Coronavírus

Saúde emocional dos acadêmicos em tempo de pandemia é debatido em evento do Programa Acolher

Saúde emocional dos acadêmicos em tempo de pandemia é debatido em evento do Programa Acolher
Evento foi realizado em comemoração ao Dia do Estudante( Fotos: Décio Batista ) Mais imagens

A Unesc está sempre preocupada com a segurança e com a qualidade de vida da comunidade acadêmica. Por isso, na noite desta terça-feira (10/8), realizou um importante debate sobre saúde mental durante a pandemia. O evento realizado pelo Programa Acolher, foi alusivo ao Dia do Estudante (11/8) e ocorreu de forma híbrida, contando com a participação de gestores universitários, professores e profissionais da área de saúde e representação estudantil. 

Com o tema: “Como é ser estudante em tempos de pandemia para você?", o evento debateu as condições dos discentes em tempo de Covid-19 e o que este momento vivido pode estar provocando nos acadêmicos.

Muitos assuntos foram abordados, entre eles o processo de luto, relações sociais, estresse, ansiedade e convívio familiar. O debate virtual, mediado pelo psicólogo clínico e coordenador do Acolher, Zolnei Vargas de Córdova, teve a participação da reitora da Unesc e idealizadora do Programa Acolher, Luciane Bisognin Ceretta; da psicóloga especialista em Psicologia Cognitiva Comportamental e Gestão Estratégica de Pessoas, Rosimeri Vieira; da psicóloga clínica do Programa Acolher, Jalila Musa Rahman; das psicólogas e residentes do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da Unesc, Beatriz Dieke Moreira e Lauriane Pizzoni e do presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Douglas Leffa.

A reitora, Luciane Bisognin Ceretta, aproveitou a oportunidade para refletir sobre o cuidado à saúde emocional  dos estudantes, professores e  dos colaboradores. “Sou muito sensível a este tema. Recebo confissões de muitas pessoas sobre o seu estado emocional e devido a isto, surgiu a necessidade da implantação de um programa voltado para atender esta demanda.  É importante colocar que esse cenário de constante mudança é anterior a vida academia. É  um quadro de muitas transformações pelas quais os nossos estudantes passam em áreas das suas vivências. Somam-se aí  a ansiedade  pela vida acadêmica, novas rotinas e novos compromissos. Se estas alterações já não bastassem, ainda vem uma pandemia para impor várias regras, necessárias, para a sua vida. E nós gestores universitários temos que dar atenção e tratar a saúde mental e emocional dos nossos acadêmicos”, avaliou.

O coordenador do programa Acolher, Zolnei Vargas de Córdova, explicou o motivo da escolha do tema da noite. “Nosso objetivo foi  de compreender que passamos por um período de isolamento social, onde fomos robotizados por essa pandemia, que nos travou a sermos o que nós éramos, a pensarmos como deveríamos pensar. A partir daí fomos estruturando vários pontos sobre a nossa existência e caminhos que precisávamos dar sobre as nossas vidas. Dentro dos atendimentos individuais e do processo psicoterápico, surgiram alguns eixos importantes para nossa discussão como: isolamentos social, convívio familiar e o emaranhamento dentro da família,  o estresse e a ansiedade, as condições das relações sociais, bem como o processo de luto dentro de olhar da Psicologia”, esclareceu o professor. 

Segundo o representante estudantil, ele não imaginava as proporções que a pandemia iria tomar no país. “No início da pandemia, não acreditávamos na sua força. Criamos expectativas para o fim do caos e nada, aí começou a nossa frustração. Depois surgiu o processo de luto, a ansiedade, junto com o não saber o que fazer amanhã. Então esse momento afetou demais a todos nós estudantes, mas acredito que hoje estamos todos melhores, graças ao programa que auxiliou vários alunos da Universidade” relatou o Leffa.

Programa Acolher

O Acolher é um programa criado com foco na saúde mental dos estudantes da Unesc e que durante a pandemia passou também a acolher pessoas de toda a comunidade. O Programa completou 1 ano de vida em outubro de 2020 e ano passado, junto com o SOS Covid-19, realizou atendimentos a toda a comunidade do Sul e Extremo Sul catarinense. Durante os 12 meses de 2020, os profissionais do Acolher atenderam mais de 2.200 pessoas. Os atendimentos podem ser agendados pelo email: acolher@unesc.net ou pelo telefone 3431.2506 no horário comercial.

O evento poderá ser assistido ou revisto através do canal da Unesc TV  no YouTube, clicando aqui 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

11 de agosto de 2021 às 21:35
Compartilhar Comente

Sala de Situação Unesc lança e-book para ensinar crianças sobre os cuidados com o coronavírus

Sala de Situação Unesc lança e-book para ensinar crianças sobre os cuidados com o coronavírus
Material "Vamos aprender a derrotar o Novo Coronavírus?" será distribuído de forma gratuita para o Colégio Unesc e escolas públicas de toda a região (Fotos: Mayara Cardoso /Reprodução) Mais imagens

Um material lúdico formulado para explicar sobre o coronavírus e os cuidados contra ele com linguagem voltada especialmente ao público infantil. Assim é o e-book "Vamos aprender a derrotar o Novo Coronavírus?" lançado oficialmente nesta quarta-feira (7/10) pela Sala de Situação Covid-19 da Unesc. O material servirá como base para o trabalho de conscientização com os alunos do Colégio Unesc e crianças de todo o ensino público na região Sul.

O lançamento do projeto foi realizado de forma virtual com a presença de representantes da Sala de Situação Covid-19, além de professoras e diretoria do Colégio Unesc. Conforme um dos coordenadores da Sala, Rafael Amaral, a ideia de montar um material de instrução quando ao combate à Covid com foco no ensino para crianças já estava entre os propósitos da equipe, que conseguiu concretizar o desejo e lançar um e-book desenvolvido sob diversas mãos.

“Tivemos a participação de toda a equipe que atua na Sala de Situação empenhada para fornecer um material de excelência para o Colégio Unesc e, como Universidade Comunitária que somos, multiplicar esse conhecimento oferecendo o e-book também para as escolas públicas de toda a região Sul do Estado”, comentou.

A apresentação do material final ficou sob responsabilidade da residente da Unesc, Micaela Rabelo Quadra, integrante da equipe que pôde explicar a escolha dos personagens e a narrativa escolhida para a história desenvolvida pela equipe. “Esperamos que seja efetivo, que contribua com o trabalho que vocês vêm fazendo no dia a dia com as crianças”, acrescentou.

Para a diretora do Colégio Unesc, Giselle dos Passos Vieira, é uma honra receber um material de tamanha riqueza e credibilidade produzido dentro da própria Universidade. “Para nós é muito gratificante saber que o e-book foi pensado especialmente para os nossos pequenos. Com certeza ele será utilizado e nos auxiliará muito no processo de aprendizagem. Tudo o que conseguirmos trabalhar com as crianças nessa idade vai ficar para a vida toda delas”, destacou.

Conforme a diretora, o material lúdico será importante para o trabalho voltado não só as crianças, mas também para as suas famílias. “Ao apresentarmos de uma forma adequada, os pequenos vão entendendo a situação de uma forma muito mais tranquila. O conhecimento é o que vai transformando e desmistificando algumas questões”, acrescentou.

Ao acompanhar a apresentação, a professora Ana Karen Rosado também agradeceu o empenho dos residentes e professores engajados em compartilhar conhecimentos tão importantes em tempo de pandemia. “Ficou lindo o material, além de didático e criativo. Essa parceria deve se fortalecer cada vez mais”, salientou.

Os interessados em receber o material podem entrar em contato pelo e-mail saladesituacao@unesc.net.

Mayara Cardoso - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

07 de outubro de 2020 às 19:19
Compartilhar Comente

Unesc aposta no conhecimento para garantir a segurança no campus e a excelência nas aulas

Unesc aposta no conhecimento para garantir a segurança no campus e a excelência nas aulas
Mais de cem monitores foram capacitados para questões de biossegurança e tecnologia (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

A Unesc segue atuando para proporcionar um retorno seguro e assertivo no segundo semestre de 2020. Nesta quinta-feira (17/9) mais de cem monitores passaram por  capacitação, respeitando a capacidade pandêmica das salas, ministrada por equipes do DDH (Departamento de Desenvolvimento Humano), DTI (Departamento de Tecnologia da Informação), Diretoria de Ensino de Graduação, Assessoria Pedagógica Universitária e Reitoria. “A Universidade tem mobilizado sua expertise em nome da vida. Esta importante ação possibilitará a preservação da saúde das pessoas e a excelência no desenvolvimento das aulas híbridas deste semestre”, evidenciou a reitora, Luciane Bisognin Ceretta.



O momento, conforme o diretor de Ensino de Graduação, Marcelo Feldhaus, faz parte da organização da Universidade para a retomada gradual das atividades práticas, quando as condições sanitárias possibilitarem. A proposta é entregar uma equipe capacitada para auxiliar os professores e as equipes da Instituição. “Como principal premissa, a Universidade tem a valorização da vida como uma de suas centralidades em todo este tempo de afastamento social. Estes monitores estarão distribuídos em todo o campus, cuidando da aferição de temperatura, controlando o acesso aos blocos, mantendo o distanciamento e proporcionando o suporte ao processo de adaptação tecnológica”, explicou. 

Em um ambiente preparado para receber o encontro, a troca de conhecimentos teve teoria e prática, oportunizando o domínio completo dos equipamentos e dos procedimentos de biossegurança. “Os monitores estarão atuando a partir do dia 21. Teremos a presença destas equipes nos três períodos, manhã, tarde e noite. Hoje eles também estão conhecendo o perfil do profissional da Unesc, os métodos e processos de biossegurança e a tecnologia implantada na Instituição”, contou a assessora da Gestão do Campus, Elisangela Machado.

A estudante de Arquitetura e Urbanismo Andressa Flores atua no Setor de Arte e Cultura. Ela foi convidada para desempenhar o papel de monitora e não pensou duas vezes antes de aceitar. “Vivemos um desafio. Acredito que a função desta equipe será de grande importância. Quando recebi a ligação não tive dúvidas em aceitar. Sei da importância deste papel diante do que vivemos”, destacou. 

O DDH foi responsável pelo recrutamento para a função. A coordenadora do setor, Mariléia Maciel, destacou a necessidade de uma busca por pessoas engajadas para contribuir.  “É um novo momento na Universidade. Existe uma grande importância neste processo, que exige engajamento, comprometimento e pró-atividade para um só objetivo”, afirmou. 

Procedimentos para uma retomada segura 

O segundo semestre iniciou em 2 de setembro. Como preparação, a Universidade investiu em equipamentos e treinamentos sobre biossegurança para professores e colaboradores. Para garantir a excelência nas aulas, o modelo híbrido ganhou ainda mais destaque. Neste formato, o professor estará no campus e suas explicações serão transmitidas em tempo real. Os acadêmicos que tiverem interesse em participar das aulas presencialmente poderão fazer participando de um rodízio de quando a matriz de risco permitir, no momento temos autorização apenas para presencialidade em atividades práticas e estágios. Todas as condições ocorrerão de acordo com as condições pandêmicas. 

As aulas transmitidas continuarão sendo gravadas. Para atender da melhor maneira aos estudantes de todos os cursos, a Unesc equipou os espaços formativos com câmera, áudio, vídeo e microfone de lapela (individual para cada professor). Das 250 salas, 145 terão dois equipamentos de data show (para a ampliar a interação do professor com os estudantes que estiverem presencialmente e os que acompanharão de modo remoto pelo Google Meet), quadro adaptado para melhorar a captação pela câmera, iluminação adaptada para melhor qualidade na captação e transmissão das imagens.



Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

17 de setembro de 2020 às 17:16
Compartilhar Comente

Unesc apresenta modelo inovador e seguro de respirador mecânico para o enfrentamento da Covid-19

Unesc apresenta modelo inovador e seguro de respirador mecânico para o enfrentamento da Covid-19
Protótipo já tem potencial para ser reproduzido e utilizado em hospitais (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Pesquisadores da Unesc apresentaram, nesta terça-feira (1º/8), o primeiro projeto de respirador mecânico constituído em uma instituição de ensino do Sul catarinense capaz de ser funcional e seguro para ser usado em uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). Desenvolvido no Iparque (Parque Científico e Tecnológico), por professores do curso de Engenharia Mecânica, o protótipo já tem potencial para ser entregue à sociedade como um modelo a ser reproduzido, e também pode seguir como objeto de pesquisas e aprimoramentos.

A ideia deste projeto nasceu com a chegada da pandemia. A necessidade por este equipamento ganhou proporções únicas, e como resposta a este cenário a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, buscou soluções na expertise tecnológica e na união das áreas de conhecimento da Universidade.  

Na tarde desta terça-feira, ela acompanhou a primeira demonstração da funcionalidade, e comemorou mais esta conquista.  “O protótipo do respirador é um equipamento resultante do empenho de um grupo de professores do curso de Engenharia Mecânica. Altamente avançado, e com grande sustentabilidade, demonstra as capacidades inovadora, tecnológica e científica de uma Universidade, que mesmo em tempo de forte crise sanitária se reinventa e coloca a ciência a favor da vida nas diferentes áreas do conhecimento. Esse protótipo também demonstra a importância das engenharias, principalmente a relevância de sua aplicação à saúde”, evidenciou Luciane. 

O professor doutor Adriano Bernardim coordena a iniciativa há mais de cinco meses, desde sua implantação, e conta que todas as decisões foram debatidas por um grupo de especialistas formado para entregar um produto com maior assertividade. Entre adequações, importação de peças e busca de parcerias, foi possível concluir o protótipo. “Foram várias reuniões, simulações e outras atividades, até que chegássemos a este modelo apresentado. É um projeto impressionante, principalmente diante de um desafio para a presencialidade”, destacou. 

Projeto inovador e aprovado por profissionais de saúde

Durante os primeiros passos de desenvolvimento, o professor, médico e pesquisador da Unesc, Felipe Dal Pizzol, chamou atenção para a necessidade de um respirador diferente do que já havia sido entregue às instituições de saúde. As ressalvas do profissional levaram a uma alteração do projeto, com o desenvolvimento de novas pesquisas e uma tecnologia pioneira. 



Após o estudo, construção, testes e aprovação, o respirador mecânico da Unesc é diferente dos já entregues por outras instituições de ensino. Conforme o professor doutor Mauro Eduardo Benedet, o profissional de saúde tem controle completo sobre o sistema, que conta com sensores de monitoramento e aquisição de dados para o controle via software. O modelo conta com:

- Reguladores de pressão para a entrada de ar comprimido e oxigênio;

- Controle da entrada de ar comprimido e oxigênio via software;

- Medidores de vazão para o ar comprimido e oxigênio, com leitura via software;

- Pulmão artificial que permite a simulação precisa da realidade em UTIs;

- Válvula de expiração e temporizador via software; 

- Conexões de mangueiras, válvulas de contenção e outros componentes auxiliares.

Segundo o professor doutor Fábio José De Souza, apesar de já ser considerado um modelo capaz de suprir as necessidades do paciente, ainda são esperadas melhorias no componente. Este processo será realizado com o acompanhamento de um profissional da saúde, que poderá  apontar os pontos fortes e fracos do projeto, permitindo a entrega de um produto de excelência. 

O futuro do projeto conta com a contribuição de professores do curso de Design - ênfase em desenvolvimento de produtos da Universidade. Os pesquisadores têm o papel de desenvolver a instalação final do respirador, garantindo a usabilidade e a segurança para seu deslocamento.


Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

01 de setembro de 2020 às 17:16
Compartilhar Comente

Reitoras de universidades comunitárias dialogam sobre o pós-pandemia

Reitoras de universidades comunitárias dialogam sobre o pós-pandemia
Protagonismo do evento terá Luciane Bisognin Ceretta, da Unesc; Marcia Cristina Sardá Espíndola, da Furb, e Solange Sprandel da Silva, da UnC (Foto: Arquivo Unesc) Mais imagens

Qual o futuro das universidade comunitárias no pós-pandemia? Esta é a pergunta norteará o “Colóquio APEC (Associação de Pesquisadores em Economia Catarinense)”. Evento virtual ocorre na quinta-feira (26/8), a partir das 16 horas, e tem a participação confirmada da reitoras Luciane Bisognin Ceretta, da Unesc; Marcia Cristina Sardá Espíndola, da Furb (Universidade Regional de Blumenau), e Solange Sprandel da Silva, da UnC (Universidade do Contestado).

O tema do encontro será “Educação superior na atual crise: desafios e ações em entidades comunitárias catarinenses”, e a proposta principal é ouvir a realidade de cada instituição, para entender o cenário interno, as dificuldades e perspectivas para o futuro. 

Para Luciane, o diálogo é necessário e pode trazer importantes perspectivas, refletindo em ações positivas para além das universidades. “Em meio a uma crise, a exemplo da pandemia de coronavírus, as instituições comunitárias assumem o protagonismo e lideram ações de enfrentamento à diversidade e suporte à vida.  Por isso precisam estar cada vez mais fortes. Nos últimos meses, a Unesc foi responsável por mais de 20 projetos de apoio à comunidade, e iniciativas como o Plano de Desenvolvimento Regional da Amrec (Associação dos Municípios da Região Carbonífera), identificando potencialidades e pontos de atenção para a retomada social e econômica”, evidencia.

Conforme Dimas de Oliveira Estevam, integrante da Associação e coordenador do PPGDS (Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico) da Unesc, a iniciativa busca ouvir entidades catarinenses dos mais diversos segmentos. “A APEC está realizando colóquios sobre os efeitos da crise em Santa Catarina. Desta vez, devido a importância destas instituições, o protagonismo será das universidade comunitárias, fomentando um debate que possa levar a iniciativas que auxiliem diante deste desafio”, explica.

O link para participação já está disponível. O evento será transmitido no canal de YouTube da APEC. Clique aqui.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

26 de agosto de 2020 às 14:28
Compartilhar Comente