Educação Física - Licenciatura

Aulas de natação e hidroginástica da Unesc com novos horários

Aulas de natação e hidroginástica da Unesc com novos horários
Atividades ocorrem no Complexo Esportivo da Universidade (Fotos: Arquivo) Mais imagens

Para quem gosta de atividades aquáticas, a Unesc traz uma novidade. Foram abertos novos horários de turmas de natação e hidroginástica, de segunda a sexta-feira. Além de trazer os benefícios de uma atividade física, as aulas também proporcionam momentos de interação e bem-estar entre os participantes. 

As aulas estão abertas para acadêmicos, funcionários, professores, além da comunidade externa, com idade mínima de 14 anos. As inscrições são feitas na Centac (Central de Atendimento ao Acadêmico) mediante a apresentação do documento de RG, CPF, comprovante de residência e atestado médico atual (2019).

As atividades terão o acompanhamento do professor da Unesc Jaderson Daniel Leandro e do acadêmico de Educação Física Paulo Henrique Salvan Euzébio.

Confira os horários das turmas 

Para mais informações, entre em contato pelos números (48) 3431-2688 e (48) 3431-2756 ou então pelo e-mail piscina@unesc.net.

Emanuela Justino – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 29 de agosto de 2019 às 17:56
Compartilhar Comente

Egressos e professor da Unesc no pódio dos Jogos Parapan-Americanos

Egressos e professor da Unesc no pódio dos Jogos Parapan-Americanos
Eles representaram a Seleção Brasileira (Fotos: Divulgação) Mais imagens

A Unesc esteve no pódio dos Jogos Parapan-Americanos em Lima, no Peru. Os criciumenses Conrado Contessi, egresso de Direito, e Ramon Colombo, egresso Educação Física, conquistaram medalhas de bronze no último sábado (24/8). As conquistas foram no Tênis de Mesa.

Eles representaram a Seleção Brasileira, acompanhados pelo professor de Educação física Alexandre Ghisi, que é técnico da delegação brasileira. “É um trabalho de casa, dos projetos da base. Esperamos que motive os outros a buscarem o esporte, para que eles saibam que é possível representar o Brasil e conquistar medalhas”, frisou Ghisi.

Ghisi também destacou a importância do apoio dado aos técnicos e atletas criciumenses. “Temos que valorizar as famílias que estão sempre junto apoiando os dois, e principalmente a FME e o Mampituba, que juntos nos dão suporte para treinar e competir”, destacou o técnico.

A primeira medalha foi a de Contessi, que na semifinal da Classe 1 perdeu para o brasileiro Aloísio Júnior por 3 a 0. Na mesma fase, mas na categoria 9, Colombo foi derrotado por 3 a 1 pelo mexicano Miguel Vazquez.

Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 28 de agosto de 2019 às 17:41
Compartilhar Comente

Marcos Petry deixa lição e emociona na Unesc

Marcos Petry deixa lição e emociona na Unesc
Jovem de 26 anos compartilhou experiências e superações vividas por ele e pela família e deixou ensinamentos (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

Incontáveis foram as vezes que o público que lotou o Auditório Ruy Hülse, na Unesc, na noite desta quinta-feira (15/8) se emocionou ao assistir a palestra ministrada pelo jovem Marcos Petry. Após enfrentar uma lesão cerebral e ser diagnosticado com o Transtorno do Espectro Autista aos sete anos de idade, Marcos contou com o apoio incondicional da família para seu desenvolvimento e, provando o poder da superação, hoje é escritor, Youtuber, palestrante e apaixonado pela música, utilizando todas essas formas para ajudar na conscientização em todo o país sobre o autismo, tema sobre o qual é especialista. A presença do jovem na Universidade foi viabilizada pela união de esforços dos cursos de Licenciatura com apoio da reitoria e entrou para a história como um dos mais prestigiados e elogiados eventos da Instituição.

A palestra, intitulada como “Autismo e os gatilhos de superação”, contou com a participação da mãe de Marcos, Arlete Petry, que relatou os desafios enfrentados desde o seu nascimento, quando teve uma lesão cerebral, até o diagnóstico de autismo e os dias atuais. Conforme ela, após um parto difícil e alguns problemas de saúde encontrados no bebê, o segundo filho do casal, as notícias repassadas pelos médicos eram desesperadoras. “Eles nos afirmaram que ele não tinha nenhum dos sentidos básicos, visão, tato, paladar e olfato e que teria aproximadamente um ano de vida. Imaginem nossa situação! Ficamos sem chão, buscando explicações, mas nada disso mudaria o que teríamos que enfrentar. Decidimos, então, oportunizar a melhor vida possível no tempo que ele tivesse”, comentou Arlete.

Ao buscar orientações e acreditar em uma melhora gradativa, com muita dedicação de toda a família, a casa de Marcos se transformou, conforme a mãe, em um ambiente completamente voltado aos estímulos que o menino precisava. “Mudamos a casa toda e montamos um quarto com uma espécie de circuito, tudo colocado em prática pelo pai, que se aventurava a montar escorregadores e os mais variados utilitários que o pudessem ajudar de alguma forma a desenvolver os instintos mais básicos”, relatou.

Após anos de realização de práticas com o garoto, para que pudesse sentir e identificar cheiros e gostos e até a entender o processo de caminhar, os resultados foram aparecendo e hoje o jovem é exemplo ao ter conquistado muito mais do que a independência para se comunicar, se locomover, se alimentar e tudo mais que qualquer jovem pode fazer. “Ele, que não conseguia nem mexer os dedos direito, atualmente tem a música como uma paixão e uma aliada na conscientização, por exemplo”, completou.

“Por ele mesmo”

Sob a ótica de quem se desenvolveu, como ele mesmo diz, do 0 ao 100%, Marcus Petry dividiu suas experiências de forma brilhante ao longo da palestra. Usando da sua paixão, a música, o jovem deixou todos boquiabertos com seu talento e sua desenvoltura diante de centenas de pessoas. “Hoje eu consigo estar aqui na frente de vocês contando nossa história porque tive o apoio incondicional da minha família para que pudesse me desenvolver a esse ponto. Há alguns anos isso seria impossível, mas hoje eu consigo e gosto de me comunicar dessa forma para que possa levar informações que de alguma forma consigam ajudar outras famílias”, salientou.

Os obstáculos encarados em cada fase de sua vida e em partes relatados ao longo da noite, de acordo com Petry, se transformaram em empurrões para que fossem vencidos. “Os gatilhos, como chamo, são para mim algo que diz ‘Marcos tu podes mais’ e assim não desisto. Quero que vocês não esqueçam disso: não desistam. Cada um tem seu tempo, mas todo ser humano pode, sim, se superar e se desenvolver. Nós temos que buscar um pequeno avanço porque é assim que se consegue chegar longe. Eu devo minha superação a minha família, que acreditou mesmo diante de um cenário pessimista e hoje continua me acompanhando e apoiando”, completou.

Falar sobre desafios, superação e, principalmente, inclusão, de acordo com Marcos, é o que o motiva. “Foi um prazer conversar com esse auditório cheio de pessoas ávidas a saber mais sobre o autismo com informações que podem mudar a vida das pessoas. Fácil é falar de inclusão, mas difícil é fazer com que as pessoas vejam, de fato, o que as pessoas têm bom, valorizar e desenvolver o que existe de positivo”, destacou.

Ainda entre as lições deixadas pelo palestrante esteve a importância da paciência da família e dos professores, as diferenciações na forma de entendimento e aprendizado para aqueles que possuem o espectro, e, em destaque, a necessidade de a sociedade eliminar as comparações entre os indivíduos. “É muito comum que as pessoas sejam comparadas, mas cada um é único. Eu não consegui pronunciar palavras com a mesma idade que meu irmão conseguiu e talvez outros não consigam avançar na idade que avancei, mas isso não importa. É necessário apenas valorizar as pequenas conquistas e continuar tentando, eliminar as comparações e focar naquilo que queremos desenvolver. Isso faz com que o autista consiga caminhar dentro do espectro com muito mais facilidade”, pontuou ainda Marcos.

Ao fim da palestra Petry recebeu o agradecimento especial da reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, e dos presidentes dos Centros Acadêmicos envolvidos na organização do evento.

Os interessados em conhecer melhor a história de Marcos Petry e acompanhar seus trabalhos podem segui-los em suas redes sociais (Facebook e Instagram), no seu Canal no YouTube e acessar seu site.

Mayara Cardoso - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 16 de agosto de 2019 às 15:47
Compartilhar Comente

Conrado Contessi realiza preparação neuromuscular com alunos do curso de Educação Física da Unesc

Conrado Contessi realiza preparação neuromuscular com alunos do curso de Educação Física da Unesc
Atleta embarca para Lima nesta semana para competição no Parapan-Americano (Foto: Divulgação) Mais imagens

Convocado pela primeira vez para competir no Parapan-Americano, o atleta paraolímpico Conrado Contessi recebeu uma ajuda especial da Unesc na preparação para o desafio. O paratleta mesatenista da Sociedade Recreativa Mampituba/Fundação Municipal de Esportes, é um dos atletas comandados pelo técnico Alexandre Medeiros Ghizi, professor de Metodologia dos Esportes de Raquete, do curso de Educação Física da Universidade. Alexandre, em parceria com o professor Luciano Acordi da Silva, coordenador do laboratório de Psicofisiologia do Exercício (LaPsiCo) da Instituição, desenvolveu um programa de condicionamento neuromuscular para melhoria do desempenho psicofiológico de Conrado para a competição parapanamericana.

Alunos do curso de Educação Física, membros do GPEAA (Grupo de Pesquisa em Exercícios Aquáticos Avançados), vinculado ao Laboratório de Psicofisiologia do Exercício, orientaram um programa de musculação com duração de oito semanas, sendo atividades em dois dias de cada semana, levando em consideração suas limitações e os resultados obtidos através de avaliação física utilizando eletromiografia muscular, testes funcionais, mobilidade articular e saúde mental.

Após o término das atividades, a equipe celebra os resultados e fica na torcida pelo reflexo na preparação no desempenho do atleta. “Desejamos uma ótima competição e agradecemos por termos feito parte do processo de preparo físico e mental de um evento tão importante”, salienta Fernanda Sombrio, uma das bolsistas do GPEAA que participou dos treinamentos.

Conforme o bolsista Ramiro Doyenart, também participante dos treinamentos, a experiência foi recompensadora. “Encerramos um ciclo de treinos e inúmeros testes. Construímos um caminho inexplorado. Percorremos até o lado obscuro da literatura e avançamos além do entendimento. Obrigado, curso de Educação Física Unesc, professores Alexandre e Luciano, e, especialmente, obrigado, Conrado”, destacou.

O Parapan-Americano acontecerá no final de agosto, nos 22, 23 e 24, em Lima, no Peru. Conrado já se consagrava como um dos nomes destaques da geração de mesatenistas da Classe 1, no ranking nacional adulto em 2018, quando garantira a vaga no Parapan.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 14 de agosto de 2019 às 17:45
Compartilhar Comente

Marcos Petry fala sobre o autismo na Unesc

Marcos Petry fala sobre o autismo na Unesc
Palestra nesta quinta-feira será aberta ao público (15/8) (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

A Unesc receberá Marcos Petry, youtuber e especialista em autismo reconhecido nacionalmente. O evento, organizado pelos Centros Acadêmicos de Licenciaturas, ocorre nesta quinta-feira (15/8), às 19h30, no Auditório Ruy Hulse. A entrada é aberta ao público e gratuita.

Com a temática “Autismo e os gatilhos de superação”, Petry vai abordar reflexões de seus estudos e experiências pessoais, contando como foi a descoberta do autismo em sua vida e sua trajetória de estudos e profissional.

Segundo o presidente do Centro Acadêmico de Pedagogia, Denis Vieira Morais, o evento tem o objetivo de transformar a visão sobre o potencial dos autistas e quebrar paradigmas na sociedade, também contribuindo para a experiência acadêmica na Universidade.

“Os estudantes de licenciatura encontram desafios na prática da profissão em momentos com crianças com necessidades especiais. A ideia é ter, por meio de um diálogo com o Marcos, um reforço e uma conscientização de que é possível o educador estar preparado para conduzir situações da melhor maneira possível, vendo o autismo com outros olhos”, explica Morais.

O evento será direcionado a profissionais, professores, alunos e familiares, abrangendo a vivência do autista no mundo, suas experiências, aspectos da sociabilidade, interação com o meio onde vive e inclusão.

Marcos Petry

Graduado em Comunicação Institucional e pós-graduado em Design Gráfico e Produção Publicitária pela UNIDAVI (Universidade para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí), Petry é pós-graduando em Transtorno do Espectro Autista pelo Instituto de Comportamento Infantil de Miami. O palestrante também domina quatro idiomas: Alemão, Inglês, Sueco e Espanhol. Seu canal no You Tube conta com mais de 100 mil assinantes e mais de um milhão e oitocentas mil visualizações. Clique aqui para conhecer o Diário de um Autista.

Leonardo Ferreira – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 13 de agosto de 2019 às 14:50
Compartilhar Comente