Agência de Desenv., Inovação e Transf. de Tecnolog

Palestra sobre design promove interação e criação em sala de aula

Palestra sobre design promove interação e criação em sala de aula
Mais imagens

Acadêmicos do curso de Design da Unesc, tiveram a oportunidade de acompanhar a palestra, interagir e criar com uma das referências na área, o designer e professor da Faculdade de Aveiro, em Portugal, Paulo Dago D`Uva.

No encontro, Paulo D`Uva falou sobre as diversas maneiras para obter diferentes processos criativos destinados aos variados públicos, usando como exemplo alguns meios de transporte, como barcos e carros. Ele destacou que um só produto não consegue agradar a todos os tipos de clientes. “Foi uma palestra para expandir as nossas visões, para entender diferentes pontos de vista em meio a criação de um produto”, analisa a estudante Julia Bergmann Nunes.

Após a palestra, o professor promoveu uma atividade dinâmica, de modo que os próprios acadêmicos do curso de Design deveriam criar uma jarra com filtro que tivesse como inspiração o modelo de um carro, possibilitando conhecer o potencial criativo dos universitários.

“Para mim foi importante ter esta experiência de lidar com a criatividade em um curto período de tempo. Para conseguir gerar diferentes alternativas e criar um produto totalmente novo, é preciso muita concentração e dedicação, afinal, no mercado de trabalho não teremos todo o tempo do mundo para gerar alternativas ao mostrar um projeto para o cliente. Foi uma atividade bem desafiadora, que se constituía em criar um objeto utilizando como inspiração outro que não possuía nenhuma semelhança estética, ao mesmo tempo, foi muito empolgante e fez com que eu e meus colegas soltássemos nossa criatividade e conseguíssemos criar algo por meio de organização, planejamento, respeito pela equipe e não esquecendo de manter o foco no público alvo”, conta Júlia.

O designer Paulo D`Uva conta que a proposta foi promover uma atividade de modo que os alunos pudessem olhar para a evolução da linguagem de um determinado produto e a sua influência no design de outros segmentos, seja pelas linhas, formas, tendências, cores que estão surgindo e outras que acabam por sucumbir enquanto tendência.

O designer português é professor auxiliar convidado na Universidade de Aveiro. Foi vice-diretor fundador do Mestrado de Engenharia e Design de Produto desta mesma universidade, além de ser doutorando em Design na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa, investigador do ID+ (Instituto de Investigação em Design, Mídia e Cultura) e atuar na Universidade Europeia – Laureate. Desde 1991, é professor de Projeto em Design de Produto, Design Management, Equipamento Urbano, Metodologia, Interface, Inovação pelo Desenho, Design e Tecnologia e Biônica, tendo passado por instituições de países europeus como Portugal e Itália.

https://www.youtube.com/watch?v=GIcDClxwr6I

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Ana Sofia Schuster 19 de outubro de 2018 às 22:00
Compartilhar Comente

Estudantes da Unesc entre os vencedores do Startup Weekend Criciúma

Acadêmicos dos cursos de Ciências da Computação, Administração, Design, Engenharia Química e Engenharia Civil da Unesc participaram da terceira edição do Startup Weekend Criciúma, realizado de 28/9 a 30/09 na Plurall Coworking. O case Biscato, um aplicativo que localiza prestadores de serviços, desenvolvido para o mercado de Angola, ficou em segundo lugar entre as 13 equipes formadas pelos 100 participantes do evento. Entre os integrantes do grupo estavam os estudantes angolanos Edmundo Nascimento e Aristóteles Lopes. Também integraram o grupo: Bruno Girardi, André Felipe Fraga e Thiago Águida. "A Biscato é uma ideia que surgiu aqui no Brasil devido a atual realidade que Angola se encontra: altíssima taxa de desemprego. Por esse motivo, a maior parte das pessoas necessitam fazer trabalhos autônomos (bicos ou biscato em Angola) para complementarem sua renda familiar", explica Bruno Girardi. O produto criado auxilia a conexão das pessoas que sabem realizar determinado biscato com alguém que necessita fazê-lo. Em apenas 24 horas houveram mais de 60 inscritos com 7 conexões e 1 negócio fechado. Parte da renda obtida será destinada a instituições de ensino técnico em Angola para capacitar jovem. A Unesc também teve seus acadêmicos premiados com a 3ª colocação, com a ideia "Surfwend". Neste grupo, participaram João Paulo Martins, Victor Pedro Moretti, Caio Canarin Mroninski, Gustavo Perito, Gabriel de Bona, Alef Emerich Vieira e Leonardo Salvaro. Outros acadêmicos e egressos da Unesc também estiveram participando, como o Engenheiro Civil, Vitor Pirolla e o aluno da Engenharia Química, Hyan Dias Tavares, com o projeto Retorno Rápido, que ficou com a menção honrosa. Vitor explica que prestigia os eventos buscando pensar e desenvolver ideias que atendam alguma necessidade da sociedade.  

O SW segue uma sistemática desenvolvida pela Techstars, em parceria com o Google, que é aplicada no mundo todo simultaneamente. Na sexta-feira foram apresentadas ideias, sendo 13 validadas e escolhidas para serem trabalhadas no final de semana, finalizando em um MVP (produto mínimo vendável). No final da tarde de domingo foi feito o pitch, que consiste de uma apresentação curta (no caso da SW 3 minutos) com a finalidade de explicar o negócio para os jurados e para o público presente, incluindo os próprios concorrentes e organizadores.

O SW premiou os três primeiros colocados e ainda fez uma menção honrosa. Para o diretor da Plurall Coworking (empresa que sediou o evento no final da semana e é uma das organizadoras), Claiton Pacheco Galdino, a SW é um evento que permite os jovens testarem todas as etapas de construção de um negócio, tendo como base a metodologia disponível e a criação de um negócio do zero. “Eles podem entender exatamente quais são as complexidades que cada uma dessas etapas têm, principalmente, a validação com o mercado e de ter um MVP." explica.

Essa foi a 3ª edição da SW em Criciúma. O evento foi acompanhado pelo Gestor de Inovação da Unesc, Evanio Nicoleit; pelo Diretor de Pesquisa e Pós-Graduação, Oscar Montedo; pela Coordenadora do curso de Ciências da Computação da Unesc, Ana Claudia Garcia Barbosa; pelo professor do curso de Design, Igor Drudi; egressos e acadêmicos da Unesc.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Ana Sofia Schuster 01 de outubro de 2018 às 09:54
Compartilhar Comente

Meet up-Pré Startup Wekend: Unesc de portas abertas ao empreendedorismo e à inovação

Meet up-Pré Startup Wekend: Unesc de portas abertas ao empreendedorismo e à inovação
Acadêmicos conheceram statups da região e foram inspirados a buscar diferenciais para o mercado (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

Quem esteve no Auditório Edson Rodrigues na Unesc, na noite desta quinta-feira, certamente se sentiu tocado pelo espírito empreendedor que pairava sobre o local. Isso porque foi realizado no espaço, em parceria com a Plurall Coworking, o Meet up-Pré Startup Wekend, atividade que antecede o esperado Startup Wekend, evento que acontece mundialmente e em Criciúma ocorrerá no dia 28 de setembro. Participaram do encontro acadêmicos dos mais diversos cursos da Universidade, que puderam conhecer melhor três cases de startups que já saíram do papel e prometem crescimento significativo.

Conforme o Gerente de Inovação da Unesc, Evânio Ramos Nicoleit, o objetivo da parceria é inspirar a comunidade acadêmica e fortalecer o empreendedorismo e a inovação na região. “Como Universidade, cabe a nós potencializarmos essa cultura de empreendedorismo e fortalecer possibilidades para que daqui surjam ideias incríveis e até colaborar com ideias de fora colocando toda a nossa expertise à disposição. Quem ganha com isso é toda a região com a geração de emprego, renda e dignidade”, destacou.

Para o diretor do insight, Valmor Rabelo, a humanidade vem realizando sonhos que até então eram impossíveis e o momento vivido propõe cada vez mais essas realizações. “A pergunta que fica sobre tudo isso e sobre o futuro é: o que você está fazendo agora que vai impactar o mundo e vai fazer com que você não seja só mais um? Temos que refletir e agir diante disso. É a geração de vocês que tem que fazer a diferença”, afirmou.

Ideias compartilhadas

Fundadores das startups Chawork, Tec Soluções em Engenharia e E-licencie estiveram na Unesc e compartilharam algumas de suas experiências desde a primeira ideia até o encontro de sócios interessados e o trabalho para colocar a teoria na prática.

O jovem Vaime Alves Machado Júnior, é um dos fundadores da Chawork, startup responsável por uma ferramenta que promete fazer recrutamento de funcionários de forma ágil e certeira. De acordo com Vaime, tudo começou no evento Startup Weekend de 2016, quando conheceu seus atuais sócios e uma necessidade apontada por uma das integrantes da sua equipe acabou sendo a semente para a empresa que todos trabalham hoje e que já apresenta crescimento significativo. “Com essa ideia depois de mais algum tempo de conversas, incentivos e pesquisas, ganhamos prêmios e hoje já estamos em atuação, faturando e buscando crescer ainda mais”, comentou

Para ele, a oportunidade de estar em um local com pessoas interessadas e empreender e trocar conhecimento é uma oportunidade que pode significar, assim como foi para ele, o nascimento de uma grande ideia e a mudança dos rumos profissionais. “Pessoas de qualquer área que tenham essa vontade podem participar e colaborar de alguma forma com seus conhecimentos. Esse é o momento ideal para se aproximar de pessoas que possibilitarão que problemas tenham soluções e ideias sejam colocadas em prática”, completou.

Da mesma forma, para o engenheiro ambiental egresso da Unesc, Luiz Henrique Rosa da Silva​, da E-licencie, o compartilhamento de ideias no evento de um final de semana foi o que tornou possível a concretização da sua plataforma. “A ideia sozinha não seria o suficiente para tornar realidade o desejo. Eu sozinho também não conseguiria criar uma plataforma como a que temos. Foi a junção de ideias e pessoas de diferentes áreas que tornou isso possível”, destacou.

Entre as experiências destacadas por um dos criadores da startup Tec Soluções em Engenharia, Hyan Dias, esteve a experiência bagagem adquirida anteriormente pelos membros de seu grupo e que fizeram a diferença na montagem da empresa. “Minha sócia participou da iniciação científica dentro da Universidade no Projeto Ozônio e trouxe muito conhecimento que agregou ao nosso objetivo, por exemplo. Já as noções de administrações eu aprendi atuando por três anos na Empresa Júnior e vendo de perto o que é, de fato, o dia a dia empresarial. Tudo isso fez com que tivéssemos grandes passos dados”, destacou.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 30 de agosto de 2018 às 22:01
Compartilhar Comente

Dedicação à Universidade é reconhecida

Dedicação à Universidade é reconhecida
Homenagem ocorreu nesta sexta-feira (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

Professores que fizeram parte da gestão anterior da Unesc, receberam uma homenagem da atual Reitoria da Instituição. Na tarde desta sexta-feira (14/7), a reitora, Luciane Ceretta, e o vice-reitor, Daniel Preve, presentearam e agradeceram pela dedicação dos homenageados à Universidade.

A deferência foi feita às ex-pró-reitoras de Ensino de Graduação, Maria Aparecida Mello e de Administração e Finanças, Kátia Sorato; ao ex-chefe de gabinete da Reitoria, Ricardo Pieri; ao ex-diretor do Iparque (Parque Científico e Tecnológico), Marcos Back, à ex-diretora da UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação), Angela Back e ao ex-coordenador da Aditt (Agência de Desenvolvimento, Inovação e Transferência de Tecnologia), Michel Alisson da Silva.

A reitora afirmou que a iniciativa foi uma maneira de agradecer pelo apoio, trabalho e dedicação destes profissionais à Unesc. Já Preve, lembrou que dos desafios enfrentados por cada um no desenvolvimento das atividades e do envolvimento que têm com a Instituição.

Após a entrega das homenagens, uma roda de conversa foi feita e nela, cada professor manifestou a sua gratidão pelo aprendizado e convivência com os presentes. “Somos passageiros nos cargos. Não temos cadeiras marcadas. Cada um que passa dá a sua contribuição. E o nosso trabalho pela Unesc não acaba aqui. Seguimos nas nossas atividades no ensino, na pesquisa e na extensão”, comentou Pieri.

A pró-reitora de Ensino de Graduação, Indianara Becker, o pró-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Oscar Montedo e o pró-reitor de Administração e Finanças, Thiago Fabris, agradeceram pelo trabalho de seus antecessores e pelo apoio nesta fase inicial da nova gestão.

A homenagem contou ainda com a participação da chefe de gabinete da Reitoria, Gisele Coelho Lopes e da diretora da UNA SAU (Unidade Acadêmica de Ciências da Saúde), Mira Dagostim.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 14 de julho de 2017 às 20:21
Compartilhar Comente

Inovação é tema dos novos lançamentos da Editora Unesc

Inovação é tema dos novos lançamentos da Editora Unesc
Obras foram apresentadas ao público nesta quarta-feira (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A Editora Unesc lançou na noite desta quarta-feira (12/4) a “Cartilha de Inovação e Propriedade Intelectual” e “Ozônio na Recuperação de Solos e Recursos Hídricos Contaminados por Mineração”. As obras têm em comum o tema inovação e são frutos de projetos e ações desenvolvidas pela Instituição na área. Os dois livros serão disponibilizados gratuitamente para a população, que poderá ter acesso pelo site da Universidade.

O evento foi alusivo ao Dia Internacional da Propriedade Intelectual, comemorado em 26 de abril e teve a presença do CEO da empresa Brasil Ozônio, de São Paulo, Samy Menasce, que palestrou sobre a “Relação Empresa x Universidade x Governo Sob o Ponto de Vista da Propriedade Intelectual”.

Para o reitor da Unesc, Gildo Volpato, as obras são reflexo do que a Unesc desenvolve além do ensino, com viés na comunidade. “É uma satisfação presenciar um momento como esse, onde a produção de conhecimento e pesquisa são compartilhados com a sociedade e para o benefício dela”, afirmou. Já o coordenador da Aditt, Michel Alisson Silva, lembrou que as obras mostram o que a Universidade faz na área de inovação e servem de estímulo para alunos, professores e profissionais. 

O editor-chefe interino da Editora Unesc, André Cechinel, chamou a atenção para o caráter colaborativo dos livros, produzidos com a participação de diferentes professores e profissionais.

Cartilha

A Cartilha, organizada pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unesc, pela Aditt (Agência de Desenvolvimento, Inovação e Transferência de Tecnologia) e NIT (Núcleo de Inovação Tecnológica da Unesc), foi pensada, segundo a coordenadora do NIT, Melissa Watanabe, para facilitar o entendimento sobre inovação e propriedade intelectual para pessoas que estão iniciando a caminhada nesta área. “O desafio proposto foi tornar simples e trazer para a comunidade esses temas de maneira acessível”, comenta. Segundo Melissa, a obra é resultado de olhares das diferentes UNAs (Unidades Acadêmicas) da Universidade sobre o assunto.

Projeto de pesquisa

“Ozônio na Recuperação de Solos e Recursos Hídricos Contaminados por Mineração” trata do projeto inédito no Brasil de uso do ozônio na recuperação de solo e água contaminados por metais pesados, desenvolvido entre 2013 e 2016 em Caldas, Minas Gerais e Siderópolis, Santa Catarina, virou livro. O estudo realizado por um grupo de instituições brasileiras, incluindo a Unesc, em minas de urânio e carvão concluiu a viabilidade e eficácia do uso do gás para este fim.

Segundo o professor da Unesc, Elídio Angioletto, coordenador de pesquisa do projeto “Processo de geração e transferência de ozônio na recuperação de solos e recursos hídricos contaminados por metais pesados em mina de urânio”, o livro é a coroação de um trabalho realizado a muitas mãos com o empenho de profissionais, acadêmicos e empresas. “Durante este projeto tivemos estudantes que se tornaram engenheiros, alunos de iniciação científica que saíram altamente qualificados em pesquisa, acadêmicos sendo coautores deste livro, engenheiros se tornando mestres. O conhecimento foi disseminado e resultou em formação acadêmica e alternativa para um problema sério como a degradação dos recursos hídricos”, comentou Angioletto.

De acordo com ele, os estudos demonstraram que o uso do ozônio tem eficácia e é competitivo em comparação a outras tecnologias já utilizadas. “Em um momento em que enfrentamos carência de recursos hídricos, é bastante apropriado que essa tecnologia seja aplicada”, considera. A água tratada pode ser utilizada para diversos fins, como irrigar lavouras, para a criação de peixes, para esportes aquáticos e para animais beberem.

O CEO da Brasil Ozônio, empresa que iniciou o projeto, juntamente com a INB (Indústrias Nucleares do Brasil), Samy Menasce, contou sobre o processo inicial do projeto e encorajou os presentes a trilharem o caminho da inovação e empreendedorismo. “Acredite na sua ideia. Não desista e não pare no meio do caminho”.

O representante da INB, Maurício comentou que o projeto significa uma inovação internacional no que diz respeito a tratamento de efluentes. “Na América Latina não se usa ozônio para o tratamento da drenagem ácida. Conseguimos desenvolver uma solução que daqui para frente vai mudar a maneira como é realizado o tratamento de efluentes, especialmente os da mineração”.

Parceria


A Unesc, por meio do Iparque (Parque Científico e Tecnológico) faz parte de um grupo formado pela Fundação Patria (Fundação Parque de Alta Tecnologia da Região de Iperó e Adjacências), pela empresa Brasil Ozônio, de São Paulo e pela INB (Indústrias Nucleares do Brasil), com sede em Caldas, Minas Gerais, que aprovou junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) uma concessão de apoio não reembolsável de R$ 9,6 milhões. O projeto está orçado em R$ 10,8 milhões e a Brasil Ozônio, fornecedora dos geradores de ozônio, é responsável por uma contrapartida de R$ 1,2 milhão.

O projeto conta também com a participação de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) e da Comissão de Energia Nuclear (CNEN). A Unesc entrou no projeto como Instituição Tecnológica e responsável técnica por aplicar, avaliar e construir indicadores de eficácia da aplicação de ozônio nos solos e nas águas.

Cerca de 900 exemplares do livro serão doados para instituições do Brasil e do exterior.

O evento teve a abertura do Musical Unesc.

Baixe grátis


As obras lançadas pela Editora Unesc podem ser acessadas gratuitamente nos links:

Ozônio na Recuperação de Solos e Recursos Hídricos Contaminados por Mineração

Cartilha de Inovação e Propriedade Intelectual

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 12 de abril de 2017 às 22:25
Compartilhar Comente