Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Estudo realizado na Unesc recebe destaque nacional

Estudo realizado na Unesc recebe destaque nacional
Dados do trabalho redução nos níveis de depressão, ansiedade e autonomia funcional por meio de exercícios físicos (Fotos: Arquivo) Mais imagens

Um estudo clínico desenvolvido na Unesc, fruto do projeto de extensão Lazer Ativo, que se destina a oferecer exercícios físicos para pessoas depressivas, intitulado “Effect of aquatic exercise in mental health, functional autonomy and oxidative stress in depressive elderly: A randomized clinical trial”, acaba de ser aceito para publicação na revista da faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Os resultados do estudo que recebe destaque nacional apontam que um programa de exercícios físicos de característica intervalada com duração de 45mim dia, realizado duas vezes por semana com duração de 12 semanas, podem reduzir em 53% os escores de depressão, 48% os níveis de ansiedade e melhorar em 33% a autonomia funcional de idosos depressivos.

De acordo com o coordenador da pesquisa, professor Luciano Accordi, estes resultados são promissores, tendo em vista as novas descobertas na quantificação nos escores de saúde mental que podem ser modulados pelos exercícios físicos de natureza intervalada e ajudar pessoas a combater os males da depressão.

O estudo foi desenvolvido no Laboratório de Psicofisiologia do Exercício – LaPsiCo, que tem como linha de pesquisa a saúde mental, no curso de educação física.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 17 de maio de 2019 às 19:59
Compartilhar Comente

Noite em grande estilo para celebrar as ações de Extensão

Noite em grande estilo para celebrar as ações de Extensão
Evento especial marcou o Dia da Extensão nesta quinta-feira (2/5) (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

A noite de quinta-feira (2/5) foi de sorrisos e mais sorrisos no Auditório Ruy Hülse. Isso porque o local recebeu um evento especial em alusão ao Dia da Extensão na Unesc. Com apresentações de canto, dança e teatro, os presentes foram agraciados com momentos verdadeiramente especiais e gostosos de serem vividos. O evento contou com a participação de acadêmicos, professores, gestores e da comunidade de forma geral que participa das atividades oferecidas pela Instituição. A noite foi finalizada com um café no qual foram servidos alimentos preparados pelos participantes da Feira Economia Solidária da Unesc.

Ao agradecer a presença de cada uma das pessoas que lotaram o auditório, a pró-reitora Acadêmica, Indianara Reynaud Toreti, destacou a importância que a Extensão exerce dentro do papel da Universidade, que tem caráter comunitário. “Falar de extensão é falar de um movimento que transforma. Transforma vidas, cenários, práticas, desenvolve uma região. Embora tenhamos esse Dia da Extensão, que também é importante para comemorarmos essas conquistas, para nós a Extensão é cotidiana, é diária. Há 50 anos a Universidade transforma vidas e se ela transforma é porque tem esse pilar tão importante”, salientou.

O momento de tamanha alegria para todos aqueles que diariamente trabalham em prol das atividades, conforme a diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias, Fernanda Sônego, também precisa ser de agradecimento aos profissionais que se dedicam para compartilhar aquilo de melhor que a Universidade tem a oferecer à comunidade. “Essa noite foi preparada com muito carinho como forma da mais profunda gratidão da Unesc por estarem conosco nesses trabalhos. É um momento para agradecer pelo sim de cada um. O sim das comunidades, dos nossos parceiros, dos nossos professores e acadêmicos e da confiança da nossa gestão”, completou.

Ao longo do evento o artista, Ricardo Herok, esteve em frente ao Auditório Ruy Hülse fazendo uma obra em grafite. Ele pintou o rosto de Paulo Freire como homenagem da Universidade ao educador, já que nesta data, há 22 anos, o Brasil o perdia vítima de infarto.

As atrações que encantaram o público no evento foram o Coral Unesc, a Cia de Dança Unesc, o Grupo Stand Bye, o Grupo Cirquinho do Revirado e o Grupo Cirandela Teatro.

Mayara Cardoso - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 02 de maio de 2019 às 22:33
Compartilhar Comente

Extensão: ações multiplicadoras de conhecimento e de carinho por meio da Universidade

Extensão: ações multiplicadoras de conhecimento e de carinho por meio da Universidade
Serviços prestados nos projetos de Extensão da Unesc alcançam mais de 30 mil pessoas no Sul catarinense (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

A Constituição brasileira, no artigo 207, diz que “As universidades (…) obedecerão ao princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão”. No que diz respeito ao ensino e à pesquisa, suas funções ficam mais evidentes no meio universitário. No entanto, o que muitos ainda não conhecem na real dimensão, é a importância da Extensão, pilar que tem a mesma importância e exerce papel social fundamental. No Estatuto da Unesc, artigo 40, a definição do trabalho extensionista é de que se trata de “um processo de prática educativa, cultural e científica que se integra ao ensino e à pesquisa, viabilizando a ação transformadora entre a Unesc e a sociedade e o retorno da aplicação desses aprendizados para a melhoria da prática acadêmica de alunos e professores”. De forma clara, a extensão pode ser explicada como a mais genuína troca entre a comunidade e a Academia no qual o resultado é o bem comum.

Dentre as inúmeras funções louváveis que permeiam o trabalho de uma Universidade, em especial de caráter comunitário, as ações de extensão de destacam como a forma prática de fazer a diferença na vida do próximo. No extremo Sul catarinense, região do entorno da Unesc, mais de 30 mil pessoas já foram de alguma forma beneficiadas por ao menos uma das quase 200 iniciativas da diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias da Universidade. O número significativo engloba cidadãos de todas as idades envolvidos em atividades que podem ter foco em assuntos como comunicação, cultura, direitos humanos e justiça, educação, meio ambiente, saúde, tecnologia, produção e trabalho.

Nesta quinta-feira (2/5), dia em que é comemorado o Dia da Extensão, os olhos da comunidade acadêmica da Unesc se voltam a este, que é um dos principais pilares da Instituição. Ao longo de toda semana, programações especiais preparadas especialmente para a data pretendem enaltecer o trabalho feito até então nestes 50 anos de Universidade e conscientizar alunos, professores, colaboradores sobre a importância dos projetos em cada uma de suas áreas.

Conforme a diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias, Fernanda Sônego, atualmente, as ações comunitárias da Unesc chegam a mais de 40 municípios catarinenses e do Norte do Rio Grande do Sul, sempre em busca de atender demandas da sociedade e promover o desenvolvimento. “São trabalhos realizados por professores extremamente qualificados que, acompanhados de alunos dos mais variados cursos, estão com o coração aberto para uma troca com aquele público. Seja uma ação voltada à saúde da comunidade ou ao meio ambiente, nós levamos serviços importantes e, em troca, somos presenteados também com muito carinho e aprendizado sempre. É engrandecedor”, salienta.

De acordo com Fernanda, as 200 iniciativas propostas pela Universidade se dividem em três temas centrais: as ações universitárias, projetos nos quais os alunos são levados à experiência real e direta na comunidade; as ações de prestação de serviços, atividades que levam serviços de saúde, direitos e assistências pessoais e sociais; e ações de cultura, aquelas que envolvem a promoção da arte. “Dentro deste cenário temos colaboradores, professores e alunos diretamente envolvidos nos projetos que se desenvolvem ao longo de todo o ano. Além de oferecerem experiências incríveis aos acadêmicos, os projetos são ainda vias de acesso a bolsas de estudo, já que hoje contamos com 534 bolsas acadêmicas concedidas por meio da extensão”, explica.

Os projetos, para a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, fazem parte de um pilar fundamental da Instituição, sobretudo por se tratar de uma Universidade Comunitária. “A extensão qualifica o ensino de graduação e oferece subsídios para a pesquisa nas diversas áreas do conhecimento, além de ser uma estratégia que permite e articula o diálogo da universidade com a sociedade. Temos projetos incríveis, apaixonantes, que são sempre uma via de mão dupla: a Universidade transforma os cenários e esta experiência transforma os estudantes e professores que participam desse universo”, garante.

Exemplos na prática

A aluna do Bairro da Juventude, Andrielli Machado Ribeiro, de 15 anos, é um exemplo claro da forma como as atividades podem impactar diretamente a vida daqueles que são atendidos. A adolescente participou em 2018 da ação “Empreendedorismo e plano de negócios: Ações direcionadas a capacitação de jovens e adolescentes do Bairro da Juventude”, comandada pelo professor, Abel Corrêa de Souza, do curso de Administração da Unesc, e que hoje colhe bons frutos.

Neste projeto, em visitas semanais ao Bairro da Juventude, o professor passa, aos adolescentes e jovens, lições de teoria e prática para que possam, no futuro, saber como dar os primeiros passos em um negócio próprio ou até que estejam capacitados para o trabalho nas mais variadas empresas. A segunda parte dos encontros é sempre comandada pelo chef de cozinha Cleiton Machado, responsável por repassar lições valiosas de culinária aos participantes. Ao longo de sua participação como aluna, Andrielli mostrou sua força de vontade e aptidão para a função, aspectos que não passaram despercebidos pelo professor, que, em 2019, a escolheu como Jovem Aprendiz da ação. “Ela se destacou. Sempre se mostrou comprometida e disposta a fazer além da obrigação. Quando precisamos escolher alguém para trabalhar como assistente, não tivemos dúvida e demos a ela a oportunidade”, lembra Cleiton.

Dividindo a rotina entre os estudos no curso de Programação, os estudos do Ensino Regular e o trabalho na cozinha auxiliando o professor, Andrielli é grata pelas portas que lhes foram abertas. “É ótimo já poder ter uma relação de chefe para assistente e ao mesmo tempo de amigo para amigo. Eu aprendo muito aqui e, mesmo que não siga nessa profissão, os ensinamentos são para a vida e para sempre”, comenta a jovem.

Quem também tem a rotina puxada e ainda assim leva a vida sempre com um sorriso no rosto é a cozinheira Maria Regina Vitória. Aqueles que passam pela Unesc nas quartas-feiras certamente conhecem seu sorriso e seus produtos vendidos na Feira da Economia Solidária. São biscoitos, pães, bolos, pizzas, lasanhas, entre tantos outros quitutes cheios de carinho para quem quiser se aproximar para uma compra ou uma conversa. A Feira faz parte dos mais antigos projetos de extensão da Universidade e também está na história da vida da conhecida Dona Regina. “Aqui eu fiz muitos amigos e faço boa parte da minha renda. Nos dias que antecedem a Feira eu trabalho quase de uma madrugada a outra para dar conta de finalizar tudo para trazer, mas não reclamo. Faço cada um com muito amor, pois isso faz a diferença para mim e para a minha família”, destaca.

A venda dos produtos por meio da Unesc, somada ao trabalho incessante de venda na sua comunidade, faz com que Regina contribua de forma significativa com o sustento da casa e no auxílio financeiro à filha, que estuda fora do país. “Esse é um sonho dela que, por meio do nosso trabalho aqui, estamos ajudando a realizar. Enquanto puder vou estar aqui fazendo isso por ela”, comenta orgulhosa.

Ações comemorativas

Com foco na celebração do Dia da Extensão, na noite desta quinta-feira (2/5), a partir das 19h30 no Auditório Ruy Hülse, a Unesc acolherá a comunidade em um café aberto ao público para conversar sobre o que é a extensão e apresentar as ações desenvolvidas na Instituição. “Será um espaço com atrações que trazem a essência da prática comunitária, com atividades artísticas e culturais. Logo na chegada ao evento, os convidados poderão prestigiar o trabalho do grafiteiro e artista plástico Ricardo Herok, que estará pintando uma tela em homenagem ao Dia da Extensão. Teremos também momentos com alguns projetos e outras ações pensadas especialmente para o encontro”, conta a assessora acadêmica da Diretoria de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias, Sheila Martignago Saleh.

O café oferecido pela Universidade também contará com produtos do projeto de extensão Feira da Economia Solidária, que reúne produtores agrícolas e estimula o empreendedorismo em um só lugar, para trocar informação e comercializar produtos sustentáveis e saudáveis de forma cooperativa.

Ainda em alusão à data, no sábado (4/5), a Universidade estará na Praça Nereu Ramos, das 9 às 12h30, com atendimentos de orientação, prevenção, informação sobre direitos e deveres, cuidados pessoais, meio ambiente e outros assuntos que impactam diretamente no dia a dia da comunidade, com a participação de projetos de extensão da Instituição.

Mayara Cardoso - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 02 de maio de 2019 às 07:30
Compartilhar Comente

Projeto de Extensão da Unesc levará mais cidadania a comunidades em Forquilhinha

Projeto de Extensão da Unesc levará mais cidadania a comunidades em Forquilhinha
Ação tem a parceria da Prefeitura Municipal, Associação de Moradores e da ONG Cata Vento (Foto: Divulgação) Mais imagens

Agregando conhecimentos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia de Agrimensura e Engenharia Civil, a Unesc pretende colaborar com o bem estar de comunidades de Forquilhinha. Por meio do Projeto de Extensão EMI (Escritório Modelo Interdisciplinar), a Universidade realiza um projeto urbanístico e arquitetônico de espaço social e comunitário em área pública municipal do Bairro Nova York, em Forquilhinha.

O foco da ação, que tem apoio da Prefeitura, da Associação de Moradores e da ONG Cata Vento Coletivo Cultural de Forquilhinha, é voltado à atuação em projeto de urbanização e de implantação de equipamentos de cultura, esporte e lazer, em área pública, destinada aos moradores dos bairros Nova York, Ouro Negro e Vila Franca.

Um dos primeiros encontros com a comunidade, para o início do desenvolvimento das atividades, foi realizado nesta quinta-feira (4/10). Neste contato inicial a comunidade foi dividida em grupos para pensarem e formularem proposições de melhorias voltadas as crianças, aos jovens, aos adultos, aos idosos, a homens e mulheres, formando cartazes com seus destaques.

O projeto tem a participação dos professores Jorge Luiz Vieira (coordenador da ação), Evelize Chemale Zancan e Vanildo Rodrigues. Colaboram ainda com as atividades os acadêmicos bolsistas Eloiza Neves, Sara Arns Camilo e João Otávio Damázio. Como estagiário, atua o aluno Jardel da Silva Serafim e como voluntário Mateus Nazário Filisbino.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 05 de outubro de 2018 às 21:07
Compartilhar Comente

Unesc inicia projeto “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”

Unesc inicia projeto “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”
Projeto de Extensão leva oportunidade de aprendizado até o Presídio Santa Augusta (Foto: Divulgação) Mais imagens

Esta quinta-feira (4/10) marcou o início de uma oportunidade valiosa oferecida aos detentos do Presídio Santa Augusta, em Criciúma. Nesta data, foi oficialmente iniciado o Projeto de extensão “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”, do Programa de Extensão Território Paulo Freire da Unesc. A ação é mais uma atividade que levará conhecimento para além do campus e tem objetivo de oferecer o contato com a literatura no espaço carcerário.

Conforme uma das professoras do curso de Letras participante do projeto, Cibele Freitas, a leitura pode contribuir para o resgate da cidadania dos reclusos, transformando e promovendo uma redescoberta da aprendizagem. “Além disso, essa iniciativa prevê também uma contribuição para o projeto "Despertar pela leitura”, o qual é realizado pelo Estado no Presídio, e tem como proposta a leitura de livros e elaboração de resenhas com fins de remição da pena, conforme assegura a Lei de Execução Penal”, destacou.

Ao receberem a proposta de participar das atividades semanais, de acordo com a professora, os detentos se mostraram interessados e formaram inclusive uma fila de espera para ingressarem no grupo. “A princípio serão dez participantes por encontro e iremos atendendo essa demanda. A cada semana iremos discutir textos literários, fazendo com que eles, das mais variadas escolaridades, consigam interpretar e consigam escrever seus próprios textos, transformando-os também como cidadãos”, completou.

Participam ainda das atividades do projeto o professor Richarles de Carvalho e duas estagiárias, todos do curso de Letras, e a professora Janete Trichês, do curso de Direito.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 04 de outubro de 2018 às 16:20
Compartilhar Comente (1)