Newsletter Newsletter RSS RSS

Serviço de Psicologia realiza triagens para atendimento nas Clínicas Integradas

Serviço de Psicologia realiza triagens para atendimento nas Clínicas Integradas
População pode procurar o serviço até 30 de março (Foto: Arquivo) Mais imagens

As triagens do Serviço de Psicologia das Clínicas Integradas da Unesc já começaram e estão abertas a toda a comunidade. O paciente pode ir pessoalmente até o local, das 8 às 11h30 e das 13 às 19 horas, de segunda a sexta-feira, exceto quinta-feira pela manhã, sem agendamento. Basta apresentar CPF e Cartão do SUS, e passar pela triagem feita pelos acadêmicos capacitados do curso de Psicologia da Universidade, juntamente com o professor responsável.

As triagens do primeiro semestre de 2018 encerram em 30 de março, retornando no segundo semestre. Mais informações pelo telefone (48) 3431-2752, das 8 às 11h30 e das 13 às 19 horas.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 21 de fevereiro de 2018 às 11:09
Compartilhar Comente

Edmar buscou na Unesc as possibilidades para ganhar o mundo

Edmar buscou na Unesc as possibilidades para ganhar o mundo
Solenidade desta sexta-feira (9/2) encerrou os três dias de colações de grau especiais (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Edmar entrou na Unesc em busca de novos horizontes e nesta sexta-feira (9/2) ganhou um mundo de novas possibilidades. Ele e mais 61 acadêmicos da Universidade completaram a graduação, celebrada no auditório Ruy Hülse em uma cerimônia de grau especial.

Sempre sonhando em ir além das fronteiras, Edmar da Silva de Oliveiro foi o primeiro da noite a receber seu canudo. Ele começou a trabalhar e ter contato com a área de Comercio Exterior ainda na adolescência. Ali, percebeu que poderia alcançar voos mais altos. “Além do trabalho de exportação e importação, que me levaria a outros países, sempre gostei de viajar e acreditei desde o início que o curso abriria estas portas para mim”, contou.

Após muito estudo e dedicação, hoje o formando reafirmou sua certeza na graduação que escolheu. “Estou muito feliz, parecia que nunca chegaria este dia. Agora quero segui na carreira e continuar estudando”, afirmou.

Possibilidades dentro da Universidade

Mesmo após receber o canudo, Edmar e os formandos em Biomedicina, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Direito, Farmácia, História, Matemática, Odontologia, Psicologia, Secretariado executivo, Tecnologia em Gestão Comercial, Tecnologia em Recursos Humanos, Tecnologia em Gestão Financeira e Tecnologia em Processos Gerenciais, que colaram grau na noite desta sexta-feira (9/2), podem continuar e crescendo dentro da Unesc.

A Pós-Graduação da Universidade oferece 38 opções de especialização, sete mestrados e duas linhas de doutorados. Além de uma diversidade de capacitações ao longo do semestre.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

09 de fevereiro de 2018 às 20:56
Compartilhar Comente

Você sabe o que é Alienação Parental?

Você sabe o que é Alienação Parental?
Unesc auxilia famílias a não desvincularem laços entre pais e filhos (Foto: Divulgação) Mais imagens

A ausência do pai ou da mãe no crescimento de crianças compõe um cenário comum em diversas famílias. Entretanto, se o afastamento ocorre por meio de uma pressão psicológica, promovida pelos próprios pais em seus filhos, com o intuito de “difamar” a imagem um do outro, o caso vira um abuso moral. E com o intuito de contribuir para a efetivação do direito de convivência familiar sadia para as crianças e adolescentes, a Unesc promove o projeto “Prevenção e Erradicação da Síndrome da Alienação Parental”, que desde 2013 já beneficiou, direta ou indiretamente, mais de 800 pessoas.

As atividades são realizadas nas Casas da Cidadania do Rio Maina, da Próspera e na Unesc. Os atendimentos são feitos pelos acadêmicos de Direito matriculados na nona e décima fase do curso, mediante estágio de prática jurídica, sob a orientação dos professores advogados. Há também a participação de estudantes do curso de Psicologia nos casos de mediação. A Alienação Parental começa a ocorrer, na maioria das vezes, nesse ambiente de separação e disputa pela guarda da criança.

“Há um diálogo com os casais que estão buscando a dissolução do vínculo conjugal, e nessa conversa nós explicamos para eles o que é Alienação Parental, se eles reconhecem atitudes que já foram feitas. São dados exemplos, com vídeos e documentários, além de explicar a lei da alienação e suas penalidades”, comentou Sheila Martignago Saleh, coordenadora do projeto.
 
Segundo ela, essa conversa facilita a conciliação no momento da audiência. “Muito acontece de as mães não deixarem os pais, que não pagam pensão alimentícia, visitarem seus filhos. Então o filho passa a ser uma moeda de barganha para receber o valor da pensão. Só que nós mostramos que a criança precisa muito mais do que o dinheiro, ela tem o direito de uma convivência familiar sadia, e o fato de interromper essa ligação e convivência causa transtornos psicológicos e problemas sérios”, ressaltou.

Síndrome da Alienação Parental

Uma pesquisa divulgada pelo IBGE em 2012 registrou no Brasil a maior taxa de divórcios desde o ano de 1984, num crescimento de 45,6%. “Esses dados repercutem em inúmeros efeitos jurídicos aos filhos, cabe destacar o regime de guarda, diretamente relacionado ao direito de visitas. Assim, é justamente dentro deste contexto que se insere a SAP (Síndrome da Alienação Parental) um transtorno psicológico desenvolvido por filhos de pais alienadores, os quais geralmente enfrentam ou enfrentaram a dissolução de um vínculo conjugal e agem de forma a impedir ou obstar o direito-dever do outro genitor em visitar o filho”, comentou Sheila.

A SAP adquiriu conceito nos anos 80 pelo psiquiatra norte-americano Richard Gardner. No Brasil, a partir do ano de 2003, quando apareceram as primeiras decisões judiciais sobre o tema, houve a divulgação da Síndrome da Alienação Parental, a qual passou a ter uma maior atenção por parte do Poder Judiciário.  Segundo o art. 2º. da Lei 12.318 de 26 de agosto de 2010, a alienação parental é considerada uma interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente.

Guarda compartilhada

Quando ocorre o fim do casamento, ou da união estável, com a decretação da guarda, o pai, ou a mãe, que ficou apenas com o direito de convivência com o filho, acaba se distanciando, já que não poderá mais participar da rotina da criança com a mesma intensidade. Dentro desse contexto, a guarda compartilhada serve para minimizar os efeitos da separação.

Sheila aponta esta medida como sendo a mais eficaz, já que o casal deverá manter o diálogo, mesmo que tenham constituído nova vida familiar. “Esta é uma forma de os filhos, que estão sob a guarda compartilhada, manterem os mesmos hábitos, as mesmas divisões de tarefas e as regras de educação que vinham sendo ensinadas pelos pais”, afirmou.

Resultados

Uma análise dos resultados das conciliações das duas Casas de Cidadania em 2015, é possível perceber que os números de acordos celebrados nos dias em que os acadêmicos de Direito estavam presentes foi superior aos dias em que houve as audiências sem a realização do projeto.

“Em uma análise comparativa dos dois períodos (com o projeto e sem), foi possível verificar que 62,50% dos acordos celebrados na Casa do Rio Maina foram realizados nos dias em que os acadêmicos estavam presentes, realizando as oficinas do projeto, com relação à Casa do Centro, 45% dos acordos foram celebrados nos dias em o projeto estava sendo realizado”, comentou Sheila. 

O projeto se controi junto à professora Renise Melillo Zaniboni, com apoio dos bolsistas Joao Batista Costa e Jessica Macedo.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Mayra Antonio De Lima 12 de dezembro de 2017 às 16:51
Compartilhar Comente

Adolescentes do CRAs têm orientação profissional

Adolescentes do CRAs têm orientação profissional
Ação é desenvolvido em uma parceria entre prefeitura e Unesc (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Cerca de 60 adolescentes estão sendo orientados para alcançar uma boa colocação no mercado de trabalho em virtude de uma parceria entre Unesc e Prefeitura de Criciúma. A ação, chamada “Meu Lugar no Mundo”, ocorre por meio do POP (Programa de Orientação Profissional) e o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social)

O projeto se desenvolve em cinco encontros. Dinâmicas de autoconhecimento, fortalecimento de vínculos, relacionamento interpessoal, motivação e desenvolvimento de liderança, são alguns dos temas que compõem a programação de atividades. Os encontros ocorrem nas Clínicas Integradas da Universidade, na Sala de Dinâmica do Serviço de Psicologia.

O trabalho é coordenado pela Professora Denise Nuernberg, e tem auxiliado dos Residentes Leandro Maffei e Géssica Carvalho Santiago, além das acadêmicas Bianca Sanches, Manuela Pires Amorim e Nadine Bialeski.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Mayra Antonio De Lima 04 de setembro de 2017 às 21:11
Compartilhar Comente

O respeito à diferença e a reforma psiquiátrica

O respeito à diferença e a reforma psiquiátrica
Doutor Silvio Yasui promoveu a abertura da Jornada de Psicologia (Fotos: Mayra Lima) Mais imagens

“Tratar sobre a saúde mental não é apenas uma questão técnica, mas sim, ética, política e social. Nós estamos vivendo um momento de intensas possessões políticas conservadoras. E esse foi o ponto de partida para nós começarmos a pensar em uma reforma psiquiátrica, tendo em vista que o “louco” é aquilo que é diferente”. As palavras do professor doutor da Unesp, Silvio Yasui, trouxeram para a 9ª Jornada Acadêmica de Psicologia da Unesc e  4º Congresso Sul Catarinense de Psicologia Social, um momento de reflexão. Estudantes, profissionais, professores, e diversos interessados da área mergulharam na situação atual do Brasil, e do mundo.

Segundo Yasui, mais importante que montar serviços de saúde mental é colocar o trabalho do profissional de saúde em uma posição ética e política. “A gente tem um compromisso social, e para isso é preciso, em alguns momentos, pensar menos nas técnicas e fortalecer a formação da cidadania. Quando pensamos em saúde pública nos remetem apostas em uma sociedade diferente mais justa, mais igualitária, com produção da autonomia. A proposta da mudança do cuidado com a pessoa que tem um sofrimento psíquico tem muito a ver com o respeito a diferença, só assim nós poderemos em um espírito de convivência ético”, ressaltou.

Atividades seguem até quarta-feira


Com o tema “Saúde Mental: Diálogos entre Saberes e Fazeres em Psicologia”, a programação do evento segue até quarta-feira (30/8). Serão palestras, oficinas e minicursos com profissionais e professores da área. O evento é aberto para a profissionais, professores e estudantes.

Segundo a coordenadora do curso de Psicologia da Unesc, Karem Gomes, um dos momentos mais importantes do encontro será os relatos de estágio dos alunos. “É uma forma de promover o crescimento da Psicologia enquanto ciência”, ressaltou a professora.

O tema Saúde Mental foi escolhido devido à complexidade do assunto e a sua importância. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a saúde mental de uma pessoa está relacionada à forma como ela reage às exigências da vida e ao modo como harmoniza seus desejos, capacidades, ambições, ideias e emoções.

Confira a programação

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Mayra Antonio De Lima 28 de agosto de 2017 às 21:48
Compartilhar Comente