Teatro - Bacharelado

Comunidade acadêmica se reúne em homenagem a Gabriel Batista de Souza

Comunidade acadêmica se reúne em homenagem a Gabriel Batista de Souza
Emoção tomou conta de momento de homenagens ao estudante morto nesta quinta-feira (01/11) (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

Sob uma fina chuva que caía quase como se fizesse parte do cenário de tristeza, estudantes e professores se reuniram ,na noite desta quinta-feira (01/11), para uma homenagem ao estudante Gabriel Batista de Souza, de 21 anos, morto nesta madrugada em Cascavel. A morte prematura do jovem, que era acadêmico do curso de Bacharelado em Teatro, deixou um cenário de profunda tristeza para aqueles que o conheceram e conviveram com ele em sua passagem pela Unesc.

No total, mais de 200 pessoas entre alunos dos cursos de Teatro e Artes Visuais, além de colaboradores e professores, estiveram, emocionados, de mãos dadas por longos minutos em um silêncio interrompido apenas pelos sons de choro e pelas falas de oração, carinho, lembranças e protestos.

Um a um, os amigos que sentiam vontade de manifestar algum sentimento, homenagem ou recordação foram até o centro do grande círculo e, ao falarem aquilo que vinha ao coração, posicionaram flores. Ao final das falas, uma mandala foi criada no centro da praça, em frente ao Bloco Z, espaço por inúmeras vezes frequentado por Gabriel em seu tempo de estudo na Unesc.

Entre os presentes, a atriz Yonara Marques destacou, ao final das falas, que Gabriel foi luz em vida e seguirá sendo a partir de agora. “Agora vamos deixar essa mandala formada aqui para que a chuva caia, o sol queime, a poeira passe. Sintam-se à vontade para continuar montando ela hoje, amanhã ou depois. Vamos seguir os nossos dias agora, tristes, é claro, mas mais resistentes. Sigamos levando o carinho um pelo outro. E que o Gabriel, que já é luz e nos trouxe muita luz e encorajamento, seja a nossa coragem e sirva de exemplo para muitas coisas. Sigamos com carinho um pelo outro.  Que a gente siga nessa luz dele”, comentou.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 01 de novembro de 2018 às 20:43
Compartilhar Comente

Nota de Falecimento: Gabriel Batista de Souza " Caco Gabrezini"

Gabriel Batista de Souza. 21 anos. Aluno da primeira turma de Bacharelado em Teatro da UNESC. Por onde ele passava, sentia-se um aroma de flores, como o iniciar da primavera, tempo de felicidade e podia-se notar uma iluminação sem igual. Seus olhos brilhavam, seu corpo todo reverberava pelos corredores, pelas salas de ensaio, pelos trabalhos que produzia. Sua imensidão artística exalava pelos poros.

Sua passagem por este mundo e principalmente por esta Universidade foi breve, tão breve como num piscar de olhos, mas ficará por todo o sempre incrustado no coração de quem o conheceu.

Preferia que o chamassem de Caco. Evoé. Deixamos aqui a nossa última homenagem em nome do Curso de Bacharelado em teatro e de todo o departamento de artes, nas palavras de um mestre:

 ORAÇÃO DE SANTO AGOSTINHO SOBRE A MORTE

“A morte não é nada.
Eu somente passei para o outro lado do Caminho.
Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês, eu continuarei sendo.
Me dêem o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram.
Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador.
Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim.
Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.
A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas ?
Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho…
Você que aí ficou, siga em frente, a vida continua, linda e bela como sempre foi. ”

Por: Rosilene Ricken 01 de novembro de 2018 às 15:48
Compartilhar Comente

Violência contra o outro ou a invisibilidade da alteridade? Atividade Prática disciplina de Maquiagem e Indumentária

Violência contra o outro ou a invisibilidade da alteridade: essa foi a temática da aula de Maquiagem e Indumentária do dia 25/10/2018. A partir de dados coletados por pesquisas, que mostram que o Brasil é um dos países que mais cometem violência de gênero – mulheres e LGBTs, os alunos desenvolveram as maquiagens a partir da temática da violência. A vontade de descer do Laboratório de Artes – situado no segundo andar do Bloco XXI B – e chegar ao térreo veio da vontade da própria turma. Confira as fotos.

Por: Rosilene Ricken 26 de outubro de 2018 às 17:18
Compartilhar Comente

Atividade Prática Maquiagem e Indumentária

Tendo como principal referência do filme “Dzi Croquettes”, de Tatiana Issa (2009) – disponível no youtube - e outras referências contemporâneas como o cantor Troye Sivan, os alunos da terceira fase de Bacharelado em Teatro desenvolveram os trabalhos, em seus próprios rostos, a partir da premissa de que tinham a sua frente uma folha de papel. Outros estímulos: assimetria e desconstrução.

Por: Rosilene Ricken 26 de outubro de 2018 às 17:09
Compartilhar Comente

Semana da Pessoa com Deficiência da Unesc inicia com o lançamento da Sala Sensorial

Semana da Pessoa com Deficiência da Unesc inicia com o lançamento da Sala Sensorial
Espaço estará aberto à visitação até esta sexta-feira (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

“Estava tudo escuro e fiquei com um pouco de medo porque não conhecia o lugar. Então fui andando e percebendo vários objetos e pensei em como deve ser a vida das pessoas sem enxergar, principalmente quando se perde a visão ao longo da vida. Foi uma experiência bem interessante para a gente refletir”. O depoimento é da estudante do nono ano do Ensino Fundamental do Colégio Unesc, Isabely Casagrande, uma das primeiras pessoas a passar pela Sala Sensorial montada no hall do Bloco da Reitoria, na Universidade. O espaço foi lançado na manhã desta segunda-feira (17/9), durante a abertura da Semana da Pessoa com Deficiência da Unesc.

A Sala Sensorial ficará aberta até sexta-feira (21/9), enquanto as atividades da Semana ocorrem em diversos locais do campus. A coordenadora da Secretaria da Diversidade e Políticas de Ações Afirmativas da Unesc, Janaína Damásio Vitório, explicou que a Sala possui objetos e situações que estimulam a percepção, com o objetivo de potencializar a discussão sobre as deficiências e fazer com que as pessoas percebam e valorizem os sentidos. “Falar sobre a pessoa com deficiência vai além do que a gente possa dizer. A Sala Sensorial com a intenção de propiciar as pessoas uma experiência de que leve à reflexão também”.

A coordenadora do CER (Centro Especializado em Reabilitação), Tatiane Macarini, afirmou que a abordagem sobre deficiência e acessibilidade deve ir além do discurso. “É preciso viver no cotidiano. A Sala Sensorial vem despertar em nós a vontade de que todos tenham acesso e que as pessoas não sejam mais separadas em com ou sem deficiência, mas que os espaços sejam de livre acesso para todos circularem”.

Já a coordenadora do Setor de Educação Especial da Secretaria de Educação de Criciúma, Úrsula Silveira Domingos, salientou que, atualmente, no município há em torno de mil alunos com deficiência matriculados na rede de ensino e a Semana da Pessoa do Deficiência da Unesc vai colaborar agregando novos conhecimentos e realizando a troca de informações entre profissionais, alunos e professores.

A abertura da Semana da Pessoa com deficiência teve ainda a participação da coordenadora adjunta da Secretaria da Diversidade, Rita Guimarães.

Programação 


“Processos inclusivos no ensino superior”, “A educação inclusiva no espaço acadêmico sob a ótica da pessoa com deficiência”, “Autismo e a intervenção multiprofissional” e “A educação profissional e o acesso ao mundo do trabalho para as pessoas com deficiência” são alguns dos assuntos a serem debatidos ao longo da 2ª Semana da Pessoa com Deficiência, que tem como tema “Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva: 10 anos de luta para assegurar direitos”.

O evento tem como objetivo promover a discussão sobre a deficiência no campus, e este ano destaca a importância da educação inclusiva.

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

O Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21/9), foi instituído em 14 de julho de 2005. Sua escolha está relacionada ao início da Primavera e coincide com o Dia da Árvore, datas que representam a renovação. Para o movimento social das pessoas com deficiência, é data de renovar também a cidadania e a participação social.

Na Unesc, a data inspirou a criação da Semana da Pessoa com Deficiência, que em 2018 é organizada pelo CER (Centro Especializado em Reabilitação) e pela Secretaria de Diversidades e Políticas de Ações Afirmativas, juntamente com o Nuprevips (Núcleo de Prevenção às Violências e Promoção da Saúde), Setor de Arte e Cultura, cursos de Artes Visuais, de Psicologia e de Teatro da Universidade, Sama (Sala Multifuncional de Aprendizagem) e Núcleo de Saúde Coletiva.

A Semana conta ainda com a parceria do Codec (Conselho Municipal de Direitos da Pessoa Com Deficiência), Secretaria de Educação de Criciúma, Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e Sine (Sistema Nacional de Emprego) de Criciúma.

Mais informações

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 17 de setembro de 2018 às 14:31
Compartilhar Comente