Enfermagem

Na linha de frente do combate à pandemia, Enfermagem está no rol de profissões mais valorizadas nos próximos anos

Na linha de frente do combate à pandemia, Enfermagem está no rol de profissões mais valorizadas nos próximos anos
Atuação dos enfermeiros chamou a atenção da sociedade para a importância deste profissional (Foto: Divulgação) Mais imagens

A Enfermagem se depara com um desafio que talvez tenha sido o maior das últimas décadas: a pandemia de Covid-19. A situação exigiu uma resposta rápida dos profissionais, que, ao se colocar na linha de frente do combate ao coronavírus, passaram a chamar mais a atenção, afinal, são os enfermeiros que estão em contato direto com os pacientes, tanto os suspeitos quanto os confirmados com a doença. Devido também ao protagonismo da Enfermagem nos últimos tempos, a profissão tem passado por uma valorização maior e assim, figura com destaque entre as carreiras do futuro.

Sabemos que a Enfermagem não pode ser resumida ao atendimento a pacientes. Vale lembrar que no Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) há mais de 140 especialidades profissionais registradas. Assim, além do cuidado direto com as pessoas, o profissional da área pode gerenciar equipes, orientar grupos de trabalho e atuar como pesquisador ou professor, por exemplo.

Mas neste material, vamos focar nos aprendizados e oportunidades que a Covid-19 trouxe para esta carreira. Para isso, conversamos com a coordenadora do curso de Enfermagem da Unesc e ex-coordenadora das Câmaras Técnicas do Conselho Regional de Enfermagem (Coren/SC), Ioná Vieira Bez Birolo.

Segundo Ioná, o profissional de Enfermagem está 24 horas do dia, os 365 dias do ano ao lado do paciente em todos os lugares onde há o cuidado em saúde. “Ele não recua momento algum e está preparado técnica e cientificamente para atuar na linha de frente, como tem acontecido ao longo da pandemia”. A seguir, a coordenadora do curso de Enfermagem da Unesc traz um panorama atual da profissão e perspectivas para o pós-pandemia.  

Agência de Comunicação da Unesc – Quais têm sido os desafios da área nos últimos meses?

Professora Ioná Vieira Bez Birolo – A Enfermagem enfrentou e ainda enfrenta os desafios inerentes a pandemia, como o caráter desconhecido da doença, a falta e em alguns casos o desconhecimento do uso dos EPIs, o medo do contágio, o distanciamento, criar habilidades para utilizar novas ferramentas de comunicação e lidar com as perdas de pacientes e com a situação da família.

Mas os enfermeiros tiveram também o desafio de estar onde ninguém gostaria de estar, de enfrentar o desconhecido sem ter a certeza de que eles e os familiares estariam em segurança. Há ainda as condições dos locais de atendimento e da sobrecarga de trabalho. Estes profissionais precisam administrar o tempo todo o sentimento de impotência diante de um cenário com muitos fatores desconhecidos e complicadores.

Agecom – A pandemia trouxe mais visibilidade à Enfermagem?

Professora – Sabíamos que em 2020 a profissão estaria em evidência, pois foi o ano definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como Ano Internacional da Enfermagem, mas não esperávamos que junto com este reconhecimento viria tão importante atuação do enfermeiro em um momento pandêmico. O cenário atual aumentou muito a visibilidade e o respeito para com a Enfermagem em todo o mundo, que mesmo com todas as campanhas possíveis, provavelmente não ocorreria.

Com a pandemia, a sociedade passou a enxergar a Enfermagem, falar sobre a profissão, elogiar, agradecer e aplaudir os profissionais. 

Agecom – Então podemos afirmar que haverá uma valorização maior da Enfermagem no pós-pandemia?

Professora – Acreditamos que sim e esperamos que a sociedade continue reconhecendo a Enfermagem como a profissão essencial ao cuidado e à saúde de todos e em todos os lugares. Esperamos que no pós-pandemia os profissionais conquistem novos direitos e possam atuar cada vez mais e melhor em prol da comunidade.

Agecom – Neste contexto, qual a importância de profissionais qualificados para atender a população?

Professora – O mundo do trabalho depende de profissionais qualificados. São estes que impulsionam o fortalecimento da profissão e a qualidade da assistência com seu preparo técnico e científico, pensamento crítico reflexivo, aptidão para empreender, pesquisar e multiplicar boas práticas assegurando uma assistência de Enfermagem segura, livre de danos e com excelência.

Agecom – Como a Unesc pode colaborar com esta qualificação?

Professora – Com sua estrutura física excelente, professores qualificados e proposta pedagógica inovadora, a Unesc forma enfermeiros generalistas com competência (habilidades, atitudes e conhecimento) para gerenciar as equipes de Enfermagem e desenvolver cuidado de excelência.

Como ingressar

O curso de Enfermagem da Unesc está com matrículas abertas para ingresso neste primeiro semestre de 2021. Os interessados em conhecer de perto a estrutura da Universidade ou mais detalhes sobre o curso podem entrar em contato por meio do site unesc.net, pelo telefone (48) 3431-4500 ou pelo Whatsapp (48) 99915-0433.

Milena Nandi – Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

28 de janeiro de 2021 às 09:02
Compartilhar Comente

Unesc forma farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas e pedagogos nesta segunda-feira

Unesc forma farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas e pedagogos nesta segunda-feira
Maratona de Cerimônias de Colação de Grau Especiais marca última semana de atividades na Universidade (Fotos: Leonardo Ferreira / Reprodução) Mais imagens

A segunda-feira (21/12) foi de intensa celebração. Isso porque a Universidade formou nesta data quatro turmas de graduandos nos cursos de Farmácia, Fisioterapia, Nutrição e Pedagogia. Em cerimônias de Colação de Grau Especiais virtuais a tarde e à noite os formandos formalizaram seus juramentos e tiveram seus graus outorgados.

Sob os olhares de pais, familiares, amigos, professores, homenageados e das paraninfas Flávia Karine Rigo e Luciane Bisognin Ceretta, respectivamente, os novos profissionais puderam celebrar a conquista do diploma de graduação.

Mesmo que de forma virtual as cerimônias mais uma vez foram recheadas de emoção. Com juramentos, agradecimentos e discursos, as noites foram completas com as falas das oradoras Gabrielly Ricken e Julia Maragno Pagnan, representantes dos cursos de Farmácia e Fisioterapia, e Bruna Alves Gabriel e Nathalia Duarte da Silva, graduandas dos cursos de Nutrição e Pedagogia.

Ser escolhida como paraninfa das turmas em momento de tamanho significado, para a reitora, lhe deixa lisonjeada. “Vivenciamos ao longo desse ano intensos momentos de modo que chegar ao fim de 2020 compartilhando com vocês este lindo momento me enche o coração de afeto e me motiva a seguir em frente nessa encantadora tarefa”, destacou.

O significado da solene celebração, conforme Luciane, vai muito além dos muros da Universidade. “Esta cerimônia é ato no qual, por delegação, conferimos os graus aos novos profissionais, mas é também uma prestação de contas à sociedade, a mesma que criou a Universidade e recebe como retorno excelentes profissionais”, acrescentou.

Nesta terça-feira (22/12) a Unesc finaliza a maratona de formaturas com cerimônias que marcarão a conquista dos graduandos dos cursos de Psicologia, Letras, Ciências Biológicas, Geografia, Direito, Medicina, Engenharia Civil, Engenharia de Agrimensura, Artes Visuais, Matemática e Educação Física.

Todas as transmissões podem ser assistidas no canal da Unesc TV no YouTube:

Mayara Cardoso - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

21 de dezembro de 2020 às 20:21
Compartilhar Comente

Mais de 500 famílias são beneficiadas por projeto de Extensão da Unesc

Mais de 500 famílias são beneficiadas por projeto de Extensão da Unesc
Campanha arrecadou mais de duas toneladas de alimentos e produtos de higiene e limpeza, além da confecção de outros itens (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

O fim do ano de mais de 500 famílias em situação de vulnerabilidade em Criciúma será mais feliz, com comida na mesa e guloseimas para adoçar os últimos dias de um 2020 cheio de desafios. Nesta segunda-feira (14/12), os alunos da segunda fase do curso de Enfermagem e residentes do Programa de Residência Multiprofissional da Universidade entregaram mais de duas toneladas de alimentos e itens de higiene pessoal e limpeza, mil kits de doces e bolachas natalinas e 800 kits com máscaras de tecido e sabão caseiro. Os alunos também arrecadaram brinquedos, que serão somados à campanha “Árvore do Bem”, realizada pela NSC.

 
 

A proposta da campanha “Ação de Natal: faça uma família sorrir” nasceu em reuniões com as comunidades das escolas municipais Padre Carlos Wecki, José Contim Portella e Lili Coelho, localizadas na região da Santa Luzia. Comumente, o projeto de Extensão “Escola de Pais e Filhos: diálogos entre universidade, escola e comunidade” realiza apenas ações educativas, mas nesta oportunidade a professora e coordenadora, Fabiane Ferraz, sentiu que deveria ir além. “Esse projeto existe há 6 anos e está no seu segundo semestre de ação social. Anteriormente sua relação era exclusiva a educação em saúde. Neste momento nós não deixamos isso. Mas frente a situação de alta vulnerabilidade causada pela pandemia, as escolas nos solicitaram o auxílio”, explicou Fabiane.

A moradora da localidade, Caroline Fiorin, está em Criciúma há dez anos. Mãe de um aluno da escola José Contim Portella, ela relata que a pandemia está sendo difícil para todos da região, com a fome, o desemprego e o fim de famílias. Os cuidados também são precários, por questões de estrutura e de consciência da própria população. “Muitas famílias estão em situação de vulnerabilidade. Os kits estão ajudando muito, nos tirou daquele sufoco, nos deu uma sensação de alivio e o sentimento de que alguém está cuidando da gente. Isso é maravilhoso”, enfatizou.

Também foram produzidos os materiais de educação em saúde, relacionados aos cuidados para evitar a Covid 19, a saúde mental das crianças e professores, e informações sobre como aproveitar ao máximo os alimentos que chegam por meio de cestas básicas. Para Simone Garcia Conceição de Sá, diretora da escola José Contim Portella, os materiais chegaram em um momento de necessidade. “Isso vem numa hora que precisamos bastante. As famílias se sentem amparadas. Muitos se informaram e se alimentaram praticamente do que receberam da prefeitura e da Unesc. A comunidade demonstra muita gratidão”, destacou.



Solidariedade que se soma à formação

Além de fazer o bem, os estudantes e residentes agregam a experiência formativa e desenvolvem competências de trabalho em equipe, análise da realidade para estruturação de uma ação a partir das necessidades, foco, organização, espírito de cooperação e aprendizado técnico-científico sobre os temas. Gabriela da Rosa faz parte da campana e está apenas na segunda fase de Enfermagem, mas já entende a importância da Extensão para a sociedade e para sua vida. “Estar aqui tem toda importância. Do que vale uma Universidade que apenas ensine e não integra a disciplina com a realidade? O mais importante é esta conexão direta com as pessoas e poder ajudar o próximo. É super necessário”, afirmou.

Já Emilin dos Santos fez um caminho um pouco diferente. Ela se formou em Psicologia e chegou à Residência. Nesta oportunidade, auxiliou na integração e organização da campanha, conhecendo na prática o que é Extensão. “Os residentes ajudam na organização geral, auxiliando os acadêmicos do curso de Enfermagem no desenvolvimento do projeto. Na graduação não participei de ações como esta, por não ser moradora de Criciúma. Agora, já posso perceber que é muito importante. Ser profissional é estar em contato com a comunidade, oferecendo suporte para o que ela está necessitando”, destacou.

A ação foi desenvolvida com pontos de coleta na Universidade e nos parceiros: Bistek, da rua Dolário dos Santos (Bistekinho) e Angeloni, da Avenida Centenário, Fátima Crianças do Centro, Rilion Gracie Jiu Jitsu Academy de Sombrio, Mercado São Domingos e nas lojas Mattric de Sombrio.

Também foram parceiras, auxiliando de diferentes modos, as empresas De Lucca Confecções, Rádio 93.3, Mc embalagens, Giseli supermercado, Mercado Chico Som, Abc supermercado, Papelaria Carol, Casa do Povo, Ateliê de costura Renova, Duluda Têxtil, GoDaddy personalizados, Esser Transportes, Mercado MM Rosso, HSN Transportes, Inova Assessoria em Telecomunicações, Ponto Arte de Forquilhinha, Fada do Doce de Torres/RS.  A Casa do Doce, de Cocal do Sul, também colaborou com a doação de uma cesta, que foi rifada. “Agradecemos a todas as empresas parceiras, bem como a sociedade que colaborou com a ação social”, destacou Fabiane.

A ação solidária tem o apoio do PPGSCol (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva), Programa de Residência Multiprofissional, Núcleo de Saúde Coletiva e do programa de extensão Território Paulo Freire.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

14 de dezembro de 2020 às 17:56
Compartilhar Comente

Unesc apresenta dados de pesquisa relacionada à Covid-19 em Siderópolis

Unesc apresenta dados de pesquisa relacionada à Covid-19 em Siderópolis
Estudo avaliou a prevalência de Covid-19 na população adulta da cidade (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Os resultados da pesquisa aplicada pela Unesc em Siderópolis com foco na avaliação da prevalência de Covid-19 na população adulta da cidade foram apresentados, na tarde desta quinta-feira (29/10), para as lideranças municipais. Os números, resultado das 587 coletas de sangue analisadas, apontaram que 9,4% das pessoas testadas já tiveram a infecção por coronavírus, divididas entre as que já estavam curadas e as que ainda enfrentavam a doença na data da testagem.

A pesquisa, liderada pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSCol) e realizado em parceria com os cursos de Biomedicina e Enfermagem da Unesc e a Secretaria Municipal de Saúde de Siderópolis, foi realizada por uma equipe multiprofissional em visitas domiciliares realizadas de 14 de setembro a 22 de outubro.

A equipe de pesquisadores é formada pelas professoras do PPGSCol e do curso de Enfermagem, Cristiane Damiani Tomasi e a reitora Luciane Bisognin Ceretta; pelo coordenador do curso de Biomedicina, Emanuel de Souza; pela coordenadora adjunta do curso de Enfermagem, Mira Dagostim e pela professora do PPGSCol, epidemiologista, Vanessa Iribarrem Avena Miranda. O grupo é integrado ainda por acadêmicos dos cursos de Biomedicina e Enfermagem da Unesc.

Entre os profissionais que integraram a equipe que realizou a pesquisa de campo esteve o acadêmico da 9ª fase do curso de Enfermagem, Alessander Possoli, morador de Siderópolis. Para ele, a oportunidade foi recompensadora. “Considero uma oportunidade de grande valia, pois nos proporcionou novas experiências e vivências nesta área e agregou em nossa formação. Pude colaborar na construção de novas estratégias de combate à Covid-19 e posteriormente a diminuição da transmissão da minha própria cidade”, pontuou.

Em prol da comunidade

A utilização da expertise da Universidade em prol de pesquisas como esta, para a reitora da Unesc, é colocar a Instituição à serviço daquela que é o seu foco: a comunidade. “Nossa equipe de pesquisadores é altamente competente e conta com estratégias metodológicas bem elaboradas e de reconhecimento nacional. O resultado apresentado mostra dados claros e confiáveis que serão fundamentais para análises de ações imediatas e futuras”, acrescentou Luciane.

Na avaliação do prefeito de Siderópolis, Hélio Cesa, Alemão, os dados apontados pela Universidade são de grande valia para o município. “Temos que continuar vigilantes e preparados para uma segunda onda que, como está acontecendo na Europa, pode nos atingir. Vamos extrair dados e sugestões da pesquisa que irão nos ajudar a proteger a população de Siderópolis”, destacou.

Realidade do município

Ao receber esses, que foram os primeiros resultados da pesquisa, conforme Cristiane Tomasi, a prefeitura passa a contar com dados essenciais na formulação de estratégias de enfrentamento e organização dos serviços.

O panorama apresentado na pesquisa, conforme Cristiane, retrata exclusivamente o cenário da cidade. “Apesar de estarmos numa mesma região, cada localidade tem sua peculiaridade. Nós poderíamos replicar o estudo em outros municípios e aí poderíamos ver se na região o resultado se comporta do mesmo modo”, esclareceu.

Mayara Cardoso - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

30 de outubro de 2020 às 16:09
Compartilhar Comente

Acadêmicas de Enfermagem realizam capacitação sobre a Rede Catarina aos profissionais da saúde de Siderópolis

Acadêmicas de Enfermagem realizam capacitação sobre a Rede Catarina aos profissionais da saúde de Siderópolis
Ação ocorreu nesta quinta-feira (Fotos: Divulgação) Mais imagens

As acadêmicas da décima fase do curso de Enfermagem da Unesc, Greicy Salvaro e Tainá de Oliveira Pereira, realizaram nesta quinta-feira (3/9), na Secretaria de Saúde de Siderópolis, uma capacitação para as enfermeiras da Estratégia de Saúde da Família e coordenação da Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas e da Atenção Básica de Saúde. Em pauta, o Projeto Rede Catarina de prevenção da violência doméstica e familiar contra a mulher. A ação, ocorreu em parceria com o Batalhão da Polícia Militar de Siderópolis e de Criciúma.

As estudantes realizaram a atividade de educação em saúde, que faz parte do Estágio de Prática Assistencial de Enfermagem e têm como orientadora as professoras Mira Dagostin e Neiva Junkes. Segundo Mira, as alunas escolheram realizar o estágio na Unidade de Saúde de Siderópolis tendo como uma das propostas, abordar a violência contra a mulher. “As acadêmicas foram muito proativas e comprometidas com a escolha do tema, assim, desenvolvendo capacitação sobre o Rede Catarina. Elas procuraram a Polícia Militar para realizar parceria com a Unesc e com as Unidades de Saúde de Siderópolis nesta ação. O maior objetivo foi preparar as enfermeiras de Siderópolis para disseminarem informações quanto a prevenção da violência contra mulher através do Projeto Rede Catarina, desta forma, proporcionando maior segurança e qualidade de vida a mulher”, afirma Mira.

As alunas do curso de Enfermagem da Unesc contam que a ação desenvolvida teve como objetivo tornar mais conhecido o Rede Catarina, como ele atua, qual a sua função na prevenção e combate à violência doméstica contra a mulher. “O trabalho quis também orientar as enfermeiras a conversarem com suas equipes de saúde sobre o assunto. Incentivar o município sobre a possibilidade de adotar a campanha do “X” vermelho na mão, para que a mulher em situação de violência possa mostrar o sinal a algum profissional da saúde e o mesmo entender o recado e mantê-la em um local seguro e iniciar os primeiros atendimentos em saúde, além de acionar a Polícia Militar para dar início a todos os procedimentos legais de proteção à vítima e posteriormente, o acompanhamento do Rede Catarina”, explica Greicy.

A Rede Catarina é um programa institucional da Polícia Militar de Santa Catarina direcionado à prevenção da violência doméstica e familiar contra a mulher. O programa se sustenta em ações de proteção, no policiamento direcionado da Patrulha Maria da Penha e na disseminação de solução tecnológica. A ajuda pode ser obtida por meio do número 190 para Policia Militar, 180 para a Central de Atendimento à Mulher ou em alguma unidade de polícia ou saúde mais próxima.

Milena Nandi – Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

04 de setembro de 2020 às 10:16
Compartilhar Comente