Setor de Comunicação Integrada

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Pacientes com Parkinson têm melhoras significativas com projeto da Unesc

Pacientes com Parkinson têm melhoras significativas com projeto da Unesc
Valdemiro deixou a cadeira de rodas por conta dos exercícios (Foto: Mayra Lima) Mais imagens

Aos 66 anos Valdemiro Henrique foi diagnosticado com o mal de Parkinson, uma doença degenerativa que atinge cerca de 4 milhões de pessoas no mundo. Há alguns meses atrás, ele teve uma complicação e acabou indo parar em uma cadeira de rodas. Mas o que Valdemiro não esperava é que a Unesc poderia ajudar. Hoje ele já consegue andar sozinho, sem nem precisar de muletas, e se sente melhor a cada dia de tratamento.

A melhora se deu por conta dos exercícios físicos desenvolvidos pelo projeto de pesquisa da mestranda do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde), Hérica Salvaro. Para Valdemiro, que já havia feito diversos outros tratamentos, a melhora foi uma grande surpresa. “Esse foi o único tratamento que deu certo pra mim. Os exercícios me ajudaram a voltar a andar, minhas pernas têm mais força agora, cada dia é uma evolução diferente”, comentou.

Além dos exercícios, Valdemiro também criou um grande vínculo com equipe do projeto e com os seus colegas de tratamento. “Eles atendem a gente muito bem aqui na Unesc. O carinho é o melhor remédio para nós. Sinto falta quando não é o dia de encontro do grupo, somos todos grandes amigos”, ressaltou.

Entenda o Parkinson

Segundo Hérica Salvaro, a principal característica da doença é a degeneração dos neurônios dopaminérgicos. “Esses neurônios são responsáveis principalmente pelo nosso movimento. Por isso que as pessoas com a doença apresentam tremor, dificuldade para caminhar, postura afetada, entre outros sintomas”, contou a mestranda.

Hérica afirmou ainda que diversos estudos apontam o exercício físico como ferramenta para reduzir a degeneração desses neurônios específicos, o que serviu como ponto de partida para o desenvolvimento da pesquisa na Unesc. “Com a prática eles sentem melhora na caminhada, na postura, diminuição do tremor, diminuição do risco de quedas, melhora do equilíbrio e de outros sintomas”, ressaltou.

Pesquisa é a chave para o tratamento

O tratamento é todo baseado em estudos, ele inclui exercícios de aquecimento, fortalecimento muscular, treino de equilíbrio e coordenação, exercícios respiratórios além de exercícios de reabilitação vestibular. As atividades são realizadas três vezes por semana, durante 50 minutos aproximadamente, sempre no período matutino.

Para Hérica, melhorar a vida das pessoas por meio da pesquisa é uma grande conquista. “Quando se trabalha com pesquisa, temos que ter dedicação exclusiva, dias de estudos, de testes, experimentos, temos que ter uma entrega total, porém quando teremos os resultados em mãos e quando olhamos os pacientes felizes e cada vez melhores, com certeza tudo isso vai ter valido a pena. É gratificante saber que não serão só essas pessoas beneficiadas e sim as pessoas com Parkinson do mundo inteiro”, contou a mestranda.

A vida do Ademar também mudou


Outro participante do projeto que sentiu uma evolução grande foi o Ademar Pacheco. Hoje ele sente uma segurança muito maior para caminhar, segurar objetos e diversos outros movimentos diários. “Desde que adotei o exercício a minha vida mudou. O Parkinson muitas vezes trava os meus movimentos, mas quando me sinto assim em casa já faço alguns exercícios orientados pela equipe e me sinto melhor”, comentou.

Ademar também ressaltou a grande família que ganhou com o projeto. “Além de sentir a minha melhora, ver os meus amigos evoluindo diariamente, junto comigo, também traz uma felicidade muito grande. Nós nos unimos muito e isso dá força para todos nós”, afirmou. 

O projeto

O projeto, intitulado “Efeitos do Exercício Físico sobre a Resposta Inflamatória Sistêmica, Parâmetros de Estresse Oxidativo Plasmático e Sistema Vestibular em Pacientes com Doença de Parkinson”, tem orientação do professor Ricardo Pinho e ocorre no Lafibe (Laboratório de Fisiologia e Bioquímica do Exercício) da Unesc.

“Durante anos o meu grupo vem estudando em animais os efeitos do exercício sobre diversos mecanismos celulares na doença de Parkinson. Foi com base nisso que estamos promovendo uma translação daquilo que encontramos neste estudos, aplicando agora em humanos, com o objetivo central em reduzir a progressão da doença e melhorar a condição de vida desses pacientes”, comentou Pinho.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Mayra Lima - mayralima@unesc.net 18 de janeiro de 2017 às 14:38
Compartilhar Comente

Por que uma Universidade Comunitária muda a vida das pessoas?

Por que uma Universidade Comunitária muda a vida das pessoas?
Instituições de ensino com este caráter não têm fins lucrativos (Foto: Arquivo) Mais imagens

Universidade Comunitária. Você já ouviu falar nela? Elencamos oito fatos para você entender o funcionamento destas instituições, que ainda soa como algo novo para muitas pessoas.

Você sabe porque estudar em uma é interessante não apenas para a sua formação profissional? Assim como para o seu currículo como cidadão? Sabe quem também ganha com isso? A sociedade!

Vamos aos fatos?

1 – Nascemos da comunidade
A Unesc faz parte de um grupo de instituições catarinenses que foram criadas pelo poder público municipal pra expandir o Ensino Superior a cidades menores – antes a concentração de oportunidades estava em Florianópolis.

2 – E somos da comunidade
A Unesc é do povo! Uma Universidade Comunitária não tem um dono específico e toda a infraestrutura é da sociedade. Assim, se as atividades dela encerrarem, tudo que há no campus passa para a cidade, que vai gerir o patrimônio.

3 – Aqui a gente não pensa em lucrar
As Universidades Comunitárias não visam lucro. Cobram mensalidade porque precisam deste recurso para pagar seus funcionários e professores, cuidar da infraestrutura, fazer melhorias e investir em projetos sociais. Ou seja. Todo o dinheiro volta para beneficiar a Instituição, seus alunos e a comunidade.

4 – Ensino, pesquisa e extensão pra uma melhor formação

Todas as ações da Unesc giram em torno do tripé ensino, pesquisa e extensão. E sabe o que isso significa? Educação de qualidade – reconhecida como de excelência pelo MEC, inclusive. Quando você entra pra família Unesc, pode ir além da sala de aula. Os nossos alunos participam de grupos e projetos de pesquisa e de atividades de extensão. Aliam a investigação científica ao trabalho com a comunidade, ensinando e aprendendo com as pessoas.

5 – Atendimentos dentro do campus
E por falar em projetos de extensão, a Unesc, por exemplo, desenvolve ações dentro e fora do campus para beneficiar a sociedade. Além dos projetos em que alunos e professores vão até os Bairros de Criciúma e região, há atendimento gratuito em saúde dentro do campus nas Clínicas Integradas e na UJC (Unidade Judiciária de Cooperação). Isso sim é sair da caixa e olhar diferente né?

6 – Democracia

Todo mundo na Unesc tem voz e vez. O reitor e o vice, assim como as coordenações de cursos, são eleitos por voto direto e universal. Ou seja, cada voto tem o mesmo valor.

7 – Bolsas e descontos
Diferente do que ocorre em uma instituição particular, na Comunitária há uma série de bolsas e descontos para colaborar com a igualdade de oportunidades na Educação Superior. Tem ProUni, tem Nossa Bolsa Licenciatura (com bolsas de até 100%), tem Descontos Corporativos (para funcionários de empresas conveniadas à Unesc), descontos para pessoas acima de 50 anos, para egressos da Universidade, para segunda habilitação, e por aí vai. Ah, e ainda as bolsas para estudantes que participam de projetos de iniciação científica e de extensão.

8 – Somos uma teia
“Na Instituição, nós estamos ligados em uma teia de sentidos, significados e compromissos. Assim como temos essa ligação com a comunidade. Tudo aquilo que a Instituição faz que eleva a Universidade, eleva a comunidade junto. E vice-versa. Tudo o que acontece de bom na comunidade, reflete positivamente na Unesc”. A afirmação vem do reitor Gildo Volpato.

E então? Quer ser comunitário também?

#escolhaunesc

Pra fazer parte do time Unesc você tem a opção do ingresso pelo histórico escolar. Clique aqui para conhecer todos os cursos, possibilidades e se inscrever.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 17 de janeiro de 2017 às 15:18
Compartilhar Comente

Verão: férias, praia e cuidado com a saúde

Verão: férias, praia e cuidado com a saúde
É possível aproveitar a estação e adquirir hábitos saudáveis (Foto: Arquivo) Mais imagens

Os meses mais quentes do ano costumam reservar grandes momentos. Época de férias, praia e diversão sim. Mas também pode ser o período para adquirir hábitos mais saudáveis e que irão acompanhar você durante todo o ano. E o melhor é que isso não precisa causar sofrimento. Duvida? Então confira algumas dicas dos nossos professores e se prepare para o “Projeto Você”.

Alimentação

A primeira dica é não descuidar da hidratação. A professora do curso de Nutrição da Unesc Fabiane Fabris, explica que quando suamos, o corpo perde eletrólito (substâncias presentes no sangue e responsáveis pela regulação de uma série de processos do organismo, incluindo batimentos cardíacos), o que pode ocasionar, dentre outros problemas, a desidratação. Por isso é importante ingerir líquidos – de água a suco e frutas in natura.

“A água de coco é uma ótima opção, mas deve ser consumida com cautela por quem é hipertenso, pois possui sódio. Suco de fruta também é interessante. E vale aproveitar o próprio açúcar da fruta. Mas caso a pessoa queira adoçar, pode substituir o açúcar refinado por demerara, mascavo, melado ou mel, opções mais naturais e saudáveis”, orienta.  E muito cuidado com as bebidas isotônicas. Segundo a professora da Unesc, elas possuem um elevado indica de sódio – atenção, hipertensos! – e foram pensadas para esportistas e não para crianças, por exemplo.

Já quando se fala em comida, quanto menos industrializada melhor. Em todas as estações. “Quanto menos embalagens você abrir melhor. Temos que resgatar a comida da vovó, aquela feita em casa e que a gente sabe como está sendo preparada e os ingredientes usados. A vida está corrida, mas talvez você possa aproveitar as férias para adquirir esse novo hábito de preparar o próprio alimento. Hoje há muitos ingredientes acessíveis para garantir uma comida gostosa e de qualidade”, comenta.

E especificamente em dias de altas temperaturas, a recomendação é degustar comidas leves em vez de pratos com molho, fritura e recheios – especialmente os comercializados na beira da praia. Isso porque o calor colabora com a proliferação de bactérias. Para evitar problemas relacionados à ingestão de alimentos no verão, Fabiane indica que se observe aspectos como a apresentação do alimento, a acomodação e a higiene da pessoa que está manipulando. Isso vale também para longe da areia. “A comida japonesa tem tido cada vez mais adeptos e como alguns preparos utilizam peixe cru. Por isso é preciso verificar se as peças estão em balcão refrigerado, se quem está manipulando os alimentos está com roupa limpa, unhas aparadas, cabelo preso”, ensina.

“As pessoas não devem fazer ‘terrorismo alimentar’ e cortar alimentos se não possuem alergia a eles. Quem não tem restrições, pode comer de tudo desde que tenha equilíbrio”, afirma Fabiane, orientando que mudanças alimentares sempre devem ser acompanhadas por profissionais.

Exercícios físicos

A prática de exercícios físicos regularmente traz uma série de benefícios, desde o controle dos índices de colesterol e glicêmico ao auxílio na prevenção de doenças cardiovasculares, até melhorar a disposição e ajudar quem pratica a ter um sono com mais qualidade.

O professor do curso de Educação Física da Unesc, Joni Márcio de Farias, explica que alguns cuidados são básicos e importantes para quem quer se exercitar ao ar livre, como procurar orientação de um profissional e cuidar com o horário – preferir períodos com menos sol e calor – e para qualquer atividade, seja ao livre ou não, usar tênis com meia e dar preferência a roupas claras e que não impeçam a transpiração. O professor afirma que o tempo ideal é que seja de 30 minutos para quem estiver iniciando. E com o passar dos dias – pode ser a cada semana – é interessante ir aumentando um pouco.

Para quem vai passar as férias na praia e quiser caminhar à beira mar, o professor aconselha usar tênis quando a areia estiver compactada. Já quando a areia estiver fofa, o tênis poderá ser dispensado. Vale lembrar que é bom ficar atento aos desníveis do terreno. Farias orienta que se dê preferência às partes planas, para evitar a sobrecarga no corpo, mas que se não for possível fugir do solo irregular, que a pessoa vá e volte pelo mesmo trajeto e no mesmo tempo.

Farias comenta ainda que cada pessoa tem um ritmo biológico que não pode ser modificado e por isso, é preciso observar o que o exercício físico gera em cada um. “Para as pessoas que ficam mais agitadas após a atividade, é interessante fazer exercício no período matutino, porque elas aproveitam o restante do dia e quando chegam ao fim dele, estão exaustas e daí descansam. Já quem faz exercício e depois dele se sente relaxado, é interessante praticar ao fim do dia, porque vai conseguir dormir bem. Se a pessoa fica agitada, é possível que tenha insônia”, explica.

Pedalar, dançar, caminhar, treinamento funcional. Tudo isso pode ser feito também na praia. A dica do professor para quem está curtindo as férias lá é aproveitar os projetos de verão que levam atividades físicas orientadas e gratuitas. “Experimente os diversos exercícios, descubra o que mais tem a ver com o seu perfil e aproveite”, aconselha.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 12 de janeiro de 2017 às 16:28
Compartilhar Comente

Inscrições abertas para Residência Multiprofissional da Unesc, com bolsa de estudo

Inscrições abertas para Residência Multiprofissional da Unesc, com bolsa de estudo
As inscrições podem ser feitas até o dia 27 de janeiro (Foto: Arquivo) Mais imagens

As inscrições para o Programa Residência Multiprofissional em Atenção Básica/Saúde da Família e em Saúde Coletiva da Unesc já estão abertas. Os interessados em cursar as especializações, com direito a bolsa de estudo por dois anos dos ministérios da Saúde e da Educação, devem procurar a Universidade até o dia 27 de janeiro.

Ao todo são 21 vagas distribuídas nas áreas de Educação Física (Bacharelado), Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Odontologia e Psicologia. Os concluintes vão receber o título de especialistas em Atenção Básica/Saúde da Família ou em Saúde Coletiva.

As inscrições devem ser feitas na UNA SAU (Unidade Acadêmica de Ciências da Saúde), na sala 12 do Bloco S da Universidade, das 13h30 às 18 horas.

Mais informações pelo telefone (48) 3431-2671.

Edital Residência Multiprofissional em Atenção Básica/Saúde da Família
Edital Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva 

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Fabiola Oliveira 09 de janeiro de 2017 às 16:07
Compartilhar Comente

Unesc em recesso, com retorno em 3/1

Unesc em recesso, com retorno em 3/1
Atividades retornam ao normal em 3 de janeiro (Foto: Arquivo) Mais imagens

A Unesc entra em recesso a partir desta sexta-feira (23/12), retomando as atividades no dia 3 de janeiro de 2017. Durante o primeiro mês do ano, a maioria dos setores funcionará das 13h30 às 19h30. As aulas dos cursos de graduação do primeiro semestre de 2017 iniciam no dia 20 de fevereiro.

A exceção durante o recesso será o Iparque (Parque Científico e Tecnológico), que não realizará atendimentos nesta sexta-feira (23/12) e no dia 30 de dezembro de 2016 e no dia 1º de janeiro de 2017, mas funcionará normalmente de 26 a 29 de dezembro de 2016 e a partir de 2 de janeiro de 2017, das 8 às 17 horas.

A Biblioteca Professor Eurico Back segue o mesmo calendário da Universidade e ficará fechada desta sexta-feira até o dia 2 de janeiro de 2017, voltando a atender em 3 de janeiro, das 13h30 às 19h30.

As Clínicas Integradas também estarão de recesso até dia 2 de janeiro. De 3 a 27 de janeiro de 2017, a central de agendamentos, o SOS e o Serviço de Enfermagem funcionarão das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas. A Farmácia Escola, das 8 às 13 horas e das 13h30 às 17 horas. A Farmácia Solidária encerrará as atividades de 2016 nesta quarta-feira (21/12) e retoma o atendimento em 30 de janeiro de 2017. Os Serviços de Fisioterapia, Psicologia, Medicina  não funcionam até 30 de janeiro de 2017.

O CPJ
(Centro de Prática Jurídica), do curso de Direito, que engloba as Casas da Cidadania, CJC (Casa de Justiça e Cidadania - Justiça Federal) e o PAC (Posto de Atendimento e Conciliação) retoma as atividades em 9 de janeiro de 2017,  das 13h30 às 19h30. Já a UJC (Unidade Judiciária de Cooperação) segue o recesso e, a partir do dia 16 de janeiro de 2017 retorna suas atividades, das 13h30 às 17h30.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Milena Spilere Nandi 20 de dezembro de 2016 às 18:49
Compartilhar Comente