Odontologia

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Projeto da Unesc ensina crianças do Bairro da Juventude alinhando cultura e diversão

Projeto da Unesc ensina crianças do Bairro da Juventude alinhando cultura e diversão
Alunos participaram de encontros com foco na saúde pessoal (Foto: Divulgação) Mais imagens

Por meio da cultura e da diversão, 210 crianças do Bairro da Juventude aprenderam sobre os cuidados com a saúde na Unesc. Foram quatro encontros com música, teatro, brincadeiras educativas e conversas, promovidas pelo projeto de extensão “Prevenção de doenças infecciosas e parasitárias”, em 2017. As atividades, orientadas pelos professores da Universidade, Cleonice Maria Michelon e Renan Antônio Ceretta, foram promovidas pelos alunos de Biomedicina, Medicina e Odontologia desde fevereiro de 2016, e serão encerradas em fevereiro de 2018.

Os encontros buscaram orientar as crianças, do 1º e 3º ano, sobre os meios de se prevenir contra doenças infecciosas e parasitárias presentes no dia a dia. As conversas foram divididas por temáticas.

Na primeira aula, os estudantes aprenderam sobre parasitas, como o carrapato, com teatro, música, brincadeiras lúdicas e uma oficina de higienização das mãos. 

No segundo dia de conversas, as crianças receberam conhecimentos sobre a prevenção do Aedes Aegypti. Após um teatro e uma caça ao tesouro, em busca dos focos dos mosquitos, eles reuniram os aprendizados para confecção de armadilhas contra o inseto.

O terceiro encontro foi sobre infecções respiratórias. A atividade propôs a montagem de um sistema respiratório gigante, em que os participantes entraram e tiveram a oportunidade de compreender melhor a anatomia e os mecanismos dos órgãos respiratórios.

Na última troca de conhecimento, os acadêmicos de Odontologia levaram informações sobre higiene e saúde bucal, com a realização do CPO-d (contabilização de dentes cariados, perdidos e restaurados) e orientações sobre escovação e o uso de fio dental.  Após a atividade foram doados kits de higienização bucal, disponibilizados pela prefeitura de Criciúma

 A coordenadora do projeto, Cleonice Maria Michelon, comenta que o conhecimento vai além dos encontros com os estudantes. “Os benefícios se estendem também aos educadores, que tiveram a possibilidade de vivenciar diferentes metodologias de abordagem sobre o tema, podendo compartilha-los com outras turmas. As informações também vão além dos muros da Instituição, uma vez que o conhecimento construído pelos participantes será transmitido aos familiares e amigos, refletindo em melhorias para a sociedade”.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

15 de janeiro de 2018 às 18:11
Compartilhar Comente

Unesc assume cadeira no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

Unesc assume cadeira no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente
Posse dos novos membros ocorreu nesta sexta-feira (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

Para trabalhar em prol de questões sociais e dos direitos das crianças e adolescentes, a Unesc é uma das nove entidades que assumiram o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) de Criciúma para o biênio de 2017/2019. A votação para a escolha dos novos integrantes ocorreu na terça-feira (12/12), e a posse do Conselho ocorreu na manhã desta sexta-feira (15/12), no auditório da Casa do Professor em Criciúma.

Também nesta sexta-feira foi foram eleitos o presidente, o vice e o secretário do CMDCA. O Conselho será presidido por Edevilson Manoel Pereira, da Associação Academia de Futebol; a vice será Janaína Villain, da Secretaria de Assistência Social e a secretária Carla Fernanda Medeiros Febel, da APAE de Criciúma. O evento teve a participação do secretário de Assistência Social de Criciúma, Paulo César Bitencourt.

O CMDCA é composto por representantes de nove entidades de Criciúma. Ao todo, 18 pessoas compõem o Conselho: nove de entidades governamentais e nove não governamentais. A Unesc será representada no Conselho pela coordenadora adjunta do curso de Odontologia, Fernanda Guglielmi Faustini Sônego (titular) e pelo professor do curso de Direito Ismael Francisco de Souza (suplente).

O objetivo do Conselho é de promover medidas de prevenção e que garantam os direitos de crianças e de adolescentes de Criciúma. Também buscar informações acerca das condições de vida da população infanto-juvenil local, da estrutura de atendimento do município e promover melhoria das condições de atendimento.

“Por sermos uma Universidade comunitária e estarmos cotidianamente envolvidos com questões sociais, sejam elas no ensino, na pesquisa, como na extensão, precisávamos ocupar novamente esta cadeira no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Criciúma. Estamos muito felizes com a possibilidade contribuirmos, ainda mais, com a construção de políticas públicas que fortaleçam os direitos das nossas crianças e adolescentes", afirma a professora da Unesc e conselheira.

Para a reitora Luciane Ceretta tratar assuntos deste segmento, são de extrema importância. “A participação da Unesc no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Criciúma converge com os pressupostos sobre essa temática, que são discutidos tanto no ensino, quanto na pesquisa, quanto na extensão. A comunidade acadêmica sente-se honrada com a possibilidade de ampliar o diálogo sobre o tema em um colegiado tão importante quanto este”, explica.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 15 de dezembro de 2017 às 14:22
Compartilhar Comente

Projeto Solidariedade: Acadêmicos prestam mais de duas mil horas de trabalho voluntário no segundo semestre de 2017

Projeto Solidariedade: Acadêmicos prestam mais de duas mil horas de trabalho voluntário no segundo semestre de 2017
Foram 163 alunos mobilizados em 39 equipes para trabalhar em 14 cidades da região (Foto: Divulgação) Mais imagens

Estudantes da Unesc realizaram mais de duas mil horas de trabalho voluntário, em 14 cidades do Sul catarinense. No segundo semestre de 2017 o projeto de extensão “Solidariedade” mobilizou 163 alunos de quatro cursos da graduação, em atividades que levaram conhecimentos sobre política, Direitos Humanos, cidadania, saúde, higiene e segurança a escolas e instituições que cuidam de pessoas em situação de vulnerabilidade na região.

A aluna de Educação Física Lisandra Almeida foi uma das participantes do projeto e destaca a importância das atividades para seu futuro. “Aprendi a enxergar as necessidades e dificuldades dos outros, e ainda percebi que todos somos iguais e frágeis, que precisamos um do outro. Vou levar estes ensinamentos para minha vida”, afirmou.

Participaram do projeto os acadêmicos da primeira fase de Direito, com palestras e intervenções de melhorias nos locais visitados; os estudantes da segunda fase de Educação Física, que proporam atividades de leitura, caminhadas, brincadeiras e jogos; os alunos da primeira fase de Fisioterapia, que realizaram oficinas de prevenção e atividades terapêuticas manuais, e os alunos da sexta fase de Odontologia, que promoveram palestras e ações sobre saúde bucal.

A diretora da Escola Nair Alves Bratti, de Sombrio, Márcia Regina da Silva Coelho, conta que o desejo é dar continuidade nas atividades no próximo ano. “O projeto na nossa instituição veio a somar. Os estudantes da Unesc foram atenciosos e trouxeram uma proposta nova. Os conhecimentos sobre bullyng, depois jogos de interação e, por fim, filme reafirmaram a vontade de que a Universidade continuasse conosco em 2018”.

O projeto atendeu 39 instituições e foi desenvolvido dentro das disciplinas de Ciência Política e Sociologia. “Levamos alegria, conhecimentos, sensibilidade e vontade de fazer a diferença. Ao todo foram duas mil e 41 horas trabalhadas”, conta a coordenadora do Solidariedade, Janete Trichês.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Leonardo Ferreira Barbosa 13 de dezembro de 2017 às 15:16
Compartilhar Comente

Encerramento da disciplina Odontologia em Saúde Coletiva IV

Como atividade de encerramento da disciplina Odontologia em Saúde Coletiva IV, os acadêmicos se reuniram, planejaram e executaram diversas atividades educativas com os escolares da E.M.E.F.Serafina Milioli Pescador. Com quase 200 crianças e adolescentes envolvidos, 9 turmas do período matutino foram convidadas a participar de gincana, palestras, vídeos e escovação supervisionada com os acadêmicos. Sob a supervisão dos professores da disciplina, os escolares receberam um kit de Higiene oral como recordação para continuarem cuidando de sua saúde bucal.

 Essa parceria tem sido muito produtiva, pois o índice médio de dentes cariados, perdidos e obturados desta escola (CPO-d), na idade de 12 anos, está menor do que um (0,86) e quase 80% dos escolares examinados apresentaram nenhuma experiência da doença cárie. Este é um resultado muito bom e que corrobora a dedicação de professores, escolares, famílias e acadêmicos.
 

Postado por: Hévila Vivian Borges 29 de novembro de 2017 às 17:07
Compartilhar Comente

Projeto da Unesc leva tratamento odontológico a pacientes com transtornos psíquicos

Projeto da Unesc leva tratamento odontológico a pacientes com transtornos psíquicos
Atividade ocorre no Hospital de Caridade São Roque (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Os estudantes de Odontologia da Unesc potencializam a formação muito além dos muros da Universidade. Por meio de um projeto inovador, juntamente com os professores, eles chegam a lugares que o atendimento da área não chega. O trabalho ocorre com um equipo portátil, que serve de ferramenta para reacender sorrisos na Ala Psiquiátrica do Hospital de Caridade São Roque no Morro da Fumaça. O projeto ocorre junto a disciplina de Pacientes com Necessidades Especiais, desenvolvida na oitava fase do curso.

Esses pacientes eram internos do Hospital Psiquiátrico Rio Maina. Eles foram realocados a Ala Psiquiátrica do Hospital São Roque, em Morro da Fumaça. “Justamente por terem condições que são usadas como motivo para sua segregação social, tais pacientes são, de certa forma, "esquecidos" pelo sistema ou até mesmo, pela família. A própria saúde bucal, muitas vezes, é relegada a um segundo plano. Contudo, boa parte dos pacientes internados na ala psiquiátrica deste hospital são muito colaborativos e respondem muito bem às orientações e tratamentos propostos”, comentou Diego Pires, um dos professores responsáveis pelo projeto.

Entre os alunos que participam do projeto, está a Regiane Ilíbio. Segundo ela, o interesse pela área já existia, entretanto, logo após o primeiro contato ela se apaixonou pela área. “A segurança, amor e respeito que eles me passam me deixam mais feliz e gratificada por ter escolhido a Odontologia. Pacientes com transtornos psíquicos precisam de amor, carinho e atenção, me sinto extremamente lisonjeada por saber que posso fazer tudo isso na profissão que escolhi”, ressaltou.

A aluna comenta ainda que a extensão foi de suma importância para que ela se encontrasse na profissão. “Participar deste projeto me mostrou o quão ampla a nossa profissão é e me despertou mais admiração por ela, quem ama o que faz só agradece pelas oportunidades que lhe são concedidas, odontologia é amor”, contou Regiane.

Solicitação foi feita pelo Hospital

Ao observar a necessidade de tratamento odontológico na Ala Psiquiátrica, o Hospital de Caridade São Roque foi em busca de uma solução. Para isso, eles entraram em contato com a Gerencia Regional de Saude, que procurou a Unesc. “Dentes quebrados, cariados, dores e outras questões faziam os nossos pacientes sofrerem diariamente. Entramos em contato com a Unesc e fomos prontamente atendidos. O projeto tem beneficiado nossos pacientes de forma única”, comentou o enfermeiro responsável pela Ala Psiquiátrica, Afonso Paulo Morona.

Morona comenta ainda que o processo de pré-atendimento, realizado pelas estudantes da Unesc, foi crucial para que os pacientes ficassem à vontade. “As alunas tiveram o cuidado de antes mesmo de iniciar o tratamento vir conhecer os pacientes. Eles geralmente ficam muito agitados com pessoas diferentes na Ala, mas elas souberam tranquilizar cada um deles, transformando o processo de uma forma muito mais leve”, ressaltou.

Os pacientes ficam em um setor fechado, e recebem visitas de seus familiares apenas duas vezes por semana. Segundo Morona, esse contato também promove melhoras que vão além da estabilidade odontológica. “Eles são atendidos com muito carinho, e agora, além de não sentirem mais dores, também recebem a acolhida de outras pessoas. É visível o quanto isso alivia o dia a dia deles”, contou o enfermeiro. 

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Mayra Antonio De Lima 27 de novembro de 2017 às 16:00
Compartilhar Comente