

Além da visita à Fundação Iberê Camargo, visitaram a Feira do Livro de Porto Alegre e alguns dos pontos turísticos da cidade, como o Mercado Público, o Teatro São Pedro, a Catedral Metropolitana e a Casa de Cultura Mário Quintana.

Por: Geisiele Bernardo Alves 30 de novembro de 2018 às 13:01
Compartilhar Comente

Projeto da Unesc doa livros ao presídio Santa Augusta

Projeto da Unesc doa livros ao presídio Santa Augusta
Professores da Unesc realizaram a entrega das obras que lidas pelos reeducandos (Foto: Divulgação) Mais imagens

A biblioteca do presídio Santa Augusta, em Criciúma, ganhou um reforço esta semana. O projeto de extensão “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”, do Programa Território Paulo Freire, da Unesc, doou cerca de 250 livros de diversos gêneros literários para incentivar a leitura entre os reeducandos. As obras foram entregues nesta terça-feira (6/11) por professores da Universidade.

O projeto de extensão é realizado pelo curso de Letras e conta com o apoio do curso de Direito, da Unesc. Segundo a professora de Letras e participante do projeto, Cibele Freitas, a leitura pode contribuir para o resgate da cidadania dos reclusos, transformando e promovendo uma redescoberta da aprendizagem.

Os participantes do projeto tem um encontro semanal com professores e alunos da Universidade, de modo que discutem textos literários e realizam atividades. “A discussão dos textos colabora para que eles, que possuem as mais variadas escolaridades, consigam interpretar e escrever seus próprios textos”, conta.

A entrega dos livros foi realizada por Cibele, pelo coordenador adjunto do curso de Letras, Richarles de Carvalho, pela professora do curso de Direito da Unesc, Janete Trichês e pela aluna de Letras e estagiária do projeto, Renata Fernandes.

Milena Nandi - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 07 de novembro de 2018 às 16:16
Compartilhar Comente

IV Colóquio Luso-Brasileiro de Educação a Distância e E-learning

IV Colóquio Luso-Brasileiro de Educação a Distância e E-learning
Mais imagens

O coordenador adjunto do curso de Letras, professor Richarles Souza de Carvalho, participou nos dias 29 e 30 de outubro, na cidade de Curitiba - PR, do IV Colóquio Luso-Brasileiro de Educação a Distância e E-learning, que fez parte do Congresso Humanitas da PUC-PR.
O trabalho apresentado pelo professor foi "A prática da leitura e da escrita como elemento essencial na formação de professores". Neste relato, professor Richarles pode registrar a experiência acumulada com a Disciplina de Produção e Interpretação de Textos em diversos cursos de licenciatura da UNESC.
 

Por: Geisiele Bernardo Alves 05 de novembro de 2018 às 13:26
Compartilhar Comente