Educação Física - Licenciatura

Cursos de licenciatura da Unesc promovem campanha em prol da Casa Guido

Cursos de licenciatura da Unesc promovem campanha em prol da Casa Guido
Itens como café, feijão e achocolatado, além de guloseimas para a Páscoa serão arrecadados até 12 de abril (Foto: Divulgação) Mais imagens

Acadêmicos dos cursos de licenciatura da Unesc mais uma vez estão unidos em prol de uma causa nobre. Na ação “Licenciaturas Solidárias” os alunos trabalham na arrecadação de donativos a serem doados para a Casa Guido, instituição de Criciúma que auxilia crianças portadoras de câncer e seus familiares. Estão sendo recolhidos itens como café, feijão, achocolatado e biscoitos, para uso no dia a dia da instituição e doação aos pacientes assistidos, além de guloseimas como balas e chocolates variados para colaborar com a comemoração de Páscoa das crianças. As doações podem ser entregues nos centros acadêmicos de todos os cursos de licenciatura da Unesc.

Conforme a acadêmica e estagiária do curso de Letras Maria Julia Deucher, a ideia foi iniciada por meio da proposta do início do ano letivo no Trote Solidário. “Pensando em envolver os alunos em uma ação beneficente acabamos escolhendo a Casa Guido por entender sua importância e sua credibilidade na nossa região”, explica.

Para a coordenadora da Casa Guido, Rosane Búrigo Gonçalves, é uma alegria que a instituição seja reconhecida em amparada pelos estudantes da Unesc. “É maravilhoso ver a preocupação deles em realizar uma ação solidária e investir seu esforço para causas como a das nossas crianças. Toda a arrecadação será muito bem recebida e fará a diferença para nós”, comentou.

Mayara Cardoso - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 09 de abril de 2019 às 13:03
Compartilhar Comente

Projeto Golfinhos articula ensino e extensão em suas atividades

Projeto Golfinhos articula ensino e extensão em suas atividades
Mais imagens

Crianças do Bairro da Juventude e da Escola Vilson Lalau têm a oportunidade de aprender a nadar na Unesc. Por meio do projeto Golfinhos, os alunos têm um encontro semanal, na quinta-feira, com acadêmicos do curso de Educação Física, que realizam estágio e agregam conhecimento prático a sua formação.

Na piscina da Universidade, segundo o professor e idealizador do projeto, Luciano Acordi da Silva, este tipo de ação possibilita a aplicabilidade direta do conhecimento aprendido em sala de aula para o mercado profissional. “Estamos focados no ensino do presente, que ultrapassa os muros da sala de aula e avança para sociedade, possibilitando a capacitação profissional dos alunos durante a graduação. Queremos com isso que nossos alunos saiam de nossa Universidade mais preparados profissionalmente para atender a sociedade”, afirma o professor.

Por: Milena Spilere Nandi 18 de outubro de 2018 às 14:16
Compartilhar Comente

Projeto Solidariedade estimula trabalho voluntário em alunos da Unesc

Projeto Solidariedade estimula trabalho voluntário em alunos da Unesc
No primeiro semestre de 2018 foram desenvolvidas atividades em 49 instituições (Fotos: Divulgação) Mais imagens

O aprendizado se dá nos mais diversos ambientes e situações. E quando se fala em formação acadêmica, não há como esquecer a contribuição das atividades feitas fora da sala de aula na construção de um profissional diferenciado. É o que tem ocorrido na Unesc ao longo de seus 50 anos de vida, e que o primeiro semestre de 2018 impactou positivamente alunos dos cursos de Direito, Educação Física e Fisioterapia que desenvolveram trabalho voluntário em entidades da região, através do projeto Solidariedade.

Os 260 estudantes da Unesc desenvolveram 54 projetos em 49 instituições como asilos, Apaes e escolas neste primeiro semestre, totalizando 3.956 horas trabalhadas. As instituições beneficiadas estão localizadas nos municípios catarinenses de Araranguá, Balneário Gaivota, Cocal do Sul, Criciúma, Forquilhinha, Içara, Maracajá, Meleiro, Nova Veneza, Santa Rosa do Sul, Siderópolis, Sombrio e Urussanga e nas cidades gaúchas de Mampituba e Torres.

Nesses locais, os estudantes realizaram ações como palestras, cursos ou oficinas sobre “Política, Direitos Humanos e Cidadania” que envolveram pesquisa, estudo e elaboração teórica; intervenções práticas como pedágio para arrecadar recursos, limpeza e organização de biblioteca em escolas públicas, confecção de hortas e jardins, entre outros.

A coordenadora do projeto de extensão Solidariedade, Janete Trichês, conta que ele tem o objetivo de possibilitar aos estudantes que estão ingressando na Universidade a oportunidade de contato com realidades diferentes daquelas que eles têm no seu cotidiano, e a partir deste contato, vivenciar experiências de transformação pessoal e despertar a consciência e a responsabilidade cidadãs.

“Os alunos se dedicam muito às ações nas instituições que escolhem atuar. Ninguém que participa do projeto termina o mesmo e da mesma forma. É perceptível o crescimento dos jovens, que ficam mais maduros, mais responsáveis, mais colaborativos, mais sensíveis aos dramas humanos, além de descobrirem que o mundo que todos sonhamos é uma construção que envolve todos”, conta a coordenadora do Solidariedade.

Conhecimento para além da sala de aula

O conhecimento não se resume a sala de aula, na opinião da estudante Thais da Rosa de França, da primeira fase do curso de Direito da Unesc. Junto de seu grupo, ela participou do Solidariedade na Casa Atos, no Bairro Cristo Redentor, em Criciúma. “Quando a gente entra na Universidade, não pensa que vai fazer um projeto de tal magnitude. Com ele aprendi a olhar mais para os outros, do que para mim. Aprendi a valorizar coisas pequenas, as pessoas ao meu redor e tudo o que tenho. Descobri que a Universidade oferece uma infinidade de experiências que transformam vidas. E essa, com certeza, transformou a minha”, afirma.

Estudante da oitava fase do curso de Educação Física (Licenciatura) Leonan Peres Santana desenvolveu atividades na Apae de Santa Rosa do Sul, sua cidade. Nela foi diagnosticada a necessidade da reforma da cancha de bocha, local apreciado pelos alunos e que servia para a realização de aulas da Educação Física, mas estava sem uso em virtude da má conservação. A ação proposta foi a de realizar reforma da cancha e um posterior campeonato de bocha entre turmas.  

“Uma ação simples como a de reformar um ambiente foi tão bem aceita e festejada pelos alunos. Quem faz trabalho voluntário recebe algo que dinheiro nenhum dá: sorrisos sinceros, agradecimentos e olhares brilhantes”, comenta Santana.

Uma via de mão dupla

A Associação Beneficente Nossa Casa, que atualmente acolhe crianças e adolescentes, tem recebido há vários semestres o projeto Solidariedade. Nesta edição do projeto, os acadêmicos da Unesc repaginaram a Brinquedoteca, realizaram melhorias em um muro, reforma na recepção, benfeitorias no pátio interno da entidade, palestra e atividades de recreação com pizza e lanche.

A coordenadora da entidade, Santina Muniz, afirma que a Nossa Casa precisava de ajuda para melhorar alguns de seus espaços e que a vinda dos estudantes colaborou com o bem-estar dos acolhidos. “A integração entre os alunos da Unesc com a Nossa Casa é sempre muito produtiva para ambos. Os nossos acolhidos precisam de um contato com pessoas diferentes e com esse contato, aprendem. Já os estudantes conhecem uma outra realidade e se vêem fazendo algo diferente. É uma troca muito rica”, considera.

Desde 2009 realizando ações positivas

O projeto Solidariedade foi criado no segundo semestre de 2009 pela professora Janete Trichês, inicialmente desenvolvido apenas por acadêmicos do curso Direito. O projeto ocorre duas vezes ao ano – no primeiro e no segundo semestre letivo –  e é desenvolvido dentro da disciplina de Ciência Política. E no primeiro semestre de 2018 e agregou novos participantes. Alunos da disciplina de Sociologia dos cursos de Educação Física e Fisioterapia também doaram um pouco do seu tempo para ajudar entidades.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 20 de julho de 2018 às 11:25
Compartilhar Comente

Projeto oferece esportes aquáticos para pessoas com deficiência física

Projeto oferece esportes aquáticos para pessoas com deficiência física
Atividades vão envolver crianças, jovens, adultos e idosos (Foto: Divulgação) Mais imagens

A Unesc vai oferecer a partir de agosto, atividades físicas aquáticas para crianças, jovens, adultos com amputações. A iniciativa faz parte de um projeto do curso de Educação Física e do Grupo de Pesquisa em Exercícios Aquáticos Avançados e está com inscrições abertas. Há 30 vagas disponíveis e os interessados devem participar de uma triagem entre os dias 10 e 12 de julho, das 13h30 às 16h30, na sala 11 do Bloco T da Universidade. As atividades são gratuitas e é necessário trazer atestado médico com liberação para a prática de exercícios em meio líquido no dia da triagem.

A acadêmica do curso de Educação Física e uma das participantes do Grupo de Pesquisa, Luana Tortelli Pereira, explica que o objetivo do projeto “Esporte&Vida - Inclusão social e independência funcional através do esporte para deficientes físicos acometidos por amputações” é oferecer através da prática de esportes aquáticos, a inclusão social, educação, autonomia funcional e saúde mental para as pessoas acometidas por amputação devido a fatores genéticos ou ambientais.

“Queremos também incentivar as pessoas a praticarem exercícios e não a ficar apenas em casa devido a deficiência física. Principalmente no caso dos idosos, fazer eles saírem e conhecerem outras pessoas, se exercitarem”, comenta Luana. Segundo ela, os encontros ocorrerão todas as segundas e quartas-feiras, das 13h30 às 15 horas, na piscina da Unesc, durante quatro meses. “Os dados da triagem serão coletados novamente após o término das atividades na piscina e analisados para fecharmos o estudo”, explica.

O projeto é desenvolvido pelas acadêmicas Luana Tortelli Pereira (Educação Física) e Beatriz Dieke (Psicologia), com a coordenação do professor Luciano Acordi da Silva.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 06 de julho de 2017 às 15:13
Compartilhar Comente

Projeto Círculos de Cultura realiza oficina de teatro em escola de Criciúma

Projeto Círculos de Cultura realiza oficina de teatro em escola de Criciúma
Atividades ocorreram nesta quarta-feira (Foto: Divulgação) Mais imagens

O projeto de extensão “Círculos de Cultura: uma proposta para o Ensino Médio”, realizou uma oficina de teatro com cerca de 150 alunos do Ensino Médio da Escola de Educação Básica Padre Miguel Giacca, em Criciúma. A ação ocorreu nesta quarta-feira (7/6).

Segundo a professora Eloisa Oliveira, uma das coordenadoras do projeto, ele tem o objetivo de proporcionar espaços de protagonismo para os adolescentes para debate e reflexão sobre o mundo e também sobre a importância da valorização à educação e docência.

O Círculos de Cultura também tem a coordenação dos professores Bruno Colombo e Katiuscia Kamo. O projeto envolve os cursos de Educação Física, Letras e Artes Visuais e envolve acadêmicos das disciplinas de Linguagem Teatral e Educação e Gravura e Pesquisa. Tem como bolsistas os estudantes Lucas Garcia, Laura Goulart e Gabriel da Rolt.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 09 de junho de 2017 às 21:24
Compartilhar Comente (1)