Iparque

Unesc apresenta modelo inovador e seguro de respirador mecânico para o enfrentamento da Covid-19

Unesc apresenta modelo inovador e seguro de respirador mecânico para o enfrentamento da Covid-19
Protótipo já tem potencial para ser reproduzido e utilizado em hospitais (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Pesquisadores da Unesc apresentaram, nesta terça-feira (1º/8), o primeiro projeto de respirador mecânico constituído em uma instituição de ensino do Sul catarinense capaz de ser funcional e seguro para ser usado em uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). Desenvolvido no Iparque (Parque Científico e Tecnológico), por professores do curso de Engenharia Mecânica, o protótipo já tem potencial para ser entregue à sociedade como um modelo a ser reproduzido, e também pode seguir como objeto de pesquisas e aprimoramentos.

A ideia deste projeto nasceu com a chegada da pandemia. A necessidade por este equipamento ganhou proporções únicas, e como resposta a este cenário a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, buscou soluções na expertise tecnológica e na união das áreas de conhecimento da Universidade.  

Na tarde desta terça-feira, ela acompanhou a primeira demonstração da funcionalidade, e comemorou mais esta conquista.  “O protótipo do respirador é um equipamento resultante do empenho de um grupo de professores do curso de Engenharia Mecânica. Altamente avançado, e com grande sustentabilidade, demonstra as capacidades inovadora, tecnológica e científica de uma Universidade, que mesmo em tempo de forte crise sanitária se reinventa e coloca a ciência a favor da vida nas diferentes áreas do conhecimento. Esse protótipo também demonstra a importância das engenharias, principalmente a relevância de sua aplicação à saúde”, evidenciou Luciane. 

O professor doutor Adriano Bernardim coordena a iniciativa há mais de cinco meses, desde sua implantação, e conta que todas as decisões foram debatidas por um grupo de especialistas formado para entregar um produto com maior assertividade. Entre adequações, importação de peças e busca de parcerias, foi possível concluir o protótipo. “Foram várias reuniões, simulações e outras atividades, até que chegássemos a este modelo apresentado. É um projeto impressionante, principalmente diante de um desafio para a presencialidade”, destacou. 

Projeto inovador e aprovado por profissionais de saúde

Durante os primeiros passos de desenvolvimento, o professor, médico e pesquisador da Unesc, Felipe Dal Pizzol, chamou atenção para a necessidade de um respirador diferente do que já havia sido entregue às instituições de saúde. As ressalvas do profissional levaram a uma alteração do projeto, com o desenvolvimento de novas pesquisas e uma tecnologia pioneira. 



Após o estudo, construção, testes e aprovação, o respirador mecânico da Unesc é diferente dos já entregues por outras instituições de ensino. Conforme o professor doutor Mauro Eduardo Benedet, o profissional de saúde tem controle completo sobre o sistema, que conta com sensores de monitoramento e aquisição de dados para o controle via software. O modelo conta com:

- Reguladores de pressão para a entrada de ar comprimido e oxigênio;

- Controle da entrada de ar comprimido e oxigênio via software;

- Medidores de vazão para o ar comprimido e oxigênio, com leitura via software;

- Pulmão artificial que permite a simulação precisa da realidade em UTIs;

- Válvula de expiração e temporizador via software; 

- Conexões de mangueiras, válvulas de contenção e outros componentes auxiliares.

Segundo o professor doutor Fábio José De Souza, apesar de já ser considerado um modelo capaz de suprir as necessidades do paciente, ainda são esperadas melhorias no componente. Este processo será realizado com o acompanhamento de um profissional da saúde, que poderá  apontar os pontos fortes e fracos do projeto, permitindo a entrega de um produto de excelência. 

O futuro do projeto conta com a contribuição de professores do curso de Design - ênfase em desenvolvimento de produtos da Universidade. Os pesquisadores têm o papel de desenvolver a instalação final do respirador, garantindo a usabilidade e a segurança para seu deslocamento.


Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

01 de setembro de 2020 às 17:16
Compartilhar Comente

Ciências, engenharias e tecnologias no enfrentamento ao coronavírus

Ciências, engenharias e tecnologias no enfrentamento ao coronavírus
Pesquisadores têm oferecido ferramentas e soluções ao longo da crise, que muitas vezes acabam não sendo percebidas (Imagem: ArquivoUnesc) Mais imagens

Por trás do enfrentamento à pandemia de Covid - 19, as ciências, engenharias e tecnologias se colocam como importantes e silenciosas aliadas da área da saúde, e por muitas vezes assumem o protagonismo para salvar vidas. Atuando no dia a dia de um hospital, no transporte público, nas instituições de ensino e no comércio, os produtos destas áreas do conhecimento muitas vezes passam despercebidos, mas estão lá: respiradores nas UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo), mecanismos para higienização de ambientes, tratamento de resíduos e estratégias de distanciamento social são alguns exemplos.

Segundo o diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da Unesc, Oscar Montedo, em meio a pandemia a importância destes profissionais pode ser percebida em diversos aspectos para combater o coronavírus. Na última semana, pesquisadores da Universidade entregaram a profissionais e estudantes de Odontologia um Equipamento de Proteção Odontológica com custo seis vezes menor do que os comercializados. “Podemos exemplificar este grande valor ao abordar o papel da área tecnológica, de disponibilizar meios, processos e equipamentos para o desempenho de uma atuação assertiva de profissionais de outras áreas do conhecimento. Após se analisar necessidade, neste momento muitas vezes apresentada por um profissional da área de saúde, o colaborador da área tecnológica estuda, desenvolve e implementa a solução mais adequada”, destaca Oscar.



Além da questão de valores, outros aspectos podem ser percebidos. O desenvolvimento de medicamentos e testes recebem grandes contribuições da Engenharia Química. Os softwares de análise e controle dos casos, sensores e respiradores mecânicos são entregues por profissionais de Ciência da Computação e Engenharia Mecânica.

Todos estes processos recebem o auxílio dos profissionais da Engenharia de Produção, que potencializam organizações e produções. Atuando de forma mais ampla, o profissional da Engenharia de Materiais realiza a fabricação e controle das ferramentas utilizadas nas mais variadas aplicações, como EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), itens básicos presentes nos hospitais, como gazes e seringas, e outros produtos relacionados às outras engenharias. “São áreas do conhecimento que se conectam. A atividade das engenharias, do Design, da Arquitetura, das ciências, enfim, da área tecnológica, se faz presente em tudo o que vemos: em uma construção, nos mais variados materiais e desenho de produtos, nos softwares, nos combustíveis, nas máquinas, em uma estrada, no tratamento de resíduos e outros lugares”, enfatiza Oscar.

Prevenção também é foco de atuação

Ao analisar as ações destas três áreas do conhecimento, destaca-se as contribuições para o enfrentamento do vírus. Porém, as ciências, engenharias e tecnologias também têm papel fundamental para a prevenção. Exames para detectar o coronavírus, pesquisas para a formulação de reagentes capazes de destruir o vírus no ar, álcool em gel e muitas outras ferramentas contam com o trabalho destes profissionais.

Na Unesc, o Projeto de Desenvolvimento e Produção de Protetores Faciais tem distribuído equipamentos gratuitamente aos profissionais das Clínicas Integradas da Universidade e em instituições de saúde da região. Até o momento, mais de 1.500 unidades já foram entregues.

Também em evidência, a Universidade concluiu em abril o primeiro projeto de higienização por ozônio para o combate da pandemia de Covid-19 do Sul do Brasil. A concretização da iniciativa foi simbolizada com a entrega do primeiro túnel de higienização por ozônio, localizado no Centro de Triagem do bairro Boa Vista.



Os equipamentos foram disponibilizados ao poder público de municípios do Sul de Santa Catarina, contribuindo para a segurança de profissionais de saúde em hospitais e centros de triagem. Com grande capacidade de desinfecção, 100 vezes mais potente do que o cloro e agindo até 3.120 vezes mais rápido, o ozônio pode zerar a contaminação de uma sala em cinco minutos.

Ao todo, a Universidade conta com mais de 20 projetos para combater a pandemia. Em grande parte, estas iniciativas são desenvolvidas por professores, funcionários e pesquisadores dos cursos das engenharias de Materiais, Mecânica, de Produção e Química; do Design – com ênfase em projeto de produtos, e de Ciências da Computação. O conhecimento toma forma no IDT (Instituto de Engenharia e Tecnologia), localizado em anexo ao Iparque (Parque Científico e Tecnológico) e conta em sua estrutura com laboratórios de Simulação de Modelos, Metrologia, Processamento de polímeros, usinagem e outros espaços de trabalho.

Matrículas abertas

Dentro deste universo das ciências, engenharias e tecnologias, a Unesc oferece uma formação de excelência, em uma Universidade avaliada com nota máxima pelo MEC (Ministério da Educação). Para viver esta experiência, as matrículas para o segundo semestre já estão abertas na Unesc, por meio do Ingresso sem vestibular.

As matrículas podem ser feitas por meio do contato com o Setor Comercial, no WhatsApp (48) 9 99150433 ou telefone (48) 3431-2500.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

10 de julho de 2020 às 13:54
Compartilhar Comente

Unesc figura entre as melhores Universidades da América Latina

Unesc figura entre as melhores Universidades da América Latina
Reconhecimento foi trazido a público na semana de comemorações pela ciência no Brasil Mais imagens

O Sul de Santa Catarina conta com uma das melhores universidades da América Latina, atuante no ensino, pesquisa e extensão. A Unesc está na seleta lista da revista inglesa THE (Times Higher Education), com a posição 125 do Ranking Universitário Latino Americano. O reconhecimento  foi trazido a público nesta terça-feira (7/7), na semana de comemorações pelo Dia Nacional da Ciência e Dia Nacional do Pesquisador, lembrados pontualmente em 8 de julho.

Com o objetivo de reconhecer as melhores instituições de ensino localizadas entre Uruguai e México, a THE  realiza seu estudo com base em 13 rigorosos indicadores de desempenho. Em Santa Catarina, a Unesc foi a mais bem colocada entre as não-estatais.“Nossa Universidade, ao longo destes 52 anos, tem se posicionado de modo diferenciado no cenário regional, estadual, brasileiro e internacional. Suas contribuições para o desenvolvimento são evidentes, em todas as dimensões acadêmicas e na interlocução com o cenário externo. Temos um grupo de professores, extensionistas e pesquisadores de elevada formação, capacidade técnica e produção científica. Estes resultados confirmam a posição de destaque que nossa instituição vem assumindo ao longo de sua história. Estamos orgulhosos deste resultado e do crescimento contínuo da nossa Unesc”, comemorou a reitora, Luciane Bisognin Ceretta.

Neste ano, a revista selecionou 165 instituições com desempenho considerado de excelência, analisando com maior peso cinco pontos principais: ensino, visão internacional, pesquisa, criação científica e transferência de conhecimento para a indústria. “Em sua história, a Universidade desenvolve um trabalho consistente na área acadêmica, em suas diferentes dimensões. A articulação da pesquisa e extensão ao ensino nos confere qualidade e excelência na formação de profissionais, pautada na forte relação com a realidade social. Também colocamos em destaque a associação entre teoria e prática, resultando por muitas vezes em uma imersão na sociedade e que nos caracteriza como Universidade comunitária. Este reconhecimento é fruto do trabalho coletivo de todos que fazem parte da comunidade Unesc”, destacou a pró-reitora acadêmica, Indianara Reynaud Toreti.

O reconhecimento, posto diante de datas comemorativas pela ciência, teve um importante peso dentro da avaliação. Na Unesc, a pesquisa é um dos pilares de atuação da instituição, junto ao ensino e a pesquisa. Grande parte deste segmento é trabalhando por meio da  criação científica e da transferência de conhecimento, realizado dentro do Iparque (Parque Científico e Tecnológico) da Instituição, criando uma harmonia entre as áreas do conhecimento e levando a Unesc a figurar nesta seleta lista. “Ano após anos temos conquistado melhorias, por meio de um corpo técnico qualificado e estímulo à ciência. A Unesc investe e valoriza seus grupos e programas de pesquisa. Este aspecto reflete em melhorias quantitativas e qualitativas. Além disso, podemos destacar nossos sete programas de Pós-Graduação, com cinco deles ofertando doutorado e um atingindo a nota de excelência na avaliação do MEC (Ministério da Educação)”, frisou o diretor de Pesquisa e Pós-Graduação, Oscar Montedo.

Aspecto citado pela reitora da Instituição, o crescimento contínuo da Universidade vem sendo evidenciado pelos órgão de avaliação ano após ano. Em destaque, a Unesc recebeu nota máxima no conceito do Ministério da Educação - cinco de cinco. Ao realizar o estudo, a Times Higher Education utilizou a mesma metodologia mesma empregada para avaliar universidades em escala global, mas os pesos são recalibrados para refletir as características das universidades da América.

Unesc com matrículas abertas 

O mundo está mudando, o que não muda é a força do conhecimento. Para viver a experiência de estudar na Universidade mais bem conceituada do Sul catarinense, as matrículas para o segundo semestre já estão abertas na Unesc, por meio do Ingresso sem vestibular.

Setor Comercial, no WhatsApp (48) 9 99150433 ou telefone (48) 3431-2500.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

08 de julho de 2020 às 11:42
Compartilhar Comente

Pesquisadores da Unesc concluem projeto de Equipamento de Proteção Odontológico para atendimentos durante a pandemia

Pesquisadores da Unesc concluem projeto de Equipamento de Proteção Odontológico para atendimentos durante a pandemia
Item foi instalado na Clínica de Odontologia da Universidade (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Os estudantes, professores e pacientes atendidos na Clínica de Odontologia da Unesc estão ainda mais seguros. Isso porque nesta terça-feira (1º/7) os pesquisadores do IDT (Instituto de Engenharia e Tecnologia) e dos cursos de Engenharia de Materiais e Odontologia concluíram o projeto de Equipamento de Proteção Odontológico para atendimentos durante a pandemia.  



O item tem um formato simples, de um vidro protetor, mas tem grande significado. Ele começa a se destacar pelo custo-benefício. O professor pesquisador Felipe Zanette da Silveira explica que mercadorias similares custam até seis vezes mais no mercado, enquanto o projeto da Unesc custou R$ 150,00 pela unidade. “Ele é de fácil utilização e sua produção foi concebida por meio de metais e polímeros. Para a concretização do protótipo, foram realizados estudos pontuais e em loco, sobre sua ergonomia e usabilidade”, esclarece.

A professora do curso de Odontologia Soraia Netto aprovou a entrega do item e destacou a importância de ter mais um equipamento de proteção. “Em função de tudo que estamos vivendo na sociedade, esta é mais uma forma de cuidado com a nossa proteção, dos estudantes e dos pacientes. Além do item, estaremos utilizando máscaras cobertas pelo protetor facial, mais uma garantia durante o atendimento odontológico”, destaca.

O desenvolvimento do Equipamento de Proteção Odontológico para atendimentos durante a pandemia foi projetado pelo professor pesquisador Mateus Milanez. Acoplado em uma das cadeiras da Clínica, ele pode ser movido por todo o espaço de atendimento e sua elevação também pode ser regulada, garantindo uma melhor experiência de uso. Sua construção simples também proporciona a fácil higienização.

Pesquisadores da Unesc estão engajados no enfrentamento à pandemia


Para uso interno ou externo, os professores pesquisadores dos cursos de Engenharia da Unesc, atuando no IDT, têm buscado soluções para as diversas situações causadas pela pandemia. A entrega do Equipamento de Proteção é apenas mais uma ação desenvolvida. O Projeto de Desenvolvimento e Produção de Protetores Faciais já distribuiu mais de 1.500 itens aos profissionais de saúde de Criciúma e região, em organizações de combate à pandemia.

A Universidade também concluiu, em abril, o primeiro projeto de higienização por ozônio para o combate da pandemia Covid-19 do Sul do Brasil. A concretização da iniciativa foi simbolizada com a entrega do primeiro túnel de higienização por ozônio, localizado no Centro de Triagem do bairro Boa Vista. Antes mesmo desta data, uma equipe da Instituição já auxiliava o poder público higienizando espaços de alta vulnerabilidade ao vírus.

Em produção, a equipe do IDT estima entregar respiradores mecânicos as UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo). O projeto vem sendo desenvolvido desde o início da pandemia no Brasil e já passou por diversas adaptações, na busca por entregar uma maior qualidade no desenvolvimento de seus objetivos. Próximo de ser concluído, o protótipo será completo, com sensores que captam o quanto o paciente precisará de ajuda para respirar e fará uma auto adaptação para a situação.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

02 de julho de 2020 às 14:33
Compartilhar Comente

Projeto de Desenvolvimento e Produção de Protetores Faciais da Unesc recebe apoio da empresa Canguru Embalagens

Projeto de Desenvolvimento e Produção de Protetores Faciais da Unesc recebe apoio da empresa Canguru Embalagens
Lote conta com 16 quilos de filme polimérico e possibilita a produção até mil unidades (Imagem: ArquivoUnesc) Mais imagens

O Projeto de Desenvolvimento e Produção de Protetores Faciais da Unesc contou com mais uma doação da empresa Canguru Embalagens, uma das parceiras no enfrentamento à pandemia. A entrega contou com lote de 16 quilos de filme polimérico, que possibilita a produção de até mil unidades dos protetores. Após o desenvolvimento, os equipamentos serão distribuídos gratuitamente aos profissionais das Clínicas Integradas da Universidade e em instituições de saúde da região.

O coordenador do Projeto, professor Felipe Zanette da Silveira, explica que o material recebido é empregado na produção da touca e no sistema que prende o protetor ao usuário, partes fundamentais para a segurança do equipamento. “O Grupo Jorge Zanatta e a Canguru Embalagens possuem uma grande preocupação social e vem sendo grandes parceiros da Unesc. Atualmente temos parceria em projetos de pesquisa de ponta que estão em andamento nos laboratórios da instituição, e também parcerias como esta, que visa atender uma demanda social da região”, relatou.

Para o gerente técnico da empresa, Jucinei Donizeti Pereira, a ação faz parte do propósito do Grupo Zanatta. “O ato de ajudar faz parte de nosso lema. Se tem a oportunidade de fazer o bem, faça. Sem perguntar porque ajudar, mas como ajudar. Não somente agora, os parceiros como a Unesc nos motivam, e sempre estamos buscando formas de melhorar em todos os sentidos”, afirmou.

Caracterizado com um formato simples, o produto tem grande eficiência e proporciona uma experiência segura e confortável ao usuário. Sua forma também garante confiança após o uso, pois os matéria empregados permitem uma fácil higienização.

Até o momento, a iniciativa já distribuiu mais de 1.500 protetores, desenvolvidos e produzidos com a colaboração de professores, funcionários e pesquisadores dos cursos de Engenharia de Materiais, Engenharia Mecânica e Design de produtos da Universidade, que ficam situados no IDT (Instituto de Engenharia e Tecnologia), localizado em anexo ao Iparque (Parque Científico e Tecnológico) e conta em sua estrutura com laboratórios de Simulação de Modelos, Metrologia, Processamento de polímeros, usinagem e outros espaços de trabalho que foram de suma importância para o desenvolvimento do projeto.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

30 de junho de 2020 às 15:45
Compartilhar Comente