Farmácia

Olhos para o futuro da profissão dão o propósito à formação em Farmácia na Unesc

Olhos para o futuro da profissão dão o propósito à formação em Farmácia na Unesc
Tecnologias, novos saberes e conhecimentos tradicionais se entrelaçam durante formação acadêmica (Foto: Arquivo Unesc) Mais imagens

Na medida que a tecnologia ultrapassa seus próprios limites, os profissionais e as profissões se transformam para atender as demandas e potencialidades do futuro. Na profissão de Farmácia não é diferente: velocidade, conectividade, acessibilidade à informação, automação, aplicações em tempo real, bio e nanotecnologia, e-commerce e controle digital dos estoques e processos constroem a Indústria Farmacêutica 4.0.  

Adentrar a este novo universo, desde a graduação, vai permitir acelerar o crescimento do mercado e da indústria e até abrir os horizontes do pequeno estabelecimento, criando múltiplos canais de atendimento e presença quando e onde o cliente desejar. Na Unesc, o curso de Farmácia tem acompanhado estes avanços tecnológicos e as oportunidades para a área farmacêutica no mundo atual e no futuro próximo. 

Essas mudanças têm impulsionado os professores a compartilhar e discutir com os acadêmicos sobre os próximos passos da profissão. “Aos farmacêuticos formados na Universidade é oportunizado o acesso ao conhecimento sobre as tecnologias aplicadas à prática profissional, que vem cada vez mais para agregar e facilitar o acesso à informação e que leva à sociedade um atendimento mais assertivo e facilitado”. 

A afirmação da coordenadora do curso, Silvia Dal Bó, conecta a formação universitária da profissão às tendências mundiais, entre elas a tão esperada Indústria Farmacêutica 4.0. Por mais que seja assunto abordado ao se olhar para o futuro, na Universidade já se faz presente na construção de competências. “Atualmente, existem aplicativos que fornecem inúmeros dados instantâneos a respeito dos medicamentos, exames laboratoriais, monitoramento de parâmetros bioquímicos e checagem de interações medicamentosas. Também são apresentadas novas tecnologias na área das análises clínicas e toxicológicas, com aparelhos de alta performance que permitem a realização instantânea de exames laboratoriais com baixo custo e pouquíssima amostra”, evidencia Silvia.

Além disso, outras tecnologias, como o uso de relógios que permitem monitoramento cardiovascular, calçados adaptados com dispositivo de rastreamento para pacientes com déficit de memória, entre tantas outras inovações são apresentadas e discutidas quanto às suas aplicabilidades no cuidado com o paciente. Sabendo dessa importância, os acadêmicos estão buscando por conta própria se apropriar das novidades, por meio de eventos e palestras promovidas por entidades da área e fomentadas pelo curso. 

Hoje, os acadêmicos de Farmácia são capacitados a avaliar a farmacoterapia dos pacientes com auxílio de aplicativos apresentados pelos professores. Aliado a isso, outras habilidades desejadas para o futuro são despertadas nos acadêmicos, como o relacionamento interpessoal e capacidade de comunicação, seja essa presencial ou virtual. “Outras competências subjetivas, como a empatia, a colaboração, trabalho em equipe, agregadas às novas tecnologia vem para reforçar a segurança do paciente, que é o grande beneficiário das ações do farmacêutico. Embora ainda haja resistência por parte de alguns profissionais da área quanto ao avanço tecnológico dos serviços, o curso instiga os acadêmicos a investir tempo e conhecimento nas novas tecnologias da área. Entendemos que os avanços tecnológicos irão contribuir e somar com o aprimoramento dos serviços clínicos farmacêuticos, inclusive de forma remota, como aponta o futuro da profissão”, completa a coordenadora. 

Estude no curso de Farmácia da Unesc

O curso de Farmácia da Universidade tem uma trajetória de duas décadas, marcada pela entrega social e a transformação de vidas. O profissional formado na graduação sai pronto para atuar dentro de uma das 135 especialidades farmacêuticas, tudo isso após vivenciar sua caminhada universitária em uma Instituição de excelência.

No campus da Unesc, os alunos estão em laboratórios gerais e específicos com o que há de mais moderno, vivem experiências conectadas à extensão e que proporcionam uma formação mais humana e também são instigados ao protagonismo na ciência, por meio da pesquisa.


Todos os diferenciais são reafirmados pelo conceito máximo na avaliação do MEC (Ministério da Educação) que a Unesc ostenta desde o fim de 2019. Para saber mais sobre o universo de oportunidades que toma forma na Universidade, o futuro farmacêutico ou farmacêutico pode entrar em contato nos telefones (48) 343145-00 ou (48) 99915-0433.

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

25 de fevereiro de 2021 às 15:54
Compartilhar Comente

Unesc forma farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas e pedagogos nesta segunda-feira

Unesc forma farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas e pedagogos nesta segunda-feira
Maratona de Cerimônias de Colação de Grau Especiais marca última semana de atividades na Universidade (Fotos: Leonardo Ferreira / Reprodução) Mais imagens

A segunda-feira (21/12) foi de intensa celebração. Isso porque a Universidade formou nesta data quatro turmas de graduandos nos cursos de Farmácia, Fisioterapia, Nutrição e Pedagogia. Em cerimônias de Colação de Grau Especiais virtuais a tarde e à noite os formandos formalizaram seus juramentos e tiveram seus graus outorgados.

Sob os olhares de pais, familiares, amigos, professores, homenageados e das paraninfas Flávia Karine Rigo e Luciane Bisognin Ceretta, respectivamente, os novos profissionais puderam celebrar a conquista do diploma de graduação.

Mesmo que de forma virtual as cerimônias mais uma vez foram recheadas de emoção. Com juramentos, agradecimentos e discursos, as noites foram completas com as falas das oradoras Gabrielly Ricken e Julia Maragno Pagnan, representantes dos cursos de Farmácia e Fisioterapia, e Bruna Alves Gabriel e Nathalia Duarte da Silva, graduandas dos cursos de Nutrição e Pedagogia.

Ser escolhida como paraninfa das turmas em momento de tamanho significado, para a reitora, lhe deixa lisonjeada. “Vivenciamos ao longo desse ano intensos momentos de modo que chegar ao fim de 2020 compartilhando com vocês este lindo momento me enche o coração de afeto e me motiva a seguir em frente nessa encantadora tarefa”, destacou.

O significado da solene celebração, conforme Luciane, vai muito além dos muros da Universidade. “Esta cerimônia é ato no qual, por delegação, conferimos os graus aos novos profissionais, mas é também uma prestação de contas à sociedade, a mesma que criou a Universidade e recebe como retorno excelentes profissionais”, acrescentou.

Nesta terça-feira (22/12) a Unesc finaliza a maratona de formaturas com cerimônias que marcarão a conquista dos graduandos dos cursos de Psicologia, Letras, Ciências Biológicas, Geografia, Direito, Medicina, Engenharia Civil, Engenharia de Agrimensura, Artes Visuais, Matemática e Educação Física.

Todas as transmissões podem ser assistidas no canal da Unesc TV no YouTube:

Mayara Cardoso - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

21 de dezembro de 2020 às 20:21
Compartilhar Comente

Novo projeto da Unesc oferece atendimento gratuito em acupuntura e práticas integrativas

Novo projeto da Unesc oferece atendimento gratuito em acupuntura e práticas integrativas
Serviços são complementares ao processo de reabilitação e tratamentos similares (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

O processo de reabilitação física ou mental pode ser incômodo e desafiador. O paciente tem em sua rotina as dores, os compromissos com a saúde e as responsabilidades da vida, para além da recuperação. Quem necessita de auxílio neste percurso, a partir desta segunda-feira (23/11), já pode contar com o amparo especial do projeto AMAPI (Atendimento Multidisciplinar em Acupuntura e Práticas Integrativas), que oferece atendimentos gratuitos e especializados desenvolvidos na Unesc.

São casos como os da primeira paciente, a Mônica Pavuk da Silva. Ela trabalhou como caixa de supermercado por mais de dois anos, sempre desenvolvendo as mesmas atividades repetitivas. Essa rotina ocasionou em problemas de saúde, ósseos, nervosos e até musculares. “Minhas dores começam na lombar e na cervical, irradiando para os braços e perna direita”, explica.

Para tratar as dores, ela iniciou um tratamento de fisioterapia na Universidade. Porém, a necessidade de uma intervenção cirúrgica impediu a retomada das consultas até fevereiro ou março de 2021. Quando sem alternativas, a paciente ficou sabendo do projeto AMAPI e encontrou um espaço de acolhimento e de carinho para tratar suas dores.

Minutos após a consulta inicial, uma pequena entrevista para a identificação e planejamento do tratamento, Mônica já teve sua primeira sessão de acupuntura. Assim como Mônica, quem necessita recorrer a um tratamento especializado em práticas integrativas pode procurar Clinica de Fisioterapia da Unesc, no telefone (48) 3431-2654.

Conforme a coordenadora do projeto, professora doutora Évelin Vicente, as primeiras consultas serão restritas à acupuntura e o objetivo é expandir as opções de tratamento após algumas semanas. Auriculoterapia, cromoauriculoterapia, aromaterapia e outros serviços serão incluídos no projeto. “A criação do AMAPI busca sair do convencional. A proposta é agregar as práticas em auxílio ao processo de reabilitação e terapêutico dos pacientes, com o foco no bem-estar e podendo ajudar na redução de dores, ansiedade, depressão, cefaleia e trazendo muitos benefícios. São tratamentos de bastante eficácia”, pontuou.

O projeto inicia com a oferta de tratamentos semanais, todas segunda-feira em parceria com o Nupac-ST (Núcleo de Promoção e Atenção Clínica à Saúde do Trabalhador) e Amovi (Associação Amor a Vida), que encaminharão pacientes que necessitarem da abordagem oferecida.

Conforme houver possibilidade, será realizada a inserção de estudantes da área de saúde, agregando também à construção dos saberes científicos, formação acadêmica e a capacidade de atendimentos.

Além de Evelin, o projeto voluntário tem a coordenação do professor mestre e coordenador do Curso de Biomedicina, Emanuel de Souza; do professor mestre do curso de Fisioterapia, Lee Gi Fan, e da professora doutora do curso de Farmácia, Flavia Rego.




Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

23 de novembro de 2020 às 16:31
Compartilhar Comente

Há 20 anos nascia o curso de Farmácia da Unesc

Há 20 anos nascia o curso de Farmácia da Unesc
Proposta teve origem a partir de uma demanda regional (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Com uma trajetória marcada pela entrega social e a transformação de vidas, o curso de Farmácia da Unesc completa 20 anos em 2020. Sua criação foi motivada por este olhar comunitário que tem a instituição. O objetivo era atender as demandas regionais, e contribuir para a qualidade de vida local por meio de profissionais capacitados e atuantes de forma humana.

A concretização desse e de muitos outros objetivos foi celebrada nesta semana, na Semana Acadêmica do Curso de Farmácia, com edição especial comemorativa pela passagem do aniversário de 20 anos. Na noite desta sexta-feira (25/9) uma cerimônia virtual encerrou a programação da Semana e marcou as festividades pelas duas décadas de história.

O evento foi transmitido pela Unesc TV no YouTube e contou com a presença de autoridades da Instituição, assim como personagens que marcaram a história e a consolidação do curso. Para a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, o momento de celebração é uma forma de honrar o trabalho construído a tantas mãos e que ao longo de todo esse tempo vem se refletindo na formação de mais de 800 excelentes profissionais dispostos a fazer a diferença no cenário em que atuam.

“Há 20 anos vivenciávamos a virada do milênio, o advento de novas perspectivas e com elas as novas possibilidades formativas para a nossa Unesc. A Década de 2000 trouxe os cursos da área da saúde, demarcando um momento histórico desta Instituição, dentre eles o de Farmácia, que nos é tão importante e nos abriu tantas portas”, pontuou

A celebração desta noite, para Luciane, marca uma trajetória cheia de significados que vão muito além das salas de aula. “Ao comemorar essas duas décadas também comemoramos as superações, os desafios, as conquistas e as vitórias da educação superior em um país em que precisa melhorar e olhar mais ampliadamente para as iniciativas transformadoras como as que ocorrem nas nossas universidades genuinamente comunitárias”, avaliou ainda.

História construída em conjunto

Professora desde 2002 a coordenadora do curso, Juliana Lora, lembra das transformações ao longo do tempo, dos momentos marcantes e das mais de 880 histórias que por ali passaram como estudantes. “O curso originalmente foi oferecido com três anos e meio para a formação em farmácia e um ano e meio para a formação em indústria, mas antes da conclusão da primeira turma, o MEC (Ministério da Educação) alterou a matriz curricular dos cursos em nível nacional para a formação generalista, onde os cursos deveriam ser organizados em cinco anos de integralização, abordando as três grandes áreas de atuação além do medicamento”, contou.

Foi necessário um ano de empenho para a implantação da matriz, e depois de um exaustivo trabalho em equipe o desafio de contemplar análises clínicas, alimentos e indústria à formação foi superado. “No início foi difícil pois haviam incertezas. O que percebemos com o passar do tempo é que os novos profissionais formados pela matriz generalista passaram a ocupar mais espaços no mercado de trabalho com um serviço qualificado, pois os conteúdos se somam na formação acadêmica.

Até 2020 foram 33 turmas formadas, com saberes científicos e habilidades para atuar na promoção e aplicação de políticas de saúde, avanço da ciência e tecnologia e em equipes multidisciplinares em todos os níveis de atenção à saúde.

Foi este universo de oportunidades que a egressa e hoje professora pesquisadora do curso, Marilia Schutz, encontrou ao entrar na graduação. Vinda de Três Cachoeiras, no primeiro semestre de 2008, logo se apaixonou. “Quando ingressei vivi uma das melhores épocas da vida. Conheci um mundo que até então não conhecia, que me encantou cada detalhe”. Ela foi bolsista, participou de projetos de extensão e encontrou o mundo da pesquisa. Entre estudos e atividades extracurriculares viveu grandes momentos e conheceu pessoas que vai levar para a vida. “Tínhamos um grupo muito unido e professores próximos da gente”, contou.

Com a formatura se aproximando, Marilia foi entendendo que queria continuar na Unesc. Quando o fim do segundo semestre de 2013 chegou, o último na Universidade, tomou a decisão de continuar por aqui. “Quando me formei eu estava triste. Queria ficar em Criciúma e perto da Unesc. Fui trabalhar, fiquei seis meses fora e sentia muita falta da Universidade. Não demorou para procurar o mestrado e voltar para esse lugar. O curso de farmácia é meu segundo lar. Estou envolvida em várias frentes na graduação, nas clínicas Integradas, na pesquisa e em outras diversas áreas”, explicou.

Hoje a professora está no doutorado, e entre a vida pessoal e profissional encontra tempo para contribuir ainda mais. Ela está atuando junto a coordenação para uma nova fórmula do curso. Ao olhar para trás, ela comemora os 12 anos de desafios, conquistas, amizades, emoções e todos os ingredientes que tornam a Universidade um lugar único.

A história da Marília é especial, e compartilhada por tantos outros que estiveram no curso de Farmácia da Unesc nestes 20 anos. Desde a formatura da primeira turma, em 2003, a inovação e a humanidade são presenças constantes na matriz curricular.

Este algo a mais fica explícito também nas ações do curso. No dia 31 de agosto de 2006 a Farmácia Solidária foi concretizada na Universidade, uma iniciativa que desde seu lançamento já arrecadou mais de R$ 10,5 milhões em medicamentos, doou R$ 8 milhões, realizou 90 mil atendimentos e encaminhou para o descarte correto cerca de 8 toneladas de remédios.

Para ir além, em 15 de setembro de 2009 a Farmácia Escola foi aberta. Em atuação similar a Farmácia Solidária, o local disponibiliza atendimentos aos pacientes com processo administrativo vigente no CEAF (Componente Especializado de Assistência Farmacêutica) . “Os processos de ensino e serviços realizados neste espaço eram realizados desde 2005 no espaço que veio a se transformar em Farmácia Solidária, que ainda nos dias de hoje é referência nacional como exemplo para outras instituições de ensino e prefeituras. Em âmbito acadêmico, a história do curso ficou ainda mais completa com a Inauguração do Laboratório de Ensino em Análises Clínicas em 2011, potencializando o ensino farmacêutico e entregando ainda mais excelência à sociedade. Em 2020, 314 alunos matriculados usufruem desta estrutura”, destaca Juliana.

Em 2013 outro momento importante do curso de Farmácia: a graduação no período noturno oportunizou contemplar um maior número de pessoas interessados no curso, proporcionando acessibilidade daqueles que antes não poderiam cursá-lo.

Área de atuação e o futuro do curso de Farmácia

Os resultados da formação são vistos logo após a conclusão. O profissional possui conhecimento para atuar em mais 135 especialidades farmacêuticas, oportunizando diversidade de áreas de atuação ao profissional. “Nossos acadêmicos normalmente estão bem posicionados no mercado de trabalho e a grande parcela já tem propostas de emprego antes mesmo da colação de grau. Isso ocorre porque os nossos locais de estágio são campos profissionais. Em vários casos, o local de estágio acaba se tornando o local do primeiro emprego no nosso farmacêutico, como responsável técnico. Temos convênios com inúmeras empresas e prestadores de serviços, que são campos de trabalho para o graduado em farmácia”, evidencia a coordenadora adjunta do curso, Silvia Dal Bó.

Há três anos, em 2017, um novo processo formativo se apresentou ao curso. As novas  Diretrizes Curriculares Nacionais possibilitaram a formação por competências, uma mudança descrita por Silvia como de extrema importância. As alterações ainda estão em processo de implantação, mas já significam muito. “Elas preveem um indivíduo que desenvolve habilidades, atitudes e valores que extrapolam a formação técnica. Em um primeiro olhar, essa mudança pode parecer simplista, mas ela é bastante transformadora, ao passo que estimula o acadêmico a desenvolver um olhar crítico e multidisciplinar, relacionando assuntos que permitem a análise do indivíduo como um todo. Nos últimos anos já estamos trabalhando nessa lógica de formação, mas a mudança virá com ainda mais força com a implementação da nova matriz curricular, hoje em construção. Esperamos que em 2021 a matriz já esteja em execução”, conta.

A nova matriz curricular vai ao encontro dos avanços da profissão nos últimos anos. Com a ampliação das áreas de atuação e a legitimidade de outras já concretizadas na vida do profissional. Segmentos como Farmácia Clínica, Farmácia Estética e as Práticas Integrativas expandiram os horizontes. “Atualmente estamos sempre em busca de atender as necessidades da sociedade inserindo em nossa formação as mais diversas áreas de atuação do farmacêutico, que vai além das grandes áreas, podendo citar: acupuntura, farmácia forense, estética, pesquisa, entre outras. Podemos dizer que o curso de farmácia da Unesc procura proporcionar um ensino de qualidade tendo como propósito maior contribuir para a melhoria da qualidade de vida de nossa sociedade”, enaltece a coordenadora adjunta.

Ainda, a área das ciências farmacêuticas se tornou mais evidente nesse ano de 2020 com a pandemia de SARS-COV-2. O farmacêutico foi convocado a participar ativamente na linha de frente no combate ao coronavírus. “Nossa área não foi afetada pela pandemia e ainda teve um franco desenvolvimento, além de ter evidenciado o papel do farmacêutico na pesquisa científica para diagnóstico e tratamento da doença e seus complicadores. Esperamos um impacto ainda mais importante para a profissão nos próximos anos”, completa Silvia.

Confira o evento completo desta sexta-feira com homenagens e recordações especiais sobre os 20 anos do curso de Farmácia:

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

25 de setembro de 2020 às 22:58
Compartilhar Comente

Ex-ministro Nelson Teich dialoga sobre a saúde no Brasil em evento da Unesc

Ex-ministro Nelson Teich dialoga sobre a saúde no Brasil em evento da Unesc
Teich participou de atividade virtual em comemoração aos 20 anos do curso de Farmácia (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

A experiência e o conhecimento do ex-ministro da Saúde Nelson Teich foram o foco das atenções, na noite desta quinta-feira (24/9), em mais uma atividade da Jornada Acadêmica do curso de Farmácia da Unesc, em edição que celebra os 20 anos do curso. O evento, que foi transmitido ao vivo pelo YouTube no canal Unesc TV, contou com a participação de acadêmicos e professores da Universidade, além da comunidade externa, que pôde interagir e deixar questionamentos ao ex-ministro.

Uma das mais aguardadas dentro da programação especial da Jornada Acadêmica, a fala de Teich se voltou especialmente ao momento vivido no país e no mundo no enfrentamento a pandemia, com avaliações da abordagem realizada e do trabalho feito à frente do Ministério, desde as decisões de ingressar e, posteriormente, de deixar a função, até seu posicionamento sobre a polêmica do uso da hidroxicloroquina.

A visão de Nelson sobre a saúde coletiva, para a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, se encaixa com aquilo que os estudos na Universidade apontam. “É uma fala que me representa muito e os estudos que fazemos. Nós pesquisamos muito toda essa lógica da gestão dos serviços e a fala de Nelson nesse sentido é muito significativa”, destacou Luciane, que fez questão de agradecer grandemente a presença e o aceite do ex-ministro em participar da atividade da Universidade.

Sobre uma das principais expectativas da comunidade, a chegada da vacina que imunize as pessoas contra a Covid-19, Nelson foi claro ao pedir cautela. “A gente ainda tem muita incerteza, muito o que aprender e a expectativa da vacina precisa ser muito trabalhada. Não podemos assumir que a vacina irá com certeza sair e essa coisa de tentar acertar o futuro não é o caminho. Temos que ser esperançosos, otimistas, mas não trabalhar a vacina como sendo a solução para tudo”, destacou.

O equilíbrio entre o “fazer política” e “fazer saúde”, conforme o ex-ministro é tênue, mas muito necessário, em especial em um momento de tamanho impacto como o atual. “A política e os gestores são fundamentais. Isso é importante também para discutirmos sobre a diferença entre o coletivo e o individual. A gestão ideal é aquela em que você dá ao máximo para o indivíduo sem sacrificar o todo. Isso é muito fácil de falar e difícil de fazer”, destacou.

Para Nelson, a oportunidade de discutir educação e saúde e compartilhar seus conhecimentos é sempre uma honra. “Tudo o que eu faço hoje é em busca de levar informação”, completou.

00Na avaliação da coordenadora-adjunta do curso de Farmácia, Silvia Dal Bó, a noite de troca de conhecimento foi motivo de grande orgulho. “Foi uma honra receber o ex-ministro para abrilhantar ainda mais a nossa Jornada. Celebrar o curso de Farmácia é lembrar que essa é uma história construída por professores sempre muito engajados junto da equipe completa da Universidade que trabalha com afinco na formação de profissionais que fazem tão bonito lá fora. Só temos a agradecer por mais uma celebração especial”, salientou.

O bate papo com Nelson Teich foi mediado pela presidente do Centro Acadêmico do Curso, Gabrielly Ricken da Silva e todo o conteúdo segue disponível no YouTube para quem quiser conferir a fala completa do ex-ministro.

​Mayara Cardoso - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

24 de setembro de 2020 às 21:54
Compartilhar Comente