Setor de Comunicação Integrada

imagem do site
Newsletter Newsletter RSS RSS

Professores e alunos representam Unesc em evento no Rio Grande do Sul

Professores e alunos representam Unesc em evento no Rio Grande do Sul
Encontro ocorreu de quarta-feira à sexta-feira (Foto: Divulgação) Mais imagens

Os professores e alunos da Unesc socializaram conhecimentos no encontro “Práticas de Iniciação à Docência da Região Sul”. Os 33 representantes da Universidade foram à São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, para apresentar os resultados de pesquisas desenvolvidas no Pibid (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência), Subprojeto de Letras. O evento ocorreu de quarta-feira a sexta-feira (13/12 a 15/12).

O encontro contou com a presença de participantes de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. O coordenador do curso de Letras, Carlos Arcângelo Schlickmann, explica que a participação dos alunos e professores é importante para a qualidade do ensino. “Participar de eventos como este divulga o trabalho da Universidade e dá aos alunos a oportunidade de enriquecimento da sua formação”, afirmou.

Representaram a Unesc o coordenador adjunto do curso, Richarles Souza de Carvalho, os professores Jéferson Luis de Azeredo, Richarles Souza de Carvalho, Carlos Arcângelo Schlickmann, Michele Gonçalves Cardoso e o coordenador do curso de História Tiago da Silva Coelho. Participaram também três professores da rede pública de Criciúma: Juliana Pereira Guimarães, Marco Antônio e Leandro de Bona Dias.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

15 de dezembro de 2017 às 16:45
Compartilhar Comente

Projeto da Unesc leva melhorias a Associações de Pais e Professores de Siderópolis

Projeto da Unesc leva melhorias a Associações de Pais e Professores de Siderópolis
Bolsistas trabalharam em contato com APP’s durante dois anos (Foto: Divulgação) Mais imagens

Professores e acadêmicos da Unesc colaboraram com escolas, por meio “Programa de Assessoria e Consultoria Contábil e Organização das APP´s da Rede Pública Municipal de Siderópolis-SC”. Desde o primeiro semestre de 2016, o projeto atuou em oito escolas, com orientações, assessorias e consultorias contábeis.

A professora Ana Paula Silva dos Santos foi uma das organizadoras do projeto e afirma que as atividades beneficiaram todos os influenciados. “Os alunos têm a possibilidade de se deparar com a realidade das APP’s e compará-las com a teoria estudada em sala de aula. Por estarem acompanhados dos professores, é perceptível a segurança em propor melhorias e inovações. Os ganhos da ação chegam à Universidade, aos acadêmicos, à sociedade, às escolas, aos professores e aos alunos”, afirma.

Ela destaca ainda que os representantes da Universidade encontraram diversas necessidades nas Associações de Pais e Professores e receberam a liberdade para pensar e propor melhorias. “Os locais que participaram dos estudos apresentaram APP’s desatualizadas. A ação dos acadêmicos apresentou um fluxograma de ideias e acompanhou o processo de implementação”, explica.

Segundo a professora, os resultados de uma boa participação do grupo de pais e professores nas escolas, acompanhados pelos bolsistas do projeto, levou benefícios ao ensino, aumentou a participação da comunidade, deu início ao Projeto Político Pedagógico da escola, fortaleceu a equipe gestora, solucionou conflitos, desenvolveu um grêmio estudantil e melhorou a estrutura da cantina escolar.

Após o fim da participação nas escolas, os acadêmicos da Unesc estão trabalhando em uma cartilha, que vai colaborar com as escolas no processo de implantação e atualização de APP’s.

A acadêmica de Ciências Contábeis Bianca Câmara conta que participar das ações agregou a qualidade de sua graduação. “Aprendi a pesquisar, a buscar conhecimento e compartilhá-lo. Também senti a necessidade de desenvolver a minha comunicação e entendi que conversar com a sociedade requer um cuidado diferenciado. O projeto nos tirou da zona de conforto”, afirma.

Além de Bianca, no segundo ano de atuação do projeto também participou a acadêmica Leopoldina Claudete dos Santos Jorge e os professores Jonas Scremin Brolese, Milla Lucia Guimarães e Andreia Cittadin. O projeto é ligado ao PEGC (Programa de Extensão em Gestão Contábil).

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

15 de dezembro de 2017 às 16:38
Compartilhar Comente

No Mentoring da Unesc há possibilidade de realizar sonhos

No Mentoring da Unesc há possibilidade de realizar sonhos
Programa auxilia comunidade e acadêmicos no empreendedorismo (Foto: Leonardo Ferreira) Mais imagens

O egresso de Artes Visuais da Unesc, João Batista, encontrou no programa Mentoring o apoio para realizar seu sonho. O ex-aluno da Universidade apresentou sua empresa de desenvolvimentos de jogos, a “Monka”, um desejo de infância que traz seu primeiro jogo. O encontro também celebrou o encerramento das atividades de 2017 do projeto.

O egresso conta que iniciou sua busca sem conhecer as dificuldades que se apresentariam, e que o Mentoring o auxiliou na realização do sonho. “Queríamos, mas existem outros fatores além do querer. A iniciativa da Unesc foi o Start que eu e a equipe da Monka precisávamos. Aprendemos muito e amadurecemos também. As coisas estão acontecendo de uma forma mais fácil agora”, afirmou Batista.

Ele contou ainda que a interdisciplinaridade apresentada nas aulas também foi importante e o auxiliou em áreas que não dominava. “Minha formação não tem muitos conhecimentos em Ciências Contábeis, por exemplo. Foi a mistura destas práticas que nos trouxe até aqui”, frisou.

Batista e seus colegas da Monka estão desenvolvendo seu primeiro trabalho e o complemento das áreas dos conhecimentos mais uma vez fizeram a diferença. “O Mentoring aparece em diversas partes do jogo e de sua criação. A parte da publicidade é outro exemplo importante, deixou nosso trabalho mais leve, atrativo e divertido, que é o que o mercado pede”, explicou.

Oportunidade de crescer

O Mentoring é uma atividade de extensão do Núcleo de Empreendedorismo. Ele tem o objetivo de oportunizar à comunidade e alunos o acesso ao apoio técnico no desenvolvimento de novos negócios. Em 2017 foram 19 iniciativas beneficiadas e cinco selecionadas pela pré-incubadora, Itec-in (Incubadora Tecnológica de Ideias e Negócios), onde receberam auxilio na estruturação.

A professora Cristiane Dias foi uma das docentes nestes meses e destaca os bons resultados ao fim do processo. “Fiquei muito feliz e vejo capacidade destas ideias irem longe. Professores, que trabalharam como voluntários, e alunos, que se emprenharam, me fazem acreditar que eles podem crescer ainda mais”.

A primeira etapa deste ano foi desenvolvida na Universidade, com 90 dias de ensino em sala de aula. A segunda e última etapa ocorreu na Itec-in, dentro do I-parque (Parque Cientifico e Tecnológico), onde os cinco selecionados receberam conhecimentos específicos em cada área.

Além da professora Cristiane, também compartilharam informações os docentes Wagner Blauth, Luciane Pereira, Jonas Rosner, Jaime Piccolo, Dino Neto, Gisele Coelho Lopes, Rafael Alves e outros especialistas.

Saúde na palma das mãos

Na tarde desta quarta-feira o projeto Close to Me também foi apresentado. Alessander Gonçalves José, um dos idealizadores, conta que a ideia é um aplicativo que vai agilizar o atendimento médico na região. “É uma plataforma para gestão de agenda para profissionais da área da saúde, na qual eles vão disponibilizar seus horários livres aos pacientes. Isso vai permitir mais agilidade para consultas, e ainda possibilitar o chamado ‘Home Care’, que vai humanizar atendimentos para pessoas que possuem limitações para deslocamento, como as pessoas com deficiência, mães com filhos pequenos, idosos, cadeirantes e acamados”, explica.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

14 de dezembro de 2017 às 19:23
Compartilhar Comente

Convênio agiliza processos do Procon e agrega conhecimentos à vida acadêmica de alunos da Unesc

Convênio agiliza processos do Procon e agrega conhecimentos à vida acadêmica de alunos da Unesc
Estudantes de Direito trabalharam lado a lado com o órgão municipal (Foto: Divulgação) Mais imagens

Os alunos do curso de Direito da Unesc aprenderam, vivenciaram uma experiência profissional e auxiliaram o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de Criciúma a agilizar processos de conciliação entre empresas e consumidores. Seis acadêmicos estiveram envolvidos nas atividades de 2017 da parceria entre prefeitura de Criciúma e Universidade, por meio da UJC (Unidade Judiciária de Cooperação), que encerraram nesta quarta-feira (13/12).

As trocas de conhecimento ocorreram na sede do Procon, onde os estudantes participaram de encontros semanais, presenciaram audiências e auxiliam na elaboração de documentos ao Jecon (Juizado Especial do Consumidor).

O idealizador do convênio e professor de Direito da Unesc, Israel Rocha Alves, conta que esta parceria vai beneficiar o futuro profissional formado na Universidade. “Aproximar os acadêmicos da vivência em um órgão de proteção e defesa do consumidor é essencial para o aprendizado. Além disso, qualifica as atividades do Procon, pois há mais pessoas propondo soluções para os casos de conciliação entre consumidores e comerciantes”, afirma Alves.

Segundo o coordenador do Procon de Criciúma, Gilberto Santos, as atividades do convênio estão dando bons frutos e já tem data para retornarem em 2018. “A parceria está fluindo muito bem. Os trabalhos com os alunos serão retomados em fevereiro de 2018 e em razão do sucesso dos encontros, estamos estudando a possibilidade de ampliar a iniciativa”, comenta.

Durante o semestre, os acadêmicos acompanharam uma média de 20 audiências de conciliação por mês. “Nos trabalhamos na resolução dos conflitos e os resultados superaram as expectativas. Atuar no Procon é diferente dos demais estágios relacionados as práticas jurídicas. Foi bom para todos”, destacou o estudante Yuri Vieira Cardoso.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

13 de dezembro de 2017 às 16:17
Compartilhar Comente

Projeto Solidariedade: Acadêmicos prestam mais de duas mil horas de trabalho voluntário no segundo semestre de 2017

Projeto Solidariedade: Acadêmicos prestam mais de duas mil horas de trabalho voluntário no segundo semestre de 2017
Foram 163 alunos mobilizados em 39 equipes para trabalhar em 14 cidades da região (Foto: Divulgação) Mais imagens

Estudantes da Unesc realizaram mais de duas mil horas de trabalho voluntário, em 14 cidades do Sul catarinense. No segundo semestre de 2017 o projeto de extensão “Solidariedade” mobilizou 163 alunos de quatro cursos da graduação, em atividades que levaram conhecimentos sobre política, Direitos Humanos, cidadania, saúde, higiene e segurança a escolas e instituições que cuidam de pessoas em situação de vulnerabilidade na região.

A aluna de Educação Física Lisandra Almeida foi uma das participantes do projeto e destaca a importância das atividades para seu futuro. “Aprendi a enxergar as necessidades e dificuldades dos outros, e ainda percebi que todos somos iguais e frágeis, que precisamos um do outro. Vou levar estes ensinamentos para minha vida”, afirmou.

Participaram do projeto os acadêmicos da primeira fase de Direito, com palestras e intervenções de melhorias nos locais visitados; os estudantes da segunda fase de Educação Física, que proporam atividades de leitura, caminhadas, brincadeiras e jogos; os alunos da primeira fase de Fisioterapia, que realizaram oficinas de prevenção e atividades terapêuticas manuais, e os alunos da sexta fase de Odontologia, que promoveram palestras e ações sobre saúde bucal.

A diretora da Escola Nair Alves Bratti, de Sombrio, Márcia Regina da Silva Coelho, conta que o desejo é dar continuidade nas atividades no próximo ano. “O projeto na nossa instituição veio a somar. Os estudantes da Unesc foram atenciosos e trouxeram uma proposta nova. Os conhecimentos sobre bullyng, depois jogos de interação e, por fim, filme reafirmaram a vontade de que a Universidade continuasse conosco em 2018”.

O projeto atendeu 39 instituições e foi desenvolvido dentro das disciplinas de Ciência Política e Sociologia. “Levamos alegria, conhecimentos, sensibilidade e vontade de fazer a diferença. Ao todo foram duas mil e 41 horas trabalhadas”, conta a coordenadora do Solidariedade, Janete Trichês.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Postado por: Leonardo Ferreira Barbosa 13 de dezembro de 2017 às 15:16
Compartilhar Comente