Ir Direto ao conteúdo?

Unesc - Universidade do Extremo Sul Catarinense.


Egressos

O acompanhamento de egressos/as dos Programas de Pós-Graduação é uma ferramenta fundamental que os cursos possuem para avaliar os efeitos da formação, qualificação e contribuição de profissionais para o desenvolvimento socioeconômico regional e nacional. Contudo, existe uma grande dificuldade no acompanhamento profissional e acadêmico de egressos/as. Um dos principais problemas está na extração e análise da grande quantidade de dados individuais, geralmente disponibilizados na plataforma Lattes e que, nem sempre, são atualizados. Neste contexto, os programas de pós-graduação têm o desafio de criar mecanismos contínuos de acompanhamento de discentes e egressos/as, que permitam o acesso a informações sobre suas trajetórias profissionais.

Identificada a dificuldade de acesso a informações completas, o Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico (PPGDS) da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC) criou um instrumento de avaliação próprio, que permite subsidiar o programa com indicadores que possibilitem a adequação e aperfeiçoamento dos cursos de mestrado e doutorado. Este instrumento, além de possibilitar a avaliação das práticas acadêmicas do PPGDS, também, tem por objetivo atender os critérios de mais amplos de avaliação estabelecidos pela CAPES, no que diz respeito à atuação profissional e acadêmica dos/as egressos/as de cursos de pós-graduação.

A fim de acompanhar a atuação profissional e acadêmica dos/as egressos/as do PPGDS, no quarto trimestre do ano de 2019, foi elaborado e disponibilizado, via online, o link de um questionário aos 84 egressos/as de curso de mestrado. Este instrumento é composto por questões específicas sobre a carreira profissional, a continuidade da formação acadêmica, a participação em eventos científicos e a produção bibliográfica.

No início do ano de 2020, foram recebidos 67 questionários preenchidos, o que representou 79,8% dos/as egressos/as. Do total de respondentes, 49,3% se encontrava na faixa etária de 31 a 40 anos, 22,4% tinha entre 21 a 30 anos, 17,9% entre 41 e 50 anos, enquanto 10,4% com mais de 50 anos. Esse resultado demonstra que o PPGDS abarca o processo formativo de boa parte grupo etário que compõe a chamada População Economicamente Ativa (PEA). Com relação ao ano de formação, 20 (29,9 %) egressos/as receberam o grau de mestre/a em 2016; 11 (16,4 %) em 2017; 23 (34,3 %) em 2018; 13 (19,4 %) em 2019.

Destacamos que do total de respondentes, 49 (73,1 %) egressos/as exerciam alguma atividade profissional no momento da titulação de mestres/as, e destes, 18 (36,7%) relataram ter ascendido profissionalmente dentro da instituição logo após titulação. Com relação à média salarial, dos 49 egressos/as que trabalhavam no momento da titulação, 24 (49%) recebiam salários entre R$ 3.748,01 a R$ 9.370,00; 10 (20,45) tinham remunerações que variavam entre R$ 9.370,01 a R$ 18.740,00, 7 (14,3%) recebiam salários entre R$ 1.874,01 a R$ 3.748,00; 5 (10,2%) recebiam salários superiores a R$ 18.740,00; e por fim, 3 (6,1%) relataram receber até R$ 1.874,00.

Ainda, é importante destacar que 40,3% dos/as egressos/as respondentes relataram ter recebido ofertas de trabalho após a titulação de mestres/as. Do total de 27 (40,3%), que relataram ter recebido novas propostas de trabalho após a titulação, 18 (66,7%) vincularam ao setor da educação. Esse resultado se alinha a um dos objetivos finais de um Programa de Pós-Graduação Acadêmico, que é formar e qualificar profissionais para a atuação no ensino superior e nas áreas de pesquisa. Em 70,4% do total das ofertas de trabalho, o salário oferecido variou de R$ 1.874,00 a R$ 9.370,00, sendo ofertados salários acima de R$ 9.370,00 para 18,5% dos/as egressos/as. Salientamos ainda que atualmente o índice de empregabilidade dos respondentes é de 80,6%, o que demonstra o potencial do programa na qualificação, permanência e inserção no mercado de trabalho.

No momento da titulação de mestre/a, 29 (44,3%) exerciam atividade docente. Destes, 75,9% relataram trabalhar no ensino superior de graduação, 44,8% em ensino superior de pós-graduação lato-sensu/MBA, 6,9% em ensino técnico e 3,4% na educação básica. Também, a partir da titulação como mestres/as, 37,9% responderam ter mudado de posição ou ocupado novas funções nas instituições de ensino as quais estavam vinculados/as. Do total de 17 que responderam esta questão, apenas, 4 alegaram que a mudança na instituição não estava associada à titulação. No que tange ao setor de ensino, atualmente, 41 (61,2%) dos/as egressos/as responderam trabalhar como docentes e, se comparado com os números anteriores, percebemos que a docência, como área de atuação, teve incremento de 17,9%, ou seja, a formação recebida no PPGDS possibilitou a inserção de novos profissionais em instituições de ensino, sobretudo, de ensino superior.

Ainda, dos 67 egressos/as que responderam ao questionário de acompanhamento, 16 (23,9 %) ingressaram em programas de pós-graduação para cursar o doutorado. Do total, 13 ingressaram em PPGs da própria Universidade do Extremo Sul Catarinense, 12 no Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Socioeconômico (PPGDS) e um no Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais (PPGCA). Os/as egressos/as, também, vincularam-se a Programas de Pós-graduação em outras instituições de ensino, como no Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), no Doutorado em Administração (PPGADM) da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), Doutorado em Projetos da Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER). É importante mencionar que 82,8 % dos/as egressos/as informaram que pretendem cursar doutorado no futuro.

No campo da produção de conhecimento, os/as egressos/as do programa se mostraram produtivos nos últimos anos. Foi informado por eles/as a publicação de 39 artigos em periódicos; 27 capítulos de livros ou livros e 35 trabalhos publicados em anais de eventos. É importante mencionar que 29,8 % desta produção contou com a colaboração de ex-colegas e 75,4 % com a colaboração dos/as ex-orientadores/as.

Atualmente, 80,6 % estão exercendo atividades profissionais vinculados a alguma instituição: 45,9 % estão exercendo atividades de educação, 12,2 % em serviços para empresas, 6,8 % com serviços financeiros, 2,7 % em manufaturas industriais, 5,4 % com advocacia, 5,4 % com mídia e meios de comunicação, 4,1 % construção e mercado imobiliário, 4,1 % consultor (áreas diversas), 2,7 % em serviço público, 2,7 % nas áreas de energia, mineração e saneamento, 2,7 % no setor de automóveis, 1,4 % prestação de serviço para gestão pública, 1,4 % representante comercial, 1,4 % administração e marketing, e 1,4 % no agronegócio. É importante destacar que, apesar de 54 egressos/as estarem ativos/as no mercado de trabalho, recebemos 74 respostas das atividades que exercem, o que significa que, em alguns casos, exercem mais de uma atividade e em diferentes áreas. Isto também pode estar associado ao caráter interdisciplinar do PPGDS e da formação dos mesmos. A média salarial atual dos/as egressos/as do PPGDS varia de menos de R$ 1.874,00 a mais de R$ 18.740,00; sendo que 48,1 % recebem salários entre R$ 3.748,01 a R$ 9.370,00, 22,2 % entre R$ 1.874,01 a R$ 3.748,00 e 18,5 % recebem salários entre R$ 9.370,01 a R$ 18.740,00.

A docência é a principal atividade profissional realizada pelos/as egressos/as do mestrado do PPGDS da UNESC, atualmente 61,2 dos 67 que responderam o questionário atuam como docentes. Destes, 80,5 % estão atuando no ensino superior de graduação, 39 % atuam no ensino superior de pós-graduação lato-sensu, 7,3 % no ensino técnico, 2,4 % atuam no ensino médio integrado (médio e técnico) e 2,4 % atua no ensino fundamental anos finais. As instituições de ensino que estes profissionais atuam são comunitárias em 58,5%, privadas em 39%, pública estadual em 4,9 % e pública municipal em 2,4 %. As instituições de ensino superior onde atuam são: a Universidade do Extremos Sul Catarinense, com 15 egressos/as vinculados, seguido pelo Centro Universitário Barriga Verde (UNIBAVE), com nove, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), com seis, Faculdade Esucri, com cinco e Faculdade do Vale do Araranguá (FVA), com quatro. Além destas instituições de ensino, outras apresentam apenas um/a egresso/a do PPGDS vinculado, sendo elas: Universidade do Sul Catarinense (UNISUL), Centro Universitário Brasil (UNIBRA), Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Centro Educacional Professor Abilio Paulo (CEDUP) e Escolas Municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental (EMEIEF).

A análise dos questionários demonstraram uma significativa inserção no mercado de trabalho, sobretudo, no campo da educação. Também, podemos destacar a inserção de mestres/as em diferentes áreas de atuação, o que vai ao encontro do caráter interdisciplinar do PPGDS. Os rendimentos salariais recebidos foram indicadores importantes de qualificação dos rendimentos pessoais. Estes resultados serão de suma importância para a gestão, planejamento estratégico e aperfeiçoamento das práticas acadêmicas do PPGDS.

Turma 2014
Adriane Bandeira RodriguesLattes
Alessandro CruzettaLattes
Ana Cláudia FigueiredoLattes
Ana Laura CrispimLattes
Ana Paula Silva dos SantosLattes
André Pais TopanottiLattes
Everaldo Silva de OliveiraLattes
Fábia Alberton da Silva GalvaneLattes
Fábio VisintinLattes
Fernanda Zanette de OliveiraLattes
Gabriele Dutra Bernardes OngarattoLattes
Gilvan Felipe Teixeira de FrançaLattes
Juliana PaganiniLattes
Juliane Possamai GonçalvesLattes
Júlio César de Farias ZilliLattes
Leonel Luiz PereiraLattes
Luiz Cláudio de FreitasLattes
Luiz Orencio FigueredoLattes
Raquel de Souza FelícioLattes
Ricardo Alves ColonettiLattes
Rosana Alves ManentiLattes
Wilciney José VillanLattes
Turma 2015
Abel Corrêa de SouzaLattes
Bruna Baggio CrocettaLattes
Carla Spillere BusarelloLattes
Carolina BizLattes
Fabiane Maciel FabrisLattes
Fabrizio GuinzaniLattes
Fernando Marcos GarciaLattes
Henrique Rabello SerafimLattes
Janaína Damásio VitórioLattes
Janir de Quadra PaimLattes
Joelcy José Sá LanzariniLattes
José Luiz PossolliLattes
Liara Darabás RonçaniLattes
Mário Nazzari WestrupLattes
Michele Domingos SchneiderLattes
Patrícia dos Santos BonfanteLattes
Tiago Comin ColomboLattes
Tiago da Silva SoaresLattes
Valtencir PachecoLattes
Turma 2016
Andreza da CruzLattes
Berto VarmelingLattes
Camila Bueno AlfredoLattes
Daniela Arnold MaderLattes
Dourival GiassiLattes
Débora VolpatoLattes
Fabricio Trevisol BordignonLattes
Gabriela Rech SalibLattes
Gilvani Mazzucco JungLattes
Giovani Gamba PaganiLattes
Ismael de CórdovaLattes
Jaqueline Bitencourt LopesLattes
João Carlos Medeiros Rodrigues JuniorLattes
João Vânio Mendonça CardosoLattes
Karoline Brasil de Oliveira EzequielLattes
Keli dos Santos De Aguiar FigueiredoLattes
Letícia de Souza Zanini Bez BattiLattes
Marcio José CabralLattes
Maria Helena Souza Lattes
Mário Sérgio BortolattoLattes
Maristela Quartiero de FaveriLattes
Marjorry Calumby Gomes da Silva Lattes
Nicole Victor GomesLattes
Pedro Antonio CrocettaLattes
Renise Terezinha Mellilo ZaniboniLattes
Sérgio Mendonça da SilvaLattes
Simone Regina dos Reis NunesLattes
Thaíse Arnold PolicarpoLattes
Vandreça Vigarani DorregãoLattes
Turma 2017
André Alves dos SantosLattes
André Scholl de AlmeidaLattes
Camila Machado BardiniLattes
Eduardo Netto ZanetteLattes
Flávio SchklimannLattes
Guilherme Spiazzi dos SantosLattes
Igor George Borges DrudiLattes
Igor Martello OlssonLattes
Lais Trajano AlvesLattes
Leandro Alfredo da RosaLattes
Lucas Lima PereiraLattes
Marcos DalmoroLattes
Mariana da Rosa WestrupLattes
Meline Vitali DuminelliLattes
Turma 2018
Anderson Correa BenfattoLattes
Carina Nunes Lattes
Davi Gonçalves GiassiLattes
Eliane Vanildo da SilvaLattes
Érico Souza CostaLattes
Gabriel Crozetta MazonLattes
Luan Philippi MachadoLattes
Luiz Messias de Souza Neto Lattes
Maria Izanete da Rosa MartinsLattes
Max Richard Coelho VerginioLattes
Nathália Pereira CabralLattes
Suzane GrimmLattes
Tamara Sarate BobsinLattes

Universidade do Extremo Sul Catarinense.