Artes Visuais - Bacharelado

Estudante da Unesc participará da Volta Internacional da Pampulha

Estudante da Unesc participará da Volta Internacional da Pampulha
Karen viaja neste sábado (7/12) e disputa a prova no domingo (8/12) (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

A estudante de Educação Física – Bacharelado Karen Bortolin Salvan fez do esporte sua vida. A dedicação, somada ao conhecimento obtido na graduação, consolidará mais um objetivo de vida da atleta: no próximo domingo (8/12) ela participará da Volta Internacional da Pampulha, em Minas Gerais.

Na competição, que chega a sua 21ª edição, Karen correrá 18 quilômetros. A distância será completada junto ao grupo de corrida de Treze de Maio, seus companheiros há mais de dois anos. “Participar destes momentos vai além da prática de esporte. É qualidade de vida, aprender valores, fazer amigos e aprender com o próximo. Sou a mais nova na equipe, que conta com atletas de 79 e 76 anos e compartilham muita sabedoria e nos inspiram”, afirma a corredora.

Com o mesmo grupo de corrida, a estudante participou da São Silvestre em 2017. De lá para cá sua rotina se dividiu entre a profissão de professora e seus treinos de corrida e ciclismo. Diariamente são de 10 a 15 quilômetros, intercalando a preparação com grupo e sozinha.

A dedicação, com foco em grandes competições, veio rendendo frutos no caminho. São sete troféus, mais de 30 medalhas conquistadas e muita paixão pelas suas escolhas. “Ela é assim, disciplinada, focada e persistente. Não desiste nunca, seja por lesões ou pelos seus compromissos diários. Nenhum obstáculo é grande o suficiente”, conta a irmã de Karen, Keli Salvan, egressa do curso de Artes Visuais da Unesc. 


Um exemplo à próxima geração


Junto à corrida, o dia a dia de Karen é compartilhado com sua profissão. Ela é professora de Educação Física na rede estadual de ensino, escolas dos municípios de Pedras Grandes, na região de Azambuja, e Sangão. Com o esporte tendo lugar garantido na vida da atleta, ela não deixa de passar este amor aos seus estudantes das series iniciais. “Faz parte de mim. Fé, persistência, foco. São valores que tento compartilhar com eles. Muitos me acompanham, incentivam nas redes sociais e conversamos sobre o esporte. O carinho que recebe tento devolver como estimulo e conhecimento do quanto o esporte é importante para a vida deles”, afirma a atleta.

Além de se preparam para a Volta Internacional da Pampulha e dar aulas, Karen se desafiou mais uma vez. O Bacharelado é sua segunda graduação. Ela já é formada pelo curso de Educação Física – Licenciatura da Unesc.

Leonardo Ferreira - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 06 de dezembro de 2019 às 17:50
Compartilhar Comente

“Escola de Pais e Filhos” desenvolve atividades na área da saúde coletiva em Criciúma

“Escola de Pais e Filhos” desenvolve atividades na área da saúde coletiva em Criciúma
Encontro na Escola Padre Carlos Wecki ocorreu no dia 28 de novembro (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Um espaço para troca de experiências por meio do diálogo e respeito às diferenças e que envolve família e escola. Esta é a proposta do projeto de extensão “Escola de Pais e Filhos: Diálogos entre universidade, escola e comunidade”, desenvolvido dentro do Programa Território Paulo Freire. As atividades na área de saúde coletiva ocorrem desde 2018 nas escolas de Criciúma: José Contim Portella, Professora Lili Coelho e Padre Carlos Wecki. O projeto será realizado nas unidades escolares até 2020 e tem como público alvo professores, pais ou responsáveis, crianças e adolescentes matriculados nas escolas participantes.

Nos dias 28 de novembro e 2 de dezembro, a equipe do projeto de extensão se reuniu com os participantes da “Escola de Pais e Filhos” para um encontro com o objetivo de confraternizar e marcar o encerramento das atividades no ano de 2019. Durante o encontro, houve uma avaliação dos participantes sobre as atividades desenvolvidas pelo projeto ao longo do ano, bem como um espaço de confraternização de Natal, com o sorteio de cestas. As atividades da “Escola de Pais e Filhos” serão retomadas em fevereiro de 2020.


A equipe do projeto é composta por professores e acadêmicos (bolsistas e voluntários) dos cursos de graduação em Enfermagem, Psicologia, Direito, Pedagogia e Artes Visuais da Unesc, pós-graduandos do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família, Atenção Básica e mestrandos do PPGSCol (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva), como uma atividade de inserção social junto à comunidade.

A atual coordenadora do projeto, professora do curso de Enfermagem e do PPGSCol da Unesc, Fabiane Ferraz, afirma que ao longo de 2019 a “Escola de Pais e Filhos” atingiu cerca de 1.800 participantes (adultos e crianças). “O projeto ocorreu em três momentos desenvolvidos simultaneamente com públicos distintos, visto serem independentes em suas atividades”, comenta.

Projeto agrupou atividades em três momentos

As atividades ao longo do ano foram divididas em três momentos. Segundo Fabiane, os dois primeiros foram estruturados na lógica Freireana, sendo realizado o levantamento das necessidades e a realização das ações ocorrendo a partir das demandas dos participantes.

A professora explica que no Momento I, foram realizados de quatro a oito encontros com pais/responsáveis e crianças em cada escola participante, com os temas sobre saúde bucal, alimentação saudável, direito e cidadania, psicologia infantil, relação pais e filhos e cultura de paz.

No Momento II, os temas trabalhados foram: higiene pessoal, mental e do ambiente em que vivemos; alimentação saudável e cuidado com os alimentos; higiene pessoal e doenças relacionadas a falta de higiene; sexualidade, ISTs e métodos contraceptivos; e saúde mental e cultura de paz. Segundo Fabiane, este momento foi organizado a partir de um ensaio de curricularização da extensão junto a duas disciplinas do curso de Enfermagem (ISC-I e SI-II) e ocorreu nos dois semestres de 2019, totalizando 30 turmas das três escolas de Criciúma.



Com relação ao segundo momento do projeto em 2019, a professora do curso de Psicologia da Unesc, Elenice de Freitas Sais, destaca a importância da relação interdisciplinar estabelecida para estruturação das propostas realizadas nas disciplinas do curso de Enfermagem. “O projeto de extensão consegue implicar os diferentes participantes para a construção das ações a fim de atender as demandas. Por exemplo, eu que trabalho o tema cultura de paz, num determinado momento do semestre sou convidada pela professora Fabiane a estar em sala de aula do curso de Enfermagem para orientar os acadêmicos que estão construindo projeto sobre essa temática”.

Algo semelhante ocorre com os participantes da Residência Multiprofissional. Fabiane é professora de uma disciplina do programa e articula a participação dos especializandos na orientação dos grupos de alunos da graduação para formulação dos projetos que serão desenvolvidos no Momento II nas escolas.

A professora do curso de Direito, Renise Zaniboni explica que as ações do Momento I ocorreram no período noturno em dois espaços distintos nas escolas: um em que os pais, professores e convidados da comunidade desenvolveram um diálogo sobre o tema do encontro e outro espaço onde ficam as crianças com os bolsistas da Pedagogia e profissionais voluntários da Residência Multiprofissional, que realizavam produções artístico-pedagógicas também relacionadas ao tema trabalhado com os pais naquele encontro.

A professora do curso de Artes Visuais da Universidade, Katiuscia Oliveira, comenta que em algumas escolas, como a Padre Carlos Wecki, encontros tiveram a participação de um representante da Secretaria de Educação do município. Segundo ela, esta presença expressa a interlocução real que o projeto “Escola de Pais e Filhos” possui com a comunidade e a Secretaria de Educação de Criciúma.



No Momento III, foram realizadas atividades de formação continuada junto aos professores e equipe diretora das escolas, desenvolvidas por professores e alunos do de Pedagogia na Unesc. “Buscamos trabalhar ‘o sensível’ e em uma das ações, convidamos as escolas a prestigiarem uma peça teatral, sendo que houve grande participação de alunos e professores”.

Depoimentos


A mãe participante da “Escola de Pais e Filhos”, Daiane Ferrari Francisco, avalia que o projeto foi de grande valor, tanto em sua casa quanto na escola. “Nós pais precisamos compreender a importância de estarmos engajados junto com a escola na educação dos nossos filhos. Estou muito feliz e sou muito grata por ter tido a oportunidade de participar do projeto, pois tive a possibilidade de conhecer os professores e a direção e estabelecer um diálogo com eles”, afirma.

Daiane salienta ainda que o projeto de extensão a aproximou ainda mais de seu filho e que a troca de experiências com os participantes e equipe foi muito salutar. “O que eu não sabia, tive a oportunidade de aprender, e o que eu sabia, passei para outras pessoas. Eu pude ver a diferença ao longo desse ano no meu filho, a partir do modo como passei a me relacionar com ele. Percebi a diferença nele e em mim e isso não tem preço. Só tenho gratidão pela equipe da Unesc que veio na escola realizar esses encontros. Era bom que todos os pais que tivessem filhos na escola, participassem. O ano que vem eu vou estar novamente no projeto, porque me fez muito bem!”.

Já a diretora da Padre Carlos Wecki, Tomazia Alexandra de Barros Martinhago, destaca como ponto positivo o esmero dos membros do projeto com a escola para desenvolvimento dos diferentes momentos do projeto e a seriedade na realização das atividades. “Isso se exteriorizou nesse encontro final, pois reunir mais de 200 pessoas nessa época do ano é algo muito difícil. Os pais, professores, direção da escola e comunidade em geral que participou do projeto Escola de Pais e Filhos tem muito a agradecer e registrar o grande aprendizado que o projeto proporcionou aos participantes.

Aguardamos o projeto em 2020 e agradecemos a parceria estabelecida com a Unesc por meio de projetos de extensão para fortalecer o vínculo da escola com a comunidade”, salienta.



A assistente de direção da Escola Lili Coelho, Marileia da Silva Serafim, comenta que o projeto é de extrema relevância, visto que aborda temas que emergem das necessidades dos participantes. “Tanto nas atividades feitas só com os alunos à tarde, quanto as realizam à noite, os participantes aprenderam muito! Agradecemos pela parceria e esperamos o retorno das ações em 2020”.

A diretora da Escola José Contim Portella, Simone Garcia Conceição agradece à equipe do projeto, e salienta a importância da parceria com a Universidade.  

Milena Nandi – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 05 de dezembro de 2019 às 15:15
Compartilhar Comente

Egressos de Artes Visuais selecionados para o Mestrado da UNESC

Egressos de Artes Visuais selecionados para o Mestrado da UNESC
Mais imagens

Egressos de Artes Visuais Bacharelado e Licenciatura são selecionados para o Mestrado em Educação da UNESC, conforme resultado publicado no edital 375/2019.

Por: Franciele Bock Da Rosa 29 de novembro de 2019 às 18:29
Compartilhar Comente

Professores de artes visitam aldeia Tekoa Maragatú

Professores de artes visitam aldeia Tekoa Maragatú
Contato com a cultura indígena foi promovido por meio do projeto Arte na Escola Polo Unesc (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Professores de artes de Criciúma e região tiveram a oportunidade de viver uma experiência única neste final de semana. No sábado (23/11) integrantes do projeto Arte na Escola Polo Unesc visitaram a aldeia Tekoa Maragatú, em Imariú.

A viagem de estudos foi promovida por meio do projeto, que visa a formação continuada dos profissionais, sendo a cultura indígena um dos temas abordados ao longo dos encontros. Conforme a coordenadora Geral do Arte na Escola Polo Unesc, Silemar Maria de Medeiros da Silva, o objetivo da visita foi ampliar os olhares sobre a cultura indígena, conhecendo sua realidade. “A partir da lei n. 11.645/2008, que estabelece a obrigatoriedade do ensino da história e cultura indígena no ensino básico, precisamos rever de que maneira o índio está sendo abordado em sala de aula. Considerar a riqueza e a contribuição da diversidade indígena para entendermos melhor nossa própria história, faz-se ainda um desafio”, explicou.

Por meio do contato com o professor João Batanoli, parceiro da comunidade, o grupo foi apresentado ao novo cacique da aldeia, que os recebeu como porta voz do povo.  “São 54 famílias indígenas que se organizam a partir das orientações de Maria, uma senhora indígena que assume a casa de reza para as orientações sobre seus hábitos e costumes. Maragatú significa lugar para se viver em harmonia, algo que o homem branco vem buscando aprender constantemente”, relembra Silemar.

Para o professor Batanoli, a visita proporcionou um encontro de saberes. “Esses encontros se fazem como um grande fenômeno pedagógico. Vivenciamos a troca de saberes e uma comunicação enriquecedora, pois temos muito que aprender com eles e eles conosco”, afirmou.

Participaram dessa visita professores de artes do Polo Unesc, as coordenadoras Silemar Silva e Isabel Duarte, o professor João Batanoli e as professoras do curso de Artes Juliana Guimarães e Daniela Zacarão.

Mayara Cardoso - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 25 de novembro de 2019 às 19:37
Compartilhar Comente

Cronograma de Defesas do TCC Artes Visuais - Bacharelado e Licenciatura - 2019/2

O curso de Artes Visuais - Bacharelado e Licenciatura convida a todos para participarem como ouvintes da Defesa Pública de Trabalho de Conclusão de Curso que acontecerá nos dias 26 a 29 de novembro de 2019.

Por: Franciele Bock Da Rosa 19 de novembro de 2019 às 14:42
Compartilhar Comente