Coronavírus

Unesc 52 anos: autoridades e personagens da política pública do Sul de Santa Catarina dialogam sobre o futuro do ensino e das comunitárias

Unesc 52 anos: autoridades e personagens da política pública do Sul de Santa Catarina dialogam sobre o futuro do ensino e das comunitárias
Evento foi transmitido ao vivo pela Unesc TV e teve mais de 1.500 espectadores (Imagens: ReproduçãoYouTuve) Mais imagens

São 52 anos de muitas histórias, transformando vidas e promovendo o desenvolvimento regional. Esta é a Unesc, que em sua programação de aniversário reuniu autoridades e personagens da política pública do Sul de Santa Catarina para dialogar sobre o amanhã. Na noite desta terça-feira (23/6), a reitora da Universidade, Luciane Bisognin Ceretta, recebeu de forma virtual o presidente da Abruc (Associação Brasileira das Universidades Comunitárias), Ney José Lazzari; o senador da República, Jorginho Melo; o deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar pelo Artigo 170, Rodrigo Minotto; o secretário de Estado de Educação e egresso da Unesc, Natalino Uggioni, e o reitor da Unochapecó, Claudio Alcides Jacoski.

Após atingir incontáveis setores da sociedade, a pandemia de Covid-19 consolidou crises econômicas e sociais. A resposta na região, liderada pela Unesc, a este cenário é a busca pela construção coletiva de respostas. Nesta oportunidade, a terceira edição do projeto “O Sul do Estado Pós-Pandemia” propôs o assunto “Importância das Universidade Comunitárias para o desenvolvimento do Brasil”, momento transmitido ao vivo pela Unesc TV e com mais de 1.500 espectadores.

Dentro de sua história, a Universidade direciona seus esforços para um propósito de interesse da comunidade local. Fortalece-la, conforme Luciane, significa tornar a região onde ela está inserida mais forte, e consequentemente pronta para os desafios do futuro pós-crise mundial. “O diálogo de hoje converge com a missão da nossa Universidade, de caráter comunitário e pela defesa incessante desta característica. Na origem da nossa Instituição está a transição de um tempo, e nele a marca do empenho por soluções para o desenvolvimento da região. Nossa presença aqui hoje é um símbolo de preocupação com nossa sociedade”, enalteceu.

Durante o diálogo, cada um dos conferencistas teve um espaço para trazer suas reflexões. Após as considerações, as autoridades abriram espaço para as participações da transmissão, comentando pontos e respondo perguntas. O senador da República, Jorginho Melo, reafirmou a excelência do trabalho desenvolvido pela Unesc no Sul catarinense, garantindo segurança, informação e auxílio ao poder público. “Não tenho dúvidas de que existe um antes e um depois da Universidade. As nossa comunitárias no pós-pandemia terão um papel fundamental, diante de momentos de apreensão em todos os cenários”, frisou.

Conforme o deputado Rodrigo Minotto, outra importante característica, e que ressalta a importante de zelar pelas comunitárias, é dar voz a aqueles que necessitam, ou estão até em situação de vulnerabilidade. “Pessoas invisíveis, até excluídas, tem nesta Instituição a possibilidade de sua inclusão, além das milhares de bolsas de estudos que dão oportunidade aos estudantes de baixa renda. Não temos dúvidas deste importante papel para a sociedade, no fator social, econômico e de ensino”, destacou.

Reinvenção como resposta para a pandemia


Em comum na fala das autoridades, o assunto reinvenção foi tratado pelo secretário de Estado de Educação e egresso da Unesc, Natalino Uggioni, com mais veemência. “É uma necessidade em que todos fomos inseridos. Temos muitas dúvidas, o que temos certeza é que sairemos deste momento diferentes”, reafirmou.

Na Unesc, após o cancelamento das aulas devido ao isolamento social, ações foram tomadas, como o investimento em tecnologia, qualificação da equipe pedagógica e docente e disponibilização de equipamentos de informática para alunos sem acesso aos itens necessários para estudar. Em pesquisa realizada pela Universidade, mais de 70% dos alunos consideraram positiva a experiência.

Esta, e outras ações, são o que caracterizam a Instituição como comunitária, categoria destacada pelo presidente da Abruc, Ney José Lazzari. “Temos dois milhões de alunos nas universidades deste perfil, organizações que têm se reinventado para enfrentar a crise que surgiu. De um dia para o outro, passamos a ser virtual e conseguimos acompanhar os alunos um a um, e também promover ações de combate à pandemia. Situações que evidenciam o quanto devemos comemorar termos uma Instituição como está na região”, ressaltou.

Para o reitor da Unochapecó, Claudio Alcides Jacoski, o sistema comunitário vem ganhando grande confiança em nível nacional e seu potencial científico também será uma das respostas para o futuro do país. “A produção de ciência vem crescendo e se consolidando dentro de nossas instituições. Estamos lado a lado com as grandes públicas, e muitas vezes sem o aporte financeiro do poder público. O projeto comunitário é o futuro do Brasil”, enfatizou.

Outros pontos abordados no diálogo foram as aulas virtuais, inovação, transformações da educação, bolsas de estudos, protagonismo das universidades e de seus estudantes, desenvolvimento regional e o aniversário de 52 anos da Unesc.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

23 de junho de 2020 às 23:11
Compartilhar Comente

Deixe um comentário

Ouça o que está escrito