Coronavírus

Pesquisa sobre casos de Covid-19 inicia terceira etapa de coletas

Pesquisa sobre casos de Covid-19 inicia terceira etapa de coletas
Em cada fase, 500 testes são aplicados (Foto: Divulgação) Mais imagens

A pesquisa para o levantamento de dados que contribuam para a avaliação do cenário da pandemia de Covid-19 em Criciúma entrou em sua terceira fase nesta segunda-feira (26/5). A iniciativa, fruto da parceria entre Unesc e prefeitura de Criciúma realiza testes rápidos em pessoas de diferentes faixas etárias divididas entre moradoras das macrorregiões do município. Em cada período, são realizados 500 testes e geralmente, a coleta leva de quatro a cinco dias para ser concluída.

O estudo é aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Unesc, reconhecido pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep)/Ministério da Saúde e está analisando o perfil epidemiológico da população estudada, identificando, desta forma, a associação com comorbidades e morbidade com o exame aplicado.

A coleta de sangue para os testes é feita por profissionais da secretaria de Saúde de Criciúma. O material coletado é analisado no Laboratório Municipal e o resultado estudado de forma mais ampla com a equipe da Unesc, coordenada pela epidemiologista, médica e coordenadora do curso de Medicina da Unesc, Maria Inês da Rosa.

Resultados apontam mais de 17 mil infectados em Criciúma

Segundo o professor da Unesc, Kristian Madeira, matemático envolvido no trabalho de pesquisa, os resultados da primeira etapa de coleta, realizada entre 20 e 24 de abril, demonstraram que 11 das 500 pessoas testadas apresentaram resultado positivo para o vírus, ou seja, 2,2% de casos confirmados. Já na segunda etapa, com coleta feita entre 5 e 8 de maio, o número de pessoas com resultado positivo para o coronavírus foi de 40 entre as 500 que realizaram o teste, o que significa 8% de casos confirmados.

O professor da Unesc conta que a primeira estimativa feita pela amostragem coletada apontou que Criciúma contava naquele período, com 4.735 casos positivos. Após a segunda fase dos testes, a estimativa de moradores do município infectados pelo coronavírus saltou para 17.215 pessoas. Nos dois casos a margem de erro utilizada foi de 4,4% e o nível de significância de 95%.

“Essas pesquisas são como ‘fotografias’ daqueles momentos. Temos que fazer essas estatísticas diminuírem, saindo de casa só se for realmente necessário e tomar os cuidados de higiene, com o uso do álcool em gel e da máscara”, afirma Madeira.

Os resultados sugerem ainda que pessoas do sexo feminino estão sofrendo mais com a doença. Na primeira amostragem, dos casos positivos para Covid-19, nove eram femininos e dois masculinos. Na segunda etapa, foram 25 femininos para 15 masculinos.

De acordo com os dados tabulados pela equipe da Unesc, entre 20 e 24 de abril de 2020, 36,4% dos infectados com o vírus tinham entre 25 e 34 anos. Já os testes aplicados entre 5 e 8 de maio apontaram a faixa etária de 45 a 59 anos como o grupo com mais casos positivos: 32,5%.

Milena Nandi – Agência de Comunicação da Unesc  

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

26 de maio de 2020 às 16:59
Compartilhar Comente

Deixe um comentário

Ouça o que está escrito