Artes Visuais - Licenciatura

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Escolha Unesc: Gêmeos compartilham a paixão em ser professor

Escolha Unesc: Gêmeos compartilham a paixão em ser professor
Ramon e Dairan ingressaram com 100% de bolsa pelo Escolha Unesc (Foto: Mayra Lima) Mais imagens

Sorriso, cor dos olhos, cabelos, jeito de andar, tudo em dobro. Ao longe, os gêmeos idênticos Ramon e Dairan Selau chamam a atenção por gostarem de ser iguais, das roupas às tatuagens. No entanto, o que eles não imaginavam é que a profissão também seria a mesma: ser professor. A paixão nasceu no coração dos dois por meio da irmã, que seguiu pelo mesmo caminho. Vindos de Morrinhos do Sul, os gaúchos encontraram no Escolha Unesc a oportunidade de concretizar o sonho de entrar no Ensino Superior.

Com 100% de bolsa nas Licenciaturas, Ramon entrou no curso de Geografia, e Dairan optou pelo curso de Artes Visuais. Segundo eles, se não fosse essa oportunidade, seria impossível ingressar em uma Universidade. “A bolsa possibilitou a entrada dos dois juntos no Ensino Superior. Somos de muito longe, seria impossível nos mantermos e ainda pagar a mensalidade”, comentou Ramon.

Contato com a profissão

Logo assim que entraram no curso, os dois conseguiram estágio na mesma escola. Atualmente, os gêmeos atuam como auxiliares na Escola Marcilio Dias Santiago, localizada na Vila Manaus. Eles comentam que o contato com a profissão ainda no início da graduação mostrou a certeza do caminho a ser seguido: transformar a sociedade por meio da educação.

“A vulnerabilidade do bairro em que a escola está inserida é grande, muitas possuem a família extremamente desestruturada. De início você pensa que não vai conseguir alcançar as crianças, mais aí você percebe que muitas precisam só de atenção e carinho para criarem confiança, e é neste caminho que se fortaleceu o aprendizado. Elas só precisam de um exemplo que possa influencia-las a seguirem o rumo certo, e esse é o papel do professor.”, comentou Ramon.

Dairan conta que ao ter contato com a sala de aula, ele associou a atual situação do Brasil com o desempenho dos alunos. “O estímulo dado pelo professor aos estudantes é fundamental na formação deles como cidadãos. Ele faz muito mais do que os políticos que estão lá em cima no poder. Falta educação no país, e ela é a saída para os nossos problemas, o que fortalece ainda mais a vontade de atuar na Rede Pública de Ensino”, afirmou o aluno.

Escolha Unesc

Os interessados em ingressar no Ensino Superior em 2018 podem participar do Escolha Unesc, que está com inscrições abertas (online) até o dia 9 de março. As inscrições também ocorrem de forma presencial, sendo que o primeiro período é entre 27 de novembro e 21 de dezembro.

O ingresso se dá por meio do Histórico Escolar e o acadêmico tem a oportunidade de participar do Nossa Bolsa, e ser beneficiado com bolsas de estudos de 70% ou 100%, dependendo do seu perfil socioeconômico. Na primeira fase, também há a possibilidade de descontos de 30% ou 20%

Na Unesc, o calouro vai encontrar cursos nas áreas de educação, saúde, ciências sociais aplicadas, engenharia e tecnologia avaliados pelo MEC (Ministério da Educação) com notas 4 e 5 – de um máximo de 5 – devido a qualidade de seu processo de aprendizagem, infraestrutura e qualificação dos professores da Unesc. 

Confira mais informações (clique aqui)

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Mayra Antonio De Lima 27 de novembro de 2017 às 21:06
Compartilhar Comente

Uma perspectiva do mundo pelos olhos das crianças e adolescentes do Lar Nossa Casa

Uma perspectiva do mundo pelos olhos das crianças e adolescentes do Lar Nossa Casa
Exposição pode ser visitada no Shopping Della, das 9 às 21 horas (Foto: Divulgação) Mais imagens

Os olhares sobre o mundo das crianças e adolescentes, do Lar Nossa Casa vão virar uma exposição de arte. A mostra “Expressão do Eu” foi criada através de um projeto desenvolvido na Unesc, que fomentou o lado artístico dos beneficiados pela entidade. As obras podem ser visitadas a partir desta sexta-feira (24/11), no Shopping Della, das 9 às 21 horas, e fica disponível até o dia 4 de dezembro.

O projeto vem sendo desenvolvido desde 2 de outubro deste ano, e propôs que os pequenos artistas expressassem sua criatividade através de desenhos. A acadêmica de Artes Visuais e idealizadora do projeto, Paloma Marques, conta que a ideia era dar cor ao dia no Lar, e mostrar o mundo pelos olhos dos moradores. “Exploramos dentro de cada um a magia que as tintas e os lápis de cor possibilitam. Nossa proposta inicial foi tirá-los da zona de conforto e proporcionar momentos de criatividade e diversão”, explicou Paloma.

Durante a criação das obras, os artistas participaram de oficinas conduzidas por Paloma e sua colega no projeto, Oniela Machado, e pela também aluna de Artes Visuais da Unesc Camila Venzon. Elas receberam as orientações da professora Katiuscia Micaela de Oliveira.

A chegada


Paloma conta que o projeto foi bem recebido pelos 16 moradores. “Elas têm de 2 a 17 anos e ficamos muito felizes quando nos recepcionaram com muito carinho e atenção. Brincamos bastante, nos divertimos, mas eles também se concentraram e produziram com muito empenho”, destacou.

E apesar do pouco tempo, o projeto já possibilitou laços. “Foi algo desafiador, mas muito satisfatório. Eles aprenderam um pouco com a gente e nós aprendemos muito com elas. O sorriso e a alegria deles é algo contagiante e que nos marcou. Se tivermos outras oportunidades com certeza iremos seguir em frente com esse projeto”, comenta Paloma.

Lar Nossa Casa

O local atende crianças e adolescentes de zero a 18 anos. A entidade é formada por colaboradores e voluntários que buscam acolher e remover pessoas de situações de risco social.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 24 de novembro de 2017 às 11:57
Compartilhar Comente

Unesc recebe exposição “OBA-OBA”

Unesc recebe exposição “OBA-OBA”
As obras que compõe o acervo são de dois importantes artistas locais (Fotos: Vitor Netto) Mais imagens

Com o objetivo de aproximar os acadêmicos da arte e da cultura dentro da Universidade, a Unesc realiza a exposição “OBA-OBA”. A mostra traz as obras de autoria de Gilberto Pegoraro e Jussara Guimarães e estão expostas na Sala Edi Balod, localizada no Bloco Administrativo.

A exposição vem com o intuito de resgatar parte da história dos artistas, que foram nomes importantes para os ateliês de Gravura e Serigrafia e de Escultura e Cerâmica do curso de Artes Visuais. Ela é gratuita e organizada pelos acadêmicos da quarta fase de Artes Visuais da Unesc.

“A mostra é um projeto desenvolvido durante a disciplina de Museologia em Arte e Expografia e o objetivo dessa atividade é por em prática os conceitos e processos discutidos durante as aulas”, explica a professora da disciplina e coordenadora da exposição, Daniele Zacarão.

De acordo com a professora, os alunos se empenharam integralmente para a realização da atividade. “Eles se apaixonaram pelo trabalho dos artistas. Realizaram entrevistas, pesquisaram em arquivos e visitaram coleções. Também estão organizando um pequeno documentário a partir de todas as referências coletadas”.

A acadêmica Helen Macedo faz parte do grupo que organizou a exposição. "Nós dividimos as funções entre turma e desenvolvemos o processo. Foi muito interessante, pois tivemos que ir atrás de tudo e descobrir realmente como se organiza e monta uma mostra de arte".

A escolha de Pegoraro e Jussara partiu dos próprios acadêmicos. Os artistas foram professores do curso, que nomeiam dois ateliês dentro da Unesc. "Tivemos um pouco de trabalho na coleta das informações e das obras. Realizamos pesquisas com as pessoas que foram mais próximas dos artistas para conseguir isso. Muitos moradores da cidade não conhecem eles, sendo que a Jussara por exemplo, teve suas obras expostas até no exterior”, ressalta Helen.

A abertura da exposição ocorreu na última semana e contou com a participação de artistas do Sul do Estado, que utilizaram do momento para fazer declarações sobre a importante atuação de Pegoraro e Jussara para o desenvolvimento da arte local.

O nome “OBA-OBA” remete ao apelido usado nas décadas de 70 e 80, para referir-se ao Bloco de Artes da Fucri (atual Bloco Z).

As obras podem ser vistas na Unesc até o dia 23 de fevereiro de 2018.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 21 de novembro de 2017 às 17:05
Compartilhar Comente

Unesc recebe exposição OBA-OBA

Unesc recebe exposição OBA-OBA
As obras que compõe o acervo remetem as práticas de Museologia e Expografia (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Com o objetivo de aproximar os acadêmicos da arte e da cultura dentro da Universidade, a Unesc recebe a partir das 20h30 desta terça-feira (14/11), a exposição “OBA-OBA”. O evento, traz as obras de autoria de Gilberto Pegoraro e Jussara Guimarães. Elas serão expostas na Sala Edi Balod, no Bloco Administrativo.

A exposição vem com o intuito de resgatar parte da história dos artistas, que foram nomes importantes para os ateliês de Gravura e Serigrafia e de Escultura e Cerâmica do curso de Artes Visuais. As obras compõe o acervo que acompanham as práticas de Museologia e Expografia dos autores.

O nome da exposição “OBA-OBA” remete ao apelido usado nas décadas de 70 e 80,  para referir-se ao bloco de Artes da Fucri (atual Bloco Z).

A mostra estará aberta ao público de 16 de novembro de 2017 a 23 de fevereiro de 2018. A exposição é gratuita e organizada pelos acadêmicos da disciplina de Museologia em Arte e Expografia do curso de Artes Visuais, com a coordenação da professora Daniele Zacarão.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 14 de novembro de 2017 às 16:54
Compartilhar Comente

Coletiva de Artistas do Sul traz produções que convidam à reflexão

Coletiva de Artistas do Sul traz produções que convidam à reflexão
Mostra foi aberta na noite desta sexta-feira (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A arte e a cultura regional ganharam mais uma vez espaço na Universidade. Na noite desta sexta-feira (10/11), foi aberta a 3ª Coletiva de Artistas do Sul, com produções de  20 artistas de oito municípios da região. A exposição pode ser apreciada até março de 2018 no Espaço Cultural “Toque de Arte”, localizado no hall do Bloco Administrativo, e traz obras em pintura, instalação, objeto, fotografia, escultura, computação gráfica, serigrafia, xilogravura e desenho.

O artista Edi Balod, falou em nome dos expositores e além de agradecer pela oportunidade dada para artistas experientes e iniciantes, chamou a atenção para a qualidade dos trabalhos e o cuidado da organização desde o edital até a curadoria e a montagem da mostra. “A Coletiva de Artistas teve uma curadoria competente e uma equipe com profissionalismo e cuidado com as obras e os artistas”.

Para o diretor da UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação) e um dos curadores da exposição, Marcelo Feldhaus, foram encaminhadas 72 propostas para avaliação da curadoria e os trabalhos tinham uma elevada qualidade. Ele explicou que as obras não foram agrupadas em blocos, mas dispostas de maneira que dialogassem entre si e promovessem reflexão. “A arte produz pensamento e a Coletiva colabora com a disseminação da cultura regional e convida à refletir sobre diversos temas da nossa realidade”, comenta.

A coordenadora do Setor de Arte e Cultura da Unesc, Amalhene Baesso Reddig, contou que na primeira Coletiva de Artistas do Sul, a Universidade teve a parceria da Fundação Cultural de Criciúma e catálogos foram impressos. Na segunda, em 2015, além de impressos, os catálogos estiveram disponíveis na versão online. Já na terceira edição, Amalhene informou que 300 catálogos com as produções expostas serão impressos e distribuídos para escolas públicas e bibliotecas da região, além da versão online que será disponibilizada no site da Unesc. “Nós acreditamos que a arte tem poder de transformação de espaços e pessoas”, afirmou, agradecendo aos artistas, à equipe e aos patrocinadores do evento.

Já a curadora Daniele Zacarão, lembrou que a Coletiva também é um espaço de pesquisa para os artistas da região e abordou a importância do incentivo a projetos como este.

Coletiva também abre as portas para artistas iniciantes

CJ Bonroy, aluno da quarta fase de Artes Visuais, é um dos 20 artistas selecionados para a Coletiva. Ele conta que desde cedo teve interesse pela arte. “Eu cresci em um local que não tinha espaços culturais e de exposições de arte, mas eu sempre fui apaixonado pela área e sempre li vários livros do assunto. Quando eu decidi fazer graduação, eu sabia que era Artes Visuais o curso que iria fazer. Estou gostando muito do curso e estou experimentando várias possibilidades de linguagens artísticas.”, afirma.

CJ Bonroy atualmente reside em Cocal do Sul e a sua obra, Vanitas, é uma produção tridimensional. "Vanitas procura estabelecer diálogos sobre a fragilidade e efemeridade da vida, e também, sobre os espaços culturais que morrem nos centros urbanos. Em minha produção, procuro fazer uma relação com o Centro Cultural Jorge Zanatta, que se encontra em condições lastimáveis. No entanto, por um grupo de pessoas engajadas na luta pela arte e pela cultura, o Centro Cultural Jorge Zanatta continua respirando em meio a uma cidade que cresce descontroladamente a sua volta."

Apresentações culturais


A Coletiva também abriu espaço para apresentações de dança, música e performance. O Grupo Dallas foi o responsável pela música do evento, que contou ainda com a apresentação do grupo de dança Maria da Glória, com a coreografia Operários, do coreógrafo e estudante de Artes Visuais da Unesc, Walter Gobbo.

As apresentações culturais enceraram com a performance “Não Recomendado”, de Ohara Gray, a identidade de Kauê Mateus Beletini, acadêmico de Artes Visuais.

União pela arte e pela cultura

A Coletiva que reúne artistas da região Sul é realizada por uma parceria entre a Universidade e o Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, e recebe auxílio financeiro da Betha Sistemas, da Anjo Tintas e do Bistek Supermercados.

Mais informações

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 10 de novembro de 2017 às 22:09
Compartilhar Comente