Coronavírus

Profissionais de saúde da Unesc recebem protetores faciais para atuar frente à pandemia

Profissionais de saúde da Unesc recebem protetores faciais para atuar frente à pandemia
Clínicas Integradas da Universidade é o sétimo local atendido pelo projeto (Foto: Divulgação) Mais imagens

Os profissionais de saúde da Unesc receberam, nesta segunda-feira (27/4), novas ferramentas de proteção para atuar no combate à pandemia. São protetores faciais, produzidos por profissionais da Universidade no Iparque (Parque Científico e Tecnológico). A entrega foi realizada nas Clínicas Integradas, o sétimo local atendido pela iniciativa. 

Segundo o professor, pesquisador e coordenador do projeto, Felipe Zanette, a projeção é que até 800 equipamentos sejam entregues nas próximas semanas. “Tínhamos o objetivo inicial de atender apenas a Unesc. Porém, o projeto foi sendo expandido e até o momento realizamos a entrega de 479 protetores, interna e externamente”, conta Zanette.  

A coordenadora das Clínicas Integradas, Mágada Tessmann, explica que os equipamentos serão distribuídos para todos os colaboradores presentes, agregando ao conjunto de proteção já utilizado no dia a dia. “Todos que atendem nas Clínicas vão receber uma unidade. O protetor funciona como um escudo, protegendo toda a face do usuário. Além do item, avental, luvas e outros EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) já fazem parte do figurino de nossos profissionais”, afirma.

Confira as instituições beneficiadas

  • SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) - cinco unidades;
  • Hospital Nossa Senhora da Conceição, de Urussanga - 24 unidades;
  • Hospital Santa Catarina, de Criciúma - 40 unidades;
  • Centac (Central de Atendimento ao Estudantes), na Unesc -  20 unidades;
  • Hospital São Donato, de Içara - 30 unidade ;
  • Hospital São José, de Criciúma - 300 unidades,
  • Clínicas integradas da Unesc - 60 unidades.  


Projeto em constante evolução 


O protetor facial foi desenvolvido e produzido com a colaboração de professores, funcionários e pesquisadores da Universidade no IDT (Instituto de Engenharia e Tecnologia), que inclui laboratórios de Design, Simulação de Modelos, Metrologia, Processamento de polímeros, usinagem e outros espaços de trabalho, localizados no Iparque (Parque Científico e Tecnológico).

Caracterizado com um formato simples, o produto tem grande eficiência para isolamento do usuário, proporcionando uma experiência segura e confortável. Sua forma também garante confiança após o uso. O profissional terá facilidade ao higienizar seu equipamento. 

“O objetivo atual é a implementação de melhorias no processo de fabricação e também no produto final. Buscamos atingir um produto de excelência, com baixo custo de implementação e produção, sendo uma solução pontual às necessidades da sociedade”, frisa Zanette.

A evolução do projeto fica evidenciada no tempo de produção atual, que de três horas foi reduzido para 15 minutos, oportunizando atender com mais eficiência as demandas da região. 


Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

27 de abril de 2020 às 18:38
Compartilhar Comente

Deixe um comentário

Ouça o que está escrito