Setor de Comunicação Integrada

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Uma tarde de resgate à cultura do Boi de Mamão na Unesc

Uma tarde de resgate à cultura do Boi de Mamão na Unesc
História foi contada por alunos da Universidade e estudantes de escolas da região (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

O campus da Unesc foi invadido pelos Bois de Mamão. Por todos os lados, no Hall dos Blocos XXI, se viam bois, fantasias, enfeites e muitos sorrisos. Os motivos foram as apresentações do 3º Encontro de Bois desta sexta-feira (17/11), que buscaram resgatar e compartilhar a cultura da tradição açoriana de Santa Catarina.

A coordenadora do Setor Arte e Cultura, uma das organizadoras do evento, Amalhene Baesso Reddig, ressaltou a beleza desses momentos e como o projeto atua em escolas da região. “É lindo quando a tradição encontra os jovens. Hoje é apenas uma das ações do projeto Boi de Mamão, que possibilita a criação de laços com a cultura nas escolas, que é onde ela deve estar”, afirmou.

Os bois

A história do boi que nasce, ressuscita e morre foi contada por meio de três interpretações, cheias de cores e personalidade. A primeira foi apresentada pela Escola Municipal Governador Heriberto Hülse, seguida por um espetáculo em conjunto entre as escolas Adolfo Back, Julieta Torres Gonsalves e Padre Ludovico Coccolo. Por fim, os acadêmicos de Artes Visuais da Universidade encerraram a tarde de resgates as tradições.

Curiosidades e uma surpresa

O primeiro contato com algo novo causa curiosidade, e não foi diferente com a aluna da AFASC Cibeli Lawinki, de 12 anos, que veio do Paraná e conheceu hoje o enredo do Boi. “Eu achava mesmo que ele era feito de mamão. Mas depois da história uma pessoa saiu de dentro dele e eu vi como era feito. Eu também achei que ele tinha morrido, mas a música fez com que ele levantasse e continuasse dançando, foram duas surpresas”, comentou Cibeli.

Homenagens

Durante a celebração, o diretor da Escola Governador Heriberto Hülse, Sidnei Ferreira; o professor da Universidade, Marcos Antônio da Silva; e professor Claudionor da Silve e o produtor cultural Maxwell Sandeer Flor receberam a menção honrosa Amigo Cultural, pelos esforços feitos para o desenvolvimento das atividades. “Quando aprovamos um projeto precisamos de apoio, e são eles quem ajudam a tornar realidade”, destacou Amalhene.

Saiba mais

A ação faz parte do projeto de extensão Boi de Mamão na Comunidade: Educação, Cultura Popular e as Linguagens Artístico-Culturais e do Setor Arte e Cultura, vinculados a UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação da Unesc).

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

17 de novembro de 2017 às 17:19
Compartilhar Comente

Coletiva de Artistas do Sul traz produções que convidam à reflexão

Coletiva de Artistas do Sul traz produções que convidam à reflexão
Mostra foi aberta na noite desta sexta-feira (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A arte e a cultura regional ganharam mais uma vez espaço na Universidade. Na noite desta sexta-feira (10/11), foi aberta a 3ª Coletiva de Artistas do Sul, com produções de  20 artistas de oito municípios da região. A exposição pode ser apreciada até março de 2018 no Espaço Cultural “Toque de Arte”, localizado no hall do Bloco Administrativo, e traz obras em pintura, instalação, objeto, fotografia, escultura, computação gráfica, serigrafia, xilogravura e desenho.

O artista Edi Balod, falou em nome dos expositores e além de agradecer pela oportunidade dada para artistas experientes e iniciantes, chamou a atenção para a qualidade dos trabalhos e o cuidado da organização desde o edital até a curadoria e a montagem da mostra. “A Coletiva de Artistas teve uma curadoria competente e uma equipe com profissionalismo e cuidado com as obras e os artistas”.

Para o diretor da UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação) e um dos curadores da exposição, Marcelo Feldhaus, foram encaminhadas 72 propostas para avaliação da curadoria e os trabalhos tinham uma elevada qualidade. Ele explicou que as obras não foram agrupadas em blocos, mas dispostas de maneira que dialogassem entre si e promovessem reflexão. “A arte produz pensamento e a Coletiva colabora com a disseminação da cultura regional e convida à refletir sobre diversos temas da nossa realidade”, comenta.

A coordenadora do Setor de Arte e Cultura da Unesc, Amalhene Baesso Reddig, contou que na primeira Coletiva de Artistas do Sul, a Universidade teve a parceria da Fundação Cultural de Criciúma e catálogos foram impressos. Na segunda, em 2015, além de impressos, os catálogos estiveram disponíveis na versão online. Já na terceira edição, Amalhene informou que 300 catálogos com as produções expostas serão impressos e distribuídos para escolas públicas e bibliotecas da região, além da versão online que será disponibilizada no site da Unesc. “Nós acreditamos que a arte tem poder de transformação de espaços e pessoas”, afirmou, agradecendo aos artistas, à equipe e aos patrocinadores do evento.

Já a curadora Daniele Zacarão, lembrou que a Coletiva também é um espaço de pesquisa para os artistas da região e abordou a importância do incentivo a projetos como este.

Coletiva também abre as portas para artistas iniciantes

CJ Bonroy, aluno da quarta fase de Artes Visuais, é um dos 20 artistas selecionados para a Coletiva. Ele conta que desde cedo teve interesse pela arte. “Eu cresci em um local que não tinha espaços culturais e de exposições de arte, mas eu sempre fui apaixonado pela área e sempre li vários livros do assunto. Quando eu decidi fazer graduação, eu sabia que era Artes Visuais o curso que iria fazer. Estou gostando muito do curso e estou experimentando várias possibilidades de linguagens artísticas.”, afirma.

CJ Bonroy atualmente reside em Cocal do Sul e a sua obra, Vanitas, é uma produção tridimensional. "Vanitas procura estabelecer diálogos sobre a fragilidade e efemeridade da vida, e também, sobre os espaços culturais que morrem nos centros urbanos. Em minha produção, procuro fazer uma relação com o Centro Cultural Jorge Zanatta, que se encontra em condições lastimáveis. No entanto, por um grupo de pessoas engajadas na luta pela arte e pela cultura, o Centro Cultural Jorge Zanatta continua respirando em meio a uma cidade que cresce descontroladamente a sua volta."

Apresentações culturais


A Coletiva também abriu espaço para apresentações de dança, música e performance. O Grupo Dallas foi o responsável pela música do evento, que contou ainda com a apresentação do grupo de dança Maria da Glória, com a coreografia Operários, do coreógrafo e estudante de Artes Visuais da Unesc, Walter Gobbo.

As apresentações culturais enceraram com a performance “Não Recomendado”, de Ohara Gray, a identidade de Kauê Mateus Beletini, acadêmico de Artes Visuais.

União pela arte e pela cultura

A Coletiva que reúne artistas da região Sul é realizada por uma parceria entre a Universidade e o Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, e recebe auxílio financeiro da Betha Sistemas, da Anjo Tintas e do Bistek Supermercados.

Mais informações

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 10 de novembro de 2017 às 22:09
Compartilhar Comente

Contagem regressiva para a 3ª Coletiva de Artistas do Sul

Contagem regressiva para a 3ª Coletiva de Artistas do Sul
Exposição já está sendo montada na Universidade (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

A Unesc abre suas portas mais uma vez para a arte e a cultura regional. A 3ª Coletiva de Artistas do Sul vai reunir as criações de 20 artistas de oito municípios da região, no Espaço Cultural “Toque de Arte”. Quem passar pelo local já pode acompanhar a exposição sendo montada no hall do Bloco Administrativo. A abertura oficial da Coletiva ocorre nesta sexta-feira (10/11) a partir das 20 horas. A mostra vai trazer obras em pintura, instalação, objeto, fotografia, escultura, computação gráfica, serigrafia, xilogravura e desenho. A 3ª Coletiva de Artistas do Sul poderá ser visitada até o dia 20 de dezembro.

A coordenadora do Setor Arte e Cultura, que organiza o evento, Amalhene Baesso Reddig, ressalta a valorização dos artistas pela Unesc. “Um dos diferenciais aqui na Universidade é que os artistas recebem um cachê cultural, uma forma de apoio por suas produções”, explica. Amalhene também é uma das curadoras da exposição.

O evento também terá como curadores a artista Daniele Zacarão e o coordenador da UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidade Ciências e Educação), Marcelo Feldhaus. O professor explica o evento por meio de uma fala do filósofo e historiador, Michel Foucault. “Acreditamos que arte e cultura estão continuamente alimentando-se uma da outra, e disparando possibilidades de descaminhos para a vida. Entendemos que especialmente a Arte Contemporânea pode produzir momentos na vida, onde se pode diferentemente do que se pensa, e perceber diferentemente do que se vê, é indispensável para continuar a olhar ou refletir”, cita.

União pela arte e cultura

A Coletiva que reúne artistas da região Sul é realizada por uma parceria entre a Universidade e o Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, e recebe auxílio financeiro da Betha Sistemas, da Anjo Tintas e do Bistek Supermercados.

Mais informações

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 08 de novembro de 2017 às 15:27
Compartilhar Comente

Eles brilharam no palco do Unesc em Dança

Eles brilharam no palco do Unesc em Dança
Destaques do evento recebem Menção Honrosa (Fotos: Divulgação) Mais imagens

As semanas de ensaio, o frio na barriga e o nervosismo ao subir ao palco do Unesc em Dança não vão ficar apenas na memória. Em especial para os três grupos que receberam a Menção Honrosa por uma noite inesquecível. As coreografias “Beleza”, da Oficina de Dança do Bairro da Juventude; “Resiliência”, da Cia Jovem de Balé, e “Operários”, da Escola Estadual Maria da Glória Silva, foram premiadas pela performance no palco do Auditório Ruy Hülse, em outubro.

A condecoração é entregue pela Unesc, por meio da Propex (Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão) e do Setor Arte e Cultura, aos destaques do projeto cultural, que recebeu na última edição 600 bailarinos.

Beleza

Os movimentos foram criados pela egressa do curso de Artes Visuais da Universidade, Anetais Candido Motta. Segundo a avaliadora Renata Possamai a execução dos movimentos foram precisas. “A proposta foi boa e interessante. A coreografia bem ensaiada e os movimentos seguros.  As bailarinas souberam se colocar no palco e explorar os desenhos cênicos”, destacou.

Resiliência

A coreografia foi desenvolvida pelo egresso do curso de Educação Física, Lucas Fernandes, e interpretada pela bailarina solista Analise Feltrin, que foi o grande destaque da apresentação. “A solista possui talento. Apresentou boa expressão e execução de coreografia. Se continuar o trabalho como bailarina poderá desenvolver ainda mais seu potencial”, comentou a avaliadora Susan Bortoluzzi Brogni.

Beleza e Resiliência fizeram parte da categoria Infanto-juvenil.

Operários

Os bailarinos de Içara interpretaram a criação de Walter Gobbo, acadêmico de Artes Visuais da Unesc, fizeram parte da categoria Sênior. O avaliador Marco Aurélio Cruz Sousa destacou a execução do elenco. “Eles apresentam corpos presentes, preparados e inteligentes. Utilizaram bem o espaço cênico e apresentaram figurinos de acordo com a obra”, descreveu.

Experiência em alto nível

A coordenadora do Setor Arte e Cultura, Amalhane Baesso Reddig, ressaltou a comissão julgadora do evento. “A análise técnica das coreografias é um trabalho fundamental, que a Unesc se empenha para garantir avaliadores com experiência e qualificação em dança, possibilitando o desenvolvimento técnico e artístico dos grupos participantes”.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 31 de outubro de 2017 às 14:26
Compartilhar Comente (1)

Quintas Culturais comemora o Dia Nacional da Poesia no Brasil

Quintas Culturais comemora o Dia Nacional da Poesia no Brasil
Alunas da Unesc recitaram poemas (Fotos: Divulgação) Mais imagens

O Quintas Culturais desta semana foi especial. A edição de 26 de outubro comemorou o Dia do Poeta (29/10), Dia Nacional do Livro (29/10) e o Dia Nacional da Poesia no Brasil (31/10) e trouxe ao campus poemas de Carlos Drummond, Pablo Neruda, Manoel de Barros, Mário Quintana e um conto de Caio Fernando Abreu.

Os textos foram recitados pelas acadêmicas a sexta fase do curso de Letras Júlia Cravo, Erica Duarte e Thamiris Dondossola.

Participe do Quintas Culturais

Quintas Culturais é um espaço para os artistas da comunidade mostrarem seus talentos. O projeto ocorre todas as quintas-feiras no campus da Universidade e traz atrações em grupos ou individuais, com apresentações musicais, de teatro, dança, poesia e diversas outras expressões artísticas.

A ação é uma iniciativa do Setor Arte e Cultura, vinculado à Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão. Para participar, basta entrar em contato com o Setor de Arte e Cultura no Bloco P, sala 11, ou entrar em contato pelo e-mail cultura@unesc.net ou pelo telefone (48) 3431-2622.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 27 de outubro de 2017 às 16:58
Compartilhar Comente