Farmácia

Unesc faz parte de Simpósio Multidisciplinar de Cannabis Medicinal

Unesc faz parte de Simpósio Multidisciplinar de Cannabis Medicinal
Na abertura, um escritor e um neurocientista refletiram sobre os dilemas enfrentados nos experimentos medicinais(Foto: Décio Batista) Mais imagens

Rompendo barreiras e quebrando tabus em busca do esclarecimento do uso da cannabis como um novo medicamento para os mais diversos tipos de doenças. “Cannabis: da droga ilícita à planta companheira”, foi o tema da noite de segunda-feira (27/9) na abertura do Simpósio Multidisciplinar de Cannabis Medicinal, realizado virtualmente pela parceria entre pesquisadores da Unesc, Univali e Unisul.

Antes do bate papo com os convidados, os organizadores fizeram uma homenagem in memorian ao pesquisador e pioneiro no estudo da utilização da cannabis e de outras substâncias psicotrópicas como tratamento terapêutico, Elisaldo Luiz de Araújo Carlini. "Nós estamos estudando a maconha que o homem usa, isto é um erro, devemos estudar o homem que usa maconha” defendia Carlini.

Para a abertura do simpósio foram convidados dois palestrantes. Um deles, o jornalista Denis Russo Burgierman, é autor dos livros “O Fim da Guerra” e “Piratas no Fim do Mundo”. Deis foi diretor de redação das revistas Superinteressante e Vida Simples e comandou a curadoria do TEDx Amazônia, em 2010. Também é roteirista do Greg News.

Outro palestrante da primeira noite do simpósio foi o neurocientista Sidarta Tollendal Gomes Ribeiro, que também é biólogo, professor titular e vice-diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Autor de “O Oráculo da Noite: A história e a Ciência do Sonho”, lançado em 2019, ele é articulista do jornal Folha de São Paulo.

O jornalista Denis Russo iniciou sua fala trazendo como referência a definição do neurocientista Sidarta (o outro convidado da noite) que diz que “a maconha é o cachorro do reino vegetal”. “Como cachorro, a cannabis é uma invenção humana. A partir das nossas necessidades, a gente foi selecionando tanto uma espécie como a outra, para atender a diversidade imensa de necessidades que a gente tem. São dois seres vivos que existem em uma quantidade imensa de variedades”, comentou.

O escritor prosseguiu com a sua comparação. “E a cannabis tem uma quantidade gigantesca de variedades, que atende uma quantidade gigantesca de gostos e modos de utilização”, ponderou. “Agora, estamos conhecendo uma explosão do uso medicinal e terapêutico da cannabis. Às vezes parece mentira, meio impossível, como é que uma mesma planta pode ser útil para cólica menstrual, autismo, insônia, ânsia e dor dos tipos mais diversos, inclusive dores psíquicas. Soa meio absurdo falar dos seus benefícios”, enfatizou.

Para o pesquisador e neurocientista Sidarta Ribeiro, estamos diante de uma compreensão que “tem cara de hippie, mas tem a solidez da descoberta do sistema endocanabinoide”. “O assunto ainda não entrou no livro-texto da escola médica do Brasil, mas já revolucionou completamente a compreensão sobre o corpo e como isso começa a se transformar numa nova indústria, numa nova velha medicina, numa nova maneira de lidar com velhos estigmas, na necessidade de desfazer velhos estigmas”, observou.

Sidarta pontuou, ainda, a forma como o Brasil encara o uso medicinal da Cannabis. “O Brasil está pagando o preço de muitas décadas de ensino sucateado e a gente tem a revolução do uso terapêutico da cannabis acontecendo no momento em que o país está sendo profundamente questionado na sua capacidade de formação de novas gerações, na sua capacidade de manter o seu parque científico tecnológico e seu plantel de cientistas. Um momento em que o Brasil está passando por um risco existencial”, analisou.

O evento prossegue durante a semana. A programação e inscrição estão disponíveis através do site: https://simposiocannabis.com.br/

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

27 de setembro de 2021 às 22:36
Compartilhar Comente

Parceria com prefeitura de Criciúma possibilita a oferta de mais de um milhão e meio de reais em bolsas de estudo na Unesc

Parceria com prefeitura de Criciúma possibilita a oferta de mais de um milhão e meio de reais em bolsas de estudo na Unesc
Robson Preto Cardoso, de 46 anos, e a família vivem momento de realização graças à possibilidade oferecida pelo Município Mais imagens

O sonho de cursar a graduação em Farmácia surgiu na vida de Robson Preto Cardoso, de 46 anos, ainda muito jovem. Aos 11 anos, quando precisou trabalhar para ajudar a família de origem humilde na cidade de Cornélio Procópio, Paraná, foi como balconista de uma farmácia que ele encontrou uma forma de renda e, mal sabia o então menino, uma profissão promissora para toda a vida. Atualmente, aos 46 anos, Robson construiu uma carreira na área comercial ligada à indústria farmacêutica e dá os sonhados passos para a formação técnica na graduação de Farmácia da Unesc. Além de estar em sala de aula realizando seu sonho, Robson tem o orgulho de ter a filha como colega, influenciada pela paixão do pai. Eles estão entre as centenas de criciumenses que realizam o sonho da primeira graduação graças ao montante de mais de R$1,5 milhão investidos em Bolsa de Estudos pela Prefeitura Municipal de Criciúma na Universidade.

Gabriela, de 19 anos, cresceu vendo o pai se dedicar ao ramo farmacêutico e, assim como ele, acredita nas inúmeras portas que se abrem com a formação acadêmica na área. Para o pai, a realização é completa e as perspectivas de futuro, imensuráveis. “Trabalhando há tantos anos nessa área eu vejo as oportunidades que ela oferece e desejo isso para a minha filha. Já que não tive condições de estudar lá atrás, quero agora aproveitar a oportunidade que a Unesc e a prefeitura oferecem e conquistar meu diploma. Quem se interessa encontra a oportunidade que precisa aqui”, garante.

O caçula da família, João Gabriel, tem 17 anos e já pensa na carreira profissional que quer seguir. Ao contrário do pai e da irmã, o garoto não demonstra interesse pelo ramo farmacêutico, mas já sabe onde vai buscar a realização de uma formação. “Ele está na reta final do Terceiro Ano e já sabe que é aqui, neste campus, que vai estudar. Como já buscamos todas as informações sobre as diferentes possibilidades de bolsas na Unesc, estamos confiantes de que ele também conseguirá reunir os documentos necessários para ser contemplado. O caminho ele já sabe, basta que tenha dedicação nessa entrega”, pontua o pai confiante.

Para quem, assim como a família Preto Cardoso, tem o sonho de conquistar o diploma de graduação, a dica do patriarca da família é simples: “Basta querer. Oportunidade e apoio da Unesc para isso, tem de sobra”, acrescenta.

Inscrições abertas

O processo seletivo para seleção de estudantes de graduação candidatos à bolsa de estudos na Unesc está aberto e recebe inscrições até a próxima segunda-feira, dia 20 de setembro. Conforme a coordenadora da Atenção ao Estudante, Juliana Lora, é importante que os estudantes de graduação que moram em Criciúma busquem a documentação necessária e façam a inscrição na tentativa de conquistar uma bolsa. “A oferta do Município contempla muitos acadêmicos e vale a pena a dedicação para entregar a documentação necessária. Percebemos que, por conta do processo burocrático, muitos estudantes desistem, porém, estamos à disposição para ajudar e orientar para que o maior número possível de acadêmicos seja contemplado”, explica.

A dinâmica de concessão semestral de bolsas de estudos por meio do Município, conforme o secretário-geral do Município, Vagner Espíndola Rodrigues, é rigorosa e segue uma série de exigências legais, porém é pensada de forma cuidadosa para oferecer justiça e oportunidade. "É imprescindível que o poder público participe efetivamente da formação de profissionais para que o desenvolvimento da cidade seja baseado em projetos realmente necessários. Em Criciúma o Governo entende essa necessidade e nunca mediu esforços para auxiliar na formação de cidadãos, sempre em parceria com a Unesc e todos que comungam do mesmo pensamento", destaca.

Entre as possibilidades oferecidas na Unesc por meio do Município de Criciúma está a bolsa de 100% para estudantes com deficiência e 50% para pessoas comprovadamente carentes. O cálculo do índice de carência levado em consideração na seleção é feito a partir de dados como o número de integrantes do grupo familiar, a renda mensal bruta familiar ou individual e o patrimônio familiar ou individual.

A parceria com a Prefeitura de Criciúma na concessão de bolsas, para a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, possibilita a mudança de vida de centenas de famílias a cada semestre. “Acompanhamos de perto a luta de muitos alunos que, por meio da Bolsa PMC, conseguem concluir a graduação e iniciar uma carreira. Muitos deles são os primeiros da família a conquistar o diploma. A dimensão disso é gigante. A Prefeitura confia na Unesc ao investir nas bolsas de estudos e nós confiamos nos estudantes que, formados aqui, fazem a diferença no mercado lá fora e, principalmente, mudam suas realidades dentro de casa por meio do conhecimento”, aponta.

Atenção na reta final

A Central de Atenção ao Estudante (Centac) da Unesc trabalha em ritmo acelerado ao longo de toda a última semana de inscrições para o edital de bolsas de estudos da Prefeitura de Criciúma. Os acadêmicos que residem em Criciúma e tiverem interesse em fazer a inscrição para concorrer ao benmefício concedido pela Prefeitura podem acessar as informações completas no site da Universidade (http://www.unesc.net/portal/capa/index/231/0/0/componente/processo/ver/1/18#documentos) e tirar dúvidas por meio dos telefones (48) 9 9915-0433 ou ainda 3431-2545 ou 3431-4500.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

13 de setembro de 2021 às 21:27
Compartilhar Comente