Newsletter Newsletter RSS RSS

Professor da Unesc é membro da nova diretoria da Sociedade de Arqueologia Brasileira

Professor da Unesc é membro da nova diretoria da Sociedade de Arqueologia Brasileira
Eleição ocorreu durante evento nacional em setembro (Foto: Divulgação) Mais imagens

A Unesc está presente na diretoria da SAB (Sociedade de Arqueologia Brasileira). O professor do PPGCA (Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais), pesquisador do Lapis (Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz) Juliano Bitencourt Campos, faz parte da gestão que estará à frente da entidade no período de 2018/2019.

A eleição ocorreu durante o 19º Congresso da Sociedade de Arqueologia Brasileira realizado na última semana no campus de Teresina da Universidade Federal do Piauí. A chapa Arqueologia Em/No Movimento foi a vencedora do pleito e o professor da Unesc ocupará o posto de segundo secretário durante a gestão, encabeçada pelo professor da Universidade Federal de Pelotas, Jorge Eremites de Oliveira (presidente) e pela professora da UFSC, Juliana Salles Machado Bueno (vice).

Saiba mais


A SAB foi fundada em 28 de março de 1980, e é uma associação científica que congrega arqueólogas, arqueólogos e profissionais de áreas afins no país. Transcorridos 37 anos desde a sua criação, a entidade cada vez mais consolida o protagonismo de ser a principal associação brasileira de arqueologia.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 19 de setembro de 2017 às 20:58
Compartilhar Comente

Incubadora do Iparque gradua primeira empresa

Incubadora do Iparque gradua primeira empresa
Encontro ocorreu na tarde desta quinta-feira (Fotos: Mayra Lima) Mais imagens

A empresa Eposs Tecnologias e Inovações recebeu na tarde desta quinta-feira (14/9) o certificado de graduação da Itec-In (Incubadora Tecnológica de Ideias e Negócios) do Iparque (Parque Científico e Tecnológico da Unesc). O programa busca empreendedores de espírito inovador com uma boa ideia para tirar do papel ou até transformar o seu negócio. Após passar por todo o processo, hoje, a empresa Eposs já se encontra consolidada no mercado de trabalho.

Energia e Meio ambiente, biotecnologia e outras soluções é o foco da Empresa Eposs, o diretor e engenheiro químico, Luiz Alexandre, agradeceu a parceria com a Universidade. “Hoje, minha empresa conta com engenheiros que foram os melhores alunos do curso de Engenharia da Unesc, além disso, alguns estudantes também atuam na empresa”, comentou.

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, ressaltou a importância da atuação da empresa. “Atualmente, o que a sociedade mais precisa é de empresas desta ordem, que trabalhem em prol de melhorias e inovações no campo da biotecnologia”, ressaltou.

O encontro também contou com a presença do vice-reitor Daniel Preve, o pró-reitor de Pós-Graduação Pesquisa e Extensão, Oscar Montedo e a coordenadora da Itec-in, Cristiane Vargas.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Mayra Antonio De Lima 14 de setembro de 2017 às 20:32
Compartilhar Comente

Unesc realiza 3º Ciclo de Conferências em Arqueologia

Unesc realiza 3º Ciclo de Conferências em Arqueologia
Evento ocorreu nesta segunda-feira (Fotos: Divulgação) Mais imagens

As atividades do 3º Ciclo de Conferências em Arqueologia da Unesc iniciaram nesta segunda-feira (14/8), com a palestra do arqueólogo Francisco Silva Noelli, que abordou a “Utilização de Plantas pelos Guarani no Bioma Mata Atlântica: Arqueologia; Botânica; Manejo Ambiental; Povos Guarani”. Durante o segundo semestre de 2017, outras palestras serão realizadas dentro do Ciclo de Conferências.

Noelli é docente e pesquisador da UEM (Universidade Estadual de Maringá), pesquisador colaborador do laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre Tecnologia e Território (LINTT-MAE/USP) e do Lapis/Unesc (Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz).

O evento é uma realização do Grupo de Pesquisa Arqueologia e Gestão Integrada de Território, do Lapis e do PPGCA (Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais), com o apoio dos cursos de Ciências Biológicas, História, Geografia, e da Propex (Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão).

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 15 de agosto de 2017 às 17:27
Compartilhar Comente

Projeto de arqueologia é contemplado pelo Edital Elisabete Anderle

Projeto de arqueologia é contemplado pelo Edital Elisabete Anderle
Área do Rio Urussanga está dentro da abrangência da pesquisa (Foto: Arquivo) Mais imagens

A Unesc teve um de seus projetos contemplados pelo Edital Elisabe Anderle de Apoio às Artes e à Cultura do Estado de Santa Catarina de 2017. O “Arqueologia entre Rios: Do Urussanga ao Mampituba - Registros Arqueológicos no Extremo Sul Catarinense”, foi aprovado no segmento Patrimônio Material Imóvel e receberá aporte financeiro para o desenvolvimento de suas atividades.

O coordenador do projeto, Juliano Bitencourt Campos, pesquisador do Lapis (Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz) e professor doutor do PPGCA ( Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais), afirma que a pesquisa busca entender a forma pela qual os grupos humanos interagiam nos territórios ocupados – tanto no período pré-colonial quanto no período colonial –, o que resultou na gama de vestígios arqueológicos presentes nos variados ambientes que compõem o Extremo Sul catarinense.

“O projeto procura, alicerçado em bases científicas, subsidiar as discussões relativas à Gestão Integrada do Território. Assim, buscando o refinamento do cenário do conhecimento arqueológico que já vem sendo construído para o Extremo Sul catarinense ao longo dos últimos anos de pesquisa, têm-se como direcionamento mapear os diferentes estratos ambientais da área compreendida pelo projeto, a fim de registrar a diversidade dos sítios arqueológicos (pré-históricos e históricos) presentes”, explica.

A proposta é identificar e realizar o levantamento e mapeamento dos sítios arqueológicos localizados na região Litorânea dos municípios de Balneário Rincão, Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota e Passo de Torres. O resultado da pesquisa será disponibilizado para as fundações culturais e ambientais da região, com o objetivo de colaborar com os planejamentos municipais.

Em 2017, o edital chegou a sua quarta edição, e distribuirá R$ 5,6 milhões para até 176 projetos catarinenses nas modalidades: Culturas Populares; Arte e Cultura Negra e Indígena; Artes Visuais; Dança; Literatura; Música; Patrimônio Material e Imaterial; Museus; de Teatro e Circo; Apoio a Eventos Artísticos e Culturais; Bolsa de Trabalho, Intercâmbio e Residência.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 11 de agosto de 2017 às 17:28
Compartilhar Comente

Iparque realiza projeto "Pesqueiros do Rio Araranguá"

Iparque realiza projeto
Representantes do poder público de Araranguá estiveram reunidos na Unesc (Foto: Câmara de Vereadores) Mais imagens

O Ipat (Instituto de Pesquisas Ambientais e Tecnológicas) do Iparque (Parque Científico e Tecnológico da Unesc) desenvolve o projeto "Pesqueiros do Rio Araranguá", que visa a construção dos pesqueiros e plataformas de pesca ao longo do Rio Araranguá. E nesta terça-feira (25/7), o prefeito de Araranguá, Mariano Mazzuco, o secretário de Administração, Auderi Castro, o presidente da Câmara de Vereadores, Daniel Viriato Afonso e o vereador Cristiano Tano estiveram no Iparque para uma reunião com os técnicos responsáveis pelo trabalho.

Segundo o coordenador do Cegeo (Centro de Engenharia e Geoprocessamento) do Ipat, Vilson Paganini Bellettini, o projeto foi desenvolvido por um contrato firmado entre prefeitura e Unesc em janeiro 2014, passou por Licenciamento Ambiental na Fatma e agora a prefeitura quer licitar a execução da obra.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 26 de julho de 2017 às 22:03
Compartilhar Comente