Coronavírus

Unesc coordena no Brasil o maior estudo colaborativo internacional para coletar dados de alta qualidade sobre a pandemia de Covid – 19

Unesc coordena no Brasil o maior estudo colaborativo internacional para coletar dados de alta qualidade sobre a pandemia de Covid – 19
Instituições como Unifesp, USP, UFSM, Stanford e Oxford estão presentes; São 200 pesquisadores de 35 países envolvidos neste projeto (Fotos: ArquivoUnesc) Mais imagens

A Unesc, entre as mais bem-conceituadas instituições de ensino e pesquisa do mundo, integra o mais completo estudo colaborativo internacional para coletar dados de alta qualidade sobre os efeitos da pandemia na saúde física e mental da população. A pesquisa, inédita nesta proposição com foco no coronavírus, envolve 200 pesquisadores de 35 países. No Brasil, o projeto COH-FIT (Collaborative Outcomes study on Health and Functioning during Infection Times – Efeitos da Pandemia da Covid -19 sob Desfechos da Saúde Física e Mental da População) é conduzido pela doutora Samira Valvassori, da Unesc; doutor Ary Gadelha, da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo); doutor André Brunoni, da USP (Universidade de São Paulo), e doutor Felipe Shuch, da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria). 

Para desenvolver o estudo na Unesc, Samira conta com a contribuição dos professores, doutores e pesquisadores em saúde mental, Luciane Bisognin Ceretta, reitora da Instituição, e João Quevedo. O objetivo do COH-FIT é o entendimento e a geração de dados neste momento de pandemia e isolamento social, para usar da informação como principal ferramenta da ciência para agora e no futuro. Todas as informações coletadas serão distribuídas entre os pesquisadores e as instituições participantes.

O resultado deste trabalho será percebido a curto prazo em artigos científicos e posteriormente em avanços assertivos e contundentes na área de saúde mental, como medidas preventivas e tratamentos para indivíduos acometidos pelos efeitos da Covid-19. “O grande conjunto de dados coletados permitirá uma das maiores amostras já feitas, com dados de saúde mental no país, constituindo um material que poderá se tornar um laboratório para formular e testar hipóteses futuras. Assim, esperamos que a participação nesse projeto permita levantar dados de relevância social e publicações em periódicos de alto fator de impacto pelo grupo brasileiro”, destaca Samira.

De acordo com a reitora da Unesc, estar entre as maiores Universidade do mundo nesta iniciativa enaltece e valoriza toda o investimento e fomento a pesquisas realizado pela Universidade. Ela afirma que os pesquisadores têm muito a contribuir, para este e outro estudos. “A Unesc se coloca mais uma vez entre as grandes referências da ciência para contribuir no maior desafio sanitário deste século. Nossas equipes de pesquisa, altamente qualificadas e capazes de se destacar nos períodos de dificuldades, farão uma grande contribuição a este projeto.  Esta é a nossa Universidade, que mais uma vez mostra todo seu potencial científico”, evidencia Luciane. 

Coleta de informações para qualificar a atuação científica 


Em seu desenvolvimento, o COH-FIT terá quatro etapas, e conta com a colaboração da sociedade na mais importante. Um questionário online, clique aqui para acessar , deve ser preenchido por voluntários. Para concluir a pesquisa, são 20 a 30 minutos que podem fazer toda a diferença no combate aos efeitos do coronavírus. O site ficará disponível por 18 meses. “A intenção é que este questionário possa ser respondido pelo máximo de pessoas possíveis. Para isso, ele foi traduzido para as mais variadas línguas, contemplando todos os continentes”, explica Samira.

Além de ser um movimento único no campo da ciência na luta contra a pandemia de Covid-19, devida as proporções, o estudo já se consolida como um dos maiores na área no brasil e no mundo. 

Conheça as instituições que integram esta iniciativa


University of Manchester – Australia; BioPsyC (Biopsychosocial Corporation, Non-profit Association for Research Funding Ltd) – Áustria; Université catholique de Louvain – Bélgica; University of Toronto – Canadá; Pontificia Universidad Católica de Chile; South China Normal University – China; University of Antioquia – Colombia; National Institute of Mental Health – Republica Tchéquia; University of Copenhagen – Dinamarca; Ain Shams University –Egito; Oxford University – Inglatera; Addis Ababa University – Etiopia; Karolinska Institutet – Finlândia; Université de Paris; University Hospital Carl Gustav Carus – Alemanha; Aristotle University of Thessaloniki - Grécia, Semmelweis University- Hungria, Pushpagiri Institue of Medical Sciences – Índia; Hamadan University of Medical Sciences – Irã; Waterford Institute of Technology – Irlanda; Sheba Medical Center – Israel; University of Milan – Itália; Keio University School of Medicine – Japão; Universiteit van Amsterdam – Holânda; Univeristy in Szczecin – Polônia; University of Minho – Portugual; Transilvania University of Brasov – Romênia; Moscow Reserach Institute of Psychiatry – Russia; Seoul National University College of Medicine – Koréia do Sul; Hospital Clínic de Barcelona – Espanha; Linköping University – Suécia; University of Zurich – Suiça; Uskudar University – Turquia, e Stanford University – USA.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

27 de julho de 2020 às 17:46
Compartilhar Comente

Deixe um comentário

Ouça o que está escrito