Newsletter Newsletter RSS RSS

Unesc assume cadeira no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

Unesc assume cadeira no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente
Posse dos novos membros ocorreu nesta sexta-feira (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

Para trabalhar em prol de questões sociais e dos direitos das crianças e adolescentes, a Unesc é uma das nove entidades que assumiram o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) de Criciúma para o biênio de 2017/2019. A votação para a escolha dos novos integrantes ocorreu na terça-feira (12/12), e a posse do Conselho ocorreu na manhã desta sexta-feira (15/12), no auditório da Casa do Professor em Criciúma.

Também nesta sexta-feira foi foram eleitos o presidente, o vice e o secretário do CMDCA. O Conselho será presidido por Edevilson Manoel Pereira, da Associação Academia de Futebol; a vice será Janaína Villain, da Secretaria de Assistência Social e a secretária Carla Fernanda Medeiros Febel, da APAE de Criciúma. O evento teve a participação do secretário de Assistência Social de Criciúma, Paulo César Bitencourt.

O CMDCA é composto por representantes de nove entidades de Criciúma. Ao todo, 18 pessoas compõem o Conselho: nove de entidades governamentais e nove não governamentais. A Unesc será representada no Conselho pela coordenadora adjunta do curso de Odontologia, Fernanda Guglielmi Faustini Sônego (titular) e pelo professor do curso de Direito Ismael Francisco de Souza (suplente).

O objetivo do Conselho é de promover medidas de prevenção e que garantam os direitos de crianças e de adolescentes de Criciúma. Também buscar informações acerca das condições de vida da população infanto-juvenil local, da estrutura de atendimento do município e promover melhoria das condições de atendimento.

“Por sermos uma Universidade comunitária e estarmos cotidianamente envolvidos com questões sociais, sejam elas no ensino, na pesquisa, como na extensão, precisávamos ocupar novamente esta cadeira no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Criciúma. Estamos muito felizes com a possibilidade contribuirmos, ainda mais, com a construção de políticas públicas que fortaleçam os direitos das nossas crianças e adolescentes", afirma a professora da Unesc e conselheira.

Para a reitora Luciane Ceretta tratar assuntos deste segmento, são de extrema importância. “A participação da Unesc no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Criciúma converge com os pressupostos sobre essa temática, que são discutidos tanto no ensino, quanto na pesquisa, quanto na extensão. A comunidade acadêmica sente-se honrada com a possibilidade de ampliar o diálogo sobre o tema em um colegiado tão importante quanto este”, explica.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 15 de dezembro de 2017 às 14:22
Compartilhar Comente

Professor da Unesc recebe Título de Cidadania Honorária de Criciúma

Professor da Unesc recebe Título de Cidadania Honorária de Criciúma
João Carlos Medeiros recebeu a honraria da Câmara de Vereadores (Foto: Vitor Netto) Mais imagens

O coordenador do curso de Direito e procurador jurídico da Unesc, João Carlos Medeiros Rodrigues Junior, recebeu na noite desta quarta-feira (13/12), o Título de Cidadania Honorária de Criciúma. A deferência foi entregue pela Câmara de Vereadores em sessão solene na Sociedade Recreativa Mampituba. No mesmo evento, o Legislativo entregou ainda Títulos Honoríficos de Cidadão Benemérito e Diploma de Mérito, honrarias direcionadas para as pessoas que prestaram serviços relevantes ao município.

Rodrigues recebeu o Título das mãos do vereador suplente e acadêmico de Direito Marcos Meller. A homenagem é entregue para pessoas que não nasceram em Criciúma. “O professor João tem uma grande história na Unesc e na cidade. Apesar de ele não ser da cidade, ele construiu uma história aqui, acumulou diversos cargos e sempre está disposto para pratica-los, principalmente para ajudar os alunos”, explica Meller, que indicou o professor da Unesc para ser agraciado com a Cidadania Honorária.

“É um reconhecimento fabuloso para quem contribui tanto para o desenvolvimento da cidade. O João é um profissional que tem se dedicado tanto na vida acadêmica quanto na formação de novos advogados, bacharéis em Direito e também tem cuidado muito da nossa Universidade, por isso é muito merecido esse reconhecimento”, afirma a reitora da Unesc, Luciane Ceretta.

Rodrigues nasceu em São Lourenço do Sul, mas cresceu em Pelotas e formou-se em Direito em Porto Alegre. “Um sentimento de gratidão ao povo de Criciúma, estou aqui há 17 anos e a cidade me proporcionou uma série de experiências, uma série de pessoas que eu conheci, que hoje tenho uma forte amizade. Então eu vejo isso como um reconhecimento da cidade pelo trabalho que eu fiz, mas também um reconhecimento que eu tenho com todas as pessoas que me deram oportunidade aqui em Criciúma”, afirma o homenageado. 

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 14 de dezembro de 2017 às 13:02
Compartilhar Comente

Convênio agiliza processos do Procon e agrega conhecimentos à vida acadêmica de alunos da Unesc

Convênio agiliza processos do Procon e agrega conhecimentos à vida acadêmica de alunos da Unesc
Estudantes de Direito trabalharam lado a lado com o órgão municipal (Foto: Divulgação) Mais imagens

Os alunos do curso de Direito da Unesc aprenderam, vivenciaram uma experiência profissional e auxiliaram o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de Criciúma a agilizar processos de conciliação entre empresas e consumidores. Seis acadêmicos estiveram envolvidos nas atividades de 2017 da parceria entre prefeitura de Criciúma e Universidade, por meio da UJC (Unidade Judiciária de Cooperação), que encerraram nesta quarta-feira (13/12).

As trocas de conhecimento ocorreram na sede do Procon, onde os estudantes participaram de encontros semanais, presenciaram audiências e auxiliam na elaboração de documentos ao Jecon (Juizado Especial do Consumidor).

O idealizador do convênio e professor de Direito da Unesc, Israel Rocha Alves, conta que esta parceria vai beneficiar o futuro profissional formado na Universidade. “Aproximar os acadêmicos da vivência em um órgão de proteção e defesa do consumidor é essencial para o aprendizado. Além disso, qualifica as atividades do Procon, pois há mais pessoas propondo soluções para os casos de conciliação entre consumidores e comerciantes”, afirma Alves.

Segundo o coordenador do Procon de Criciúma, Gilberto Santos, as atividades do convênio estão dando bons frutos e já tem data para retornarem em 2018. “A parceria está fluindo muito bem. Os trabalhos com os alunos serão retomados em fevereiro de 2018 e em razão do sucesso dos encontros, estamos estudando a possibilidade de ampliar a iniciativa”, comenta.

Durante o semestre, os acadêmicos acompanharam uma média de 20 audiências de conciliação por mês. “Nos trabalhamos na resolução dos conflitos e os resultados superaram as expectativas. Atuar no Procon é diferente dos demais estágios relacionados as práticas jurídicas. Foi bom para todos”, destacou o estudante Yuri Vieira Cardoso.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

13 de dezembro de 2017 às 16:17
Compartilhar Comente

Projeto Solidariedade: Acadêmicos prestam mais de duas mil horas de trabalho voluntário no segundo semestre de 2017

Projeto Solidariedade: Acadêmicos prestam mais de duas mil horas de trabalho voluntário no segundo semestre de 2017
Foram 163 alunos mobilizados em 39 equipes para trabalhar em 14 cidades da região (Foto: Divulgação) Mais imagens

Estudantes da Unesc realizaram mais de duas mil horas de trabalho voluntário, em 14 cidades do Sul catarinense. No segundo semestre de 2017 o projeto de extensão “Solidariedade” mobilizou 163 alunos de quatro cursos da graduação, em atividades que levaram conhecimentos sobre política, Direitos Humanos, cidadania, saúde, higiene e segurança a escolas e instituições que cuidam de pessoas em situação de vulnerabilidade na região.

A aluna de Educação Física Lisandra Almeida foi uma das participantes do projeto e destaca a importância das atividades para seu futuro. “Aprendi a enxergar as necessidades e dificuldades dos outros, e ainda percebi que todos somos iguais e frágeis, que precisamos um do outro. Vou levar estes ensinamentos para minha vida”, afirmou.

Participaram do projeto os acadêmicos da primeira fase de Direito, com palestras e intervenções de melhorias nos locais visitados; os estudantes da segunda fase de Educação Física, que proporam atividades de leitura, caminhadas, brincadeiras e jogos; os alunos da primeira fase de Fisioterapia, que realizaram oficinas de prevenção e atividades terapêuticas manuais, e os alunos da sexta fase de Odontologia, que promoveram palestras e ações sobre saúde bucal.

A diretora da Escola Nair Alves Bratti, de Sombrio, Márcia Regina da Silva Coelho, conta que o desejo é dar continuidade nas atividades no próximo ano. “O projeto na nossa instituição veio a somar. Os estudantes da Unesc foram atenciosos e trouxeram uma proposta nova. Os conhecimentos sobre bullyng, depois jogos de interação e, por fim, filme reafirmaram a vontade de que a Universidade continuasse conosco em 2018”.

O projeto atendeu 39 instituições e foi desenvolvido dentro das disciplinas de Ciência Política e Sociologia. “Levamos alegria, conhecimentos, sensibilidade e vontade de fazer a diferença. Ao todo foram duas mil e 41 horas trabalhadas”, conta a coordenadora do Solidariedade, Janete Trichês.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Leonardo Ferreira Barbosa 13 de dezembro de 2017 às 15:16
Compartilhar Comente

Gênero e violência contra as mulheres em debate na Universidade

Gênero e violência contra as mulheres em debate na Universidade
Encontro ocorreu nesta terça-feira (Fotos: Mayra Lima) Mais imagens

A tarde desta terça-feira (12/12) reuniu mulheres da região de Criciúma para debater lutas diárias. O encontro “Gênero e Violência contra as mulheres”, contou com diversos depoimentos que contribuíram para uma análise de aspectos teóricos e práticos na realidade das demandas atuais do município e ao redor dele.

A presidente do Conselho Municipal de Direitos das Mulheres, Maria Estela Costa Silva, ressaltou o sonho e possibilidades que podem nascer a partir do desenvolvimento de uma vida melhor para as mulheres. “Muitas são vítimas diariamente, e o conselho está aí para dar esse suporte a todas”, comentou.

O encontro também contou com a participação de professores e extensionistas do projeto Amora, além de trazer, por meio da professora Monica Ovinski, o resultado de uma pesquisa desenvolvida pela Unesc, que analisou mulheres que foram até o Poder Judiciário para obter a proteção da Lei Maria da Penha, entre julho e novembro de 2017. Os dados foram resultados do projeto "Violência de gênero e a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006): a construção de indicadores de violência contra as mulheres na Comarca de Criciúma/SC". O projeto de pesquisa está vinculado ao DIDH (Programa Diversidades, Inclusão e Direitos Humanos) com financiamento do CER (Centro Especializado em Reabilitação).

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Mayra Antonio De Lima 12 de dezembro de 2017 às 22:03
Compartilhar Comente