Enade Unesc

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Unesc é a segunda melhor universidade brasileira não pública, segundo índice inédito

Unesc é a segunda melhor universidade brasileira não pública, segundo índice inédito
Estudo foi realizado pela Brasil Júnior, com apoio da consultoria McKinsey Mais imagens

Formar empreendedores tem sido um desafio no cenário educacional. E a Unesc foi reconhecida como a segunda melhor Instituição de Ensino Superior do Brasil, entre as não-públicas, segundo o Índice das Universidades Empreendedoras. O estudo inédito foi realizado pela Brasil Júnior, com apoio da consultoria McKinsey, e divulgado em novembro pela revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

“Ser reconhecida em segundo lugar no índice das universidades empreendedoras do Brasil é resultado do trabalho de qualidade desenvolvido há 48 anos pela Unesc. Somos uma Instituição comunitária preocupada com a formação de nossos alunos e a comunidade regional e reconhecida frequentemente pela excelência em diversos aspectos, incluindo ensino de qualidade, pesquisa, extensão, estrutura e qualificação dos professores”, destaca o reitor Gildo Volpato.

Destaque para a Infraestrutura e Cultura Empreendedora

Nos critérios avaliados pelo Índice das Universidades Empreendedoras, a Unesc se destaca, entre todas as universidades, públicas e privadas, em dois. A Instituição aparece como a segunda melhor do Brasil, no critério “Cultura Empreendedora, e a terceira melhor no segmento “Infraestrutura”, entre todas as universidades, públicas e privadas.

Quando o assunto é “Infraestrutura”, a Unesc aparece ao lado da PUC-Rio (1º) e Unicamp (2ª). Neste critério foi avaliado a qualidade da infraestrutura física e internet, além da instalação de um parque tecnológico e suas parcerias. “É um reconhecimento a estrutura que temos, com os laboratórios de alto nível; uma Biblioteca recém-inaugurada; o Iparque (Parque Científico e Tecnológico), e todos os espaços: salas de aula, Clínicas Integradas, Centros de Práticas, Sala de Negócios, Espaço das Empresas Juniores, Sala de Metodologia Ativas, entre outras”, ressalta a pró-reitora de Administração e Finanças, Kátia Sorato.

No critério “Cultura Empreendedora” a Unesc ficou atrás apenas da UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco). Nele foi avaliado a postura empreendedora dos professores e alunos, além da quantidade de disciplinas de empreendedorismo durante os cursos de graduação. “Introduzir o empreendedorismo para melhorar o ambiente de vida da geração atual e futura é algo muito próximo da nossa missão. Na Unesc ajudamos a preparar os alunos para sua vida e também para o mundo profissional. Um exemplo é o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Empreendedorismo. Nos orgulha muito receber esse reconhecimento nacional”, comenta a pró-reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Luciane Ceretta.

A melhor do Sul do Brasil entre as não-públicas

Entre as instituições avaliadas, a Unesc é a melhor Universidade não pública da região Sul do Brasil (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). Ela aparece no Índice das Universidades Empreendedoras entre as 5 melhores da região, junto com UFSM (Universidade Federal de Santa Maria), UEM (Universidade Estadual de Maringá), UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Como foi feito o estudo

A pesquisa foi realizada por meio de um questionário online que ouviu 5.975 alunos e 318 professores de 43 universidades de todo Brasil. Para elaborar o Índice das Universidades Empreendedoras foram selecionadas as 100 melhores universidades presentes na última edição do RUF (Ranking Universitário da Folha de São Paulo). Dessas, foram excluídas aquelas que não possuíam Empresas Juniores associadas, Enactus (organização internacional sem fins lucrativos dedicada a inspirar os alunos a melhorar o mundo através da Ação Empreendedora), Aiesec (Associação Internacional de Estudantes em Ciências Econômicas e Comerciais) ou núcleo da Rede CsF (Ciência sem Fronteiras), entidades que estimulam o empreendedorismo no ambiente universitário.

A partir das respostas dos questionários online concluiu-se que uma universidade empreendedora leva em conta os seguintes critérios: Cultura Empreendedora (postura empreendedora dos professores e alunos, disciplinas de empreendedorismo); Inovação (pesquisa, patentes, proximidade IES-empresas); Extensão (redes de contato, projetos de extensão); Infraestrutura (qualidade, parque tecnológico); Internacionalização (intercâmbio, publicações e citações internacionais); Capital Financeiro (orçamento, endowment/doação da sociedade civil).

Saiba mais sobre o Índice

 

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Davi Carrer 06 de dezembro de 2016 às 10:57
Compartilhar Comente (2)

Professores apresentam trabalhos em evento nacional de Administração

Professores apresentam trabalhos em evento nacional de Administração
Encontro tem como tema “Administração e Sustentabilidade” Mais imagens

Professores dos cursos de Administração e Comércio Exterior estão representando a Unesc no 26º Enangrad (Encontro Nacional dos Cursos de Graduação em Administração), que ocorre em Foz do Iguaçu esta semana. Eles estão apresentando quatro trabalhos no evento, que tem como tema “Administração e Sustentabilidade”.

Trabalhos


- “Estratégia operacional e competitividade: um estudo em redes de fast food”
Autores: Deinyffer Marangoni, Edson Firmino, Julio Cesar Zilli e Izabel Regina de Souza

- “Empreendedorismo e inovação: uma revisão sistemática”
Autores: Izabel Regina de Souza, Julio Cesar Zilli e Barbara Degasperi

- “Portos públicos de Santa Catarina: a dinâmica do agronegócio na movimentação portuária”
Autores: Julio Cesar Zilli, Adriana Carvalho Pinto Vieira e Izabel Regina de Souza

- “Relatórios de área, instituição e curso na construção de políticas de gestão dos indicadores de avaliação relacionados com o Enade”
Autores: Thiago Francisco, Izabel Regina de Souza, Julio Cesar Zilli e Marina Nakayama

- "Música: Uma Ferramenta de Desenvolvimento Humano E Profissional Nas Organizações
Autores: Natalia Martins Gonçalves , Júlia Pereira Dias , Abel Corrêa de Souza

- "O Terminal Intermodal Na Logistica De Transporte Natália Martins Gonçalves"
Autores: Eduardo Berndt da Luz , Maria Helena Souza dos Santos
 

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Davi Carrer 27 de outubro de 2015 às 16:50
Compartilhar Comente

Cursos da Unesc têm qualidade reconhecida pelo MEC

Cursos da Unesc têm qualidade reconhecida pelo MEC
Universidade teve bom desempenho nas avaliações para o CPC (Foto: Banco de Imagens) Mais imagens

Os cursos nas áreas de Engenharia e Licenciatura da Unesc tiveram a qualidade comprovada em avaliação realizada pelo MEC (Ministério da Educação). A Universidade teve 16 graduações com CPC (Conceito Preliminar de Curso) 3 ou 4, de uma nota máxima de 5. Para chegar ao conceito final, os avaliadores levam em consideração aspectos como estrutura do curso, projeto pedagógico, conhecimento geral e específico dos estudantes e a qualidade do corpo docente.

Pela última avaliação divulgada, a Unesc teve com CPC 4 os cursos de Artes Visuais (Licenciatura), Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Civil, Geografia, Letras, Matemática e Pedagogia e com conceito 3, Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Ciências Biológicas (Bacharelado), Educação Física (Licenciatura), Ciências Biológicas (Licenciatura), Engenharia Química e História. Engenharia de Agrimensura e Engenharia de Materiais tiveram CPC 3, mas ainda aguardam as notas individuais.

Para a pró-reitoria de Ensino de Graduação da Unesc, Maria Aparecida Mello, o conceito elevado é um atestado de qualidade para o curso, e por consequência, para a Universidade. “O CPC é o retrato do que ocorre dentro da instituição, pois analisa o projeto pedagógico, a parte didática e administrativa, a qualificação dos professores e o conhecimento e a autonomia do estudante. Há um cruzamento de dados para ver se há coerência entre o que foi proposto e o que o aluno aprendeu, as habilidades e competências que desenvolveu”, afirma.

O CPC também serve como um norteador para as ações dos cursos. “O resultado da avaliação é um diagnóstico para o curso. O CPC é um importante subsídio para planejarmos mudanças e melhorias”, comenta a coordenadora de Engenharia Ambiental e Sanitária da Unesc, Paula Tramontin.

Entenda como funciona o CPC

As graduações são avaliadas a cada três anos e o MEC divulga os resultados do CPC a partir de um ano da avaliação feita. As Engenharias e Licenciaturas da Universidade foram avaliadas em 2014. Os cursos da área de Ciências Sociais Aplicadas, analisados em 2015, terão o CPC divulgado no fim deste ano. Já em 2016 é a vez dos cursos da área da saúde serem avaliados.

O CPC é formado pelo Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – realizado por alunos que já concluíram 80% do curso superior e que afere habilidades e competências, conhecimento geral e específico dos acadêmicos); IDD (Índice de Diferente de Desempenho Esperado e Observado – indicador que mostra o perfil do ingressante no curso superior e a sua relação com o concluinte); Questionário do Estudante (os alunos falam sobre a qualidade do projeto pedagógico, da estrutura física e das oportunidades de formação e avanço profissional) e os chamados “Insumos” (qualificação dos professores é um deles – número de mestres e doutores).

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 15 de fevereiro de 2016 às 16:57
Compartilhar Comente

Aula Inaugural dos cursos de Gestão aborda a importância do Enade

Aula Inaugural dos cursos de Gestão aborda a importância do Enade
Professor Thiago Francisco é um estudioso do assunto (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

O Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) é essencial na avaliação não apenas dos cursos superiores, mas também de professores e alunos das instituições de ensino do Brasil e gera dados importantes para que o Ministério da Educação implemente melhorias no Ensino Superior. Por isso, o assunto foi o tema da Aula Inaugural dos cursos Tecnológicos da Unesc, na noite desta terça-feira (3/3), com o professor Thiago Henrique Almino Francisco, docente da Unesc e estudioso do Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior), do qual a prova faz parte.

Participaram da Aula Inaugural do primeiro semestre de 2015 estudantes dos cursos de Gestão em Processos Gerenciais, Financeira, em Recursos Humanos, Comercial (presencial e a distância) e dos cursos de Administração e Secretariado Executivo.

Segundo Francisco, é necessário que haja uma sensibilização para a adesão ao Enade, considerado um dos melhores modelos de avaliação em larga escala do mundo. “Há empresas que usam as notas do exame para contratação de funcionários. O Enade avalia as competências não só da instituição, mas dos profissionais que vão para o mercado de trabalho”, comenta.

A pró-reitora de Ensino de Graduação, Robinalva Ferreira, chama a atenção para a importância do bom desempenho do curso na busca por bolsas de estudo para os alunos. “Os cursos que tirarem notas abaixo de 3 (o máximo é 5), recebem uma comissão de avaliadores do Ministério da Educação, que busca entender o motivo do resultado. Além disso, está em discussão a questão de cursos com notas abaixo de 4 não poderem ter Prouni e Fies”, afirma.

O diretor da UNA CSA (Unidade Acadêmica de Ciências Sociais Aplicadas), Daniel Preve, lembra que o Enade ocorre a cada três ano, e o desempenho de uma turma determinará a nota do curso pelos anos seguintes. “O Enade é responsabilidade coletiva. O conceito do curso permanecerá por três anos e os colegas que virão depois serão marcados pelo desempenho de vocês”.

O palestrante da noite é doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina e mestre pelo Programa de Pós-graduação - Mestrado Profissional - em Administração Universitária da UFSC.

Desafio Empresarial

Durante o evento, os coordenadores dos cursos de Gestão, Volmar Madeira (Processos Gerenciais, Financeira e Recursos Humanos) e Michele Schneider (Comercial – presencial e a distância), apresentaram os resultados do Desafio Empresarial de 2014. Foram arrecadados mais de 870 quilos de alimentos, 460 unidades de produtos de limpeza, 775 unidades de produtos de higiene pessoal, doados a entidades escolhidas pelos alunos. As empresas criadas pelos alunos para o Desafio Empresarial lucraram mais de R$ 3,8 mil com as ações e eventos. Todo o dinheiro foi doado.

Ao fim da Aula Inaugural os alunos foram presenteados com doces e um cartão de boas-vindas.

Fonte: Secom

Por: Milena Spilere Nandi 03 de março de 2015 às 22:39
Compartilhar Comente

Unesc tem novas graduações reconhecidas pelo MEC

Unesc tem novas graduações reconhecidas pelo MEC
Engenharia de Agrimensura teve o reconhecimento de curso renovado (Foto: Arquivo) Mais imagens

O MEC (Ministério da Educação) renovou o reconhecimento do curso de Engenharia de Agrimensura da Unesc. A informação foi divulgada no Diário Oficial no início de abril e o curso obteve conceito 4 (em uma escala de 1 a 5). A avaliação é feita por professores avaliadores do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). O reconhecimento é válido por três anos, até quando a área em que o curso está enquadrado realize o Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes).

O curso de Gestão FInanceira foi reconhecido com nota 4. Todo curso superior, quando forma a primeira turma, precisa passar pela avaliação do MEC, que analisa a organização didático-pedagógica, o corpo docente e a infraestrutura.

Com a adesão ao Proies (Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior), em 2013, a Unesc migrou do CEE (Conselho Estadual de Educação) para o Sistema Federal de Ensino, regido pelo MEC e pelo CNE (Conselho Nacional de Educação) e segue a lei do Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior).

Segundo a pesquisadora institucional, ligada ao Seai (Setor de Avaliação Institucional da Unesc), Anne Marie Scoss, com a migração, o ciclo avaliativo para reconhecimento do curso passou por alterações. “Anteriormente era de cinco anos, mas com as mudanças da legislação nacional, que estabelece o ciclo avaliativo do Sinaes/Enade passou para três anos. Quando foi estabelecido esse procedimento o CEE/SC também adotou a regra do ciclo avaliativo”, conta.

A pró-reitora de Ensino de Graduação da Universidade, Robinalva Ferreira, comenta que os avaliadores do INEP/MEC têm reconhecido os diferenciais dos PPCs (Projetos Pedagógicos dos Cursos) da Unesc, a qualificação do corpo docente e a excelente infraestrutura da Instituição, assim como a colaboração de toda a comunidade acadêmica para a realização das atividades da Universidade. “Estamos muito satisfeitos com o resultado das avaliações externas de reconhecimento e renovação de reconhecimento dos cursos de graduação, pois a meta institucional de conceito 4 está sendo atingida e contribuirá para o recredenciamento da Instituição," afirma Robinalva.

Primeiro reconhecimento após a migração para o sistema federal


O curso de Gestão Financeira da Unesc tem duração de dois anos e meio e formou os primeiros tecnólogos em julho de 2013. Segundo o coordenador  Volmar Madeira, o curso foi o primeiro da Universidade reconhecido após a migração para o Sistema Nacional.

A graduação é voltada para gerentes, assessores, assistentes financeiros e demais profissionais que exerçam ou desejam exercer atividades relacionadas à área financeira das organizações.

Engenharia de Agrimensura completa 40 anos

O curso de Engenharia de Agrimensura da Unesc foi o primeiro do Sul do Brasil. Comemorando 40 anos de vida em agosto de 2015, o curso já formou mais de 650 engenheiros agrimensores que tem se destacado inclusive no exterior. “Recebemos alunos de vários estados brasileiros que buscam sua formação na Unesc e vão trabalhar em diversas regiões. O índice de empregabilidade é alto e temos egressos atuando até fora do Brasil”, comenta Vanildo Rodrigues. “A própria Universidade absorve parte dos graduados, seja no Iparque  (Parque Científico e Tecnológico da Unesc) ou na docência. Há ainda a construção de estradas, de usinas hidrelétricas e a regularização de imóveis rurais como grandes fontes de demanda por profissionais da área”, complementa.

Fonte: Secom

Por: Milena Spilere Nandi 22 de abril de 2015 às 18:23
Compartilhar Comente (1)