AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Formação Continuada para Docentes lança site Institucional

A Unesc iniciou mais um projeto de formação continuada para professores e coordenadores de cursos. O evento de abertura da formação para o segundo semestre de 2018, realizado na noite de segunda-feira, 23/7, teve o lançamento do site Institucional do Programa de Formação Continuada de Docentes da Unesc, www.formacaocontinuada.net. O evento também teve a palestra do pró-reitor Acadêmico da Ulbra (Universidade Luterana do Brasil), Pedro Antônio González Hernández.

O site do programa foi desenvolvido com o objetivo de formalizar e registrar as atividades realizadas na Universidade de acordo com os princípios da Formação Continuada. “Para pensar a Formação, visitamos as experiências que a Instituição tem e as perspectivas que o corpo docente nos passou, de acordo com as atividades que temos realizado e, dessa forma, conseguimos reunir e disponibilizar para os docentes os estudos que temos feito”, explica o diretor de Ensino de Graduação da Unesc, Marcelo Feldhaus. A página disponibiliza várias informações para os docentes e gestores dos cursos, como os Trajetos Possíveis que a Formação Continuada pode tomar, o passo a passo Ano a Ano que o programa pode ter até 2021, incluindo a agenda institucional e todo material de apoio do programa. 

O principal objetivo do programa é promover um espaço de conhecimento para o corpo docente, fortalecendo a indissociabilidade entre as atividades acadêmicas de ensino, pesquisa e extensão e norteando as ações de formação de professores para o exercício da docência na educação superior. A formação continuada acontece dias 23 e 24 de julho com palestras, rodas de conversas e diretrizes de aprendizagem. Para a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, a prática da docência deve se alinhar com o atual cenário que a educação está inserida. “Devemos iniciar e continuar uma reflexão da docência, dialogar com as mudanças e caminhar para o novo cenário. Por isso, temos que refletir o sobre o espaço que ocupamos enquanto docentes que somos e o que queremos transmitir para nossos alunos”, enfatiza.

A Formação Continuada é movida a partir de quatro conceitos. A formação, que se funda o processo de ensinar, a pedagogia universitária, sendo ela o espaço de resistência no qual a cultura de trabalho e de compartilhamento das ações deve-se apropriar, da docência universitária, que se resume no qual atividade que articula os processos de ensino e de aprendizagem no ensino superior e por fim cartografia, que se resume no acompanhamento e registro dos processos realizados.

Curricularização da Extensão

Após o lançamento da plataforma, a pró-reitora Acadêmica, Indianra Reynaud Toreti, e a diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias, Fernanda Sônego, explanaram sobre as atividades que foram realizadas pelo setor de Extensão na Universidade.

Desde 2014, as diretrizes do Plano Nacional de Educação preveem que 10% da carga horária devem ser empregadas através da extensão. “A partir disso, temos que ver como tratar o processo de curricularização na nossa Universidade com as nossas possibilidades e o cenário que estamos inseridos”, explana Indianara.

O evento ainda contou com uma palestra do pró-reitor Acadêmico da Ulbra (Universidade Luterana do Brasil), Pedro Antônio González Hernández, que abordou a curricularização dos programas de Extensão dentro das Universidades. “Devemos também pensar onde está a extensão dentro da Universidade, se ela está no mesmo patamar do Ensino e da Pesquisa, ou se ela está em convergência com as demais áreas”, pondera.

De acordo com ele, não há uma receita para ser seguida quando se fala de Extensão. “Deve-se tentar fazer uma similaridade entre a Extensão Comunitária com a Extensão Curricular, pois este é o diálogo que a Universidade tem com a comunidade”, explica.

A Extensão Comunitária se aplica nas atividades realizadas pelas Universidades para a comunidade e a Curricular nas atividades realizadas dentro da sala de aula. “Às vezes na sala de aula nós ensinamos técnicas para os alunos que não se aplicam efetivamente na comunidade que está posta para nós. Na odontologia, que é a área que eu trabalho, muitas vezes o profissional indica um remédio para o paciente que ele não tem condições de pagar, então realmente não se aplica o que ensinamos, então devemos observar o cenário que temos e assim ensinar”, comenta.

Segundo Hernández, a extensão deve relacionar-se na sociedade na qual a Instituição está inserida e uma das possibilidades pode ser através do Reconstrucionismo Social. “As diretrizes curriculares de uma Universidade devem caminhar junto com a comunidade. O currículo deveria ajudar aos alunos a transformar a sociedade, equipando os alunos com competências necessárias para conceber novas metas e efetuar mudanças”, acrescenta.

O evento contou com a participação de coordenadores, professores e gestores da Unesc. Hernández é natural de Cuba e ingressou na Ulbra em 1998, como professor do curso de Odontologia. Graduado em Estomatologia pelo Instituto Superior de Ciencias Médicas de La Habana, mestre em Cirurgia e TraumatologiaBuco-maxilo-faciais, pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Pelotas e doutor em Dentística Restauradora pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, atualmente ocupa o cargo de pró-reitor na Ulbra.

Texto e fotos Vitor Netto - Assessoria de Imprensa Unesc

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

24 de julho de 2018 às 08:00
Compartilhar Comente

Deixe um comentário

Ouça o que está escrito