Newsletter Newsletter RSS RSS

Professores e alunos representam Unesc em evento no Rio Grande do Sul

Professores e alunos representam Unesc em evento no Rio Grande do Sul
Encontro ocorreu de quarta-feira à sexta-feira (Foto: Divulgação) Mais imagens

Os professores e alunos da Unesc socializaram conhecimentos no encontro “Práticas de Iniciação à Docência da Região Sul”. Os 33 representantes da Universidade foram à São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, para apresentar os resultados de pesquisas desenvolvidas no Pibid (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência), Subprojeto de Letras. O evento ocorreu de quarta-feira a sexta-feira (13/12 a 15/12).

O encontro contou com a presença de participantes de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. O coordenador do curso de Letras, Carlos Arcângelo Schlickmann, explica que a participação dos alunos e professores é importante para a qualidade do ensino. “Participar de eventos como este divulga o trabalho da Universidade e dá aos alunos a oportunidade de enriquecimento da sua formação”, afirmou.

Representaram a Unesc o coordenador adjunto do curso, Richarles Souza de Carvalho, os professores Jéferson Luis de Azeredo, Richarles Souza de Carvalho, Carlos Arcângelo Schlickmann, Michele Gonçalves Cardoso e o coordenador do curso de História Tiago da Silva Coelho. Participaram também três professores da rede pública de Criciúma: Juliana Pereira Guimarães, Marco Antônio e Leandro de Bona Dias.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

15 de dezembro de 2017 às 16:45
Compartilhar Comente

Pesquisa da Unesc revela o perfil da mulher criciumense vítima de violência

Pesquisa da Unesc revela o perfil da mulher criciumense vítima de violência
Dados foram resultados de um projeto da Universidade (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Em Criciúma, o perfil da mulher em situação de violência doméstica está entre os 20 e 44 anos, em sua maioria com mais de um filho, vivendo em relacionamentos abusivos com maridos ou companheiros de 2 a 5 anos. Esse é o resultado de uma pesquisa desenvolvida pela Unesc, que analisou mulheres que foram até o Poder Judiciário para obter a proteção da Lei Maria da Penha, entre julho e novembro de 2017. Os dados foram resultados do projeto "Violência de gênero e a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006): a construção de indicadores de violência contra as mulheres na Comarca de Criciúma/SC".

A professora Monica Ovinski, coordenadora do projeto, comentou que os questionários foram levados até as mulheres em situação de violência e os homens acusados, além do acompanhamento das audiências sobre a acusação do crime de ameaça. “Com a obtenção desse perfil, se torna mais fácil saber quem são essas mulheres e onde elas estão. O contexto vai auxiliar no desenvolvimento de políticas públicas que possam atuar no atendimento e na prevenção”, ressaltou.

Monica comenta ainda que os próximos passos serão levar esses números a diante. “Serão elaborados artigos, relatórios, capítulos de livros, entre outros processos que devem ser entregues ao Tribunal de Justiça, ao Conselho Municipal de Direitos das Mulheres e também ao Poder Público municipal e estadual”, comenta.

A pesquisa também foi desenvolvida pela professora Giovana Ilka Jacinto Salvaro e pelo professor Ismael Gonçalves Alves, com a participação das acadêmicas Taiana de Oliveira e Marina Schneider (Curso de História) e Patrícia Machado Martins (Curso de Direito). O projeto é vinculado ao DIDH (Programa Diversidades, Inclusão e Direitos Humanos) e recebe apoio do CER (Centro Especializado em Reabilitação)

Gênero e violência contra as mulheres

A pesquisa também será compartilhada durante um encontro que ocorre na próxima terça-feira (12/12), às 14 horas, no Cedoc. Com o tema “Gênero e Violência contra as mulheres”, diversos depoimentos vão contribuir para a análise de aspectos teóricos e práticos na realidade das demandas atuais.

O encontro também vai contar com a participação de professores e extensionistas do projeto Amora, além da presidente do Conselho Municipal de Direitos das Mulheres, Maria Estela Costa Silva, que vai trazer um panorama municipal sobre o assunto.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Mayra Antonio De Lima 07 de dezembro de 2017 às 14:59
Compartilhar Comente

Semana de Estudos Históricos debate a Revolução Russa

Semana de Estudos Históricos debate a Revolução Russa
Evento iniciou nesta segunda-feira na Universidade (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A Revolução Russa se instalou em 1917 e transformou o mundo. E seus desdobramentos não ficaram no passado. Até hoje o movimento reverbera em diversos países, incluindo no Brasil. E é sobre os reflexos da Revolução Russa que a 15ª Semana de Estudos Históricos vai tratar. O encontro, que inicia nesta segunda-feira (30/10) e ocorre até quarta-feira (1/11), é aberto ao público em geral.

A abertura do evento ocorreu com a mesa redonda “Abordagens e repercussões da Revolução Russa de 1917” com a participação de Rodrigo da Costa Lima. Mestre em Sociologia e bacharel em Ciências Sociais, Lima atualmente é professor do IFSC, campus Araranguá. O palestrante tem ainda experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Partidos Políticos, e na área de Sociologia, com ênfase na Sociologia da Educação.

Segundo o coordenador do curso de História da Unesc, Thiago Coelho, esta é uma oportunidade de se integrar de um assunto que não é tão discutido, mas que deixou marcas no Brasil. “É uma forma de entender os processos históricos que foram gerados no país e no mundo, como o que ocorreu após o fim da União Soviética. A História olha o passado para entender o presente. Queremos aqui realizar um debate para fazer com que cada um reflita sobre os diversos pontos desta Revolução”, afirmou.

O diretor da UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação), Marcelo Feldhaus, parabenizou pela escolha do assunto e ressaltou a importância da discussão de temas presentes na contemporaneidade em eventos do curso.

Já a presidente do CA (Centro Acadêmico) de História, Raiane de Souza, a Revolução Russa é um tema que ainda gera preconceito e por isso, a importância de aprofundar o conhecimento nele e desconstruir uma ideia já enraizada e promover um debate sobre ela.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 30 de outubro de 2017 às 22:48
Compartilhar Comente

Curso de História promove encontro gratuito sobre os reflexos da Revolução Russa

Curso de História promove encontro gratuito sobre os reflexos da Revolução Russa
Evento é aberto à comunidade e ocorre a partir desta segunda-feira (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Há 100 anos, em 1917, se instalou a Revolução Russa. Desde então, seus movimentos transformaram o mundo, que repercutiram também no Brasil. Esses reflexos serão o foco da Semana de Estudos Históricos, que está em sua 15ª edição. O encontro, que inicia nesta segunda-feira (30/10) e ocorre até quarta-feira (1/11), é aberto ao público em geral e ocorre a parti das 13h30, no Auditório Edson Rodrigues.

Segundo o coordenador do curso de História da Unesc, Thiago Coelho, essa é uma oportunidade de se integrar de um assunto que não é tão discutido, mas que deixou marcas no Brasil. “É uma forma de entender os processos históricos que foram gerados no país e no mundo, como o que ocorreu após o fim da União Soviética”, ressaltou.

Confira a programação (clique aqui)

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Mayra Antonio De Lima 26 de outubro de 2017 às 16:49
Compartilhar Comente

Projeto dialoga sobre as guerras mundiais com alunos do Ensino Médio

Projeto dialoga sobre as guerras mundiais com alunos do Ensino Médio
Coordenador do curso de História da Unesc participou de atividade (Foto: Divulgação) Mais imagens

Estudantes do Ensino Médio da Escola Maria José Hülse Peixoto tiveram recentemente uma conversa sobre as guerras mundiais com o coordenador do curso de História da Unesc, Tiago Coelho. Durante a atividade o professor abordou questões relacionadas às grandes guerras ocorridas ao longo da História, bem como o que motiva o homem a promover/entrar em uma guerra, além de questões voltadas aos dias de hoje.

A conversa fez parte das atividades desenvolvidas pela disciplina de Língua Portuguesa para o Projeto "Guerras Mundiais: um olhar para as ações do homem ao longo da história", cujas relações são estabelecidas com os conteúdos trabalhados, com as produções de gêneros textuais exigidas ao longo do ano.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 14 de junho de 2017 às 21:08
Compartilhar Comente