Direito

Projeto da Unesc com foco na reabilitação de detentos é apresentado em encontro

Projeto da Unesc com foco na reabilitação de detentos é apresentado em encontro
Trabalho foi apresentado em evento do IFSC (Foto: Divulgação) Mais imagens

Uma iniciativa proposta na Unesc tem colaborado com a reabilitação de detentos no Sul Catarinense. É o projeto de extensão “Leitura literária com detentos: uma contribuição para a cidadania”, que na última semana foi apresentado no “Encontro regional de Educação nas Prisões de Santa Catarina: ressocializar para a cidadania, o trabalho e a liberdade”, realizado no IFSC de Criciúma.

No encontro, foram debatidas questões e ações voltadas para a área da educação nos presídios do Extremo Sul catarinense. Segundo a coordenadora educacional do Presídio Regional do Bairro Santa Augusta, Aline Borb, o projeto da Univerisdade tem extrema relevância na reconstrução de vidas. “Possibilita ao reeducando a ampliação do hábito da leitura e da escrita, contribuindo positivamente para o desenvolvimento do pensamento crítico e, consequentemente, para a mudança de comportamento”, explica.

O projeto

Presente no Programa de Extensão Território Paulo Freire, o projeto é uma iniciativa de docentes e discentes dos cursos de Letras e Direito. A professora coordenadora do projeto, Cibele Freitas, conta que o trabalho busca contribuir, por meio da leitura de textos literários, o resgate da condição de cidadania de indivíduos encarcerados, estimulando a prática da leitura e da escrita como fonte de lazer, conhecimento e reflexão para crescimento pessoal dos participantes.

Além de Cibele, o projeto conta com a contribuição do professor de Letras, Richarles Souza Carvalho; da professora de Direito, Janete Trichês; e das bolsistas Marina Arnt e Renata Pavan. 


Leonardo Ferreira – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 18 de junho de 2019 às 18:44
Compartilhar Comente

Içara busca apoio em rede de enfrentamento à violência contra as mulheres

Içara busca apoio em rede de enfrentamento à violência contra as mulheres
Encontro reuniu representantes do município e representantes da Universidade para tratar do assunto (Fotos: Divulgação) Mais imagens

“Capacitar mulheres em situação de vulnerabilidade social em direitos humanos e promover a cidadania” esse é o principal objetivo do Projeto Amora. Com 10 anos de existência, o projeto já atendeu mais de cinco mil mulheres. Diante deste cenário, um grupo de representantes do município de Içara estiveram na Unesc, na última terça-feira (4/6), para buscar ajuda na criação de uma rede de enfrentamento e atenção às mulheres em estado de violência na cidade. O encontro reuniu as coordenadoras do projeto, representantes de Içara e gestores da Universidade.

O intuito da rede é fazer com que os órgãos e locais de apoio às mulheres vítimas de violência doméstica de Içara, como delegacias e o CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), trabalhem de forma conjunta, organizada e conectada. “A partir de agora vamos elaborar uma proposta de capacitação para que os profissionais, especializados ou não, que atuam na sociedade em locais de atendimento, como postos de saúde, hospitais e delegacias, saibam realizar a abordagem e encaminhamentos para mulheres vítimas de violência”, explica uma das coordenadoras do projeto, Mônica Ovinski de Camargo.

Segundo ela, em diversas ocasiões as mulheres que sofrem a violência não falam sobre a situação, porém, com as instruções, os profissionais poderão observar os indícios e realizar a abordagem com a vítima. “Muitas vezes as mulheres apresentam queixas, ou marcas, ou vão diariamente procurar o médico, então se o profissional puder perceber isso e souber como abordar, poderá dar os encaminhamentos necessários para atender a vítima”, acrescenta.

Conforme a outra coordenadora do projeto, Janete Triches, o direcionamento correto é essencial na abordagem com a vítima. “Com a rede de atenção e os profissionais direcionando os atendimentos aos serviços públicos especializados, será possível prevenir que a violência continue ou até mesmo prevenir que inicie com outras mulheres”, coloca.

De acordo com a diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias, Fernanda Sônego, a iniciativa do projeto demonstra a importância do assunto e como o projeto de extensão da Universidade pode ajudar a transformar de maneira positiva a vida dos participantes. “É um assunto de extrema relevância e que deve ser sempre debatido nos diversos segmentos da sociedade. Se a Unesc puder colaborar na diminuição destes números alarmantes ou então ajudar no apoio às vítimas, estaremos indo ao encontro da nossa missão institucional”, enfatiza. Mônica acredita que a vinda do município em busca de ajuda é louvável. “Assim criamos uma sociedade mais intersetorial, que promove atitudes de ajuda e prevenção à violência doméstica”, comenta.

Entre os participantes da reunião estavam membros da diretoria de Extensão; membros do Projeto Amora; a primeira dama de Içara, Ceneli de Freitas Gastaldon; e os vereadores de Içara, Lauro Nogueira e Edna Benedet.


Vitor Netto - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Vitor Netto Henrique 05 de junho de 2019 às 20:16
Compartilhar Comente

Professor do Mestrado em Direito compõe Comissão de Assuntos Prisionais da OAB

O professor do PPGD (Programa de Pós-Graduação em Direito), Jackson da Silva Leal, é o mais novo membro da Comissão de Assuntos Prisionais junto à seccional da OAB/SC. Ele foi nomeado também como coordenador da Comissão no Sul do Estado, sendo responsável pelas fiscalizações das instituições prisionais de Imbituba a Araranguá e pelo intercâmbio da seccional com as subseções do Deap/SC (Departamento de Administração Prisional de Santa Catarina).

A nomeação de Leal foi feita pelo presidente da Comissão de Assuntos Prisionais da OAB/SC e aluno do Mestrado em Direito da Unesc, Guilherme da Silva Araújo.

Leal é professor de Criminologia no curso de Direito e no PPGD da Universidade e coordenador do Grupo Andradiano de Criminologia Crítica que integra o Grupo Pensamento Jurídico Critico Latino-americano, atualmente realizando parceria junto ao Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, por meio do Grupo de Estudos Avançados em Economia Política da Pena.


Milena Nandi – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 23 de maio de 2019 às 14:32
Compartilhar Comente

Café com Muitas Ideias debate a relação da Reforma da Previdência e da pessoa com deficiência

Café com Muitas Ideias debate a relação da Reforma da Previdência e da pessoa com deficiência
Evento reuniu profissionais do CER, acadêmicos, professores e comunidade externa (Fotos: Vitor Netto) Mais imagens

Uma roda de conversa, quitutes e muito diálogo. Assim é o “Café com Muitas Ideias”, promovido pelo CER (Centro Especializado em Reabilitação) da Unesc. A segunda edição do encontro ocorreu na tarde desta terça-feira (23/4) na Universidade e reuniu profissionais da Unesc, acadêmicos e a comunidade externa para debater o tema “A Reforma da Previdência e a Pessoa com Deficiência”, tendo como convidada a Assistente Social do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Caren Delfino Pivetta.

De acordo com Caren, a conversa teve o objetivo de debater os dois impactos e as questões sociais dos benefícios aos deficientes. “Se os impactos já são grandes para os trabalhadores, para os deficientes será mais ainda”, colocou.

Conforme a assistente social, o acesso à previdência impacta o deficiente em outros pontos. “Muitos não têm acesso ao estudo, ou não têm equipamentos, então como essas pessoas vão acessar o mercado de trabalho?”, pontuou. “A realidade social e o acesso às políticas públicas também impactam na previdência”, acrescentou.

A assistente social ainda pontuou os impactos para os profissionais que atuam com os deficientes, pois sem os recursos vindos do benefício da aposentadoria, essas pessoas não poderiam acessar os serviços. Para a coordenadora do CER, Mágada Tesmann, é de extrema importância debater este assunto dentro da Universidade.

Caren também é conselheira do Codec (Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência) de Criciúma. O evento contou com participantes do CER, dos cursos de Direito e Nutrição e profissionais externos que envolvem a temática.

Vitor Netto - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 23 de abril de 2019 às 22:49
Compartilhar Comente

Acadêmicos da Unesc participam do Programa Estágio-Visita na Alesc

Acadêmicos da Unesc participam do Programa Estágio-Visita na Alesc
Atividade foi promovida pela Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Com o objetivo da inserção estudantil no meio político, acadêmicos da Unesc participaram, nesta última semana (15 a 17/4), da terceira edição do Programa Estágio-Visita, promovido pela Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira. O encerramento da atividade ocorreu nesta quarta-feira (17/4) em reunião com o presidente da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina), deputado Julio Garcia.

Durante três dias, 65 universitários de 34 municípios diferentes participaram de diversas atividades na Casa com o objetivo principal de conhecer as atribuições do Parlamento e as atividades dos deputados estaduais. Entre os 65 estudantes, 33 cursam Direito. Os demais são de diversas áreas, como engenharia, administração pública, tecnologia em gestão pública, pedagogia, cinema, design, educação física, entre outros cursos.

Entre as atividades desenvolvidas no programa está a participação em palestras, acompanhamento de sessões parlamentares e atividades no sentido de desenvolvimento de Projetos de Lei. “Foi uma experiência muito bacana, em que tivemos a oportunidade de conhecer melhor os mecanismos do legislativo estadual”, comentou o acadêmico de Direito da Unesc João Batista.  

Conforme a acadêmica de Direito da Unesc Renilda de Oliveira, são essas oportunidades que nos dão a segurança para atuar na nossa futura profissão. “Só tenho que agradecer aos deputados pelo aprendizado que recebemos”, enfatizou.

O presidente Julio Garcia, ao falar com os acadêmicos, ressaltou que o programa representa uma de suas metas, a interação do Parlamento com a sociedade. “É importante para esses acadêmicos verem como funciona o Poder Legislativo e quem sabe no futuro não estará um deles aqui na Assembleia Legislativa. ”, pontuou. Ao responder sobre qual é o maior desafio em ser presidente do Legislativo, Garcia afirmou que a maior virtude do homem público é estar se adequando aos novos tempos, lembrando que a cada tempo as cobranças mudam.

A gestora do Núcleo de Educação para a Democracia da Escola do Legislativo, Léa Medeiros Cardoso, considerou a terceira edição do Programa Estágio-Visita um encontro muito produtivo e participativo. Disse que eles tiraram dúvidas sobre os trabalhos do Parlamento, participaram de várias atividades e, além disso, que os acadêmicos receberão um certificado de participação.

Colaboração: Ney Bueno/Agência AL/Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina

Vitor Netto – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Vitor Netto Henrique 17 de abril de 2019 às 17:46
Compartilhar Comente