AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Acesso de pessoas com deficiência ao mundo do trabalho em pauta na Unesc

Acesso de pessoas com deficiência ao mundo do trabalho em pauta na Unesc
Mesa redonda encerrou programação da Semana da Pessoa com Deficiência (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

“A educação profissional e o acesso ao mundo do trabalho para as pessoas com deficiência” foi o tema do último encontro da 2ª Semana da Pessoa com Deficiência da Unesc, que ocorreu de segunda a sexta-feira (17/9 a 21/9) e envolveu profissionais da área da saúde, professores e estudantes da Universidade.

O gerente do Setor de Fiscalização do Ministério do Trabalho em Criciúma, Francisco de Assis Gonçalves, comenta que só a partir de 1999 começou a vigorar as cotas para que todas as empresas que possuem acima de 100 empregados, tenham obrigatoriamente que contratar pessoas com deficiência.

“O Ministério do Trabalho enquanto órgão fiscalizador encontra barreiras nas empresas, que não querem contratar porque acham que essas pessoas não vão produzir ou vão criar problemas. Em Santa Catarina temos 35 mil cotas e hoje as empresas contrataram apenas 18 mil cotas. Em Criciúma, temos 78 empresas que devem contratar pessoas com deficiência, existe 1446 cotas e foram, contratadas apenas 578. Na Amrec, são 144 empresas, existe 2.587 cotas e foram contratadas apenas 1.639 cotas. Existem muitas vagas em aberto para serem preenchidas ainda”, afirma.

Na mesa redonda desta sexta-feira, as representantes da Damyller, Beatriz Martinello e Giovana Duminelli apresentaram o case da empresa, que atualmente possui 39 dos seus 991 colaboradores com deficiência mental e intelectual, física, aditiva, na fala e visual. Segundo Beatriz, o Sine (Sistema Nacional de Emprego) de Criciúma é um grande parceiro da empresa na busca por trabalhadores. Além disso, a empresa contata também Apaes e o Instituto Diomício Freitas. “Na Damyller, as pessoas com deficiência estão trabalhando tanto na área administrativa quanto de produção. A gente entrevista e o nosso médico do trabalho avalia qual função ela pode desempenhar e fazemos a adaptação e vai avaliando com ela como está o andamento do trabalho, para que ela possa estar se sentindo bem e esteja feliz no local de trabalho”.

Segundo Cláudio Pacheco, presidente da Codec (Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência) eventos como o realizado pela Universidade são importantes para ampliar o debate sobre o assunto. “Eu entrei no movimento das pessoas com deficiência porque eu mesmo fui rejeitado no mercado de trabalho, em função do meu jeito de andar. Estamos acostumados a um modelo pronto e a pessoa com deficiência não está incluída nele. Mas a ideologia da pessoa com deficiência à margem do mercado de trabalho é antiga. O que ocorre agora é que movimentos sociais estão atuando em busca disso, colaborando e pressionando o poder público também”.

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

O encerramento ocorreu no Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21/9), data que inspirou a criação da Semana da Pessoa com Deficiência das Unesc, que em 2018 foi organizada pelo CER (Centro Especializado em Reabilitação) e pela Secretaria de Diversidades e Políticas de Ações Afirmativas, juntamente com o Nuprevips (Núcleo de Prevenção às Violências e Promoção da Saúde), Setor de Arte e Cultura, cursos de Artes Visuais, de Psicologia e de Teatro da Universidade, Sama (Sala Multifuncional de Aprendizagem) e Núcleo de Saúde Coletiva.

A Semana conta ainda com a parceria do Codec (Conselho Municipal de Direitos da Pessoa Com Deficiência), Secretaria de Educação de Criciúma, Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e Sine (Sistema Nacional de Emprego) de Criciúma.

A coordenadora da Secretaria de Diversidades e Políticas de Ações Afirmativas da Unesc, Janaína Damásio, analisa que o evento foi muito positivo. “Ficamos felizes em poder encerrar esse evento no dia de hoje, após uma semana de atividades que envolveram diálogo, trocas e muito aprendizado. Agradecendo a parceria de tantas pessoas e entidades. A Unesc sempre nos possibilita espaços de discussão difundindo as diversidades e inclusão a fim de promover a cultura de paz”, afirma Janaína.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 21 de setembro de 2018 às 18:23
Compartilhar Comente

Museu de Zoologia da Unesc é prestigiado pelo ministro do Turismo

Museu de Zoologia da Unesc é prestigiado pelo ministro do Turismo
Evento reuniu personalidades locais para discutir a importância da atividade turística para o Sul de Santa Catarina (Foto: Divulgação) Mais imagens

O Museu de Zoologia Professora Morgana Cirimbelli Gaidzinski, instalado na Unesc, levou um pedaço de seu acervo ao evento “O Futuro da Região – Reflexos do Amanhã” e foi prestigiado pelo ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. O  encontro promovido na Acic (Associação Empresarial de Criciúma) ocorreu na noite de quinta-feira (20/9) e reuniu personalidades locais para discutir a importância da atividade turística para o Sul de Santa Catarina.

A coordenadora do Museu, Morgana Cirimbelli Gaidzinski, reafirmou a importância do espaço para o turismo no estado e destacou que mais de 400 mil pessoas já estiveram em seus corredores. “O Museu de Zoologia da Unesc representa um papel importante na construção do projeto turístico da região, pois ele tem como uma de suas funções, preservar e proteger o patrimônio natural e garantir uma análise do desenvolvimento e da qualidade de vida da comunidade no sul catarinense. O espaço também se destaca em Santa Catarina como o mais visitado do estado”, explica a coordenadora.

Durante a visita, Lummertz recebeu das mãos de Morgana e da diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias da Universidade, Fernanda Sônego, um exemplar do livro comemorativo aos dez anos do local e um catalogo com fotos das exposições do Museu. Conheça a obra clicando aqui. 

Saiba mais sobre o Museu

Fundado em parceria com o 10º Pelotão da Guarnição Especial de Polícia Militar Ambiental, o espaço preserva um amplo acervo. Suas montagens apresentam mais de mil e quinhentos espécimes da fauna marinha e dos principais biomas brasileiros, como a Floresta Amazônica, o Serrado, a Caatinga, o Pantanal, a Mata Atlântica e os Pampas.

O Museu está instalado em três locais da Unesc: No hall dos blocos S e Administrativo e no bloco da Biblioteca.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 21 de setembro de 2018 às 16:25
Compartilhar Comente

Residência Multiprofissional leva atendimentos ao CEI Mundo Encantado

Residência Multiprofissional leva atendimentos ao CEI Mundo Encantado
Equipe realizou diferentes tipos de atividades na escola no Bairro Renascer (Foto: Divulgação) Mais imagens

Atendimentos em enfermagem, nutrição, psicologia, educação física, fisioterapia, odontologia e farmácia foram disponibilizados gratuitamente, no último final de semana, pela equipe da Residência Multiprofissional da Unesc no Bairro Renascer, em Criciúma.

Profissionais de todas as áreas estiveram no CEI (Centro de Educação Infantil) Mundo Encantado oferecendo acolhimento em suas especialidades a partir de demanda identificada pela direção da escola e encaminhada à equipe da Residência.

Conforme o coordenador do Programa de Residência Multiprofissional da Unesc, Jacks Soratto, este é um dos pilares oferecidos pela equipe, que atende ainda em horários estendidos nas Unidades de Saúde ou em locais dentro do território. “Nestes casos, cada profissional contribui com atendimentos dentro da sua área, atendendo diversas demandas da comunidade”, destacou.

 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 21 de setembro de 2018 às 16:15
Compartilhar Comente

Colorido no campus indica a chegada da Primavera na Unesc

Colorido no campus indica a chegada da Primavera na Unesc
Estação inicia em 22 de setembro e segue até 21 de dezembro (Fotos: Vitor Netto) Mais imagens

Quem passa pelo campus da Unesc não tem dúvida. O colorido das flores aponta que a Primavera está chegando. Considerada por muitos como a estação mais bonita, ela inicia sábado (22/9) e vai até dia 21 de dezembro.

A Primavera é a estação que antecede o Verão e é tipicamente associada ao florescimento das flores, porém no Brasil, as estações não são bem definidas como acontece no hemisfério Norte. “O Brasil possui seis biomas e cada um tem as suas características específicas, o que acaba fazendo com que as plantas possam florescer em outras épocas que não só na Primavera”, explica a coordenadora adjunta do PPGCA (Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais) e pesquisadora do Herbário Pe. Dr. Raulino Reitz da Unesc, Vanilde Citadini Zanette.

De acordo com o pós-doutorando e membro da equipe do Herbário, Guilherme Alves Elias, o bioma em que a região Sul de Santa Catarina está inserida é o da Mata Atlântica, o que também favorece essa característica. “A nossa região também é conhecida como floresta sempre-verde (evergreen forest), pois as características da flora não são tão específicas de cada estação. As árvores não perdem totalmente as folhas em uma estação do ano, como acontece em outras regiões do Brasil”, pontua.

Floração tardia

De acordo com Vanilde, neste ano a floração das espécies demorou para ocorrer. “Foi um ano atípico, de muita chuva e com alguns curtos períodos de frio intenso, o que desfavoreceu a floração de algumas espécies”, comenta.

Um exemplo da floração irregular que ocorreu esse ano foi a de Handroanthus chrysotricha, popularmente conhecido como Ipê-amarelo. O Ipê, que é uma árvore nativa e árvore símbolo do Brasil, tem a sua floração na nossa região geralmente no mês de agosto, porém neste ano, a floração está acontecendo em setembro.

Segundo o coordenador do Herbário, Robson dos Santos, a planta requer muita energia para o florescimento. “A planta tem que fazer um esforço grande para poder florescer, dispendendo muita energia para isso, e esse processo varia de acordo com diversos fatores, então é difícil ter um ciclo exato”, acrescenta.

Entre os fatores que determinam a floração está a luminosidade (fotoperiodismo – resposta ao comprimento do dia), o clima (temperatura e precipitação), o tempo e altitude. A polinização pode ser realizada por insetos (abelhas), aves, mamíferos (morcegos) ou pelo vento.

Campus respira as plantas

Apesar de todos estes fatores influenciarem na floração e no despertar da Primavera, uma coisa podemos afirmar: o campus está repleto de flores, e junto com elas o perfume, abelhas e passarinhos se misturam no ar. Os responsáveis por embelezar o campus, são os funcionários do Horto Florestal da Unesc. Durante o ano, aproximadamente 300 espécies de plantas, principalmente as floríferas, são cultivadas no Horto.

“Nós verificamos os espaços disponíveis no campus para fazer o plantio e então montamos o jardim, com o objetivo de embelezar o ambiente”, declara o biólogo e gestor do Horto, Cristian Pereira. Ao todo, 14 colaboradores trabalham no local.

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

21 de setembro de 2018 às 15:54
Compartilhar Comente

Unesc recebe candidatos à Câmara Federal e ao Senado para debate

Unesc recebe candidatos à Câmara Federal e ao Senado para debate
Iniciativa é do Diretório Central dos Estudantes da Universidade (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

O auditório Ruy Hülse, na Unesc, esteve completamente lotado na noite desta quinta-feira (20/9), para o segundo debate promovido pelo DCE (Diretório Central dos Estudantes) com candidatos as Eleições 2018. Desta vez estiveram na Universidade para apresentar propostas e discutir ideias dois candidatos ao Senado e 15 à Câmara Federal. Dentre os candidatos a senadores estiveram Lédio Rosa de Andrade (PT) e Diego Mezzogiorno (Rede). Já os candidatos a deputados federais presentes foram; Manoel Dias (PDT), Anderson Amorim (PSDB), Célio Elias (PT), Rodrigo Lima (PCB), Pedro Uczai (PT), João Silvestre (PSOL), Max Amaral (PSOL), Fábio Brezola (PSB), Israel Rocha (PSB), Luiz Baldin (Novo), Ricardo Guidi (PSD), Ângela Albino (PCdoB), Daniel Freitas (PSL), Albertina Rosso (PSB) e Luis Dutra (PSDB).

O encontro foi dividido em quatro rodadas de perguntas, sendo que cada um dos participantes tiveram dois minutos cronometrados para resposta. A mediação do debate ficou por conta do jornalista Adelor Lessa e as perguntas foram formuladas pelo próprio DCE e por estudantes presentes no evento, destacando, entre outros assuntos, opiniões e bandeiras relacionadas à educação superior.

Para a reitora da Unesc, Luciane Ceretta, o auditório lotado pela segunda vez para tratar do assunto e o interesse percebido nos estudantes prova a importância que momentos como esse têm para a comunidade acadêmica. “Esse cenário me mostra ainda que nossos alunos estão em um nível de maturidade importante. Eles estão querendo, de fato, ouvir os candidatos para então tomar as suas decisões”, destacou.

Apoiar a iniciativa e participar junto aos acadêmicos, conforme Luciane, é de fundamental importância e dá respaldo aos conceitos da Unesc. “Temos aqui uma Universidade comunitária, plural e democrática, então abrir as portas para todos os candidatos se torna imprescindível para mostrar na prática aquilo que nós pregamos”, completou a reitora.

A acadêmica da 9ª fase do curso de Direito, Cristiane Westrup, fez questão de acompanhar o debate de perto e gostou de poder ouvir os candidatos sobre diferentes assuntos. “Essa é a oportunidade que a comunidade acadêmica tem de avaliar e conhecer mais quem está se candidatando para esses cargos tão importantes para o país e, assim, fazer a melhor escolha”, avaliou.

Mais informações: uw

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 20 de setembro de 2018 às 21:59
Compartilhar Comente