Biomedicina

Unesc participa de ações comunitárias em Içara e Sombrio

Unesc participa de ações comunitárias em Içara e Sombrio
Professores e alunos da área da saúde realizaram atendimentos e levaram informações à população (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

Todo dia é oportuno para cuidar da saúde e, neste sábado (9/3), a Unesc deu um estímulo para moradores e visitantes dos municípios de Içara e Sombrio cuidarem dela. Professores e alunos dos cursos de Fisioterapia, Psicologia, Biomedicina, Nutrição e Odontologia estiveram pela manhã na Praça da Igreja São Donato, em Içara, participando de uma ação organizada pela RFCC (Rede Feminina de Combate ao Câncer) e à tarde, na Arena Multiuso de Sombrio, em ação realizada pela Associação Assistencial de Educação Sombrio Vida.

Pela manhã, Jeandro Müller, a esposa Bibiane Batista Da Silva e os filhos Erick Jeandro e Thainá Vitória, de Balneário Rincão, estiveram em Içara e passaram pela tenda da Unesc, onde fizeram tipagem sanguínea, terapia manual e receberam orientações sobre saúde bucal. “É a primeira vez que participamos de alguma atividade da Unesc na comunidade e gostamos bastante do acolhimento. É um tempinho que acabamos tirando para olhar pela nossa saúde”, comenta.

A estudante da oitava fase do curso de Biomedicina da Unesc Júlia Colonetti foi um dos acadêmicos que atendeu a família Da Silva Müller. Em sua primeira vez em uma ação externa da Unesc, ela conta que teve uma experiência positiva. “É um contato mais próximo com a comunidade e uma oportunidade de colocar em prática o que aprendi no curso e trocar experiências com outros colegas e com as pessoas que atendemos”.

A presidente da RFCC de Içara, Andréa Cristina Soares, explica que a ação na Praça da Igreja São Donato ocorre desde 2013, quando foi aprovado pelo Legislativo de Içara o projeto de lei da vereadora Edna Benedet da Silva, que instaurava o segundo sábado do mês de março como o Dia Municipal de Combate ao Câncer de Mama. “O evento vem crescendo a cada ano e novos parceiros vão chegando. Fomos atendidas prontamente pela Unesc, que sempre teve as portas abertas para a Rede Feminina de Içara. O segundo sábado de março já não marca mais apenas o trabalho de combate ao câncer de mama, se tornou um evento que realiza a promoção da saúde para todas as pessoas”.

A diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias da Unesc, Fernanda Sônego, comenta que estar perto da comunidade é sempre um momento especial para a Instituição. “Estamos muito felizes em contribuir com os municípios de Içara e Sombrio no dia de hoje. Nos organizamos para levar ações que promovam saúde e qualidade de vida. Nossos acadêmicos também se beneficiam de experiências como estas, pelo importante aprendizado e integração com a sociedade e suas demandas”, afirma.

Tanto em Içara quanto em Sombrio, a Unesc ofereceu à população auriculoterapia; terapia manual; aplicação de testes de estresse, depressão, ansiedade e qualidade de vida; orientações e dicas nutricionais e sobre a saúde bucal.

Milena Nandi - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 09 de março de 2019 às 13:53
Compartilhar Comente

OFICINA DE ANÁLISES CLÍNICAS

Na última semana antes da volta às aulas, o Curso de Biomedicina ofertou aos acadêmicos a OFICINA DE ANÁLISES CLÍNICAS no laboratório municipal de Criciúma/SC. Sob supervisão do Professor do Curso, Gustavo de Menezez, os alunos puderam vivenciar na prática a rotina de um grande laboratório nos seus diferentes setores, como: Hematologia, Bioquímica, Parasitologia e Microscopia.
"já estamos na 4° edição da oficina nas férias e cada vez mais os alunos tem procurado o aperfeiçoamento nas diversas áreas do conhecimento", afirma o Coordenador do Curso, Professor Emanuel

Por: Jessica Paim Da Silva Peruchi 28 de fevereiro de 2019 às 08:25
Compartilhar Comente

Inscrições abertas para XV Simpósio de Pesquisa em Ciências da Saúde

Inscrições abertas para XV Simpósio de Pesquisa em Ciências da Saúde
Mais imagens

A Unesc realizará, no mês de maio, o XV Simpósio de Pesquisa em Ciências da Saúde, que terá como tema "Maconha, Canabinoides e Terapêutica", promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (PPGCS) e Laboratório de Psiquiatria Translacional da Unesc. As inscrições para o evento, que acontece nos dias 30 e 31 de maio, iniciaram na sexta-feira (15/02). O objetivo é promover uma discussão aprofundada sobre o tema, bem como a interação entre os professores e alunos nos níveis de graduação e pós-graduação. 

O encontro abordará temas como aspectos epidemiológicos do uso da maconha, políticas públicas e jurídicas, receptores canabinoides e seus mecanismos de ação, aspectos clínicos e a maconha como fator de risco para doenças psiquiátricas. Entre os nomes confirmados para o evento está o Médico Psiquiatra e Psicanalista, Doutor Sérgio de Paula Ramos, com 40 anos de experiência no tratamento de dependências químicas.

Psiquiatra e pesquisador Doutor João Luciano de Quevedo, integrante do PPGCS e Professor do Departamento de Psiquiatria e Ciências do Comportamento da McGovern Medical School, The University of Texas Health Science Center at Houston, nos EUA, explica que o uso medicinal, seja da maconha ou dos compostos derivados, tem se intensificado, sobretudo o uso do Canabidiol para Epilepsia resistente e Parkinson, ambos resistentes ao tratamento. "Inclusive, há uma resolução do Conselho Federal de Medicina que permite aos médicos prescreverem o Canabidiol, se isso for necessário”, relata o Doutor Quevedo.

XV Simpósio de Pesquisa em Ciências da Saúde se propõe a analisar os dois lados do uso, incluindo os malefícios da maconha. Um exemplo dos danos causados à saúde é a relação comprovada entre o uso recreativo e as doenças psiquiátricas. “Do ponto de vista médico/biológico, uma das vertentes de danos do uso abusivo e recreativo da maconha é o surgimento de doenças psiquiátricas. O que mais nos preocupa, na comunidade médica, é o alto risco do desenvolvimento de doenças psiquiátricas graves, como a esquizofrenia”, salienta Quevedo. 

Para o médico e pesquisador, este encontro promove um grande esclarecimento à comunidade, em especial à comunidade científica, sobre como conseguir fazer a diferenciação entre uma coisa e outra. “Quando falamos do uso terapêutico da cannabis sativa e seus derivados, não estamos falando de uso recreativo e abusivo da maconha, são coisas totalmente diferentes”, esclarece.


As inscrições do XV Simpósio de Pesquisa em Ciências da Saúde podem ser feitas no site https://doity.com.br/xv-simposio-de-pesquisa-em-ciencias-da-saude. As inscrições para submissão de trabalhos acontecem de 15 de fevereiro a 15 de maio. Maiores informações pelo telefone 3431 2578.

Confira a entrevista do Dr João Luciano de Quevedo sobre o tema

As pesquisas indicam que os usos terapêuticos da maconha estão cada vez mais ampliados e mais abrangentes. O anticonvulsivo é apenas um destes medicamentos?
Exatamente, o uso de anticonvulsivos é apenas uma das áreas que comprovadamente se mostrou benéfico, mas vários estudos são feitos em várias áreas da psiquiatria e da neurologia e antevemos que não só o Canabidiol, que já existe, como também outros compostos já sintetizados ou a serem sintetizados a partir do que se conhece dos produtos da composição da maconha, estão em estudo para uso terapêutico humano agora ou em um futuro próximo.

O que o simpósio traz de debate sobre esse tema?
Queremos trazer especialistas de diferentes áreas de uso dos compostos, inclusive já estamos convidando diversas pessoas, mas também trazer especialistas das questões médicas das complicações do uso da maconha. Maconha, Canabinoides e terapêutica. Por isso o objetivo é abordar esse núcleo: maconha e seus compostos e todas as facetas que isso envolve, do ponto de vista científico. Não vai haver nenhum tipo de discussão ideológica ou de apologia, porque isso não é científico. A discussão tem base médica e científica.

Quais doenças hoje estão mais relacionadas ao uso recreativo da maconha? E o que se fala com essa questão do uso recreativo em alguns pacientes quimioterápicos?
O que mais nos preocupa, na comunidade médica, é o risco do desenvolvimento de doenças psiquiátricas graves como a esquizofrenia, que é muito alto e ainda maior em adolescentes e adultos que usaram maconha na adolescência, quando comparado com adolescentes que não usaram, independentemente da quantidade. É realmente algo grave em questões de sequelas. A maconha não é desprovida de risco. Obviamente há pessoas que vão fazer o uso recreativo por toda vida e não vão desenvolver nenhum tipo de doença, isso só significa que elas não têm uma predisposição biológica para desenvolver aquela doença, mas quem pode ter certeza se tem ou não tem essa predisposição? Então usar maconha ou não, do ponto de vista recreativo, é uma roleta russa com a própria saúde mental.

Têm-se alguns estudos anedóticos, mas não há um consenso de que isso é algo bom que deva ser incentivado, não é um conhecimento consolidado. Portanto, não podemos afirmar que é bom ou ruim, porque necessita de mais estudos.

O Simpósio é aberto a todas as pessoas? 
Ele é voltado para profissionais da área da saúde e nas mais diversas áreas, cujo conhecimento se perpassa por essa temática. Mas temos tido muito contato de pessoas da comunidade que querem participar e elas são bem-vindas. Inclusive, a maior parte das pessoas que entraram em contato comigo perguntando das inscrições do simpósio, ou tinham familiares que faziam o uso do Canabidiol, ou que tiveram benefícios, que querem entender melhor e buscam aprender. Acreditamos que vai ser muito interessante termos esse tipo de audiência porque a universidade é o lugar certo, é um fórum de discussão para isso, de multiplicação do conhecimento. Temos o cuidado de ter palestrantes que vão demonstrar cientificamente os malefícios do uso da maconha. E vamos ter os outros que vão mostrar os benefícios do uso dos canabinoides.

Ana Sofia Schuster - AICOM Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Ana Sofia Schuster 17 de fevereiro de 2019 às 16:42
Compartilhar Comente

Celebrações: colação de grau de mais 43 acadêmicos marca última formatura do ano na Unesc

Celebrações: colação de grau de mais 43 acadêmicos marca última formatura do ano na Unesc
Formandos, familiares e amigos comemoraram as conquistas na tarde desta quinta-feira no Auditório Ruy Hülse (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

A última cerimônia de colação de grau especial do ano na Unesc foi marcada pela emoção. Na tarde desta quinta-feira (20/12) celebraram a formatura 43 acadêmicos da Universidade acompanhados de colegas, amigos e familiares no Auditório Ruy Hülse.

Os cursos que tiveram alunos concluintes foram Arquitetura e Urbanismo, Artes Visuais, Biomedicina, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Direito, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Civil, Fisioterapia, História, Letras - Língua Portuguesa, Odontologia, Psicologia e Tecnologia em Design de Moda.

Entre os formandos mais alegres da tarde esteve o jovem Afonso David Nkadi, de 26 anos. Natural de Angola, ele vive em Criciúma há mais de cinco anos e comemora neste fim de ano a conquista do diploma de biomédico, um sonho realizado. Apesar de já ter conquistado seu objetivo inicial, Afonso permanecerá no Brasil, em Criciúma e na Unesc. “Fui muito bem recebido aqui. Na Unesc recebi todo o suporte que precisei e fiz muitos amigos. Já estou matriculado na Pós-Graduação e quero continuar meus estudos”, garantiu.

Mayara Cardoso -  Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 20 de dezembro de 2018 às 18:24
Compartilhar Comente

Noite de formatura: mais 90 sonhos realizados

Noite de formatura: mais 90 sonhos realizados
Unesc formou na noite desta segunda-feira profissionais de diversas áreas (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

O Auditório Ruy Hülse esteve lotado na noite desta segunda-feira (17/12) para a cerimônia de colação de grau em gabinete dos cursos de Biomedicina, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição e Moda. No total foram 90 novos profissionais com sonhos realizados e habilitados para exercerem suas profissões. Ao longo da cerimônia, a emoção tomou conta de formandos, familiares e amigos, que acompanharam o momento exato em que foram oficialmente iniciadas novas carreiras.

Compuseram a mesa de autoridades da colação de grau o coordenador do curso de Biomedicina, Emanuel de Souza; a coordenadora do curso de Enfermagem, Ioná Vieira Bez Birolo; a representante da coordenação do curso de fisioterapia, professora Evelin Vicente; a coordenadora do curso de Nutrição, Rita Suselaine Vieira Ribeiro; a coordenadora do curso de Tecnologia em Design de Moda, Charlene Vicente Amâncio Nunes e a pró-reitora acadêmica, Indianara Reynaud Toreti.

Entre a mensagem deixada pela pró-reitora aos formandos, esteve o sentimento de gratidão a cada um e a seus pais pela confiança depositada na Universidade e o desejo de que tenham sucesso por onde forem, sempre lembrando dos ensinamentos que vão além da teoria. “Vocês são diversos, diferentes, mas estão vivendo em comum o mesmo momento. É o momento de alçar voo em busca de sua própria realização pessoal e profissional. Vocês passam hoje a ter mais autonomia, mais liberdade, e quanto maior a liberdade maior a responsabilidade. Cada vez mais as escolhas serão pessoais e intransferíveis. Que não lhes falte a técnica tampouco a ética profissional”, destacou.

Mayara Cardoso - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 17 de dezembro de 2018 às 22:07
Compartilhar Comente