Newsletter Newsletter RSS RSS

Psicologia

Estudantes da sexta fase do curso de Psicologia participaram nesta segunda-feira (21/5) de uma aula sobre Direitos Sócio assistenciais, com o ex-diretor da Assistência Social do Estado de Santa Catarina, Ismael de Córdova. Advogado, especialista em Direito Público, mestrando em Desenvolvimento Socioeconômico, ele trouxe reflexões sobre o papel do psicólogo nas políticas públicas de assistência social.

Por: Milena Spilere Nandi 22 de maio de 2018 às 15:14
Compartilhar Comente

Projeto de extensão da Unesc é compartilhado em congresso Internacional

Projeto de extensão da Unesc é compartilhado em congresso Internacional
Encontro reuniu pesquisadores de todo o Brasil em Curitiba (Foto: Divulgação) Mais imagens

O conhecimento desenvolvido na Unesc foi socializado durante o 7º Congresso Brasileiro e 5º Congresso Internacional de Psicologia do Esporte e do Exercício, realizado em Curitiba. Os integrantes do projeto Eporte&Vida, alunos dos cursos de Educação Física e Psicologia, apresentaram os resultados de suas ações em prol da inclusão e reabilitação física dos participantes. O Congresso ocorreu entre os dias 18 e 20 de abril.

A pesquisa intitulada “Resposta de 12 semanas de natação sobre saúde mental em indivíduos prestadores de amputação”, compartilhada no evento, apresentou dados como a redução da ansiedade e melhorias na autoestima.

O professor Luciano Acordi, que orientou a equipe de pesquisa, destacou a importância destes projetos de extensão para a comunidade. “Eles possibilitam a união do ensino e da prática. O apresentado em Curitiba foi totalmente desenvolvido por alunos da graduação. Eles transmitiram o conhecimento adquirido em sala, progrediram na ciência e contribuíram para a melhora na saúde mental dos portadores de deficiência”, destaca.

Saiba mais

O projeto Eporte&Vida é desenvolvido pelo grupo de pesquisa e exercícios aquáticos GPEAA (Grupo de Pesquisa em Exercícios Aquáticos Avançados). A iniciativa, com o apoio do DIDH (Programada de Adversidades, Inclusão e Direitos Humanos), oferece atividades de natação e psicologia integrada, buscando inserir as pessoas com deficiência física no esporte e inclui-la socialmente.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayra Antonio De Lima 26 de abril de 2018 às 21:47
Compartilhar Comente

Projeto Amora inicia parceria com jovens da Abadeus

Projeto Amora inicia parceria com jovens da Abadeus
Ação ocorre no bairro Cristo Redentor de Criciúma (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Temas como gênero, sexualidade, violência e mercado de trabalho serão levados até os jovens da Abadeus de Criciúma por meio do projeto Amora, da Unesc. A parceria ocorre com o intuito de levar a Universidade para perto das demandas da comunidade.

A ação será realizada com mais de 80 jovens, de 14 a 24 anos que integram o programa Jovem Aprendiz. Os trabalhos ocorrem por meio da estudante do curso de Psicologia da Unesc Camila Maffioleti Cavaler, sob a orientação das professoras Giovana Ilka Jacinto Salvaro, de Psicologia, e Mônica Ovinski de Camargo Cortina e Janete Triches, do curso de Direito.        

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayra Antonio De Lima 04 de abril de 2018 às 16:24
Compartilhar Comente

Mulheres da Unesc

Mulheres da Unesc
Luciane, Elisabete e Samira são exemplos da força feminina na Instituição Mais imagens

“Como mulher eu me sinto profundamente privilegiada por estar há mais de 20 anos em uma Universidade como a Unesc, ter a possibilidade de estar à frente de sua gestão, compartilhando com mulheres tão especiais o cotidiano da nossa Universidade e da nossa cidade. Desejo que todos os dias as mulheres sejam protagonistas de sua própria história, tenham sensibilidade para a escuta qualificada e coragem para transformarem os lugares por lhes permitam transformar os lugares por onde elas transitam. Que elas não aceitem em tempo algum, condição de subalternidade ou subserviência. Porque o lugar das mulheres é onde elas quiserem”.

O depoimento acima é da professora doutora Luciane Ceretta, primeira mulher a assumir a Reitoria da Unesc. E ela, juntamente com tantas outras mulheres, têm desempenhado papeis importantes na construção coletiva de uma Universidade Comunitária que não é reconhecida apenas pelo trabalho na formação acadêmica, mas também na transformação de vidas.

E a Universidade está cheia de exemplos disso. Um deles é a funcionária da Aicom (Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing), Elisabete Gonçalves Barbosa. Graduada em Psicologia pela Universidade, a Bete, como é conhecida, tem superado os desafios que a vida impôs. Ela convive com limitações sensoriais desde a infância. Um glaucoma foi diagnosticado aos quatro meses de vida e Bete foi perdendo a visão ainda nos primeiros anos da infância. E isso não impediu que ela fosse atrás de seus objetivos.

“Meus pais sempre me incentivaram e não me esconderam em função da deficiência visual. Quando eu tinha sete anos, eles me levaram até a escola, mas não fui aceita porque eles não estavam preparados para receber uma criança com deficiência. Na época eu ainda tinha um pouco de visão e meus irmãos me alfabetizaram. Depois estudei em uma escola especializada, aprendi a ler em Braile e não parei mais”, conta.

E foi assim, sem desistir, que Bete ingressou no curso de Psicologia da Unesc em 2006, desenvolveu pesquisas em projetos da Instituição e em setembro de 2011 se tornou funcionária da Universidade. “Não posso dizer que é fácil. A cada dia é preciso superar, aprender, tentar. Mas tenho o apoio da minha família e uma filha que me faz querer ser cada vez melhor. Todas as pessoas possuem algum tipo de limitação, mas somos iguais em nossa pluraridade”.

Mas a Bete não é somente profissional. Ela é casada, mãe da Ester, com cinco anos, e vive os mesmos dilemas, inseguranças, alegrias e vitórias que qualquer mulher. “Eu tinha receio de ser mãe, e quando fiquei grávida, vieram várias dúvidas e preocupações com a educação, como a criança seria e como eu seria. Os filhos nos ensinam a ser mãe e isso foi uma escolha minha. Mas a sociedade ainda impõe às mulheres que elas casem, tenham filhos. Mas por qual motivo temos que viver de maneira com o que foi estabelecido por alguém? Temos que ser livres para escolhermos o que nos faz feliz, independente de convenção”.

E outra mulher da Unesc que escolheu o caminho da realização foi a professora Samira Valvassori. Graduada em Ciências Biológicas na Universidade, mestre e doutora em Ciências da Saúde pela Unesc, ela desenvolve pesquisas na área de transtorno bipolar no Laboratório de Psiquiatria Translacional. Fez doutorado sanduíche na Universidade de Toronto, no Canadá – uma das dez melhores Instituições de Ensino Superior do mundo – e entre os prêmios que recebeu ao longo da carreira, esteve o da Sociedade Internacional de Transtorno Bipolar. Samira ganhou em 2014 o prêmio Samuel Gershon Awards for Junior Investigators, fazendo da Unesc a única instituição brasileira presente na conquista. Hoje, é professora do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) e dos cursos de Nutrição, Enfermagem, Fisioterapia e Medicina da Universidade.

 Samira fez da pesquisa um modo de vida e segue incentivando alunos a aproveitarem oportunidades durante a graduação para ampliarem as possibilidades de aaprendizado, por meio da pesquisa científica. Mas ela, e outras mulheres cientistas sabem que isso exige dedicação e amor pelo que se faz.

“Na primeira fase do curso eu sai procurando algum laboratório que me aceitasse. Mas como ainda estava iniciando, ficou difícil. O professor João Quevedo me aceitou no Laboratório de Neurociências em 2003 e foi ali que eu me encontrei: fazendo pesquisa”, revela. Para Samira, estar ali, seja aos finais de semana realizando experimentos, ou estudando para ampliar o seu conhecimento não um fardo. Mas ela precisou de apoio. E encontrou especialmente na família. “Eu já vim para a Unesc a pé por não ter dinheiro para o ônibus. Muitas vezes minha mãe vinha até o laboratório para trazer comida enquanto eu estava trabalhando aos fins de semana. Deixei de sair com amigos para estudar. E quando eu desanimei, meus pais estavam ao meu lado me incentivando a continuar. Não me arrependo de ter ido atrás do que faz meus olhos brilharem”.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 08 de março de 2018 às 07:00
Compartilhar Comente

Serviço de Psicologia realiza triagens para atendimento nas Clínicas Integradas

Serviço de Psicologia realiza triagens para atendimento nas Clínicas Integradas
População pode procurar o serviço até 30 de março (Foto: Arquivo) Mais imagens

As triagens do Serviço de Psicologia das Clínicas Integradas da Unesc já começaram e estão abertas a toda a comunidade. O paciente pode ir pessoalmente até o local, das 8 às 11h30 e das 13 às 19 horas, de segunda a sexta-feira, exceto quinta-feira pela manhã, sem agendamento. Basta apresentar CPF e Cartão do SUS, e passar pela triagem feita pelos acadêmicos capacitados do curso de Psicologia da Universidade, juntamente com o professor responsável.

As triagens do primeiro semestre de 2018 encerram em 30 de março, retornando no segundo semestre. Mais informações pelo telefone (48) 3431-2752, das 8 às 11h30 e das 13 às 19 horas.

Fonte: Setor de Comunicação Integrada

Por: Milena Spilere Nandi 21 de fevereiro de 2018 às 11:09
Compartilhar Comente