Reitoria

Unesc sedia Enade no domingo

Unesc sedia Enade no domingo
Mais imagens

A Unesc vai sediar no próximo domingo, 24/11, mais uma edição do Enade – Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. O exame avalia o rendimento dos estudantes concluintes, dos cursos de graduação, em relação aos conteúdos programáticos dos cursos em que estão matriculados. A prova inicia às 13h30min do domingo, mas os participantes precisam estar no local das provas às 13 horas. O exame acontece nos blocos R1 e R2.

No Enade 2019 a Unesc terá a participação de aproximadamente 900 concluintes dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Educação Física Bacharelado, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Farmácia, Fisioterapia, Medicina, Nutrição e Odontologia. “O Enade é um componente curricular obrigatório para a conclusão do curso de graduação. O exame reflete um ciclo formativo de nossos estudantes e auxilia na verificação das competências desenvolvidas durante o curso e que se alinham ao perfil do egresso”, explica o professor Marcelo Feldhaus, Diretor de Ensino de Graduação da Unesc.

A Unesc receberá seus concluintes num lounge instalado em frente aos blocos de aplicação da prova. A partir das 11h os professores e coordenadores dos cursos já estarão aguardando por todos os estudantes. “Além disso, a universidade lançou a promoção “Quem se prepara, valoriza sua formação” que tem como objetivos, criar estímulos e motivação para que os alunos se preparem para a prova, apoiar as iniciativas de comprometimento com o resultado, premiar o desempenho individual, fortalecer a relação dos acadêmicos com o curso, bem como a imagem institucional”, explica o professor Marcelo Feldhaus. A ação promocional destina-se aos alunos concluintes habilitados para realizar o Enade e com aproveitamento superior a 60% na prova. Esta ação vai sortear seis bolsas de estudos para pós-graduação. O sorteio será realizado no dia 10 de dezembro, com a presença dos coordenadores de curso em local e horário a serem divulgados posteriormente.

Todas as informações sobre o Enade estão contidas no hot site exame: http://www.unesc.net/portal/capa/index/520

Ana Sofia Schuster - Assessoria de Imprensa AICOM Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Ana Sofia Schuster 22 de novembro de 2019 às 15:25
Compartilhar Comente

Unesc ingressa em projeto de instituição de Londres para o desenvolvimento de ferramentas na área de saúde mental para o Brasil

Unesc ingressa em projeto de instituição de Londres para o desenvolvimento de ferramentas na área de saúde mental para o Brasil
Pesquisadores ingleses e brasileiros participaram de uma imersão na Universidade (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

O trabalho em saúde mental no país deve ganhar, no próximo ano, ferramentas importantes para auxiliar a gestão na área e no atendimento para a população jovem. Por meio de uma parceria entre instituições da Inglaterra e do Brasil, o projeto Mentalkit já está em desenvolvimento e nesta segunda-feira (4/11) teve a Unesc, em Criciúma, incluída no rol de instituições colaboradoras. O projeto é uma iniciativa da London School of Economics and Political Sciences (Escola de Economia e Ciência Política de Londres), e conta também com a participação da Universidade Federal de Alagoas e da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Professores e pesquisadores do Centro de Avaliação de Políticas de Cuidado da Escola de Economia e Ciência Política de Londres e das universidades parcerias participaram de uma imersão de três dias (2, 3 e 4 de novembro) na Unesc, para conhecer melhor o trabalho da Universidade nas áreas de saúde coletiva e mental. O grupo foi acompanhado por professores do PPGSCol (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva) e nesta segunda-feira, realizou uma visita à Secretaria de Saúde de Criciúma e à Reitoria da Unesc, onde alinhavou parcerias.

Segundo o pesquisador do Centro de Avaliação de Políticas de Cuidado da Escola de Economia e Ciência Política de Londres, Wagner Silva Ribeiro, a pesquisa tem o objetivo de melhorar o sistema público de saúde no Brasil na área de assistência à saúde mental de crianças e adolescentes. “O principal objetivo da pesquisa é desenvolver uma caixa de ferramentas para ajudar os profissionais e os gestores públicos a terem acesso a evidências científicas a respeito das melhores práticas de modo a ajudar na implementação de políticas públicas, prevenção e tratamentos para essa população”, comenta.

A pesquisa já está em andamento e a previsão é que a partir de 2020 as ferramentas, que devem ser um website e/ou um aplicativo, já estejam disponíveis de maneira pública. Os estudos estão divididos em três partes. A primeira é baseada análise de dados coletados no Brasil, como o acesso ao tratamento e políticas públicas e quer verificar os dados que envolvem demanda e serviços existentes. A segunda, uma análise situacional e a identificação de intervenções eficazes e adequadas para o contexto brasileiro e a terceira, a reunião das informações para a criação da caixa de ferramentas.

Segundo a pesquisadora do Centro de Avaliação de Políticas de Cuidado, Sara Elizabeth Evans, a maior causa de incapacidade dos adolescentes é a saúde mental. “Sabemos que 80% de problemas de saúde mental estão sendo desenvolvidos antes de 18 anos e se podemos prevenir o desenvolvimento desse problema, poderemos ter pessoas mais saudáveis inclusive fisicamente”, comenta. Sobre a sua estada em Criciúma, a pesquisadora considerou agregadora para conhecer mais a realidade do município e em especial, o trabalho desenvolvido pela Universidade na área de saúde coletiva.

Segundo a coordenadora do PPGSCol, Cristiane Tomasi, o Mentalkit irá socializar evidências científicas para “guiar” a conduta do profissional de saúde e também auxiliar na gestão de serviços, para entender os custos e investimentos em saúde mental. “O fim de semana foi de muito trabalho, apresentando o andamento do projeto nos seus diferentes aspectos e vislumbrando as possibilidades da Unesc colaborar. Essa caixa de ferramentas é voltada para a saúde mental dos jovens e por isso, precisamos de um levantamento nesta área. É a partir de um entendimento do que acontece com essa população que poderemos definir quais as intervenções que são importantes para a saúde mental, deles, quais os investimentos a serem feitos e se o que é feito está dando resultado”, explica Cristiane.

Segundo ela, o PPGSCol é um programa profissional e por isso, tem como necessidade a aproximação com o serviço de saúde e desenvolver pesquisas com aplicação na área. “O projeto é uma oportunidade grandiosa e um momento de aproximação da Universidade com outras instituições de ensino, serviços de saúde e escolas”, afirma.

Parcerias

Na manhã desta segunda-feira, os visitantes tiveram duas agendas que resultaram no estreitamento dos laços em Criciúma. A primeira, na Secretaria de Saúde de Criciúma e a segunda, com a Reitoria da Unesc. No encontro com o secretário de Saúde, Acélio Casagrande e com o vice-prefeito, Ricardo Fabris, os pesquisares de Londres e das instituições brasileiras receberam a garantia de apoio do poder público municipal à pesquisa.

Fabris salientou que a prefeitura está aberta para todas as iniciativas que visam colaborar com a qualidade de vida da população e assegurou que o assunto será levado ao prefeito Clésio Salvaro para a definição da maneira como a prefeitura poderá colaborar no desenvolvimento do projeto. Já o secretário de Saúde, lembrou da importância do tema pesquisado. “Estamos atravessando um momento de desafio com relação à saúde mental e toda a iniciativa na área terá o nosso total apoio. Toda qualificação na área e indicadores são extremamente importantes para a gestão”.

Da reunião ficou definido que os gestores públicos irão apontar os nomes de profissionais e ajudar a estruturar um Comitê Consultor em Criciúma. Posteriormente, o município deverá ser sede de um workshop de capacitação e troca de informações sobre saúde mental de crianças e adolescentes com foco na participação de gestores públicos e profissionais das áreas de saúde, educação e assistência social.

Após o encontro na prefeitura de Criciúma, o grupo conheceu as Clínicas Integradas da Unesc e foi acolhida pela reitora, Luciane Bisognin Ceretta, que comemorou a parceria. A Universidade irá selecionar os stakeholders, o público estratégico para a pesquisa e dar o suporte para o projeto no município.

Segundo o pesquisador do Centro de Avaliação de Políticas de Cuidado da Escola de Economia e Ciência Política de Londres, Wagner Silva Ribeiro, o objetivo é que a pesquisa levante dados e pense em sua aplicação em realidades diferentes. Isso porque os estudos serão feitos em Maceió e Criciúma, cidades com realidades sociais, econômicas e culturais distintas. “A intenção é que essa caixa de ferramentas seja adequada à diferentes situações dentro do país”, comenta o pesquisador.

A reitora da Unesc, salienta que a Universidade tem uma atuação forte na área da saúde coletiva e como tal, um trabalho voltado também à saúde mental. Nesse contexto, participar de um projeto com os objetivos do Mentalkit vem ao encontro do que a Universidade desenvolve na região. Durante o encontro, Luciane ainda colocou a Instituição disponível para colaborar no desenvolvimento da caixa de ferramentas, utilizando a expertise dos cursos da área de tecnologia. “Inovação tecnológica também é um dos focos da Unesc. Podemos colaborar com o projeto de diversas formas e estamos à disposição para pensarmos e agirmos juntos”.

Segundo o professor do Mestrado em Saúde Coletiva e agente de internacionalização da Unesc, Antônio Augusto Schafer, a parceria no projeto é uma grande oportunidade para a pesquisa e colabora para consolidar a internacionalização da Universidade. “Vamos fazer parte desse time que vai estudar a saúde mental no Brasil e isso agrega muito em termos de internacionalização. Além disso, é o projeto vem ao encontro do trabalho desenvolvido por uma Universidade Comunitária como a Unesc, que visa o desenvolvimento de pesquisa que tenha aplicação prática na sociedade”.

O encontro com os pesquisadores visitantes teve ainda a participação do professor do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde), João Quevedo; da coordenadora do curso de Medicina, Maria Inês da Rosa; do coordenador adjunto do curso de Odontologia, Renam Ceretta; da coordenadora das Clínicas Integradas da Unesc, Mágada Tessmann; dos professores do PPGSCol, Fernanda Meller, Jacks Soratto e Joni Márcio de Farias; do secretário das Clínicas Integradas, Marlon Zilli e da assessora do Gabinete da Reitoria, Tatiane Macarini.

Milena Nandi – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 04 de novembro de 2019 às 16:06
Compartilhar Comente

Unesc representa Santa Catarina na premiação nacional “Para Mulheres na Ciência”

Unesc representa Santa Catarina na premiação nacional “Para Mulheres na Ciência”
Josiane Budni está entre as vencedoras do programa da L’Oréal, Unesco e Academia Brasileira de Ciências (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A Unesc é a única IES (Instituição de Ensino Superior) de Santa Catarina a ter uma pesquisadora laureada com o prêmio do programa “Para Mulheres na Ciência” 2019, realizado pela L’Oréal Brasil, Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) Brasil e ABC (Academia Brasileira de Ciências). A professora doutora Josiane Budni, está entre as sete jovens pesquisadoras laureadas pelo programa, que reconhece e incentiva o trabalho realizado por mulheres cientistas de todo o país. Esta é a quinta vez que a Universidade tem uma profissional condecorada pelo programa.

A Unesc ainda representa as Universidades Comunitárias no prêmio. Com exceção de sua professora, todas as outras pesquisadoras premiadas são de universidades federais ou estaduais brasileiras. Josiane é graduada em Farmácia e em Análises Clínicas, possui mestrado em Neurociências, doutorado em Bioquímica pela UFSC e pós-doutorado em Ciências da Saúde pela Unesc. Na Unesc, ela é docente do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde), pesquisadora do Laboratório de Neurologia Experimental e coordenadora adjunta do curso de Biomedicina. É coordenadora do grupo de pesquisa em doenças neurodegenerativas que estuda o envelhecimento e a doença de Alzheimer.

Josiane e as demais vencedoras receberão cada uma, bolsa-auxílio de R$ 50 mil para ser utilizada em um período de dois anos no desenvolvimento de pesquisa aprovado pela comissão julgadora do projeto, composta por 16 profissionais renomados no campo da ciência. E no dia 10 de outubro, a premiação será oficializada em um evento no Rio de Janeiro, no qual as pesquisadoras serão homenageadas.

O Programa “Para Mulheres na Ciência”, é desenvolvido desde 2006 e tem como ponto de partida a transformação do panorama da ciência no país, favorecendo o equilíbrio dos gêneros no cenário e incentivando a entrada de jovens mulheres no universo científico. As pesquisadoras escolhidas atuam nas áreas de Ciências Físicas, Ciências Matemáticas; Ciências Químicas ou Ciências da Vida (Biomédicas, Biológicas e da Saúde) – categoria na qual a professora da Unesc foi premiada.   

Projeto premiado tem como tema principal a doença de Alzheimer

O projeto que a professora da Unesc irá executar relaciona distúrbios do sono como um fator de risco para a Doença de Alzheimer. A proposta dela é trabalhar uma visão translacional do estudo, ou seja, utilizando experimento em modelos animais e estudo com humano. Josiane explica que o uso dos dois estudos, roedores e humano, dá mais força e base ao projeto e colabora com a ampliação das respostas aos questionamentos levantados pela pesquisa.

Josiane já havia utilizado a melatonina em uma pesquisa para tentar reverter a perda de memória relacionada à doença de e vai usar este hormônio novamente neste novo estudo. A pesquisa consiste em realizar a privação do sono no animal, e depois induzir a doença de Alzheimer neste mesmo animal. A ideia é tentar tratar com melatonina, para ver se ela consegue reverter esse dano causado pelo distúrbio do sono associado com a doença de Alzheimer. “Também quero entender o processo fisiopatológico. O que acontece no animal com distúrbio do sono e com a doença. Será que o dano que vai ter na memória é maior que do que daqueles animais que apresentam os problemas separadamente?”, comenta.

Em um segundo momento, a pesquisadora irá realizar o estudo em humanos. Pessoas com declínio cognitivo leve – que começaram a perder a memória, podendo sinalizar o começo da Doença de Alzheimer – e que têm diagnóstico de apneia do sono serão convidadas a participar da pesquisa. “Durante seis meses iremos utilizar nestas pessoas um aparelho que ajuda a evitar a apneia do sono e junto disso, ministrar melatonina, para ver se eles terão melhora no declínio cognitivo”, explica.

Para desenvolver a pesquisa, Josiane contará com o apoio da equipe formada por alunos de Iniciação Científica e de Mestrado e Doutorado que atuam no Laboratório de Neurologia Experimental da Unesc. “Em pesquisa não se faz nada sozinho. Todo o trabalho é realizado em equipe. A parceria com os profissionais e estudantes da Unesc é imprescindível para que o estudo saia do papel”.

Reconhecimento chama a atenção para trabalho desenvolvido na Unesc


Em 2019, o programa “Para Mulheres na Ciência” da L’Oréal/Unesco/ABC recebeu mais de 500 inscrições com projetos de todo o Brasil. “Ser vencedora e ainda em Ciências da Vida, área que mais teve projetos inscritos é indescritível. Este é um prêmio que vai para você como pesquisadora e como mulher e para a Instituição. E ele vindo no momento político e econômico que estamos no país, com crise na pesquisa que vivemos, é um atestado de que o trabalho científico desenvolvido no país é excelente e as mulheres têm sim parte nisso”, afirma.

Segundo a professora, o prêmio ainda abre portas e dá visibilidade para o trabalho desenvolvido em uma Universidade Comunitária. “Ele mostra para todo o país que na Unesc é feito pesquisa de qualidade e divulga para a comunidade o trabalho que é realizado com o objetivo de contribuir com a vida e saúde da população”, salienta Josiane. Ela pontua ainda que o reconhecimento estimula também os estudantes da Instituição a atuarem e investirem na carreira acadêmica.

Resultado de investimentos na pesquisa

A reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, observa que esta é a quinta vez que uma professora do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) é laureada pelo programa “Para Mulheres na Ciência”. Segundo ela, a premiação é uma honra para a Universidade e também comprova o importante investimento da Unesc na área da pesquisa e dos profissionais ligados a ela.

“Somos uma referência importante na pesquisa nacional. O trabalho da Josiane tem sido impecável. É uma pesquisadora muito focada nos seus objetivos, com uma pesquisa lindíssima voltada aos estudos e alvos terapêuticos na doença de Alzheimer, dentre outros estudos na área de neurociência. Tê-la em nosso hall de pesquisadoras é um privilégio. Para a Unesc, é motivo de orgulho e muita satisfação”, ressalta.

O diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da Unesc, Oscar Montedo, lembra da importância do Programa “Para Mulheres na Ciência” para o incentivo e reconhecimento de jovens profissionais brasileiras que se destacaram nacionalmente na pesquisa científica. “Pela quinta vez, a pesquisa feminina da Instituição é agraciada com este importante reconhecimento, o que nos enche de orgulho e alegria. Isso demonstra a relevância da pesquisa realizada na Unesc e o quão talentosas são nossas mulheres, como a professora Josiane”, afirma.

Segundo o coordenador do PPGCS, Felipe Dal Pizzol, para o programa, ser agraciado cinco vezes com o mais importante reconhecimento às mulheres cientistas brasileiras é uma fonte de orgulho. “Isso nos faz ter a certeza de que estamos no caminho certo. Claramente todas as pesquisadoras fazem o PPGCS crescer e o programa faz com que a carreira científica delas cresça junto, com o auxílio e apoio incondicional da Universidade. É uma marca delas, do PPG e da Unesc para ser disseminada pelo país e pelo mundo”.

Milena Nandi - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 15 de agosto de 2019 às 17:11
Compartilhar Comente

Co-fundador e CEO da Leadership Development International faz palestras gratuitas na Unesc

Co-fundador e CEO da Leadership Development International faz palestras gratuitas na Unesc
Mais imagens

Com ênfase na liderança de processos produtivos resoluções de conflitos, a Unesc irá receber nos dias 13 e 14 de agosto a palestra “A Sabedoria na Liderança dos Negócios: As emergências das experiências chinesas do Dr.Chan Kei Thong”, ministrada pelo próprio Thong. Aberta a comunidade externa e a forma de acesso é por meio de 1 kg de alimento não perecível.

Entre as pautas abordadas estão “A sabedoria da Liderança” e “O negócio como missão”. A palestra do dia 13 o público alvo são os Gestores de Empresas e Entidades e Gestores  e professores da Unesc. Além disso, Thong também palestrará para a gestores de escolas e secretários de educação, no dia 14 de agosto. Professores e gestores da Universidade estarão participando de todas as etapas que compõem o evento. Este é um passo à frente no processo de envolvimento de Professores e Gestores da Unesc neste novo ciclo de Inovação tecnológica de processos, produtos na universidade.

Conheça o palestrante

Dr. Thong é membro da equipe da Singapore Cru há 40 anos e co-fundador e CEO da LDi (Leadership Development International). Sob sua liderança na LDi, o empreendimento se tornou um dos sistemas mais influentes na educação internacional, com escolas espalhadas pela China e no Oriente Médio. O orçamento anual da empresa chega aos 35 milhões de dólares, empregando mais de 800 funcionários.

O palestrante possui Diploma Técnico da Singapore Polytechnic, Bacharel em Ciências em Administra pela Universidade de Nova York, Mestrado em Artes em Estudos Bíblicos pela Escola Internacional de Teologia, Mestrado em Administração de Empresas pela Universidade Estadual da Califórnia e doutorado honorário da Trinity Western University. Atualmente ele ministra cursos on-line de liderança, por meio do programa de Mestrado em Artes em Liderança da Trinity Western University, além de orientar líderes da China e do Oriente Médio.

Veja a programação completa

13 de agosto - Para gestores de empresas e entidades e gestores e professores da Unesc

- 15 às 18 horas – A sabedoria da Liderança

- 19h30 às 21h30 – O negócio como missão

14 de agosto - Para gestores de escolas e secretários de educação, gestores e professores da Unesc

- 9 às 12 horas – A liderança nos processos educativos e a resolução de conflitos

- 14 às 17 horas – Princípios de liderança para a construção de comunidades

Vitor Netto - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Ana Sofia Schuster 09 de agosto de 2019 às 09:04
Compartilhar Comente

Reitoria recepciona novos professores doutores da Universidade

Reitoria recepciona novos professores doutores da Universidade
Pesquisadores vão atuar no PPGCEM e no PPGCS (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A Reitoria da Unesc deu as boas-vindas, na tarde desta quinta-feira (7/3), aos novos professores doutores da Universidade. Cinco pesquisadores irão reforçar as equipes do PPGCEM (Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia) e do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) e já iniciaram suas atividades na Instituição.

Os pesquisadores Fabiano Raupp Pereira, Sabrina Arcaro e Matheus Vinícius Gregory Zimmermann são os mais novos professores do mestrado e recém aprovados doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais, e Gislaine Zilli Réus e Cinara Ludvig Gonçalves, reforçam o time de professores do mestrado e doutorado em Ciências da Saúde. (Conheça os novos pesquisadores da Universidade)

Durante o encontro, a reitora, Luciane Bisognin Ceretta enfatizou a importância da pesquisa na Instituição e desejou sucesso nas atividades dos docentes. “Espero que vocês construam os seus projetos de felicidade aqui, desenvolvam seu trabalho e nos auxiliem nesse processo belíssimo de busca pelo conhecimento nas áreas de atuação da Unesc. Temos aqui uma equipe motivada e com brilho nos olhos pela Universidade”, comentou. Segundo a reitora, a Instituição se preocupa com a finalidade da pesquisa feita e lembrou que a motivação maior desse trabalho é a transformação da sociedade. 

O vice-reitor, Daniel Preve, salientou a relevância da pesquisa na Instituição e a interlocução desta área com os cursos de graduação. “Os PPGs colaboram muito com os cursos de graduação. Aqui na Unesc temos um contraponto com o que encontramos no mercado, onde os alunos nem sempre tem a possibilidade de participar da iniciação científica e agregar muito à sua formação”.

A pró-reitora Acadêmica, Indianara Reynaud Toreti, chamou a atenção para a análise minuciosa que a Instituição faz a cada processo seletivo para novos pesquisadores e afirmou que a chegada de cinco novos profissionais significa um importante passo para a qualificação da pesquisa. O pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Thiago Fabris, também deu as boas-vindas aos novos contratados. “Hoje o nosso eixo é inovação e essa é uma nova caminhada cheia de desafios. Sabemos da contribuição dos programas de pós-graduação nessa jornada e da interlocução importante dos programas com o mercado”.

A recepção aos novos doutores teve ainda a participação do diretor de Pesquisa e Pós-Graduação, Oscar Montedo; da assessora da Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação, Merisandra Côrtes; do coordenador do PPGCEM, Alexandre Dal Bó; da professora doutora do PPGCEM, Kétner Bendo Demétrio e do professor doutor do PPGCS, Ricardo Andrez Machado de Ávila.

Milena Nandi – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 08 de março de 2019 às 09:45
Compartilhar Comente