Departamento de Desenvolvimento Humano

Capacitação em primeiros socorros

Colaboradores da Unesc participaram nesta quarta-feira (15/8) da capacitação “Primeiros Socorros”, ministrada pela enfermeira Maristela Prá.

Segundo a enfermeira, os primeiros socorros básicos referem-se ao processo inicial de avaliar e tratar as necessidades de alguém. Seguir os procedimentos corretos de primeiros socorros pode ser a diferença entre a vida e a morte.

A capacitação fez parte das atividades do Proadh (Programa de Aprendizagem e Desenvolvimento Humano), realizado pelo DDH (Departamento de Desenvolvimento Humano da Unesc).

Por: Milena Spilere Nandi 16 de agosto de 2018 às 13:48
Compartilhar Comente

Capacitação para colaboradores

Funcionários e professores da Universidade estiveram reunidos na última semana para participarem da capacitação “Aproveitando ao máximo o feedback: O feedback para o desenvolvimento humano no trabalho”, ministrada pela professora Gisele Coelho Lopes.

A capacitação teve como objetivo abordar a importância da escuta e da internalização no processo de receber feedback; as habilidades de comunicação na hora do feedback e apresentar os processos de feedback: condução e encaminhamentos.

O encontro fez parte das atividades do Proadh (Programa de Aprendizagem e Desenvolvimento Humano), realizado pelo DDH (Departamento de Desenvolvimento Humano da Unesc).

Por: Milena Spilere Nandi 17 de julho de 2018 às 11:15
Compartilhar Comente

Prevenção de acidentes por animais peçonhentos

Colaboradores da Unesc estiveram reunidos nesta quarta-feira (13/6) para participarem da capacitação “Prevenção de acidentes por animais peçonhentos”, ministrado pelo biólogo Rodrigo Ribeiro de Freitas. O encontro faz parte das atividades do Proadh (Programa de Aprendizagem e Desenvolvimento Humano), realizado pelo DDH (Departamento de Desenvolvimento Humano da Unesc). O curso teve a parceria da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes).

O objetivo da capacitação foi levar orientações de como prevenir os acidentes com os animais peçonhentos e caso ocorra, saber como agir e quais atitudes tomar em cada situação, por meio de palestras e reconhecimento visual das espécies de interesse médico. Além de levar maior informação para profissionais que atuam também fora do campus e despertar a consciência ecológica de cada funcionário, desmentir certos mitos e lendas a respeito dos animais, como evitar encontros desastrosos com os mesmos e a maneira correta de proceder no caso de um acidente.

Segundo Freitas, são de fundamental importância tais orientações, visto que há uma exposição do público em geral a ambientes amplamente povoados por animais, incluindo espécies peçonhentas. “É notável a falta de informação e conhecimento sobre os animais em questão. O crescimento populacional desenfreado, ocupação de áreas periféricas das cidades e o acúmulo de resíduos são os principais fatores que levam aos acidentes, pois alguns animais peçonhentos como aranhas, escorpiões e serpentes, alimentam-se respectivamente de baratas e roedores, presas que vivem em meio ao lixo”.

Por: Milena Spilere Nandi 14 de junho de 2018 às 13:23
Compartilhar Comente

Programa de Aprendizagem e Desenvolvimento Humano

O Proadh (Programa de Aprendizagem e Desenvolvimento Humano) segue oferecendo momentos de aprendizado, compartilhamento e reflexão para os funcionários da Universidade.

Nesta segunda-feira (21/5), ocorreu mais um encontro da capacitação “Con-viver em equipe”, ministrada pela professora Tânia Aquino. O objetivo é conscientizar os profissionais da importância do trabalho em equipe e do respeito à diversidade e apresentar ferramentas para análise e solução de problemas, com foco em trabalho em equipe.

Já na terça-feira, mais uma etapa da capacitação “Inteligência Emocional: Autoconhecimento para uma vida mais equilibrada”, realizada em parceria com o Ânima. Ministrada pela funcionária Camila Batanolli e pelo professor João Batanolli, a capacitação abordou a importância das emoções na vida pessoal e profissional e como conhecer e utilizar as emoções de forma positiva.

Por: Milena Spilere Nandi 24 de maio de 2018 às 18:21
Compartilhar Comente

Unesc auxilia quem quer parar de fumar

Unesc auxilia quem quer parar de fumar
Em 2017 os números do grupo foram positivos: 21% parou de fumar e 42% diminuiu este hábito (Foto: Divulgação) Mais imagens

Os malefícios do cigarro são facilmente reconhecidos, riscos de derrames, infartos, e até mal hálito compõem suas consequências. Ainda assim, a busca para largar este vício se mostra uma grande dificuldade. Na Unesc, o Programa de Combate ao Tabagismo vai auxiliar quem quer abandonar o cigarro. As inscrições podem ser feitas até o dia 25 de maio, no DDH (Departamento de Desenvolvimento Humano) da Universidade, sala 13 do Bloco Administrativo.

O tabagismo é reconhecido pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como uma doença epidêmica e pode causar mais 50 enfermidades, como problemas cardiovasculares, respiratórias, entre outros.

O secretário das Clínicas Integradas, Marlon Gonçalves Zilli, conta que no grupo, o tratamento se adequa a cada participante, com um diagnóstico único. “Quando se trata de saúde o prognóstico de cada pessoa pode variar. Assim, com um maior foco nas características de cada um, observamos uma maior evolução, com um acréscimo na qualidade da recuperação”, esclarece Marlon.

União contra o tabagismo

A qualidade no tratamento é reafirmada pelo coordenador da Comissão do Programa de Residência Multiprofissional, Jacks Soratto. Ele explica que as atividades são realizadas em grupos, possibilitando a ajuda dos colegas, com foco na mudança de comportamento. “Não ajudamos apenas a parar de fumar, embora seja o principal foco, nosso objetivo é uma mudança completa de comportamento, buscando uma rotina mais saudável. Este modo vem se mostrando efetivo de verdade. ”, afirma Soratto.

Em 2017 a iniciativa apresentou resultados positivos, com 21% dos participantes parando de fumar e 42% diminuindo consideravelmente. A funcionário da Universidade Marlei Aparecida Américo participou do grupo e destaca que o segredo é a união. “Quem faz parte do grupo ajuda o próximo. Um cuida do outro e até pega no pé para não desistir. Quando alguém falta já recebe aquela ligação de apoio dos colegas”, destaca Marlei.

A atividade está prevista para o mês de junho, mas antes disso, os participantes vão passar por consultas com médico e psicólogo, para analisar o melhor procedimento. A iniciativa é desenvolvida em parceria com a Secretaria de Saúde de Criciúma.

Saiba mais

Os encontros ocorrem nas Clínicas Integradas com a orientação de dois psicólogos que participam do Programa de Residência Multiprofissional. Ambos passaram por capacitação para o desenvolvimento das atividades no grupo. A iniciativa está vinculada ao Programa Nacional de Combate ao Tabagismo.

O Programa de Combate ao Tabagismo é realizado pelo Programa de Residência Multiprofissional, com apoio do Sesmt (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho), da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e do curso de Enfermagem.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 14 de maio de 2018 às 18:15
Compartilhar Comente (1)