Setor de Comunicação Integrada

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Unesc dá suporte em formação pedagógica da Associação de Amigos do Autista

Unesc dá suporte em formação pedagógica da Associação de Amigos do Autista
Professor José Carlos falou sobre ética e motivação Mais imagens

Professores, assistentes sociais e outros colaboradores da escola especial Meu Mundo, da AMA (Associação de Amigos do Autista) contaram com o suporte da UNAHCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação) da Unesc, na tarde desta segunda-feira (13/2), durante a semana de formação pedagógica da entidade. Por meio da atuação do professor José Carlos Virtuoso, os profissionais participaram de palestra sobre o tema “Ética e motivação para a solidariedade na educação especial”.

Na oportunidade, a equipe da AMA foi estimulada a refletir sobre questões como o valor do trabalho em equipe, as relações interpessoais, a necessidade da adoção de cuidados éticos no tratamento com alunos autistas e familiares e a motivação necessária para contribuir para a sua qualidade de vida, desenvolvimento humano e felicidade. A atividade contou como estratégia a utilização de textos musicais como reforço dos conceitos trabalhados e sensibilização dos participantes.

 

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

14 de fevereiro de 2017 às 10:06
Compartilhar Comente

Exercícios aquáticos colaboram na redução de estresse e ansiedade em idosos

Exercícios aquáticos colaboram na redução de estresse e ansiedade em idosos
Grupo de pesquisa da Unesc realiza estudo há um ano e meio (Foto: Divulgação) Mais imagens

Exercícios físicos aquáticos, como hidroginástica, ajudam a melhorar a qualidade de vida de idosos que possuem problemas de saúde como hipertensão, ansiedade e depressão. Uma pesquisa realizada pelo GPEAA (Grupo de Pesquisa em Exercícios Aquáticos Avançados) da Unesc com pessoas entre 51 e 81 anos revelou que o programa de exercício físico aquático de intensidade moderada reduz estresse oxidativo, ansiedade e depressão em idosos depressivos – associado a utilização de medicamentos. Já o programa de intensidade baixa, reduz ansiedade e aumenta a flexibilidade, mobilidade funcional e equilíbrio estático em idosos hipertensos.

Os resultados são fruto do projeto de pesquisa e extensão “LazerAtivo” envolvendo exercícios físicos aquáticos, força muscular e saúde mental realizada por alunos e professores do curso de Educação Física com mais de 100 idosos carentes portadores de Doenças Crônicas Não Transmissíveis. Segundo o coordenador do GPEAA, o professor da Unesc Luciano Acordi da Silva, durante 16 semanas os idosos participaram de atividades na piscina da Universidade, monitorados por acadêmicos e professores e também foram submetidos a testes e avaliações.

Segundo o professor, além de possibilitar que pessoas tenham acesso a atividades que tragam benefícios para sua vida, o “LazerAtivo” permite que estudantes participem de projeto de pesquisa, o que colabora em sua formação profissional. Os resultados do projeto são socializados com os participantes durante o evento Ciência e Sociedade, o que segundo Silva, colabora também na formação para a pesquisa. “O Ciência e Sociedade capacita os acadêmicos na maneira como deve ser apresentados os resultados de pesquisa. Eles aprendem não só como realizar estudos, mas também como divulgá-los”, afirma.

O GPEAA é vinculado a UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação) e o resultado do projeto de pesquisa e extensão “LazerAtivo) foi socializado durante o Congresso Sul Brasileiro de Atividade Física e Saúde, realizado em novembro de 2016 na Unesc e agora será transformado em artigo para publicação em revista científica. O “LazerAtivo” iniciou as atividades em 2015 e em 2017 realizará a pesquisa com uma nova turma, com 100 a 150 idosos.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 20 de dezembro de 2016 às 14:29
Compartilhar Comente

Curso de Culinária Profissional entrega certificado para mulheres do Bairro Paraíso

Curso de Culinária Profissional entrega certificado para mulheres do Bairro Paraíso
Curso faz parte de um projeto de extensão (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Mulheres do Bairro Paraíso, em Criciúma, aprenderam um novo ofício esse semestre, com o projeto de extensão da Unesc “Curso de Culinária Profissional e Segurança Alimentar”. Na última semana, 12 moradoras do Bairro receberam o certificado após 12 aulas onde aprenderam sobre as práticas necessárias ao trabalho em segmentos como restaurantes e cozinhas indústrias, entre outros do ramo alimentício.

Segundo uma das coordenadoras do projeto, a professora do curso de Nutrição da Unesc, Fabiane Fabris, a proposta é desenvolver ações para criar alternativas voltadas a jovens e adultos de baixo nível socioeconômico se integrarem à sociedade e ao mercado de trabalho, com uma verdadeira qualificação profissional.

“O objetivo do projeto é colaborar para que os participantes tenham bom desempenho no mercado de trabalho como cozinheiros, manipuladores de alimentos em diferentes tipos de estabelecimentos alimentícios, qualificar jovens e adultos de comunidades carentes para trabalhar em unidades de alimentação e nutrição institucionais ou comerciais. Além disso, incentivar também que o conhecimento adquirido seja usado para eles montarem o próprio negócio ou venderem os produtos produzidos de forma autônoma em suas comunidades”, explicou Fabiane.

Neste semestre foram contempladas mulheres da comunidade da região do Bairro Paraíso, em parceria com o CRAS Tereza Cristina. O projeto tem a participação das acadêmicas do curso de Nutrição da Unesc Tayná Magagnin, Kelly Gaspar da Silva e Heidy Mara Andrade da Luz, coordenadas pelas professoras Fabiane Fabris e Janete Trichês.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 19 de dezembro de 2016 às 18:32
Compartilhar Comente

Grupo de pesquisa de Educação Física apresenta resultado de trabalho

Grupo de pesquisa de Educação Física apresenta resultado de trabalho
Encerramento das atividades ocorreu nesta quinta-feira (Foto: Divulgação) Mais imagens

O GPEAA (Grupo de Pesquisa em Exercícios Aquáticos Avançados), do curso de Educação Física, vinculado a UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação) encerrou as atividades de seus projetos de pesquisa e extensão nesta quinta-feira (8/12), com um encontro com os participantes durante o evento Ciência e Sociedade II. Foram apresentados a cerca de 100 idosos portadores de Doenças Crônicas Não Transmissíveis os resultados das pesquisas envolvendo os exercícios físicos aquáticos, força muscular e saúde mental.

Os alunos de iniciação científica apresentaram os resultados de suas pesquisas em idosos portadores de diabetes, hipertensão e depressão, que fazem parte do projeto de extensão “LazerAtivo”. Paralelo a isso foi apresentado o projeto Golfinhos, que se destina a pesquisar o resultado dos exercícios físicos aquáticos em crianças portadoras de defict de atenção e hiperatividade. 

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 09 de dezembro de 2016 às 18:05
Compartilhar Comente

Quintas Culturais encerra 2016 com encontro de grupos de Boi de Mamão

Quintas Culturais encerra 2016 com encontro de grupos de Boi de Mamão
Apresentação ocorreu na Praça do Estudante da Unesc (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

Mariana, a cabra, o macaco e o vaqueiro, personagens do Boi de Mamão, estiveram na noite desta quinta-feira (8/12) na Unesc, para um encontro de grupos que mantém viva a tradição desta brincadeira, que envolve dança e cantoria. O 2º Encontro de Bois marcou o encerramento das atividades do Quintas Culturais em 2016 e levou para a Praça do Estudante da Universidade, os grupos de Boi de Mamão da Escola Estadual Governador Heriberto Hülse, de Criciúma, e Raízes Culturais, de Maracajá (com 50 anos de história), além do grupo da Unesc.

Na Unesc, as atividades envolvendo esta tradição fazem parte do projeto de extensão da UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação) “Boi de Mamão na Comunidade - reflexões sobre memória, história, arte popular e identidade cultural”, coordenado pelas professoras Amalhene Baesso Reddig e Silemar de Medeiros da Silva.

A primeira etapa do projeto de extensão foi realizada em 2014, na Escola Governador Heriberto Hülse, e desde então leva a história cultural do boi a diversos lugares da comunidade.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 08 de dezembro de 2016 às 22:03
Compartilhar Comente