Setor de Comunicação Integrada

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Nossa Casa agradece pela parceria com a Unesc

Nossa Casa agradece pela parceria com a Unesc
Um café para os parceiros da entidade foi realizado nesta terça-feira (Foto: Divulgação) Mais imagens

Reafirmando os projetos realizados em parceria com a Unesc e a Nossa Casa, a Universidade participou na noite desta terça-feira (19/12), de um café de agradecimento aos parceiros da entidade filantrópica. A coordenadora adjunta do curso de Odontologia, Fernanda Sônego, participou do evento.

A Nossa Casa é uma entidade beneficente que acolhe crianças e adolescentes em risco social, não somente de Criciúma, mas de toda região. A entidade recebe crianças que seus direitos reconhecidos por lei forem ameaçados ou violados. Ela se mantém por meio de convênio governamental e, principalmente, com a ajuda de doações provenientes da comunidade de Criciúma e região.

“A Nossa Casa é uma entidade beneficente e a Unesc é uma parceira da mesma, e entende que questões sociais são de extrema relevância e merecem atenção por parte de toda comunidade. O trabalho desenvolvido na Nossa casa é muito lindo e a Universidade por meio da extensão, já contribuiu qualificando ainda mais os profissionais que atuam lá”, comenta Fernanda.

O trabalho de extensão mencionado pela coordenadora, foi desenvolvido pelos acadêmicos e professores dos cursos de Nutrição e Farmácia, que participaram de um curso de Introdução à Panificação com profissionais da entidade beneficente. Mais informações no link.

A Unesc recebeu em forma de agradecimento, um quadro com a imagem do Sagrado Coração de Jesus, pintado por uma das crianças da Nossa Casa.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 20 de dezembro de 2017 às 09:55
Compartilhar Comente

Unesc auxilia no desenvolvimento de aplicativo inédito na região

Unesc auxilia no desenvolvimento de aplicativo inédito na região
Idealizadores do Close to Me receberam orientações no Programa Mentoring (Foto: Arquivo) Mais imagens

Você já pensou em ter acesso a profissionais de saúde por meio de seu celular? Pois participantes do Programa Mentoring da Unesc, sim. O Close to Me, uma plataforma de agendamento para atendimento de profissionais da saúde, deve ser lançado em abril de 2018 e já foi reconhecido no Estado. O projeto está entre os classificados para a segunda fase do Sinapse da Inovação, um programa de incentivo ao empreendedorismo que visa transformar ideias inovadoras geradas por estudantes, professores, pesquisadores e profissionais de diferentes setores em negócios de sucesso.

A ideia da solução para smartphone – Android e IOS – surgiu com Alessander Gonçalves José, que trabalha na área da saúde. Segundo ele, o Close To Me é uma plataforma para gestão de agenda de profissionais da área da saúde, na qual eles vão disponibilizar seus horários livres aos pacientes. “Isso vai permitir mais agilidade para consultas, e ainda possibilitando o chamado ‘Home Care’. Irá humanizar atendimentos para pessoas que possuem limitações para deslocamento, como os deficientes físicos, mães com filhos pequenos, idosos, cadeirantes, acamados, já que é difícil encontrar profissionais que atendam em casa. Para o profissional, é ter uma vasta carteira de clientes em potencial na sua região, podendo também cobrir ‘furos’ que ficam com as faltas de seus pacientes, podendo buscar outros na lista de espera”, afirma.

O parceiro de Gonçalves no projeto, Dreyer Zanotto, conta que foi detectada essa necessidade e a partir daí realizados estudos em outras plataformas sobre esse tipo de serviço fora do Brasil e alguns oferecidos em São Paulo e Brasília, além de ser levantada a necessidade do Sul catarinense. “A plataforma é inédita na região e está sendo desenvolvida para ser usada em qualquer parte do Brasil. Fizemos o levantamento dos requisitos chaves através do canvas, validamos a ideia e montamos o plano de negócios que foi o diferencial para inscrevermos o projeto no concurso. Temos várias ideias para lançar na solução, inclusive, fazer parcerias com Farmácias, Clínicas e convênio com planos de saúde”, comenta Zanotto.

Segundo ele, participar do prêmio foi uma forma do projeto ser desafiado. “Como estamos trabalhando apenas com recursos próprios, a primeira versão da plataforma terá todas as funcionalidades descritas pelo Alessander. Mas temos várias inovações que queremos agregar à plataforma, tornando ainda mais fácil o serviço entre profissionais da saúde e seus clientes. A classificação para o Sinapse foi fantástica. Como participamos da mentoria na Unesc, trabalhamos no projeto há um bom tempo, para que ele ficasse bem ‘redondinho’ para participar do Sinapse”.

Além de Gonçalves e Zanotto, a solução está sendo desenvolvido por Anderson Rodrigo Farias, que é egresso da primeira turma do curso de Ciência da Computação da Unesc e é pós-graduado em Gerenciamento de Banco de Dados pela Universidade.

Farias comenta que antes de iniciar o desenvolvimento da solução, foi realizado estudos de usabilidade e arquitetura da informação. “Tivemos uma preocupação extra com esta área para podermos entregar um serviço de qualidade aos nossos dos públicos: profissionais da área da saúde e seus clientes. Estamos usando tecnologias de mercado, seguindo tendências já validadas e usadas em projetos mais atuais. Mesmo sendo um MVP (Minimum Viable Product – Produto Mínimo Viável), tomamos cuidado com a arquitetura de software, de modo que tenha boa escalabilidade, prevendo um crescimento rápido no uso da plataforma”.

Unesc no Sinapse


A sexta edição do Sinapse da Inovação vai selecionar até 100 projetos em Santa Catarina, e cada um ganhará até R$ 60 mil em subvenção da Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina) para desenvolver seu negócio; Até R$ 42 mil em bolsas de auxílio da Fapesc e capacitações e suporte durante seis meses para alavancar a empresa.

Ele é considerado o maior programa de empreendedorismo do Brasil. Em cada edição regional, recebe mais de mil ideias inovadoras. É realizado pela Fundação Certi e promovido pela Fapesc e pelo Governo do Estado de Santa Catarina com o apoio do Sebrae e a parceria da Unesc e do Núcleo de Empreendedorismo da Universidade.

Nesta edição, além da plataforma, outros três projetos ligados à Unesc foram selecionados para a segunda etapa do concurso: “Biocoating - Revestimento de sementes com matéria orgânica ativa”, representado pela acadêmica Andrieli Bonfante; “Remediação de solos contaminados por processos oxidativos avançados”, representado pelo estudante de graduação Willian Acordi Cardoso; e “Sistema Automatizado de Elaboração de Planta de Valores Genéricos”, representado pelo egresso de pós-graduação, Fabiano Luiz Neris.

Segundo a reitoria da Unesc, Luciane Ceretta, é um orgulho para a Universidade incentivar e colaborar com o desenvolvimento de ideias inovadoras. “Ter projetos relacionados à Unesc selecionados no Sinapse, reflete o investimento intenso em inovação e pesquisas que a Instituição tem feito. A Unesc, como uma Universidade Comunitária fortemente ligada à região, promove cotidianamente novas possibilidades de prospecção e inovação para a população, que se qualificam na forma de estudo dos alunos e promovem o desenvolvimento regional da sociedade”, considera a reitora.

Mentoring

O Close to Me participou da segunda edição do Programa Mentoring, que auxilia empreendedores de Criciúma e região a concretizarem seus projetos. A iniciativa está vinculada ao Núcleo de Empreendedorismo da Universidade.

A primeira etapa do processo, que durou cerca de 90 dias, os mentorados elaboraram toda a parte estratégica do negócio, usando ferramentas como a árvore dos problemas para identificar soluções. A segunda etapa é a pré-incubação na Itec-In, incubadora tecnológica da Unesc, durante seis meses. Em todas as etapas os mentorados são acompanhados por professores e acadêmicos da Universidade.

Mais informações sobre o aplicativo Close to Me

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 13 de dezembro de 2017 às 11:31
Compartilhar Comente

Unesc participa do Programa A União Faz a Vida

Unesc participa do Programa A União Faz a Vida
Projeto é desenvolvido no Bairro da Juventude (Foto: Assessoria Sicredi Sul) Mais imagens

A Unesc segue atuando fortemente na comunidade por meio de projetos desenvolvidos pela Instituição ou em parceria com entidades e empresas da região. Nesta quinta-feira (7/12), a Universidade esteve presente na Mostra de Projetos do Programa A União Faz a Vida, no Teatro Itália do Bairro da Juventude. O projeto tem a iniciativa do Sicredi Sul e tem a parceria da Unesc.

O Bairro da Juventude foi a entidade escolhida para receber o projeto-piloto de 2017 e a Unesc é a reponsável pela assessoria pedagógica do programa. A pró-reitora de Ensino de Graduação da Unesc, Indianara Becker prestigiou o evento. "É muito significativa essa participação no programa, pois a Unesc consegue colocar o seu corpo docente de qualidade para assessor esse projeto tão importante para a educação do ensino fundamental. Isso reforça o papel comunitário que a Unesc, promovendo a responsabilidade social da Universidade", afirma Indianara.

O programa tem como objetivo romper os limites da escola e estimular uma formação autônoma e crítica. A União Faz a Vida surgiu, há 23 anos, com o intuito de difundir o conhecimento das comunidades sobre o cooperativismo. Desde então, mais de 200 municípios já implantaram a iniciativa.

*Com colaboração de Giovana Pedroso – Assessoria de Imprensa Sicredi Sul

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 08 de dezembro de 2017 às 14:15
Compartilhar Comente

Unesc encerra mais um semestre do Plano de 60 dias

Unesc encerra mais um semestre do Plano de 60 dias
Projeto realiza consultoria gratuita para empresários da região (Foto: Vitor Netto) Mais imagens

Já pensou em receber orientações para repensar o seu negócio ou até tirar uma ideia do papel? Pois a Unesc tem auxiliado empresários e futuros empresários com o Plano de 60 dias. O projeto realiza consultoria gratuita com o propósito de estimular a inovação na gestão das empresas na região. Neste semestre, empresários, microempresários e acadêmicos se encontraram para discutir sobre a sua empresa e nesta quarta-feira (6/12), no último encontro do ano, socializaram as atividades realizadas.

O objetivo do projeto é que durante o período de 60 dias, empresários da região encontrem-se com acadêmicos da sétima fase de Administração para que apliquem uma consultoria voluntária. Acompanhados de professores da Unesc, os participantes trocam experiências e procuram solucionar casos próprios junto com os estudantes.

A proprietária e fundadora da marca Letricotë, Carla Almeida, estava procurando ajuda para administrar a sua empresa. Após buscas na internet, encontrou o projeto desenvolvido pela Unesc. “Eu tinha a empresa, mas era algo muito amador. Por o nome na marca e registrar ela é fácil, porém tem muitas outras coisas que tem por trás disso. Eu via essa necessidade, pois não sabia como crescer”, afirma.

Carla está participando da consultoria desde o início do ano, e após participar de duas edições do Plano, vê mudanças significativas na empresa. “Discutir o nosso problema para resolvê-lo é muito bom. Eu acredito que realizei 100% do que queria. Meu objetivo foi alcançado”, revela.

A aluna Julia Cardoso foi uma das consultoras de Carla. Segundo ela, a troca de experiências fora da sala de aula é o ponto forte do projeto. “Dar e receber informações é o principal objetivo. A troca de conhecimento fez com que eu me desafiasse para poder ajudar alguém”, explica.  Já o acadêmico Diogo Estevam pontua que participar do Plano de 60 Dias é um diferencial do curso. “Ser consultor de uma empresa durante a graduação é aliar a teoria que a gente aprende desde o começo do curso com a prática na via real”.

Laís Costa é proprietária da Zakii. A empresa trabalha com produtos de moda afro e ela desenvolve diversas funções dentro do negócio. “Eu faço de tudo então percebi que não conseguiria desenvolver e ter um bom resultado sozinha. Aqui com a ajuda do meu consultor percebi que tinha um jeito, bastava me organizar”.

De acordo com a coordenadora do projeto, Gisele Coelho Lopes, o projeto tem uma metodologia diferente daquelas que geralmente se conhece numa consultoria tradicional. “Aqui na Universidade, o empresário coloca as suas queixas e juntos, consultores e empresa, debatem igualmente sobre diferentes possibilidades de gerenciar o negócio de forma assertiva. A troca de conhecimentos é o grande diferencial do que fazemos. O que queremos é que as empresas tenham um espaço apropriado e acolhedor para pensar no negócio. Nem sempre esse tempo é possível no dia a dia, quando se fala em micro e pequenos negócios. Considerando o pouco tempo que os empreendedores possuem, colocamos a universidade a disposição com todo o seu potencial para apoiar e auxiliar na busca de soluções em gestão que vise o desenvolvimento socioeconômico destes empreendimentos”, afirma a professora da Unesc.

Os interessados em receber consultoria gratuita do Plano de 60 Dias em 2018 já podem se inscrever. Basta acessar o site.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Assessoria de imprensa 07 de dezembro de 2017 às 10:52
Compartilhar Comente

3ª Gincana da Sipat: Mais de três mil peças de vestuário são doadas a comunidades indígenas

3ª Gincana da Sipat: Mais de três mil peças de vestuário são doadas a comunidades indígenas
Colaboradores visitaram as aldeias Marãgatú e Mhuporã na última semana (Foto: Divulgação) Mais imagens

Mais que uma competição, a 3ª Gincana da Sipat também promoveu o espírito solidário dos participantes. No começo de novembro e de dezembro foram entregues mais de três mil peças de roupas, calçados, cobertores e itens de vestuário a comunidades indígenas da região. O evento ocorreu dentro da 11ª Sipat (Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho), que ocorreu no mês de setembro.

A vice-presidente da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), Adicirlene Paganini Cardoso, comenta que as provas realizadas durante a Gincana tinham o objetivo de promover o pensamento coletivo. “Buscamos proporcionar momentos para estimular o pensamento comunitário, que também é um dos objetivos da Universidade”, afirmou.

Os itens coletados durante a atividade foram doados as aldeias Marãgatú, da cidade de Imaruí e Mhuporã, da cidade de Torres. Além da prova para coletar roupas e calçados, os colaboradores também realizaram apresentações artísticas, doações de sangue e medicamentos.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

06 de dezembro de 2017 às 17:57
Compartilhar Comente