Iparque

Ciências, engenharias e tecnologias no enfrentamento ao coronavírus

Ciências, engenharias e tecnologias no enfrentamento ao coronavírus
Pesquisadores têm oferecido ferramentas e soluções ao longo da crise, que muitas vezes acabam não sendo percebidas (Imagem: ArquivoUnesc) Mais imagens

Por trás do enfrentamento à pandemia de Covid - 19, as ciências, engenharias e tecnologias se colocam como importantes e silenciosas aliadas da área da saúde, e por muitas vezes assumem o protagonismo para salvar vidas. Atuando no dia a dia de um hospital, no transporte público, nas instituições de ensino e no comércio, os produtos destas áreas do conhecimento muitas vezes passam despercebidos, mas estão lá: respiradores nas UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo), mecanismos para higienização de ambientes, tratamento de resíduos e estratégias de distanciamento social são alguns exemplos.

Segundo o diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da Unesc, Oscar Montedo, em meio a pandemia a importância destes profissionais pode ser percebida em diversos aspectos para combater o coronavírus. Na última semana, pesquisadores da Universidade entregaram a profissionais e estudantes de Odontologia um Equipamento de Proteção Odontológica com custo seis vezes menor do que os comercializados. “Podemos exemplificar este grande valor ao abordar o papel da área tecnológica, de disponibilizar meios, processos e equipamentos para o desempenho de uma atuação assertiva de profissionais de outras áreas do conhecimento. Após se analisar necessidade, neste momento muitas vezes apresentada por um profissional da área de saúde, o colaborador da área tecnológica estuda, desenvolve e implementa a solução mais adequada”, destaca Oscar.



Além da questão de valores, outros aspectos podem ser percebidos. O desenvolvimento de medicamentos e testes recebem grandes contribuições da Engenharia Química. Os softwares de análise e controle dos casos, sensores e respiradores mecânicos são entregues por profissionais de Ciência da Computação e Engenharia Mecânica.

Todos estes processos recebem o auxílio dos profissionais da Engenharia de Produção, que potencializam organizações e produções. Atuando de forma mais ampla, o profissional da Engenharia de Materiais realiza a fabricação e controle das ferramentas utilizadas nas mais variadas aplicações, como EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), itens básicos presentes nos hospitais, como gazes e seringas, e outros produtos relacionados às outras engenharias. “São áreas do conhecimento que se conectam. A atividade das engenharias, do Design, da Arquitetura, das ciências, enfim, da área tecnológica, se faz presente em tudo o que vemos: em uma construção, nos mais variados materiais e desenho de produtos, nos softwares, nos combustíveis, nas máquinas, em uma estrada, no tratamento de resíduos e outros lugares”, enfatiza Oscar.

Prevenção também é foco de atuação

Ao analisar as ações destas três áreas do conhecimento, destaca-se as contribuições para o enfrentamento do vírus. Porém, as ciências, engenharias e tecnologias também têm papel fundamental para a prevenção. Exames para detectar o coronavírus, pesquisas para a formulação de reagentes capazes de destruir o vírus no ar, álcool em gel e muitas outras ferramentas contam com o trabalho destes profissionais.

Na Unesc, o Projeto de Desenvolvimento e Produção de Protetores Faciais tem distribuído equipamentos gratuitamente aos profissionais das Clínicas Integradas da Universidade e em instituições de saúde da região. Até o momento, mais de 1.500 unidades já foram entregues.

Também em evidência, a Universidade concluiu em abril o primeiro projeto de higienização por ozônio para o combate da pandemia de Covid-19 do Sul do Brasil. A concretização da iniciativa foi simbolizada com a entrega do primeiro túnel de higienização por ozônio, localizado no Centro de Triagem do bairro Boa Vista.



Os equipamentos foram disponibilizados ao poder público de municípios do Sul de Santa Catarina, contribuindo para a segurança de profissionais de saúde em hospitais e centros de triagem. Com grande capacidade de desinfecção, 100 vezes mais potente do que o cloro e agindo até 3.120 vezes mais rápido, o ozônio pode zerar a contaminação de uma sala em cinco minutos.

Ao todo, a Universidade conta com mais de 20 projetos para combater a pandemia. Em grande parte, estas iniciativas são desenvolvidas por professores, funcionários e pesquisadores dos cursos das engenharias de Materiais, Mecânica, de Produção e Química; do Design – com ênfase em projeto de produtos, e de Ciências da Computação. O conhecimento toma forma no IDT (Instituto de Engenharia e Tecnologia), localizado em anexo ao Iparque (Parque Científico e Tecnológico) e conta em sua estrutura com laboratórios de Simulação de Modelos, Metrologia, Processamento de polímeros, usinagem e outros espaços de trabalho.

Matrículas abertas

Dentro deste universo das ciências, engenharias e tecnologias, a Unesc oferece uma formação de excelência, em uma Universidade avaliada com nota máxima pelo MEC (Ministério da Educação). Para viver esta experiência, as matrículas para o segundo semestre já estão abertas na Unesc, por meio do Ingresso sem vestibular.

As matrículas podem ser feitas por meio do contato com o Setor Comercial, no WhatsApp (48) 9 99150433 ou telefone (48) 3431-2500.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

10 de julho de 2020 às 13:54
Compartilhar Comente

Deixe um comentário

Ouça o que está escrito