Direito

História, Pedagogia e Direito

As professoras Lucy Ostetto (cursos de História e Pedagogia) e Fernanda Lima (curso de Direito e Mestrado em Direito), participaram de segunda a quarta-feira (17 a 19/9) do 2º Seminário de Formação Política do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas, Movimentos Sociais e Culturas, na UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro).

“A proposta do evento é pesquisar, desobedecer e agir para o bem viver, ou seja, se propõe a pensar novas epistemologias para pensar espaços não colonizados e que assegurem a garantia do bem viver de grupos invisibilizados e subalternizados, como os grupos indígenas, movimentos negros, mulheres negras, entre outros”, explica Fernanda.

O evento teve a presença da professora doutora Nilma Lino Gomes, intelectual negra, da professora doutora e integrante do grupo Colonialidade/Modernidade Catherine Walsh e a professora doutora Vera Lucia Candau.

Lucy e Fernanda dialogaram com as professoras e apresentaram o grupo de pesquisa da Unesc Relações Raciais, Feminismos e Decolonialidade.

Por: Milena Spilere Nandi 20 de setembro de 2018 às 15:17
Compartilhar Comente

Curso de Direito da Unesc é o primeiro no 25º Exame da OAB

Curso de Direito da Unesc é o primeiro no 25º Exame da OAB
Acadêmicos participaram de aulas especiais e simulados (Foto: Arquivo) Mais imagens

O empenho de alunos e egressos da Unesc, juntamente com o curso de Direito da Universidade, gerou bons frutos. O resultado do 25º Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) foi divulgado na última semana e a Unesc liderou novamente o ranking com a melhor colocação no nível de aprovações entre as Instituições de Ensino Superior da região Sul. Ficou dentre os seis primeiros colocados entre os cursos das Universidades não estatais de Santa Catarina.

Entre os seis cursos de Direito do Sul catarinense, a Unesc atingiu o primeiro lugar com o melhor desempenho. Já entre os 69 cursos de Direito das Instituições de Ensino Superior não estatais de Santa Catarina, a Unesc ficou em sexto lugar.

De acordo com o coordenador do curso de Direito da Unesc, João Carlos Medeiros Rodrigues Júnior, o resultado é o reflexo do empenho do curso. “Estamos fazendo aulas temáticas específicas com os assuntos abordados nos exames e também temos acompanhados os alunos nos dias da prova, para dar as últimas orientações, dicas, acalmá-los e dar apoio”, enfatiza.

Além disso, o curso fez um convênio com o Damásio Educacional, que realiza atividades voltadas para o Exame. “Eles aplicam conosco, duas vezes por ano, um simulado da Ordem, bem como também disponibilizam aos acadêmicos vídeo-aulas gratuitas e oferecem descontos nos cursos específicos para os mais bem colocados”, acrescenta.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

17 de setembro de 2018 às 16:39
Compartilhar Comente

Pesquisa desenvolvida na Unesc vai contribuir com a qualidade do transporte público de Criciúma

Pesquisa desenvolvida na Unesc vai contribuir com a qualidade do transporte público de Criciúma
Trabalho foi apresentado ao Conselho Municipal de Transporte Coletivo nesta quinta-feira (Foto: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Um estudo desenvolvido na Unesc, vai contribuir para a qualificação do transporte público de Criciúma. A pesquisa, desenvolvida durante dois anos pelo professor, coordenador do curso de Direito e procurador jurídico da Unesc, João Carlos Medeiros Rodrigues Junior, analisou a atuação do CMTC (Conselho Municipal de Transporte Coletivo de Criciúma) e apontou possíveis oportunidades de melhorias do sistema em Criciúma.

O trabalho construído pelo professor teve origem em sua dissertação de mestrado “Direito Social Fundamental: uma análise das ações e políticas públicas no transporte coletivo por ônibus de Criciúma – Santa Catarina”, levantou informações e dados gerados em atas das reuniões do Conselho, ocorridas entre 2013 e 2016, como ponto de partida para a análise e idealização das propostas. João Carlos também coletou informações de políticas públicas de mais de duas décadas para embasamento das suas conclusões.

Para João Carlos, que já foi instrutor de autoescola, coordenador do curso superior de Tecnologia em Segurança no Trânsito e é pós-graduado em Direito de Trânsito, um transporte público eficiente é essencial para uma vida de qualidade. “Este direito é fundamento quando partimos da ideia de que sem ele o cidadão não chega ao posto de saúde, não vai para a escola ou graduação, não chega ao hospital e nem ao seu trabalho”, explica o professor.

Durante o desenvolvimento das pesquisas, foram identificadas quedas no número de passageiros e oportunidades em mais de dez áreas dentro do espaço público e do transporte coletivo, que podem contribuir para a qualificação da experiência dentro do transporte e para o retorno dos usuários, como a integração de modais de mobilidade, ligando ciclovias aos terminais e disponibilizando bicicletas públicas.

Dentro das ideias levantadas pelo professor, foi citada a ideia de substituição dos veículos movidos a diesel por ônibus elétricos, o desestímulo do transporte particular, o auxílio a desempregado (que poderiam usufruir dos serviços para se inserirem dentro do mercado de trabalho), prazo de tolerância para o retorno ao transporte pós o uso, tarifas gratuitas aos domingos (para incentivar o uso das áreas de lazer do município) e até criar espaços rentáveis, como a comercialização de redes wi-fi nos ônibus por um baixo custo.

Contribuição para o conselho

Durante os estudos, o pesquisador também constatou que o Conselho Municipal é deliberativo e pode ser eficaz em implantar suas iniciativas. “Esta análise contribui muito com o nosso trabalho. Com esta constatação de que estamos em um sistema deliberativo, podemos trabalhar de forma mais atuante e tornar nossas decisões mais eficazes”, destacou o membro do Conselho Edson Luiz Nascimento.

O assunto levantado por João Carlos será colocado em pauta nas próximas reuniões. O professor da Universidade também analisou as influências e ações do poder público, empresarial e legislativo no transporte público de Criciúma. O material pode ser lido clicando aqui.

Cuidar do transporte é cuidar do meio ambiente


Os resultados obtidos nos dois anos de pesquisa também podem contribuir com a preservação ambiental. Segundo João Carlos, esta é uma das grandes preocupações do município. “A partir do momento em que contarmos com um transporte público de qualidade, vamos diminuir o número de carros nas ruas e por consequência contribuir para a minimização de dois problemas que vivenciamos dia a dia”, afirmou o autor.

A pesquisa foi desenvolvida no PPGDS (Programa de Pós-Graduação em desenvolvimento socioeconômico) com a orientação dos professores doutores Reginaldo de Souza Vieira e Dimas de Oliveira Estevam.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 06 de setembro de 2018 às 19:00
Compartilhar Comente

Unesc e Justiça do Trabalho dialogam sobre Programa Trabalho Seguro

Unesc e Justiça do Trabalho dialogam sobre Programa Trabalho Seguro
Reitora da Unesc recebeu a visita do juiz do Trabalho Ricardo Jahn (Fotos: Vitor Netto) Mais imagens

A Unesc recebeu, na tarde desta quarta-feira (29/8), a visita do Juiz do Trabalho, Ricardo Jahn. O encontro com a reitora, Luciane Ceretta, teve o objetivo de ampliar as relações da Universidade com a Justiça do Trabalho através do Programa Trabalho Seguro.

Além disso, o juiz propôs à reitora a oportunidade de as entidades organizarem juntos o evento do Programa Trabalho Seguro, que é um Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, no qual Jahn é o gestor.

A coordenadora adjunta do curso de Direito, Márcia Piazza, e o coordenador adjunto do PPGD (Programa de Pós-Graduação em Direito), Reginaldo Vieira, e a chefe de gabinete da reitoria da Unesc, Gisele Coelho Lopes, participaram do encontro.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

30 de agosto de 2018 às 17:26
Compartilhar Comente

Professora da Unesc ministra palestra na OAB Criciúma

Professora da Unesc ministra palestra na OAB Criciúma
Márcia Piazza esteve ao lado do professor da ESA Julio Muller (Foto: Ápice Comunicação) Mais imagens

Profissionais e alunos de Direito da região participaram nesta terça-feira (28/8), de um evento na sede da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Criciúma, sobre a celeridade dos trâmites processuais. Na palestra, a coordenadora adjunta do curso de Direito da Unesc, Márcia Piazza, apresentou o trabalho realizado pela Câmara de Mediação, Conciliação e Arbitragem e o professor da ESA (Escola Superior de Advocacia), Julio Muller, abordou a forma como a Justiça pode se enquadrar ao mundo digital e instantâneo.

Na abertura dos trabalhos, o presidente da OAB Subseção Criciúma, Fábio Jeremias ressaltou a importância e a presença dos advogados na solução extrajudicial dos litígios. “O advogado deve se adaptar a esta nova tendência e buscar o aprimoramento profissional para oferecer ao cliente a opção da conciliação e, a OAB vai fomentar a atuação profissional na solução extrajudicial”, afirmou o presidente.

Na era da inteligência artificial, Muller promoveu uma reflexão: “O que o futuro nos reserva passa por uma revolução digital”. A partir disso, o profissional apresentou quatro tópicos: a litigiosidade, a tecnologia, o novo Código de Processo Civil (CPC) e o sistema multiportas do qual envolve a mediação, a conciliação e a arbitragem. “Quantas causas poderiam ser evitadas com a mediação, por exemplo, ou mesmo prazos menores”, exemplificou.

Com base na temática, Márcia finalizou o evento detalhando como a Câmara de Mediação, Conciliação e Arbitragem. Ela tem como objetivo promover a resolução de conflitos com o emprego de métodos de forma simplificada, que são menos onerosos para ambas as partes e têm se consolidado como alternativa eficaz, rápida e sigilosa para solucionar diversas causas.

"Somente vai sobreviver o que melhor se adaptar aos novos tempos e às novas tecnologias. Desde os bancos das universidades, nós aprendemos a litigar e não a solucionar os conflitos. Independente da causa, seja ela simples ou complexa, nós a iniciamos com litígio. É preciso mudar a postura, evitar litígios desnecessários, evitar buscar a posição de adversário e focar na solução do problema", afirma a professora.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 29 de agosto de 2018 às 17:02
Compartilhar Comente