Psicologia

Unesc é parceria de curso de Mapas Mentais

Unesc é parceria de curso de Mapas Mentais
Evento ocorre dia 18 de maio com o médico Tadeo Feijão (Foto: Arquivo Unesc/Divulgação) Mais imagens

Aprendendo a aprender e memorizar. Esse é o lema do curso de Mapas Metais (mind mapping) que ocorrerá neste sábado (18/5), em Criciúma. O evento será comandado pelo médico, expert em mapeamento do conhecimento e professor do Ceará, Tadeo Feijão. A iniciativa tem o apoio da Unesc e ocorrerá no Auditório 1 da Satc, das 9 às 17 horas.

O curso tem o objetivo de capacitar os participantes a melhorar as práticas diárias de mapeamento do conhecimento. O evento está aberto para concurseiros, estudantes, professores, empresários, autônomos e interessados em geral.

A capacitação busca fazer com que o participante aprenda a otimizar o tempo de estudo, realize resumos eficientes, aprenda técnicas de memorização de informações e desenvolva técnicas de classificação para o material estudado e as relações com outros conhecimentos. Além disso, saiba gerenciar um grande volume de informações, use adequadamente e ordene de forma lógica e compreensível.

O evento tem a realização do Instituto Rosemari Duarte, com apoio da Unesc, Satc e da Gaia Brasilis Comunicação e Marketing.

Os ingressos podem ser adquiridos no Café e Mistura na Praça do Congresso, no Centro de Criciúma e no Centro Acadêmico de Psicologia da Unesc. Mais informações pelo telefone (48) 98825-4369.

Vitor Netto - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Vitor Netto Henrique 15 de maio de 2019 às 17:35
Compartilhar Comente

Alunos dos cursos da área da saúde participam de atividade no bairro Milanese

Alunos dos cursos da área da saúde participam de atividade no bairro Milanese
Acadêmicos aplicaram questionários com moradores da comunidade (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Nesta quarta-feira (24/04) acadêmicos dos cursos da área da saúde da Unesc iniciaram mais uma etapa da disciplina Interação Comunitária. Fruto de uma ideia da atual reitora Luciane Bisognin Ceretta, enquanto coordenadora da antiga Unidade Acadêmica de Ciências da Saúde, a disciplina integra estudantes dos cursos da saúde: Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Medicina e Psicologia, em atividades teóricas com inserção dos acadêmicos na comunidade.

A primeira atividade fora das salas de aula foi realizada no bairro Milanese, onde os acadêmicos convidaram os moradores, de casa em casa, a participarem de um questionário. "Depois de um reconhecimento da área e suas microáreas, os estudantes aplicaram uma entrevista com os moradores do bairro para compreender aspectos relacionados à vida e à saúde daquele território", ressalta Jacks Soratto, um dos professores da disciplina.

Conforme Jacks, após a aplicação das entrevistas, os acadêmicos farão a análise dos dados e, por fim, a devolutiva aos moradores de informações em forma de panfleto.

No total, mais de 200 alunos dos sete cursos participam das atividades.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 24 de abril de 2019 às 21:28
Compartilhar Comente

Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental da Unesc inicia atividades

Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental da Unesc inicia atividades
Primeira turma da especialização foi recebida pela reitora Luciane Bisognin Ceretta (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

O mês de abril começou fazendo história para o trabalho de formação de profissionais na área da saúde, desenvolvido pela Unesc. A primeira turma do Programa Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da Universidade iniciou as atividades de reconhecimento dos locais de atuação no primeiro dia do mês. A turma passará por uma imersão teórica esta semana e já se prepara para as atividades em locais como centros de atenção psicossocial na próxima. Ao todo, 15 profissionais vão participar da especialização que alia teoria e prática em uma formação de dois anos.

As vagas são oferecidas no projeto por meio de bolsas concedidas pelo Ministério da Saúde, destinadas aos profissionais graduados em Educação Física Bacharelado, Enfermagem, Farmácia, Nutrição e Psicologia. “Os participantes irão atuar em sete cenários de práticas em saúde mental de Criciúma e em alguns hospitais da região. Terão momentos teóricos e práticos e também com residentes de outros programas da Unesc. Haverá ainda uma interlocução com os cursos de graduação da Universidade. Todo o trabalho desenvolvido será acompanhado por professores tutores da Instituição”, explica uma das coordenadoras do Residência Multiprofissional em Saúde Mental, Tatiane Macarini.

Segundo a coordenadora do programa, Dipaula Minotto, apesar do pouco tempo de atividades, já pode-se perceber a vontade dos residentes em obter novos conhecimentos na área. “Em uma semana eles já nos trouxeram muitos sonhos, ideias e vontade de realizar. Esse programa é um sonho que está sendo realizado com o trabalho de muitas pessoas. Estamos aqui para realizar isso tudo coletivamente, a Instituição e os profissionais”.

A reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, recebeu, na manhã desta segunda-feira (8/4), os primeiros residentes do programa e deu as boas-vindas aos profissionais. Ela conheceu um pouco da história de cada um e dialogou sobre a importância do trabalho em saúde mental para a população, da responsabilidade dos profissionais da saúde e do cenário de práticas e de políticas públicas.

 “A nossa ação passa a ser imprescindível para construir uma prática em saúde mental transformadora. Vocês chegam em um momento muito importante em que as Universidades estão se posicionando para apresentar as suas contribuições e observações neste cenário. A Unesc, inclusive, vai fazer um evento para reunir as propostas e levar para o Conselho Estadual de Saúde e Secretaria do Estado e conta muito com a colaboração de vocês”, afirma Luciane. A reitora ainda comentou que gostaria de ver a residência transformando os espaços dentro da Universidade, uma vez que transitam pela Instituição milhares de estudantes, funcionários, professores e pessoas da comunidade.

A egressa do curso de Enfermagem da Unesc Gabriela Valerim, afirma que ainda não tinha despertado o interesse em participar de um programa de Residência Multiprofissional até conhecer a proposta do Saúde Mental da Unesc. “Uma das minhas paixões durante a graduação foi a saúde mental, então, resolvi encarar o desafio e redirecionar o meu trabalho para esta área”, conta a enfermeira.

A pró-reitora Acadêmica da Unesc, Indianara Reynaud Toreti, também recebeu o grupo e afirmou que a interação entre Residência Multiprofissional e graduação é importante no processo de formação acadêmica. “A Residência em Saúde da Família e em Saúde Coletiva fez muito esse movimento. Se compararmos os currículos dos cursos da saúde há dez anos e agora, verificamos que eles avançaram muito na formação nestas áreas e temos uma expectativa grande quanto ao programa de Saúde Mental. Esperamos também que ela traga contribuições para a pesquisa na área desenvolvida pela Instituição”, salienta.   

A diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias da Unesc, Fernanda Sônego, agradeceu aos profissionais por escolherem a Universidade e desejou sucesso na nova jornada. “Que vocês sejam muito felizes neste espaço e que estejam abertos ao diálogo, à troca de experiências e à construção no coletivo. O cenário de práticas requer muita atenção e criatividade. Pensem sempre na pessoa que precisa do trabalho de vocês. Aproveitem, se dediquem para fazer a diferença e melhorar o futuro das pessoas. Tenho certeza que todos nós vamos aprender muito com a Residência em Saúde Mental da Unesc”, comenta Fernanda.

As boas-vindas aos novos residentes teve ainda a participação da professora do curso de Educação Física da Unesc e tutora do programa, Francine Costa.

Milena Nandi – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 08 de abril de 2019 às 17:52
Compartilhar Comente

O bem-estar como aliado do saber

O bem-estar como aliado do saber
Atividades de relaxamento e concentração auxiliam na apropriação do conhecimento pelos alunos do Colégio Unesc (Fotos: Fagner Santos) Mais imagens

A busca pelo alinhamento do conhecimento com o bem-estar físico e mental. Este foi o objetivo do acadêmico de Psicologia da Unesc, Cleyton Laudelino Demétrio, ao ensinar técnicas de relaxamento para os alunos do 4º ano do Ensino Fundamental do Colégio Unesc. O acadêmico é orientado pelo professor do curso de Psicologia da Unesc Zolnei Vargas

Com foco em desenvolver integralmente os alunos, o Colégio Unesc já realiza atividades semelhantes desde o ano passado. “Auxilia na formação integral, além de acrescentar na apropriação do conhecimento”, coloca a diretora da instituição de ensino, Marlene Pires.

Com foco na formação integral

A importância de atividades semelhantes se encontra na contribuição às crianças e aos adolescentes em fase de desenvolvimento cognitivo, de caráter e construção de personalidade. “O psicólogo é um profissional muito importante. A psicologia pode aquecer as relações e pode auxiliar na resolução de conflitos. Também pode fortalecer emocionalmente as crianças e todos que fazem parte dessa construção”, coloca Demétrio, responsável pelo desenvolvimento do relaxamento com os estudantes.

Ainda para 2019, o Colégio Unesc objetiva continuar desenvolvendo um projeto que envolva a utilização de ioga e outros métodos de relaxamento dos estudantes, tais como músicas próprias para meditação. “É uma inovação que complementa o conhecimento com o sentir-se bem”, coloca Marlene.

A coordenadora pedagógica do Colégio Unesc, Carina de Freitas, ressalta a boa aceitação do projeto. “As crianças e os pais nos dão um retorno muito positivo dessa atividade, pois percebem o avanço no desempenho escolar de seus filhos”, finalizou.

Fagner Santos - Agência Novo Texto/Aicom Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Vitor Netto Henrique 29 de março de 2019 às 17:47
Compartilhar Comente

Alienação parental é tema de roda de conversa na Unesc

Alienação parental é tema de roda de conversa na Unesc
Encontro reuniu estudantes, alunos e pessoas da comunidade (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A alienação parental foi tema de uma roda de conversa entre professores e estudantes dos cursos de Direito e Psicologia da Unesc e pessoas da comunidade nesta quarta-feira (13/3). O encontro foi conduzido pela equipe da Universidade que participa do projeto Prevenção e Erradicação da Síndrome da Alienação Parental, realizado em parceria com o Fórum de Criciúma. As atividades ocorrem no Centro Judicial de Solução de Conflitos e Cidadania do Fórum e na Casa da Cidadania do Distrito de Rio Maina em forma de oficinas educativas.

A roda de conversa desta quarta-feira fez parte da programação do Dia Internacional da Mulher e buscou esclarecer dúvidas sobre a alienação parental. “Incluímos o tema na programação do Dia da Mulher porque boa parte dos casos envolvem as mães, que geralmente são as que ficam com a guarda dos filhos. Mas além da mãe e do pai, a alienação parental pode ser praticada por avós, tios, parentes próximos à criança”, explica.

Desqualificar o pai ou a mãe, apresentar denúncias falsas, dificultar o contato da criança ou do adolescente com um de seus pais ou a convivência com a família de uma das partes são algumas das formas de alienação parental. Omitir informações relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e mudança de endereço sem justificativa também são consideradas alienação.

Esse processo pode causar consequências para os filhos, como ansiedade, dificuldade de relacionamento, insegurança, sentimento de culpa, mudança de comportamento, queda do rendimento escolar e agressividade.

Segundo Sheila, alienação parental não é considerado crime, mas o juiz poderá estabelecer penas ao praticante, que vão de advertência, ampliação da convivência em favor do pai ou mãe prejudicado, determinação de acompanhamento psicológico, até a perda da guarda.

O projeto

O projeto Prevenção e Erradicação da Síndrome da Alienação Parental tem o objetivo de dar assistência psicológica e jurídica aos casais com filhos e em processo de separação e contribuir para a efetivação do direito de convivência familiar sadia para as crianças e adolescentes. Ele ocorre desde 2013.

Na oficina, os pais passam a ter conhecimento dos malefícios que os atos de alienação podem causar aos filhos e do que a lei diz a respeito da alienação parental, além de receber informações sobre os tipos de guarda e compartilhamento de responsabilidades relacionadas aos menores.

O projeto tem a participação de Sheila; da professora do curso de Psicologia, Cristina Kern; das alunas de Direito, Vitória Bisognin Ceretta e Letícia Barreto e das acadêmicas de Psicologia, Carolina Rodrigues Felisbino e Alice Zanatta.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 13 de março de 2019 às 17:32
Compartilhar Comente