AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Unesc e Prefeitura de Criciúma dialogam sobre Bolsa PMC

Unesc e Prefeitura de Criciúma dialogam sobre Bolsa PMC
Previsão é que o edital de inscrições seja lançado no início do mês de julho (Foto: Divulgação) Mais imagens

O processo seletivo da Bolsa PMC (Prefeitura Municipal de Criciúma) foi pauta em encontro entre representantes da Unesc e da administração municipal de Criciúma. A conversa foi realizada nesta quinta-feira (14/6), com a presença da Comissão de Seleção de Inscritos da Universidade.

Segundo a gerente de Atenção ao estudante, Mira Dagostin, a previsão é que o edital de inscrições seja lançado no início do mês de julho. A Unesc também foi representada pela acadêmica Suzel Ramos Candido, em nome do DCE (Diretório Central dos Estudantes), e pela assistente social, Janimara Ló.

A bolsa de estudos é uma oportunidade promovida pela Prefeitura de Criciúma, destinada a alunos financeiramente carentes e pessoas com deficiência. As bolsas são concedidas por lei desde 2013.

Leonardo Ferreira – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 14 de junho de 2019 às 15:43
Compartilhar Comente

Fórum Amesc do Amanhã reúne comunidade e lideranças para levantamento de prioridades da região

Fórum Amesc do Amanhã reúne comunidade e lideranças para levantamento de prioridades da região
Evento ocorreu nesta sexta-feira em Turvo (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

Quais os caminhos para o desenvolvimento da Amesc nos próximos anos? O questionamento norteou os debates e reflexões do Fórum Amesc do Amanhã, que reuniu mais de 500 pessoas, entre lideranças políticas, econômicas e da educação e a comunidade do Extremo Sul catarinense. O evento ocorreu na manhã desta sexta-feira (14/6) em Turvo. O Fórum é uma iniciativa da Unesc em parceria com a Rádio Som Maior. As considerações serão levadas ao debate entre entidades e lideranças, com o objetivo de pensar estratégias e ações que colaborem com o desenvolvimento da região.

O Fórum, apresentado por Adelor Lessa, teve a participação da reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta; do presidente do Conselho de Desenvolvimento de Maringá, no Paraná, José Roberto Matos; do secretário de Desenvolvimento Socioeconômico de Linhares, Luiz Fernando Lorenzoni; da secretária de Indústria e Comércio de Turvo, Natacia Biléssimo; do professor da Unesc, Igor Drudi e da coordenadora do PPGDS (Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico) da Unesc, Melissa Watanabe.  

Palavras como planejamento, infraestrutura, desenvolvimento, fomentar, educação, turismo, agricultura, potencialidades e saúde estiveram entre as lembradas pelos participantes do evento, que encaminharam as sugestões por WhatsApp e também puderam entregá-las por escrito à organização do Fórum.


Prioridades

As contribuições vieram também de quem não estava no evento. Um canal pelo Whatsapp foi disponibilizado para que os ouvintes da Rádio Som Maior e da Unesc TV pudessem interagir e ajudar a pensar o futuro da região. Toda a movimentação foi monitorada pelo PPGDS (Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico) e pelo GPMEQ (Grupo de Pesquisa em Métodos Quantitativos Aplicados), e as informações, organizadas em forma de gráfico com as prioridades.

Das interações, o resultado de “Quais os caminhos para o desenvolvimento da Amesc nos próximos anos?" foi:

43% Plano de Desenvolvimento Socioeconômico
16% Educação
16% Infraestrutura (outras)
13% Gestão
12% Turismo

Parceria em prol do Extremo Sul


A reitora da Unesc agradeceu pela acolhida da população do Extremo Sul à Universidade e afirmou que a parceria entre a Unesc e a região possibilita a construção de diversas possibilidades. “Um dos nossos grandes objetivos é levar a Unesc para onde as pessoas estão, para onde a vida acontece, senão, o conhecimento que produzimos lá não terá a mesma capacidade transformadora. Por isso, empreender um projeto como esse é algo fundamental para uma universidade comunitária como a Unesc, que tem como missão educar por meio do ensino, da pesquisa e da extensão para melhorar a qualidade e a sustentabilidade do ambiente de vida”.

Luciane considerou o Fórum um sucesso pela interação e contribuições da comunidade e pelo debate implementado. Segundo ela, há o indicativo de que é preciso desenvolver um Plano de Desenvolvimento Socioeconômico da Amesc e com ele identificar as potencialidades da região para que se possa atrair novos negócios e consolidar os já existentes, além de melhorar a vida das pessoas. “A Unesc, com os seus 50 anos de história está preparada para contribuir nesse processo e ofertará o Plano de Desenvolvimento Socioeconômico como forma de contribuir para a construção do desenvolvimento cada vez melhor dos 15 municípios da região”.

O presidente da Amesc, Arlindo Rocha, agradeceu pela parceria da Universidade neste projeto e e pela sensibilidade da Instituição com as questões do Extremo Sul. Segundo ele, o momento é de trabalho e união para o estudo e o desenvolvimento de ações que beneficiem toda a região nas mais diversas áreas. “Temos que verificar e desenvolver as nossas potencialidades. Vamos esquecer o individual e unir forças para o desenvolvimento de todos os nossos municípios”.  

O prefeito de Turvo, Tiago Zilli, também fez menção à parceria da Unesc na realização de projetos com os municípios da Amesc e salientou que o Fórum foi o início de uma nova etapa para a região do Vale do Araranguá. “Queremos mostrar a força da nossa gente e da nossa região. Temos que no orgulhar da Amesc e mostrar o valor e potencial que ela tem. Hoje, é o pontapé inicial de um novo projeto do Extremo Sul”, comentou.  

O evento teve ainda a presença de prefeitos da Amesc, do deputado estadual Luis Fernando Cardoso, do deputado federal Ricardo Guidi e do secretário executivo de Articulação Nacional, Diego Goulart.

A equipe da gestão universitária também se fez presente com o vice-reitor da Unesc, Daniel Preve, a pró-reitora Acadêmica, Indianara Reynaud Toreti; o pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Thiago Fabris; o procurador jurídico, João Carlos de Medeiros Júnior; a diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias, Fernanda Sônego; o diretor de Ensino de Graduação, Marcelo Feldhaus; a chefe de gabinete, Gisele Coelho Lopes; o assessor Institucional, Edson Rodrigues e a assessora do gabinete da reitoria, Tatiane Macarini.


Milena Nandi – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 14 de junho de 2019 às 15:24
Compartilhar Comente

Unesc realiza primeira edição do Fórum Amesc do Amanhã

Unesc realiza primeira edição do Fórum Amesc do Amanhã
Evento reuniu mais de 500 participantes em Turvo (Fotos: Divulgação) Mais imagens

A Unesc realizou, na manhã desta sexta-feira (14/6), a primeira edição do Fórum Amesc do Amanhã. O evento busca promover o debate sobre o futuro da região da Amesc (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense), além de provocar reflexões e apontamentos sobre as prioridades da região e o que é possível fazer para viabilizá-las.

A iniciativa marca a chegada da Unesc na região, e já na sua primeira edição o Fórum reúne mais de 500 participantes. Entre as participações especiais, estão o presidente do Codem (Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá), José Roberto Mattos; o secretário de Desenvolvimento Socioeconômico de Linhares, Luiz Fernando Lorenzoni; e a coordenadora do PPGDS (Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico) da Unesc, Melissa Watanabe. O evento será mediado pelo jornalista Adelor Lessa e contará com a presença de Igor Drudi, como facilitador.

O evento, promovido pela Unesc em parceria com a Rádio Som Maior, está ocorrendo no Centro de Eventos Professora Iria Angeloni Carlessi, em Turvo, e foi transmitido ao vivo pelo YouTube

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Vitor Netto Henrique 14 de junho de 2019 às 10:32
Compartilhar Comente

Unesc trabalha para a melhoria da acessibilidade no campus

Unesc trabalha para a melhoria da acessibilidade no campus
Comissão interna que estuda o assunto realizou um tour na Instituição (Fotos: Vitor Netto) Mais imagens

Detalhes que passam despercebidos ou até mesmo invisíveis para quem vive diariamente na Unesc, mas que para algumas pessoas fazem total diferença. Calçadas irregulares, falta de piso tátil, rampas íngremes e sinalização incorreta são somente alguns itens levantados pelos integrantes de uma comissão interna da Universidade que trabalha na melhoria da acessibilidade da Instituição. Nesta quinta-feira (13/6), o grupo realizou uma vistoria no campus, apontando os principais detalhes que necessitam de um olhar especial da Universidade.

O grupo formado por professores, acadêmicos, colaboradores e gestores, que visa estudar medidas internas para se adequar a todos os tipos de acessibilidade, como a atitudinal, comunicacional, física ou arquitetônica, pedagógica e tecnológica, se dividiu em dois pequenos grupos para vistoriar o campus da Universidade. Um grupo partiu do bloco Administrativo e outro das Clínicas Integradas, finalizando os percursos ao se encontrarem no Ginásio Antônio José Carrilho.

De acordo com o pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional e presidente da comissão, Thiago Fabris, as ações visam a inclusão e a vivência plena no campus. “São medidas que estamos estudando para melhorar a acessibilidade e a infraestrutura da Universidade, para todos os tipos de deficiência”, explica. Outras reuniões prévias já foram realizadas pelo grupo, que atualmente se encontra na fase de análises do campus. “Depois disso, iremos realizar um planejamento tanto orçamentário quanto de execução para corrigir os pontos levantados”, acrescenta.

Vivendo na pele


Entre os integrantes da comissão está Aline Eyng Savi. Professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unesc, Aline é cadeirante e, com a sua concepção, pode colaborar para levantar os pontos e problemas observados diariamente por ela. “Apesar das tantas medidas de acessibilidade que já temos na Universidade, temos alguns aspectos que estamos observando hoje e que podemos levantar”, coloca.

A mesma realidade é vista pelo cadeirante e acadêmico da 8ª fase do curso de Educação Física, Jeferson Francisco. De acordo com ele, as calçadas irregulares, os locais estreitos de passagens e as rampas íngremes são os principais obstáculos. O acadêmico de Direito, Elias Moraes, é deficiente visual e os principais empecilhos apontados por ele são a falta de piso tátil em alguns locais e setores da Universidade e a conscientização da comunidade acadêmica, já que muitas vezes são colocados objetos e obstáculos em cima do piso tátil.

Importantes medidas


Conforme Fabris, as medidas vão de encontro com a missão da Unesc, que visa promover a qualidade e a sustentabilidade do ambiente de vida. “Essas medidas são primordiais para uma total inclusão na Unesc, para que todos, portadores de todas as deficiências, possam conviver bem dentro da Universidade”, enfatiza.

De acordo com Moraes, ações como essa são importantes e representam a preocupação da Unesc na mobilidade. “Nos dá autonomia para nos locomovermos e podermos viver bem na Universidade”, comenta. “É de total importância, pois pequenas ações como essa nos dão acesso para qualquer lugar da Universidade”, finaliza Francisco.


Vitor Netto -  Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 13 de junho de 2019 às 19:51
Compartilhar Comente

Sala Edi Balod recebe exposição Entrelugares

Sala Edi Balod recebe exposição Entrelugares
Obras são resultados de atividades desenvolvidas em ambiente escolar (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

Uma nova forma de ver, criar e aprender sobre arte dentro do espaço escolar. Foi assim que os estudantes da 5ª fase de Artes Visuais – Licenciatura perceberam a oportunidade dentro do Seminário Temático de Integração. O resultado deste trabalho foi o projeto “Um outro modo de desenvolver o ensino da arte”, concretizado nesta quarta-feira (12/2) com a exposição Entrelugares.

As criações, disponíveis para visitação na Sala Edi Balod da Universidade até 19 de junho, são reflexões e experiências criativas desenvolvidas em sala de aula por alunos de 6º e 7º ano da Escola de Educação Fundamental São Cristóvão, em atividades com a temática “Relações entre educação, arte e espaço escolar”.

“No primeiro semestre de 2019 iniciamos uma busca sobre como fazer algo diferente e, de alguma forma, sair da rotina diária no ensino da arte. A solução que encontramos para este questionamento foi um projeto de oficinas na escola. A atividade proporcionou autonomia aos estudantes na formação das turmas, que resultou em uma valorosa dinâmica de aprendizagem e engajou participantes de diferentes idades, ideias e experiências”, explica a estudante Francine Nazário da Silva, uma das organizadoras.

As oficinas foram desenvolvidas durante as tardes na escola e permitiu a participação de toda a comunidade escolar. “É uma iniciativa que merece ser parabenizada e até causa emoção quando percebemos seu impacto no ambiente transformado em nossa escola. Hoje competimos com muito do que vem de fora e conseguir engajar jovens em se expressar, criar e imaginar o novo é fazer a diferença. Tenho certeza que daqui sairão ótimos profissionais que ainda podem colaborar muito com o ensino da arte”, destaca a diretora da Escola, Claudinéia Nazário da Silva diretora.

Para o diretor de Ensino de Graduação da Unesc, Marcelo Feldhaus, ver um projeto retornar para a Universidade com frutos positivos é motivo de orgulho. Segundo ele, as portas da Unesc estarão abertas para quem deseja cursar uma graduação.

As atividades também foram organizadas pelos acadêmicos Dairan Selau Carlos, Renata Ribeiro, Ana Carolina de Sousa Mangilli, Andreza Chirlei Machado, Isaac Cargnin Rodrigues, Juliana Drewke Oliveira, Marina Réus Souza, Eliane Maria Inácio goterra, Maicon Cambruzzi Alves, Lucas Barbosa, Liliane Teixeira, Bianca Scaini Marinheiro Bortoluzzi, Karolyne Dos Santos Pacheco, Filipe Pizzetti Borges e Maria Júlia de Jesus. Os trabalhos foram orientados pela professora Édina Baumer.


Leonardo Ferreira – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 13 de junho de 2019 às 16:12
Compartilhar Comente