Enfermagem

Unesc realiza pesquisa sobre prevalência de Covid-19 na população adulta de Siderópolis

Unesc realiza pesquisa sobre prevalência de Covid-19 na população adulta de Siderópolis
Pesquisa de campo iniciou nesta segunda-feira com população da área central do município (Fotos: Milena Nandi/Marcelo De Bona/Comunicação Município de Siderópolis) Mais imagens

A prevalência de Covid-19 na população adulta de Siderópolis é tema de uma nova pesquisa a ser desenvolvida pela Unesc. Nesta segunda-feira (14/9), o município recebeu pesquisadores da equipe multiprofissional da Universidade, para a coleta de dados a serem avaliados para a elaboração de um diagnóstico. As atividades são lideradas pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSCol) e realizado em parceria com os cursos de Biomedicina e Enfermagem da Unesc e a Secretaria Municipal de Saúde de Siderópolis.

A equipe de pesquisadores é formada pelas professoras do PPGSCol e do curso de Enfermagem, Cristiane Damiani Tomasi e a reitora Luciane Bisognin Ceretta; pelo coordenador do curso de Biomedicina, Emanuel de Souza; pela coordenadora adjunta do curso de Enfermagem, Mira Dagostim e pela professora do PPGSCol, Vanessa Iribarrem Avena Miranda. A equipe é formada ainda por acadêmicos dos cursos de Biomedicina e Enfermagem da Unesc, que atuarão na coleta de materiais e informações na comunidade.

Para a reitora, Luciane Bisognin Ceretta, a pesquisa é de grande valia para todos os agentes envolvidos e irá colaborar com o desenvolvimento de estratégias que impliquem em boas práticas para o cuidado das pessoas durante a pandemia. “Temos uma equipe de pesquisadores altamente competente, com estratégias metodológicas bem elaboradas e de reconhecimento nacional. Por isso estou muito certa dos resultados positivos que essa pesquisa terá tanto para a Universidade quanto para o município”, afirma Luciane. A reitora ainda enfatiza a importância do trabalho comunitário da Unesc, que neste momento de pandemia coloca a ciência produzida na Universidade a serviço da vida e dos municípios da região. “Isso só uma universidade comprometida com o desenvolvimento regional e do tamanho da Unesc, com seus valores e a missão muito solidificados, consegue realizar”.

Pesquisa prioriza testagem em pessoas do grupo de risco


Cristiane explica que a Secretaria de Saúde de Siderópolis entrou em contato com a Unesc porque viu a necessidade de fazer um levantamento com a população para determinar a prevalência de Covid-19. Segundo a coordenadora do PPGSCol, a pesquisa será realizada com pessoas acima de 18 anos e que estejam no grupo de risco, com prioridade de testagem dada para pessoas idosas e com doenças crônicas. Os testes rápidos para o coronavírus serão feitos pelo curso de Biomedicina e a coleta de dados, pelos professores do PPGSCol e do curso de Enfermagem.

A pesquisa teve início com a população da área central de Siderópolis e posteriormente, o estudo será realizado também com moradores da área rural do município. Além da coleta de sangue, os pesquisadores irão aplicar um questionário para o levantamento de dados relativos ao comportamento das pessoas neste período, saber se cumpriram o isolamento social e como se sentem em relação à pandemia. O acesso das pessoas à atenção primária à saúde também será avaliado.

Para a enfermeira da Vigilância Epidemiológica de Siderópolis, Laurinês Budel Possebon, a pesquisa se faz necessária para identificar as pessoas que estão positivas ou negativas para a Covid-19. “O estudo nos auxiliará a estabelecer o endurecimento ou afrouxamento das medidas de distanciamento social, evitando a disseminação do novo coronavírus”, afirma.

Segundo a professora da Unesc, Cristiane Tomasi, a pesquisa será importante também para o PPGSCol. “Para o Mestrado Profissional em Saúde Coletiva da Unesc, a pesquisa vai ao encontro do o PPGSCol quer: a interação com os serviços de saúde e também dar resposta para a sociedade nesse momento de pandemia”, afirma Cristiane.

Primeiros participantes

Uma das primeiras casas visitadas pela equipe da Unesc foi a de Sheila Regina Marques, que considera o levantamento uma iniciativa positiva para a população. “A pesquisa é importante para avaliar o número de moradores que já tiveram o vírus ou que ainda possam estar contaminados. É algo muito bom e ajudará a analisar por mais quanto tempo deve seguir a pandemia. Achei muito interessante, foi rápido e as meninas foram muito atenciosas”, conta a moradora do bairro Tereza Cristina.

Curso será responsável pelos testes sorológicos


O curso de Biomedicina da Unesc será o responsável pela realização dos testes sorológicos para Covid-19. As amostras de sangue coletadas serão enviadas para o Lenac (Laboratório de Análises Clínicas) da Universidade, onde serão processadas e analisadas.

O coordenador do curso de Biomedicina, Emanuel de Souza, explica que os exames irão detectar a presença de anticorpos que indicarão se o indivíduo está com o vírus ativo (pode infectar outras pessoas) ou se já adquiriu imunidade ao coronavírus. “A pesquisa que será desenvolvida em Siderópolis é de extrema significância, uma vez que quanto mais a população for testada, mais teremos condições de controlar e diminuir a expansão da pandemia no novo coronavírus”, afirma.

Acadêmicos das últimas fases de Biomedicina participarão do projeto, desde a realização da coleta sanguínea até o processamento das amostras e auxílio na realização dos testes junto ao coordenador do curso.

Ampliação do conhecimento

A coordenadora adjunta do curso de Enfermagem, Mira Dagostim, chama a atenção para a oportunidade de aprendizado para os estudantes que estão participando do estudo. “Esta é uma pesquisa de extrema importância. Com ela, a Unesc vai estar ainda mais próxima do município e os nossos alunos que estão participando ativamente do estudo, terão uma oportunidade de ampliar o conhecimento e a sua formação acadêmica. Averiguar através da pesquisa como está o perfil do município em relação à Covid-19 é extremamente importante para nosso cenário acadêmico, como prestação de serviço e para reforçar o papel comunitário da Unesc”, afirma.

Metodologia


A professora do PPGSCol, Vanessa Iribarrem Avena Miranda, responsável pelo desenho da metodologia a ser aplicada, explica que a seleção da amostra foi realizada de forma aleatória a partir de todos os setores censitários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), resultando em 616 domicílios a serem visitados. “Será realizado teste sorológico para Covid-19 e a aplicação de um questionário a todos participantes”, comenta.

Milena Nandi – Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

14 de setembro de 2020 às 15:47
Compartilhar Comente

Melhores do Brasil: Unesc está entre vencedoras de prêmio nacional para mulheres na ciência

Melhores do Brasil: Unesc está entre vencedoras de prêmio nacional para mulheres na ciência
Divulgação Mais imagens

A Unesc é uma das sete universidades brasileiras vencedoras do Prêmio L'Oreal/ABC/Unesco 2012, sendo a única universidade comunitária do Brasil a receber o reconhecimento. A Universidade é a única catarinense na lista, conquistando o prêmio pelo quarto ano seguido – a pesquisadora do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) Gislaine Zilli Réus é a vencedora deste ano. Exceto a da Unesc, todas as pesquisadoras premiadas são vinculadas a universidades federais.

“Este prêmio foi muito importante, pois tudo o que aprendi na pesquisa foi aqui na Universidade. Isto é um grande incentivo, me mostrando que a Unesc tem uma ótima qualidade de ensino e grandes mestres, o que tornou tudo isso possível. Além disso, o prêmio é importante porque valoriza as mulheres como pesquisadoras”, comentou Gislaine. A pesquisadora premiada receberá uma bolsa de auxilio as suas pesquisas no valor de US$ 20 mil. A cerimônia de entrega do prêmio será realizada no dia 26 de setembro de 2012, no Palácio Guanabara, no Rio de Janeiro.

Sustentabilidade

A edição deste ano do prêmio teve como tema a Sustentabilidade. Gislaine foi premiada na área de Ciências Biológicas com a pesquisa “Investigação do impacto do fenótipo ansioso sobre a resposta ao estresse”, sobre ansiedade e depressão.

“Tanto a ansiedade quanto a depressão são problemas de saúde pública e apresentam alta mortalidade e repercussões econômicas significativas. No entanto, ainda não se sabe exatamente quais são as causas desses transtornos. Por isso é importante estudá-las para entender a neurobiologia deles e encontrar tratamentos mais efetivos”, explicou a pesquisadora.

Mulheres na Ciência

A honraria é uma forma da Academia Brasileira de Ciências, da L’Oreal e da Unesco reconhecerem e estimularem a continuidade das brilhantes carreiras científicas. Ela é voltada à valorização das mulheres inseridas no universo da ciência e ao desenvolvimento científico. A Unesc já apareceu na lista de vencedoras com as pesquisadoras Alexandra Zugno (2009), Patrícia Fernanda Schuck (2010) e Tatiana Barichello (2011).

Em sua sétima edição, a iniciativa contempla sete jovens cientistas, nas áreas das ciências Biológicas, Físicas, Químicas e Matemáticas. Entre as universidades reconhecidas estão a UFF (Universidade Federal Fluminense), UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), UFPel (Universidade Federal de Pelotas) e UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Pesquisadora

Desde 2004 na Unesc, Gislaine Zilli Réus atua como pesquisadora no Laboratório de Neurociências, com orientação do professor doutor João Quevedo, e como professora do curso de Enfermagem. Gislaine é formada em Ciências Biológicas (Bacharelado), sendo que durante sua graduação foi aluna de iniciação científica.

“Os anos de iniciação científica possibilitaram minha entrada no Doutorado em Ciências da Saúde da Unesc. Terminei o doutorado no início de 2011 e logo iniciei o pós-doutorado aqui na Unesc. Durante os anos de doutorado e agora no pós-doutorado venho trabalhando na linha de pesquisa de depressão”, contou.

Fonte: Comunicação Social:imprensa@unesc.net

Por: Davi Carrer:dac@unesc.net 22 de agosto de 2012 às 08:52
Compartilhar Comente (2)

Unesc promove 1º Fórum do Plano Diretor Sustentável do Campus

Unesc promove 1º Fórum do Plano Diretor Sustentável do Campus
Mais imagens

Professores, funcionários e acadêmicos da Unesc participam sexta-feira (30/10) do 1º Fórum do Plano Diretor Sustentável do Campus. O evento vai ser realizado no auditório Ruy Hülse, a partir das 8 horas, tendo como tema “O papel da Unesc na promoção do Ecodesenvolvimento - Avaliação interna e perspectivas futuras”. A iniciativa é da Comissão Permanente de Meio Ambiente e Valores Humanos, órgão vinculado à Reitoria.

Prevista para os períodos da manhã, tarde e noite, a programação deverá contemplar três momentos, iniciando com o debate conceitual sobre ecodesenvolvimento, no período da manhã. À tarde entram em pauta temas específicos relativos ao campus – Projetos Arquitetônicos, Humanização, Arborização, PEGA (Programa de Educação e Gestão Ambiental) e Saneamento. A avaliação do evento e encaminhamentos ficam para a noite.

 

Princípios socioambientais


O fórum, conforme o presidente da comissão, professor doutor Carlyle Torres Bezerra de Menezes, "representa um espaço aberto para o debate, contribuições e ações no sentido de que a Universidade possa cumprir sua missão, no âmbito de seus espaços internos, de maneira a fortalecer os seus princípios socioambientais e de busca permanente da qualidade do ambiente de vida".

Programação do evento.

Fonte: Comunicação Social:comunicacao@unesc.net

Por: Zeca Virtuoso:zeca@unesc.net 28 de outubro de 2009 às 16:24
Compartilhar Comente

Unesc promove 9º Seminário de Iniciação Científica e 1º Salão de Extensão

Unesc promove 9º Seminário de Iniciação Científica e 1º Salão de Extensão
Zeca Virtuoso Mais imagens

A produção científica e as experiências com projetos comunitários são destaque na Unesc a partir de amanhã (21/10), com a realização do 9ª Seminário de Iniciação Científica e 1º Salão de Extensão. Realizados simultaneamente, os dois eventos vão reunir acadêmicos e professores das várias áreas de formação, num espaço para a socialização de conhecimento e de estímulo à pesquisa e à extensão. A palestra de abertura terá como tema “A pesquisa e a extensão no cotidiano das práticas universitárias”, com o pró-reitor Administrativo da Uniso (Universidade de Sorocaba), de São Paulo, professor doutor Rogério Augusto Profeta, a partir das 19 horas, no auditório Ruy Hülse.

Oficinas, palestras, comunicações orais e apresentação de pôsteres compõem a programação, a ser desenvolvida até sexta-feira (23/10), nos três períodos. Ao todo serão apresentados 446 trabalhos – 379 de pesquisa e outros 67 de extensão – contemplando as áreas de Ciências da Saúde, Ciências Sociais Aplicadas, Engenharias e Tecnologias e Humanidades e Educação. A promoção é da Propex (Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão), com apoio da Fapesc (Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina) e CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Confira a programação completa.

Fonte: Comunicação Social:comunicacao@unesc.net

Por: Zeca Virtuoso:zeca@unesc.net 20 de outubro de 2009 às 15:55
Compartilhar