História

Experiência: acadêmicos da Unesc visitam aldeia indígena

Experiência: acadêmicos da Unesc visitam aldeia indígena
Saída de campo ocorreu no fim de semana (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Colocar em prática os ensinamentos em sala de aula e aproximar cada vez mais a Unesc da comunidade indígena, além de promover a troca de informações com temáticas voltadas às técnicas culturais desses povos. Esses foram alguns dos intuitos da saída de campo de cerca de 30 alunos dos cursos de Ciências da Religião, História, Geografia, Ciências Biológicas e de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da Universidade, juntamente dos professores da Universidade, em visita à Aldeia Tekoá Marangatu, em Imaruí.

O encontro ocorreu no sábado (14/05) e teve a participação dos professores doutores Cristiane Damiani Tomasi e Jacks Soratto do Programa de Pós-graduação em Saúde de Coletiva (PPGSCol) e Juliano Bitencourt Campos do Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais (PPGCA).

O grupo contou com a hospitalidade do Fabiano Alves (Karai), junto ao indigenista mestre João Alberto Ramos Batanolli. Após as boas-vindas, eles foram puderam conhecer sobre os modos de vida da aldeia e das plantas, participaram de uma roda de conversa e de apresentação musical, além de uma visita à Opy, a Casa de Reza.

Os acadêmicos também puderam saber um pouco mais sobre a venda de artesanato e ainda foram levados até Dona Maria, anciã da aldeia e guardiã dos saberes tradicionais, que abençoou a turma com palavras no idioma original.

Durante a atividade, conforme o professor doutor Juliano Bitencourt Campos, os acadêmicos tiraram dúvidas e aprenderam diversas questões ligadas a moradia, educação, religião, entre outras tradições. “O encontro é muito importante para promover troca de informações. Eles estão aqui, muito próximos, e possuem uma cultura completamente diferente e bastante preservada na aldeia”, disse.

Campos também orienta Fabiano Alves (Karai) que é mestrando do (PPGCA) da Unesc sob a temática “Nhande Reko Yvyrupa py: Modo de Viver Guarani no Etnoterritório” e é o primeiro estudante indígena da história da Unesc. 

Para o mestrando, que também é professor da Escola Bilíngue da Aldeia, o ensino bilíngue composto de disciplinas formais e cultura indígena, transmitido em processo de alfabetização e progressão em língua portuguesa e tupi-guarani, é uma educação restrita ao aprendizado da profissão. “Mas a educação para a vida, os valores e o respeito pelos mais velhos, pelos outros e pela natureza, o caráter sagrado da vida, aprendemos é na Opy, nas palavras dos tcheramoi (idosos) e dos pajés”, relatou ele, que foi o responsável em receber o grupo da Unesc.

Fabiano também teve participações junto às disciplinas de Saúde e Sociedade e Interação Comunitária dos cursos de Enfermagem e Medicina respectivamente, falando da cultura indígena e das formas de enfrentamento à doença na perspectiva Guarani.

Para o professor Jacks Soratto, conhecer os costumes, crenças dos povos originários é importante para entender o conceito de saúde sobre outra perspectiva. “A proposta é que a Universidade esteja mais presente neste espaço, aprendendo e colaborando com demandas nas diversas áreas do conhecimento”, sublinhou.

Cultura

Durante o encontro, Batanolli ressaltou a beleza do povo Guarani e no quanto se faz parte dessa cultura sem nem perceber. “Eu sinto e vejo que o Guarani já está dentro de nós. Somos povos originários, mas pelo predomínio de uma cultura, a gente não se dá a conhecer. Mas a nossa musicalidade, nossa amorosidade, nosso alto grau de inteligência emocional, que é reconhecido na Europa pelos outros povos, mostra isso, nós temos essa herança indígena no espírito brasileiro”, enfatizou o indigenista.

Aprendizado

Para a acadêmica do curso de Ciências da Religião, Agda Alano, a visita proporcionou momentos de reflexão, aprendizado e alegria. “Ao final fizemos uma confraternização e agradecemos todo carinho também ao nosso colega acadêmico Fabiano (Karai), ao professor João Alberto Ramos Batanolli e ao nosso professor Juliano Bitencourt Campos, que ensinou muito mais que conhecimento, mas o cuidado com que devemos entrar na nossa casa Natureza”, finalizou Agda. A saída de campo à Aldeia fez parte do encerramento de semestre da Disciplina de Espaço, Ecologia e Sustentabilidade do curso de Ciências da Religião ministrada por Campos.

Onde fica a Aldeia

A Aldeia fica localizada no município de Imaruí, possui uma área 84 hectares e tem uma população de aproximadamente 300 indígenas.

Também foram entregues roupas, alimentos arrecadados pelos alunos envolvidos. A Fumacense alimentos foi uma empresa parceria que concedeu mais de 300 quilos de arroz a serem doados à comunidade.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

16 de maio de 2022 às 17:06
Compartilhar Comente

Humanidades, Ciências e Educação da Unesc: Aprender para ensinar

Humanidades, Ciências e Educação da Unesc: Aprender para ensinar
Mais imagens

Alguma vez, sentado em sua cadeira, vendo o professor gesticular e falar, você já se imaginou no lugar dele? Pensou em como explicaria o conteúdo ou em como seria a sua letra no quadro?

Ensinar é um ato nobre e a Unesc tem tradição em bem preparar os profissionais para que passem os ensinamentos à frente, formando, por consequência, ótimos profissionais.

Dentro da área de Humanidades, Ciências e Educação, a Universidade possui os cursos de Artes Visuais, Ciências Biológicas, Ciências da Religião, Física, Geografia, História, Letras, Letras – Inglês, Letras – Inglês (segunda licenciatura), Matemática, Pedagogia, Educação Física e Química. Para quem não tem a intenção de se tornar professor, a mesma área disponibiliza os cursos de Artes, Teatro e Ciências Biológicas, todos com algo em comum: a ótima estrutura e excelência dos professores. “O forte da área, dentro da Instituição, além de ter os bacharelados, que há anos formam excelentes profissionais, é o olhar para a formação de professores. A Unesc tem esta visão e esta política. A formação de professores da Universidade, podemos dizer, é prioritária, tendo a atração e a permanência de estudantes no campus”, relata o Coordenador dos cursos da Área de Humanidades, Ciências e Educação, Ismael Gonçalves Alves.

Outro benefício para aqueles que ingressam em um dos cursos de licenciatura está na integração uns com os outros. “Tem uma parte dela que você faz em conjunto. Os cursos se misturam, porque, sendo professor, você vai lidar com alunos de todos os tipos, então na Universidade já oferecemos esta possibilidade: o aluno de Matemática, estuda com um aluno de História, que estuda com um aluno de Geografia. Ali dentro das disciplinas que chamamos de núcleo comum, todos estudam com todos. Este é o primeiro diferencial da Unesc, estas licenciaturas integradas, algo que talvez seja uma das primeiras experiências da instituição de integração de currículo, uma integração que acontece de fato, porque os alunos se percebem dentro da sala de aula pelas diferenças, pensando diferente dentro de suas áreas”, cita Alves.

Outro fato positivo é a experiência dos docentes que atuam na Universidade, que lecionam, inclusive, em programas de pós-graduação.

Na prática

Os acadêmicos dos cursos da área de Humanidades, Ciências e Educação da Unesc, não se limitam às salas de aula, Os ensinamentos são repassados também através dos muitos laboratórios e espaços preparados para oportunizar novas experiências e ampliar o aprendizado. “Temos diferentes laboratórios, ateliês em Artes, o Centro de Memória e Documentação (Cedoc), a Sala Edi Balod, a brinquedoteca, laboratório de educação da Pedagogia, de Matemática, ou seja, todos os cursos têm laboratórios que oferecem, de certa forma, uma experiência ao acadêmico. Eles são preparados para a docência, mas circulam por estes laboratórios, onde desenvolvem o conhecimento científico dentro de suas áreas de formação”, diz.

A Unesc ainda inclui os alunos em dois programas de formação à docência: o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e a Residência Pedagógica.

Possibilidades

As matrículas para o segundo semestre de 2022 já estão abertas, sendo que os interessados podem procurar a Central de Atendimento ao Acadêmico (Centac). “Lá, os profissionais da Unesc estão preparados para tirar as dúvidas. Conseguem adequar a experiência da pessoa que quer entrar na Unesc com os cursos, apresentam as possibilidades de financiamento, bolsas e o acesso aos programas da Instituição são esclarecidos. Caso a pessoa opte, ainda pode procurar a coordenação de cada curso e, se tiver interesse, participar de uma aula experimental, como se fosse um aluno regularmente matriculado”, revela o coordenador.

Alves lembra ainda que os cursos de Ciências da Religião, Química, Física e Inglês, podem ser cursados gratuitamente, por meio do UniEdu, do Governo do Estado. Além de receber a bolsa de 100%, eles ganham uma ajuda de custo de R$ 400. “Temos ainda a política instituição de bolsa de estudo de 50% a 100%. Pelo Governo do Estado há o Proesde de licenciatura. A Unesc também oferece a possibilidade da iniciação científica, onde ele tem a primeira experiência como pesquisador”, pontua.

Informações

Interessados em iniciar na Universidade uma nova jornada de evolução pessoal e profissional podem entrar em contato para obter mais informações sobre as inúmeras possibilidades, oportunidades de bolsas, descontos e formas de ingresso pelo Whatsapp (48) 99915-0433.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

12 de maio de 2022 às 13:24
Compartilhar Comente

Meleiro tem Plano de Desenvolvimento Socioeconômico lançado com grandes expectativas

Meleiro tem Plano de Desenvolvimento Socioeconômico lançado com grandes expectativas
Fotos: Mayara Cardoso/Agecom/Unesc Mais imagens

Chegou a vez de Meleiro celebrar um passo significativo na caminhada para o desenvolvimento socioeconômico acelerado. Nesta segunda-feira (02/05), a chuva que insistiu em cair em toda a região não foi o suficiente para afastar a comunidade do Lançamento do Plano de Desenvolvimento Socieconômico, primeiro passo do projeto realizado pela Unesc em parceria com o Sebrae e a Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc).

A metodologia a ser aplicada pela Unesc ao longo dos próximos meses foi apresentada pela pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unesc, Gisele Coelho Lopes. Apesar de dominar as técnicas de planejamento e de análise de dados, conforme Gisele, não será a Unesc a responsável pelo sucesso da ação. “Nós iremos nortear esse processo, mas ele será um sucesso graças ao envolvimento de todos vocês que estão aqui no lançamento e dos que estarão conosco nas próximas etapas de trabalho. Unesc, Sebrae/SC, Amesc e Município estão unindo forças para esse resultado. Quando grandes atores como essas se unem em prol de um objetivo os frutos são inevitavelmente bons”, destacou no evento.

A noite de lançamento do sexto Plano entre os municípios da Amesc, para Gisele, marca mais um momento de grande honra para a Universidade. “A cada encontro como este me sinto privilegiada por podermos estar juntos dos municípios pensando de forma consciente o cenário no qual queremos estar daqui a dez anos. Cada uma das pessoas que participar estará ajudando a definir as rotas a serem percorridas para alcançar os objetivos vislumbrados”, pontuou.

Em mensagem transmitida no evento, a reitora Luciane Bisognin Ceretta deixou também seu recado à comunidade de Meleiro. “Tenho certeza de que o Plano de Desenvolvimento será um divisor de águas para esta cidade de povo guerreiro e engajada. Estamos juntos nesse desafio, ancorados em instituições dispostas a dar o seu melhor pelo objetivo comum. Contem conosco sempre”, enfatizou Luciane.

Oportunidade ímpar

A expectativa no Município é das melhores. Ao menos é o que garante o vice-prefeito Pedro Luiz Schuvartz, que vê no desafio uma grande oportunidade. “Não é algo que já vem elaborado. Não vem em um pacotinho. Vai ser feito com a participação do município, do empresário, agricultor, do varejista. Acho que isso é o mais importante. Se precisamos crescer e sermos melhores, vamos começar com nós mesmos e com planejamento”, pontuou.

Para o prefeito Eder Mattos, este é o momento de analisar os motivos que fizeram com que a cidade deixasse de se desenvolver e, paralelamente, aprender com as lideranças para tomar atitudes ainda mais acertadas daqui em diante. “Cabe neste momento a comparação com os demais municípios e o resgate histórico. Se olharmos os dados atuais vamos observar que Meleiro se destaca em muitas áreas, fruto da dedicação do povo daqui. Nossa raça é trabalhadora e é por ela também que precisamos prospectar o futuro”, acrescentou.

Representando a Regional Sul do Sebrae/SC, Marcos Tondin destacou o significado da participação ativa da comunidade no evento. “Vocês todos poderiam estar confortáveis em casa neste dia de frio e chuva, mas estão aqui dispostos a participar de um movimento que olha para o futuro. Tenho certeza de que é esse empenho que fará a diferença para o sucesso dessa iniciativa na qual Unesc e Sebrae estão juntos dos municípios”, pontuou, enaltecendo ainda a beleza da apresentação que marcou a abertura do evento.

Do TCC à realidade

A egressa do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unesc, Cristina Zeni, natural de Meleiro, já é uma representante ativa da Universidade no Município. Ela estudou minuciosamente um Plano de Mobilidade Urbana como tema do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da graduação e já apresentou no gabinete do prefeito para implementação na cidade. Na noite de lançamento do Plano, a egressa e o prefeito apresentaram ao público o projeto e mostraram que a pesquisa já será valiosa para as diretrizes que serão definidas a partir de agora.

Para Cristina, ver seu projeto sendo apresentado em um evento de tamanha importância e, principalmente, vislumbrar sua implementação, é emocionante. “Fiquei realmente emocionada vendo meu trabalho sendo levado em consideração dessa forma. É muito bom ser ouvida e saber que meu estudo poderá ajudar na prática de uma cidade melhor”, destacou.

A participação da profissional é motivo de inspiração para o adolescente Gabriel Cauã Longaretti Toldo, presidente do Grêmio Estudantil da Escola Inês Tonelli Nápoli, de Araranguá, que cediou o evento. O aluno da rede municipal de ensino foi convidado a compor a mesa de autoridades da noite e aproveitou a oportunidade. “Acho muito importante participarmos desses encontros e das decisões que farão parte do nosso futuro. Vou incentivar a todos os jovens que participem dos workshops e acompanhem de perto este projeto que fará a diferença na vida de todos nós”, pontuou.

Esporte e arte

Os participantes foram presenteados com a participação especial do Grupo de Capoeira Armada Brasil, formado por crianças do Grupo de Convivência do CRAS 1 de Meleiro.

O próximo encontro de trabalho do Plano de Desenvolvimento Socioeconômico será realizado no dia 17 de maio às 14h de forma virtual para o primeiro Workshop.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

03 de maio de 2022 às 12:05
Compartilhar Comente

Presidente do DCE da Unesc assume conselho de estudantes da Acafe

Presidente do DCE da Unesc assume conselho de estudantes da Acafe
Foto: Divulgação Mais imagens

O presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE), da Unesc, Vittor Teixeira, assumiu a presidência do Conselho dos DCE’s da Acafe. Ele permanece no cargo até o fim de 2022. “O meu nome foi escolhido em reunião realizada em Itajaí. Permanecerei nesta função até o fim do ano”, salienta Teixeira.

O conselho representa todos os DCEs das Universidades Comunitárias, integrantes do Sistema Acafe, e Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Antes de Teixeira, o presidente era Leandro Freitas, do DCE da Univale, que estava no cargo desde o ano passado. “Fico muito honrado e feliz em poder representar a Unesc neste espaço e poder também fortalecer as lutas das comunitárias. Presidir o conselho será um grande desafio e vai exigir muita responsabilidade e trabalho, o qual me sinto muito confortável para encabeçar, pois os conselheiros são muito presentes e atentos às demandas dos estudantes”, enfatiza.

Vittor foi eleito presidente do DCE da Unesc após receber 1.919 votos, em eleição realizada no ano passado. “Ficamos felizes pelo reconhecimento do nosso movimento estudantil, tendo como resultado a escolha para presidir o Conselho dos DCE’s da Acafe. É um reconhecimento que nos enche de orgulho, pois os alunos nos ajudam a construir o ser e o fazer de uma Universidade Comunitária como a Unesc”, destaca a Reitora Luciane Bisognin Ceretta.

Bandeira

Teixeira revela que a principal bandeira frente ao conselho será ampliar a defesa do Programa Uniedu e continuar dialogando com os DCE’s da Acafe. “Tudo isso para garantir a manutenção do 90/10 das bolsas Uniedu, que são fundamentais para a permanência estudantil e manutenção das nossas universidades, que todo recurso investido reverte para a comunidade através dos seus programas de pesquisa e extensão”, pontua.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

03 de maio de 2022 às 11:58
Compartilhar Comente

Unesc abre programação da 5ª Semana Indígena nesta quarta-feira

Unesc abre programação da 5ª Semana Indígena nesta quarta-feira
Evento conta com exposições e rodas de conversa (Fotos: Daniela Savi/Agecom/Unesc) Mais imagens

Literatura Indígena, Educação e Mudanças Climáticas estarão na pauta da 5ª Semana Indígena da Unesc. O evento terá abertura oficial nesta quarta-feira (20/4) com a Roda de Conversa Virtual entre o professor indígena Francisco Moreira Alves (Kuaray), o mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA), Fabiano Alves e com o professor de História da Universidade, Paulo Sérgio Osório, como mediador. Os participantes farão um debate sobre a Cultura e História Guarani Mbya. Uma sessão de curtas indígenas brasileiros também faz parte da programação desta quarta-feira. A atração será no Palco Quintas Culturais, na Unesc, das 17 às 18h.

Ao longo dos próximos dias o evento contará ainda com exposições de Acervos da cultura indígena brasileira no Museu da Infância, de 19 a 30 de abril e do Povoamento do Sul de Santa Catarina: 4 mil anos de história, no Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz (Lápis), no Parque Científico e Tecnológico (Iparque) da Unesc, aberto à visitação até o dia 30 de junho, quando encerra a programação da Semana Indígena.

"A semana indígena é um evento institucional que promove reflexões a respeito das culturas indígenas possibilitando trocas de conhecimento e a valorização destas culturas como constituintes de nossa sociedade”, comentou a coordenadora do curso de História, Michele Gonçalves Cardoso.

No dia 17 de maio a programação envolve Roda de Conversa com o tema Literatura Indígena e Educação Infantil com Edson Kayapó e com o Núcleo de Estudos Étnico-Raciais, Afro-Brasileiros, Indígenas e de Minorias (NEABI) como mediador. Kayapó pertence ao povo Mebengokré e é ativista do movimento indígena e ambientalista no Brasil. É doutor pelo Programa de Educação: História, Política e Sociedade (EHPS) pela PUC de São Paulo e mestre em História social pela mesma instituição.

Já no dia 2 de junho haverá Roda de Conversa sobre Literatura Indígena e Mudanças Climáticas com Márcia Wayna Kambeba e também com o NEABI como mediador. Ela é ativista e escritora do Movimento Indígena, pertencente à etnia Omágua/Kambeba. A palestrante nasceu e viveu na Aldeia Ticuna, na Amazônia até os oito anos. Graduou-se em Geografia pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e fez mestrado na Universidade Federal do Amazonas. 

Abertura

A abertura da programação contou com a apresentação do documentário “A Vida Guarani”, com depoimentos de Werá Tupã Leonardo, liderança indígena Guarani. O evento ocorreu no Hall do Museu de Zoologia da Unesc.

A 5ª edição é uma organização da Unesc, por meio do curso de História da Universidade e Núcleo de Estudos Étnico-Raciais, Afro-Brasileiros, Indígenas e de Minorias (NEABI) e conta com apoio do Museu de Zoologia da Unesc, Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz (Lápis), Centro de Memória e Documentação (CEDOC), Museu da Infância, Colégio Unesc, Setor de Arte e Cultura, Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) e Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Unesc.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

19 de abril de 2022 às 19:11
Compartilhar Comente