Artes Visuais - Licenciatura

Das mãos do ministro aos egressos da Unesc: Professores do Sul Catarinense recebem maior honraria da educação brasileira

Das mãos do ministro aos egressos da Unesc: Professores do Sul Catarinense recebem maior honraria da educação brasileira
Reconhecimento é entregue pelo Ministério da Educação e Gabinete da Presidência da República (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

A noite desta quarta-feira (12/12) será marcada na história da educação Sul Catarinense e na vida de dois egressos da Unesc. Os professores Mikael Miziescki, graduado em Artes Visuais, e Cristiane Dias, formada no curso de Letras, estão em Brasília para receber a Medalha da Ordem Nacional do Mérito Educativo, maior honraria da educação Brasileira, das mãos do Ministro Rossieli Soares da Silva. O presidente da República, Michel Temer, e outras autoridades políticas também participarão da solenidade.

O reconhecimento, entregue pelo Ministério da Educação e Gabinete da Presidência da República, será concedido aos professores pelo destaque no prêmio Educador Nota Dez, promovido pela Revista Abril e Rede Globo em outubro de 2018. A cerimônia de entrega da Medalha será realizada durante o 3º Encontro Formativo ProBNCC (Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular).

Momento único

O convite para receber a honraria foi uma surpresa para os professores. Cristiane conta que o chamado ocorreu durante a entrega do prêmio Educador Nota Dez. “O Ministro foi até o microfone, pediu a palavra e nos contou sobre a Medalha em meio a cerimônia, foi uma surpresa. Este tipo de reconhecimento impulsiona nosso trabalho e traz mais motivos para estar em sala de aula e fazer mais pelos estudantes”, destaca.

Veja o depoimento da professora 



Já para Miziescki, a surpresa foi um momento impar e recompensa a dedicação dos professores catarinenses. “Lidamos com muitas situações difíceis no dia a dia. Quando temos um reconhecimento como este não sabemos nem como reagir. Saber que seu trabalho está sendo reconhecido e a criação de seus alunos está recebendo visibilidade é gratificante, uma honra que jamais vou esquecer”, afirma.

Veja o depoimento do professor 



O Inglês como ferramenta de educação e inclusão



A iniciativa “We speak the same language” (Nós falamos a mesma língua), proposta pela professora de Inglês, desenvolve atividades interativas e explicativas, que retratam a importância da Língua Inglesa no dia a dia. “A intenção foi criar uma reflexão que vai da sala de aula, até a sociedade em que vivemos, colocando em pauta temas atuais como preconceito e educação”, conta.

Cristiane explica ainda que a ideia surgiu após presenciar a dificuldade de imigrantes se comunicarem com uma vendedora em um shopping da região. “Eles buscavam informações sobre empregos, mas nem a vendedora e nem ninguém conseguia ajudar. Então me ofereci para orientar. Quando estava indo para casa refleti sobre situação”, destaca.

Durante a atividade, os alunos escreveram diálogos e gravaram suas produções em áudio ou com ajuda de aplicativos, que permitiram criar “avatares” que ‘falam’ o texto digitado com diferentes sotaques, retratando as diversas possibilidades de conversação e sensibilizando os jovens para temas como empatia, respeito e diversidade.

Segundo a avaliadora do Educador Nota Dez, Laura Meloni Nassar, Cristiane dribla a ideia de que não se aprende Inglês em escola pública. “Ela mostrou a importância de ter uma língua em comum, trazendo para a aula conteúdos importantes para que as crianças pudessem conversar, pedir ou dar informações a quem precisasse, como a nomenclatura de lugares e as instruções para chegar até eles”, comentou Laura.

A atividade foi colocada em prática com alunos da escola Maria José Hülse Peixoto, do bairro Brasília.

Um novo olhar sobre a arte



A ideia de Miziescki utilizou da arte para desconstruir estereótipos e criar novos entendimentos sobre educação e criação de cultura. Por meio de estudos sobre a história da arte brasileira e mundial, produções de artistas catarinenses, visitas técnicas e atividades artísticas-culturais, que buscaram estimular um pensamento mais crítico nos pequenos artistas, o projeto “Morro Grande em Arte” questionou o que as crianças sabiam e revelou um novo olhar sobre a arte.

“Os alunos desconheciam artistas catarinenses e contemporâneos brasileiros. Existia um preconceito com relação ao abstrato e uma ridicularização da cultura local. Eles sofriam quando não atingiam suas expectativas perante a ideia de belo. Mesmo com todas as dificuldades, as produções e os conceitos foram me surpreendendo, quando percebi que eram muito inquietantes para ficar apenas restritas às paredes da escola”, frisa.

Implantada em 2014, a iniciativa propôs que os estudantes criassem sua própria versão da arte e resultou em mais de 800 produções, que já foram expostas para mais de 2.400 expectadores.

Após avaliar a iniciativa, a especialista de renome nacional em Educação Infantil e ensino de Arte, Marisa Szpigel – uma das avaliadoras do prêmio – destacou o projeto de Miziescki como inovador. “Ele coloca em foco os espaços e a curadoria, os tratando como conteúdo a ser estudado. Desde o início do ano os alunos sabem que seus trabalhos serão expostos, então se engajam em pesquisas sobre arte e a experimentam, com técnicas e linguagens ao elaborar suas criações”, destaca Marisa.

Educador Nota Dez

Em 2018, o Sul de Santa Catarina teve, pela primeira vez, professores reconhecidos como os melhores do Brasil pelo prêmio Educador Nota 10. Miziescki e Cristiane foram escolhidos, entres os dez projetos de destaque na Educação Básica Nacional, por suas práticas diferenciadas no ensino.

Criado em 1998, o Prêmio Educador Nota 10 reconhece professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. Ao longo das 20 edições realizadas, foram premiados 221 educadores, entre professores e gestores escolares, que receberam aproximadamente R$ 2,58 milhões.

Na edição de 2018, além dos egressos da Unesc, oito educadores de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo foram escolhidos. Em 21 anos, apenas cinco professores catarinenses foram contemplados. Além da Editora Abril e da Rede Globo, o prêmio é concedido pela Fundação Roberto Marinho e FVC (Fundação Victor Civita).

Texto e fotos de Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing
Produção audiovisual de Gregori Flauzino e Janine Limas - Unesc TV - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 11 de dezembro de 2018 às 16:35
Compartilhar Comente

Projeto Conexões Urbanas entrega Termo de Referência da Praça do bairro Jardim Angélica

Projeto Conexões Urbanas entrega Termo de Referência da Praça do bairro Jardim Angélica
Ação foi realizada pelos cusos de Arquitetura e Urbanismo e Artes Visuais (Fotos: Divulgação) Mais imagens

O Projeto Conexões Urbanas realizou, na última quinta-feira (6/8), a entrega do e Termo de Referência de Praça, no bairro Jardim Angélica de Criciúma, para Associação de Moradores do Bairro. O projeto de extensão é realizado pelos cursos de Arquitetura e Urbanismo e Artes Visuais da Unesc.

No encontro, foi entregue para o presidente da Associação de Moradores, Menandes Lourenço, o Termo de Referência para Praça no Bairro, documento que é produto do trabalho coletivo que está em desenvolvimento desde 2016 envolvendo os cursos e a Associação.

O objetivo do Projeto é desenvolver termos de referência, no âmbito da Arquitetura e Urbanismo e das Artes Visuais, apoiando as demandas comunitárias de qualificação dos espaços livres coletivos, com ênfase no planejamento ambiental, dos espaços livres, do paisagismo e da paisagem urbana, tomando a paisagem e o ambiente urbano como dimensões da arte na sua perspectiva lúdica, criativa, estética e poética.

O caderno contém o estudo preliminar de arquitetura para a Praça, os elementos e as definições trabalhadas pelo projeto junto com a comunidade, as imagens do estudo de Pedra Fundamental que marcará a atuação conjunta do projeto da área, além de outros elementos de apoio para viabilizar a sequência da ação coletiva e da continuidade da proposta no Bairro.

Participaram das atividades a coordenadora do Projeto, professora Elizabeth de Siervi, a  bolsista do projeto, Luana Milanes, o presidente da Associação de Moradores, Menandes Lourenço, e a arquiteta, Sofia Minatto, que atuou como voluntária nesta fase do Projeto.

Vitor Netto - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 07 de dezembro de 2018 às 20:08
Compartilhar Comente

Egresso de Artes Visuais homenageado em nível nacional

Com imenso prazer, o curso de Artes Visuais tem a honra de compartilhar com todos, a notícia recebida de nosso egresso Mikael Miziescki, que já foi contemplado com o Prêmio Professor Nota 10. Agora irá receber a maior honraria da educação brasileira: a medalha de honra ao mérito nacional. A cerimônia é organizada pelo Ministério da Educação e Gabinete da Presidência da República e acontecerá em Brasília no dia 12/12/2018.

Por: Rosilene Ricken 07 de dezembro de 2018 às 15:58
Compartilhar Comente

Celebração e homenagens: professor do Polo Arte na Escola da Unesc é reconhecido com o mais importante prêmio de educação da arte no Brasil

Celebração e homenagens: professor do Polo Arte na Escola da Unesc é reconhecido com o mais importante prêmio de educação da arte no Brasil
Encontro foi organizado pelos estudantes do PIBID (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Um momento para celebrar o reconhecimento. O professor Marcos Antônio dos Santos, integrante do Arte na Escola Polo Unesc, foi surpreendido pelos acadêmicos do PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência) em um encontro de alegria e homenagens. Na última quarta-feira (5/12), o docente foi reconhecido com o 19º Prêmio Arte na Escola Cidadã, organizado pelo Instituto Arte na Escola e considerado um dos mais importantes do Brasil. Ele foi escolhido na categoria “Educação de Jovens e Adultos”, em cerimônia realizada no Teatro do Museu Brasileiro da Escultura, em São Paulo.

A surpresa, organizada pelos estudantes, foi um momento com música, presentes e palavras de carinho. “Nosso sentimento é de gratidão. É incrível a experiência de aprender com este professor, de muita sensibilidade e muito conhecimento para compartilhar”, destaca a bolsista do Arte na Escola e do PIBID, Francine Nazário.

Conheça o projeto

Intitulado "Autorretratos: tecendo histórias e memórias nas aulas de Artes da Educação de Adultos", a iniciativa é baseada, segundo o professor, em relações de si próprio e do outro, do autoconhecimento a elaboração de conhecimentos e experiências com a arte e a cultura. O trabalho foi desenvolvido no Ceja (Centro de Educação de Jovens e Adultos) de Criciúma, nas escolas Joaquim Ramos e Heriberto Hülse.

Para o professor, a experiência obtida em sala de aula durante o desenvolvimento do projeto é de grande valor. ”Discutir Direitos Humanos e abordar o território da identidade com meus estudantes em linguagens e materialidades tão distintas, propiciou criações nas quais a autoria, a pesquisa e o envolvimento teceram uma história linda em sala de aula”, destacou.

Reconhecimento ao Polo Unesc

A premiação do Instituto Arte na Escola também reconheceu a Universidade e seu trabalho desenvolvido na educação regional. O Polo Unesc foi escolhido para avaliar os trabalhos presentes na penúltima etapa do prêmio, em âmbito regional. “É uma reafirmação do belo trabalho e das contribuições do Polo para a Universidade e para região Sul de Santa Catarina”, avaliou a coordenadora geral do Polo na Universidade, Silemar Maria de Medeiros da Silva, que entregou o troféu de reconhecimento ao professor Marcos Antônio dos Santos durante a cerimônia em São Paulo.

Os professores avaliadores do prêmio pela Unesc foram Luiz Gustavo Bieberbach Engroff, Edna Regina Baumer e Aurelia Honorato. O troféu entregue pelo Instituto é uma peça exclusiva criada pela artista Ester Grinspum.

O reconhecimento
 

O prêmio contou com a participação de professores e equipes de docentes que desenvolveram projetos nas áreas de artes visuais, dança, música ou teatro, nos anos de 2016, 2017 e até maio de 2018. Em 2018 o Brasil tem mais de 500 mil professores lecionando artes na Educação Básica.

Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 06 de dezembro de 2018 às 19:03
Compartilhar Comente

Cultura Popular de Santa Catarina pauta palestra na Unesc

Cultura Popular de Santa Catarina pauta palestra na Unesc
Evento contou com a participação de alunos do PIBID de Artes Visuais (Fotos: Vitor Netto) Mais imagens

Uma tarde para estudar e avivar a cultura popular da região. Assim foi a quinta-feira (29/11) dos alunos do PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) do curso de Artes Visuais da Unesc. Os estudantes puderam prestigiar a palestra “Cultura Popular em Santa Catarina”, ministrada pela acadêmica de Artes Visuais, Cátia Hahn.

A palestra abordou a cultura regional do estado e as perspectivas do projeto Boi de Mamão na Comunidade, da Unesc. O objetivo principal foi de dialogar com os acadêmicos e fomentar o assunto dentro da Universidade, apresentando os resultados do projeto.

Cultura popular é uma manifestação espontânea e simples com características regionais e que muitas vezes transmitidos entre gerações. Entre as expressões artísticas que se destacam na região, está o Boi de Mamão; a Festa do Divino; Diálogos Populares; Gastronomia; e a diversidade proveniente das diversas etnias da região.

“Nós nos identificamos com a cultura e às vezes, nós só sentimos falta quando estamos longe”, explica Cátia. “Isso nos faz ter um pertencimento com a cultura, faz com que nós nos sentimos pertencentes aquele lugar, precisando das nossas raízes, identificando quem somos”, acrescenta.

De acordo com a professora Silemar Maria de Medeiros da Silva, o encontro teve o objetivo de promover entre os alunos o assunto. “Um momento para pararmos para pensar um pouco sobre isso, falar sobre cultura e as manifestações existentes nela”, comenta.

Intercâmbio Cultural

Cátia também é presidente da Casa da Fraternidade, de Araranguá, que, como a Unesc, é um Ponto de Cultura. Pontos de Cultura são grupos, coletivos e entidades de natureza ou finalidade cultural, que desenvolvem e articulam atividades em suas comunidades e em redes, reconhecidos e certificados pelo Ministério da Cultura, por meio dos instrumentos da Política Nacional de Cultura Viva.

Boi de Mamão na Comunidade

O projeto Boi de Mamão na Comunidade é uma iniciativa do Setor Arte e Cultura e tem por objetivo realizar a oficina de Boi de Mamão em duas escolas públicas de Criciúma. Atualmente, a ação é desenvolvida nas Escolas Heriberto Hülse, no bairro Próspera, e Ludovico Coccolo, no bairro São Luiz, e busca fomentar a cultura açoriana, por meio de conceitos de personagens, cantorias e diálogos entre as linguagens musical, teatral, literária e visual.

O evento contou com a participação da coordenadora do Setor de Arte e Cultura da Unesc, Amalhene Baesso Reddig, e do produtor cultural da Unesc, Maxwell Sandeer Flor.

Vitor Netto - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Vitor Netto 30 de novembro de 2018 às 14:47
Compartilhar Comente