Ir Direto ao conteúdo?

 

Unesc - Universidade do Extremo Sul Catarinense.


Contato

E-mail:
ppgds@unesc.net
Telefone:
(48) 3431.2624
Local:
Bloco da Biblioteca, sala 14
Horário:
De segunda a sexta-feira, das 08h às 12h e das 13h30 às 17h30.

Projetos de Pesquisa

Propriedade intelectual, desenvolvimento e inovação

O projeto tem as seguintes linhas de pesquisa: 1)A indicação geográfica como política pública de desenvolvimento; 2) Inovação nas organizações; 3) Propriedade intelectual, desenvolvimento e inovação na agricultura. Atualmente o Grupo vem realizando pesquisas a partir de dois projetos estruturantes: a) Perspectiva de desenvolvimento regional no Vales da Uva Goethe com a aprovação da Indicação de Procedência e; b) Prospecção de cenários futuros da cadeia produtiva do arroz na região sul de Santa Catarina. Em 2012 o grupo foi contemplado com fomento no Edital GP n°170/2011-Unesc. Ainda possui acadêmicos bolsistas com fomento PIBIC e FUMDES. Acrescenta-se a parceria com Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, desde 2012, com a Progoethe (inclusive com um dos professores do PPGDS como membro do Conselho Regulador), e IRGA no Rio Grande do Sul. A produção do Grupo nos últimos anos conta com mais de 30 publicações (entre artigos e trabalhos completos), 1 livro, 3 capítulos de livros, e mais de 20 publicações completas e resumos em Anais de eventos.

Trabalho, autonomia e organizações não lucrativas: estudos interdisciplinares no meio urbano e rural

Projeto aprovado pelo Edital GP170/2011 - Unesc. As atividades têm sido realizadas em caráter interdisciplinar com o apoio da EPAGRI. No ano de 2009 este GP foi contemplado nos Editais do PIBIC. Atualmente o GP está constituído por 3 pesquisadores/as doutores/as, 3 mestres, 1 especialista; 3 acadêmicos/as bolsistas de pesquisa e 4 acadêmicos/as bolsistas de extensão. Acrescenta-se a parceria com EPAGRI, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina em 2011. A produção do grupo no último triênio (2009-2011) conta com mais de 30 publicações (entre artigos e trabalhos completos), 01(um) livro, 3 capítulos de livros, além da publicação do livro Economia Solidária: Ações e Perspectivas no Sul Catarinense, com data de lançamento prevista para o segundo semestre de 2013.

Atividades pesqueiras e carcinicultura no complexo lagunar do sul de Santa Catarina: cadeia produtiva, expansão da renda e desenvolvimento regional

Financiado Edital CNPq/MPA - N º 42/2012, iniciado em abril de 2013, o projeto tem como objetivo geral estudar e analisar as atividades pesqueiras e a carcinicultura no complexo lagunar do sul catarinense, focalizando na formação da sua cadeia produtiva, no porto pesqueiro, na expansão da renda e seus efeitos na promoção do desenvolvimento regional sustentável. Entre os objetivos específicos podemos destacar: 1.Estudar os impactos promovidos pela formação, desmonte das atividades de carcinicultura no interior lagunar do município de Laguna; 2.Estudar as tentativas recentes de retomada do cultivo de camarão na região de Laguna como uma nova tentativa de consolidar o setor; 3.Pesquisar sobre a relação entre o porto pesqueiro de Laguna e a indústria de pesca local. 4.Analisar e comparar a trajetória recente do porto de Laguna após as obras de melhoramentos; 5.Identificar as atividades produtivas e comerciais que fazem parte da cadeia produtiva da pesca nas cidades de Laguna, Araranguá e Passo de Torres; 6.Pesquisar sobre as deficiências comerciais e produtivas presentes na cadeia produtiva dos pescados e do camarão na indústria de Laguna; 7.Analisar os resultados e impactos das políticas públicas sobre a expansão da renda local; 8.Pesquisar a relação entre a pesca artesanal, semiartesanal e industrial, destacando seus conflitos e convergências.

As associações auxiliares da escola e a cultura escolar: prescrevendo condutas e ensinando conhecimentos

Projeto financiado pelo Edital Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas CNPq/CAPES Nº 18/2012. O objetivo do projeto é compreender que comportamentos eram prescritos e que conhecimentos eram ensinados nas Associações Auxiliares da Escola no momento posterior ao Estado Novo, junto aos alunos e alunas, a partir dos acervos das escolas estaduais mais antigas do extremo sul catarinense disponíveis no Centro de Memória da Educação do Sul de Santa Catarina CEMESSC.

Ocupação e integração entre litoral e planalto catarinense na Primeira República

Financiado pelo Edital CNPq Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas 02/2010, Edital CNPq Universal 14/2010 e Edital FAPESC Universal 07/2009. O projeto se desdobra em dois objetivos. O primeiro é estudar a articulação comercial e a integração produtiva do planalto serrano na formação econômica de Santa Catarina, destacando três aspectos: vias de comunicação (final do século XVIII e início do XIX), fluxo mercantil (tropeirismo e pecuária) (1900 a 1940) e complexo madeireiro (1940 a 1970). a) Vias de comunicações: abertura e melhoramentos dos caminhos que ligam Lages a Desterro (Florianópolis, atual BR-282) e ao litoral sul (atual SC-438 e SC-436), ao planalto norte (antiga Estrada da Mata, atual BR-116) e ao Vale do Itajaí (atual BR-470). Foram caminhos abertos no final do século XVIII e melhorados ao longo do XIX. b) Fluxo mercantil das atividades tropeiras e pecuaristas nas primeiras décadas do século XX: destacaremos o intenso comércio que havia entre o pessoal de cima da serra com as vendas e os colonos no litoral sul catarinense. c) Complexo madeireiro de 1940 a 1970: buscaremos compreender como rapidamente se estruturaram e se desmontaram parcialmente as atividades madeireiras a partir da vinda de empresas de outros Estados e do capital local. O segundo objetivo é identificar os grupos, as forças ou famílias que dominavam e disputavam o poder político das cidades de Laguna, Florianópolis e Lages, procurando perceber os projetos de desenvolvimento de cada grupo político, perceber mudanças e permanências que foram se processando durante a Primeira República nas disputas pelo poder político.

Ciência & tecnologia e desenvolvimento desigual no Brasil no século XXI

Financiado pelo CNPq. Do ponto de vista espacial, o tema abarca o território brasileiro. Esse território se modifica ao longo do tempo, culminando num espaço heterogêneo, marcado por crescentes disparidades inter-regionais. Do ponto de vista temporal, o tema abarca o período pós-ditadura, ou seja, de meados dos anos 1980 em diante, com ênfase na fase que vai do governo Collor até o segundo governo Lula. O principal objetivo da pesquisa é examinar a relação entre desenvolvimento científico e tecnológico e desenvolvimento sócio-territorial no Brasil no período recente.

Universidade do Extremo Sul Catarinense.