Arte e Cultura

Unesc realiza Mediações Culturais sobre Museu da Infância

Unesc realiza Mediações Culturais sobre Museu da Infância
Ações são realizadas em escolas públicas de forma presencial ou a distância (Fotos: Divulgação) Mais imagens

Dentro das propostas previstas no Projeto Plano Museológico do Museu da Infância, da Unesc, está a realização de 20 mediações em 20 escolas públicas. Essas visitas podem ser realizadas pessoalmente pela equipe do Museu ou a distância por meio de plataformas digitais. Nesta semana o grupo completou a 12ª atividade em ambiente escolar em instituições de ensino públicas da região levando a cultura da Universidade para a sala de aula.

Outra ação proposta no Projeto para dialogar com o público é a produção de material educativo a ser disponibilizado para as escolas que participaram das mediações. Já a terceira ação, elencada em função da pandemia de Covid-19, é a elaboração de uma exposição itinerante com banners sobrea história do museu e do seu acervo, para circular nas escolas.

Conforme a coordenadora do Museu da Infância Unesc, Amalhene Baesso Reddig, objetivo geral do espaço é contribuir para ampliação de repertório artístico-cultural de crianças e adultos, na reformulação dos processos de formação de professores, nos projetos de ação pedagógica das escolas e demais instâncias culturais, dando subsídios para pesquisadores da infância e para políticas públicas de educação e de acesso à cultura. “Nosso Museu possibilita o acesso ao acervo e material científico relacionado da cultura da, sobre e para a infância, envolvendo a escola, a academia e a sociedade numa ação conjunta”, destaca.

O Projeto Plano Museológico do Museu da Infância Unesc realizado pelo Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura / Patrimônio Cultural - Edição 2019.

Escolas poderão solicitar mediação cultural pelo telefone (48) 3431-4517 ou via e-mail: museudainfancia@unesc.net.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

20 de abril de 2021 às 17:35
Compartilhar Comente

Inscrições abertas para a 4ª Coletiva de Artistas do Sul

Inscrições abertas para a 4ª Coletiva de Artistas do Sul
Iniciativa do Setor de Arte e Cultura da Unesc oportuniza que autores locais participem da exposição (Foto: ArquivoUnesc) Mais imagens

A Unesc abre suas portas para a arte e a cultura mais uma vez. O período de inscrições para a 4ª Coletiva de Artistas do Sul já iniciou. O projeto do Setor Arte e Cultura oportuniza a exposição de dez trabalhos no Espaço Cultural Unesc “Toque de Arte”. A oportunidade é direcionada a autores individuais ou grupos da Amrec (Associação dos Municípios da Região Carbonífera), Amesc (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) e Amurel (Associação dos Municípios da Região de Laguna). O período de inscrições vai até 7 de maio de 2021, no site da Coletiva.

Tradicionalmente, a iniciativa traz consigo temas com foco na região. Neste ano, os trabalhos devem estar inseridos no âmbito do “Patrimônio Cultural Catarinense”. Assim, segundo Amalhene Baesso Reddig, coordenadora do Setor, há uma valorização da cultura local e de seus artistas. “O desenvolvimento de projetos culturais da Unesc, subsidiados por leis de incentivo, acolhe autores regionais, que ao terem seus projetos aprovados em nossos editais são contemplados com recursos financeiros. Ampliar a formação cultural de acadêmicos, professores, colaboradores e da comunidade, a partir da articulação dos projetos culturais com o ensino, a pesquisa e a extensão tem sido nossa prática há 21 anos”, destaca.

Para Maxwell Sandeer Flor, produtor Cultural da Unesc, incentivar a arte é um ato fundamental, principalmente diante do desafio presente na pandemia. “Com a execução da proposta vamos colaborar com a economia da nossa região, contratando artistas, fornecedores de serviços de impressão e mídia local. Desta maneira, a Universidade contribuirá minimizando os impactos econômicos do ecossistema da cultura regional”, enfatiza. 

A primeira Coletiva de Artistas foi em 2011. De lá para cá, o projeto já recebeu mais de 60 trabalhos de autores das mais diversas cidades do Sul. São manifestações por meio da pintura, escultura, gravura, fotografia, desenho, instalação, cerâmica e vídeo arte falado. Temas como  “Arte e Cultura Regional” e “Arte e Cidade” já estiveram em destaque. 

Um projeto de grande adesão nas edições anteriores, a Coletiva é vista com carinho e como necessária para o futuro, conforme Amalhene. “Nas políticas da Unesc defendemos a cultura como vetor econômico em interlocução com demais áreas. Percebemos o potencial que a 4 ª Coletiva de Artistas do Sul terá para o fortalecimento da arte e cultura e, em especial, de mediações e ações educativas dando ênfase à educação patrimonial”, pontua.

 Clique aqui para acessar o edital

Leonardo Ferreira - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

23 de março de 2021 às 17:43
Compartilhar Comente

Setor de Arte e Cultura divulga resultado da seletiva para o Projeto Quintas Culturais

Setor de Arte e Cultura divulga resultado da seletiva para o Projeto Quintas Culturais
Dez apresentações foram escolhidas em criteriosa análise dos 41 projetos inscritos (Foto: Arquivo) Mais imagens

Estão definidos os contemplados no Projeto Quintas Culturais – Edição Especial. A partir de rígida análise dos 41 projetos inscritos, o Setor Arte e Cultura da Unesc selecionou dez apresentações, divididas entre as linguagens de música e dança, para integrarem o projeto. Essa edição do Quintas Culturais, idealizada pelo Setor de Arte e Cultura da Universidade, foi contemplada pelo Edital da Fundação Cultural de Criciúma n° 002/2020 – Edital de Projetos de Emergência Cultural Aldir Blanc (Lei nº 14.017/2020).

As apresentações culturais selecionadas acontecerão no período de 18 de março a 15 de abril, das 18h às 19h20, no Ponto de Cultura Unesc, Palco do Quintas Culturais, e serão transmitidas pela página no Instagram @culturaunesc.

Conforme a coordenadora do Setor Arte e Cultura da Unesc, Amalhene Baesso Reddig, está entre as metas da Instituição e do próprio setor aprovar projetos em editais de fomento externo, trabalho que faz parte da missão e das políticas de cultura da Universidade. “Preocupados em garantir que parte dos recursos sejam repassados aos artistas da região, acreditamos que estamos investindo no fortalecimento da produção cultural, dando visibilidade aos artistas e reinvestindo recursos na economia local”, destaca Amalhene.

De acordo com o produtor cultural da Unesc, Maxwell Sandeer Flor, o setor viu nesse edital a oportunidade de beneficiar artistas autônomos não contemplados para ajudá-los a ter uma renda, sendo que 45% do valor do edital será distribuído para os participantes.

Confira a lista de contemplados:

·         Banda Creedout (Música)

·         Banda Humaneasy  (Música)

·         Bboy Marco Antônio (Dança)

·         Cainan e Claudson  (Dança)

·         Grupo Cirandela  (Música)

·         Grupo Dallas  (Música)

·         Lara e Clarissa (Música)

·         Marcos Rosso Alves  (Dança)

·         Milla e Paulo Roberto  (Música)

·         Simone Milak  (Música)

Link do resultado oficial.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

16 de março de 2021 às 15:13
Compartilhar Comente

História de tradição da cultura do Boi de Mamão e da Unesc ganha novo cenário

História de tradição da cultura do Boi de Mamão e da Unesc ganha novo cenário
Grafite feito pelo artista Ricardo Bernardo passa a estampar parede de um dos blocos do campus (Fotos: Mayara Cardoso / Matheus Reis) Mais imagens

Não é de hoje que a Unesc e a cultura do Boi de Mamão têm uma relação especial. Desde 2015 a Universidade trabalha com o projeto Boi de Mamão na Comunidade e leva as tradições desta cultura popular do Sul de Santa Catarina para mais e mais pessoas. Desde 2018 a Universidade é reconhecida pelo Ministério da Cultura como Ponto de Cultura do território brasileiro, justamente por conta da ação que leva essa expressão cultural à comunidade.

Décadas antes da criação do projeto de extensão reconhecido nacionalmente, em 1980, a então Fundação Educacional de Criciúma (Fucri) já iniciava sua história com a preservação do enredo que envolve Maricota, Bernunça, Boi, Vaqueiro e outros personagens com o propósito de estudar a cultura regional e realizar apresentações com o Boi de Mamão.

O apreço pelo tema é tanto que a Instituição segue fortalecendo cada vez essa relação, que ganhou um reforço nesta semana. Por meio dos traços do artista Ricardo Bernardo, conhecido como Herok, o campus da Unesc agora conta com um grafite que representa esta cultura popular tradicional dos catarinenses.

A arte foi feita na parede do Bloco I, nas proximidades da Praça do Estudante, ponto central do campus. Ao longo de dois dias, Herok, que conta 15 anos de experiência na arte do grafite, abusou das cores e texturas para representar toda a alegria e história dos personagens. Para ele, que já estuda a cultura do folclore há algum tempo, é uma honra ter sua arte estampada na Universidade. “A intenção foi montar o meu Boi de Mamão, com meu estilo e meus traços, mas também com as características originais. É um marco poder contar uma expressão de arte de rua dentro de um local como a Universidade. Para quem faz essa arte é uma honra”, acrescenta Herok, que contou com a ajuda de dois colegas para dar vida ao painel, os artistas Cassia Catâneo e Éder Martins.

A Universidade e o artista já têm uma história de parcerias, já que Herok fez um dos seus grafites em projeto com o curso de Arquitetura e participou da recepção de calouros em fevereiro de 2020, que tinha como tema “Linguagens Urbanas” e teve a performance do artista fazendo um grafite ao longo do vento.

O projeto, intitulado como Boi de Pano, foi contemplado pelo Edital da Fundação Cultural de Criciúma n° 002/2020 – Edital de Projetos de Emergência Cultural Aldir Blanc. Para a coordenadora do Setor de Arte e Cultura da Unesc, Amalhene Baesso Reddig, a mesma honra citada por Ricardo é sentida pela Unesc que recebe sua obra. “O Herok é um grande artista. Nós somos muito gratos por ter procurado a Universidade para, em parceria, contar essa história pela linguagem do grafite. O Bloco I, onde foi feita a obra, é o espaço onde ficava a antiga biblioteca da Unesc, onde comecei meu trabalho na Instituição e pelo qual tenho muito carinho. Esperamos que seja um local muito visitado, fotografado e apreciado. Só podemos agradecer e parabenizá-lo pela sensibilidade nessa obra”, declara.

Incentivo à cultura do Boi de Mamão segue firme

As oficinas, encontros e apresentações do Ponto de Cultura foram pausadas devido à necessidade imposta pela pandemia, mas, afora os encontros presenciais, o trabalho para fortalecimento do projeto segue firme. Segundo Amalhene, a cultura pode ser eixo estratégico para o desenvolvimento local e regional, já que a partir dela é possível regar saberes e dialogar sobre práticas culturais que seguem vivas apesar do tempo. “A Universidade pode fortalecer o desenvolvimento cultural, uma vez que contamos, por exemplo, com oito projetos de extensão de Boi de Mamão e desta forma desejamos contribuir para que as escolas fiquem fortes desenvolvendo projetos que envolvam alunos, professores e a comunidade em torno desse tema”, acrescenta.

Mayara Cardoso - Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

15 de março de 2021 às 15:57
Compartilhar Comente

Exposição [entre] casas está aberta a visitação

Exposição [entre] casas está aberta a visitação
Obras das egressas do Curso de Artes Visuais - Bacharelado, Alice Meis e Andressa Gomes podem ser visitadas de forma presencial ou virtual (Fotos: Matheus Reis) Mais imagens

As percepções artísticas das egressas do Curso de Artes Visuais Bacharelado da Unesc, Alice Meis e Andressa Gomes, foram transformadas na Exposição [entre] casas. Exposto na Sala Edi Balod, no Bloco Administrativo da Universidade, o trabalho das egressas foi aprovado pela Lei de Incentivo e Emergência Cultural Aldir Blanc, mediado pela Fundação Cultural de Criciúma (FCC).

A abertura oficial da mostra foi realizada de forma virtual, via Google Meet, na noite de quinta-feira (25/2) e prestigiada por professores, acadêmicos, colegas das artistas e lideranças regionais do setor cultural. A visitação da exposição pode ser realizada de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h até o dia 5 de abril. Os interessados em realizar as visitas com mediação devem agenda-las pelo e-mail @salaedibalod@unesc.net.

Na próxima segunda-feira (1/3), as responsáveis pelo projeto irão disponibilizar gratuitamente links de vídeos com a montagem e a exposição, a abertura, fotos do projeto, textos com informações sobre as artistas e também um material educativo. “Isso irá servir de suporte para professores utilizarem com seus alunos, ou pais com seus filhos, possibilitando ampliação de repertório artístico e cultural”, afirmou a artista visual Alice Meis. Os professores e pais interessados podem acompanhar o Instagram: @inventáriodememorias para ter acesso ao material.

Memórias de infância

As artistas visuais se juntaram para o projeto por terem ideias e interesses em comum. Segundo Alice, as obras expostas abordam as temáticas da memória e o vazio, e os objetos que compõem a exposição relembram as memórias das casas onde cresceram. “A exposição traz à tona as nossas raízes, nossas memórias de infância”, declarou Andressa.

Confira aqui mais registros da exposição e seu lançamento

Com informações de Fundação Cultura de Criciúma

Mayara Cardoso – Agência de Comunicação da Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

26 de fevereiro de 2021 às 14:35
Compartilhar Comente