AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Música no campus para homenagear os estudantes

Música no campus para homenagear os estudantes
Sexta-feira está sendo marcada por apresentações de alunos e pessoas da comunidade (Fotos: Milena Nandi e Emanuela Justino) Mais imagens

O campus da Universidade está diferente nesta sexta-feira (16/8). Tudo por conta da Mostra de Talentos Acadêmicos e da Comunidade Externa, que marca as comemorações pela passagem do Dia do Estudante, realizadas ao longo do mês de agosto. A iniciativa ainda convida os acadêmicos a participarem da GincaUnesc (saiba mais).  

Nesta sexta-feira, o hall do Bloco Administrativo recebeu a acadêmica do curso de Letras, Emilly Machado, que apresentou um repertório com músicas autorais e sucessos nacionais pela manhã e tarde. Já à noite, a música ficará por conta da cantora Rafaela Lírio.

O palco do Quintas Culturais, no hall dos blocos XXI, recebeu o músico Marlon da Conceição dos Santos pela manhã e os alunos de Artes Visuais, Leonardo Cristian Ribeiro Cardoso e Danielle Cardoso Rozeng nas apresentações à tarde, repetindo a dose à noite.

No hall do Bloco R1, a música ficou por conta da aluna do curso de Psicologia, Jainy Colares dos Santos pela manhã, retornando à noite. À tarde, o egresso de Psicologia da Unesc, Gustavo Batanolli.

E vale lembrar que mesmo quem não está inscrito na mostra, pode apresentar o seu talento ao público. Basta conversar com o cantor que está no palco que ele irá compartilhar o espaço com o interessado.   

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 16 de agosto de 2019 às 15:47
Compartilhar Comente

Marcos Petry deixa lição e emociona na Unesc

Marcos Petry deixa lição e emociona na Unesc
Jovem de 26 anos compartilhou experiências e superações vividas por ele e pela família e deixou ensinamentos (Fotos: Mayara Cardoso) Mais imagens

Incontáveis foram as vezes que o público que lotou o Auditório Ruy Hülse, na Unesc, na noite desta quinta-feira (15/8) se emocionou ao assistir a palestra ministrada pelo jovem Marcos Petry. Após enfrentar uma lesão cerebral e ser diagnosticado com o Transtorno do Espectro Autista aos sete anos de idade, Marcos contou com o apoio incondicional da família para seu desenvolvimento e, provando o poder da superação, hoje é escritor, Youtuber, palestrante e apaixonado pela música, utilizando todas essas formas para ajudar na conscientização em todo o país sobre o autismo, tema sobre o qual é especialista. A presença do jovem na Universidade foi viabilizada pela união de esforços dos cursos de Licenciatura com apoio da reitoria e entrou para a história como um dos mais prestigiados e elogiados eventos da Instituição.

A palestra, intitulada como “Autismo e os gatilhos de superação”, contou com a participação da mãe de Marcos, Arlete Petry, que relatou os desafios enfrentados desde o seu nascimento, quando teve uma lesão cerebral, até o diagnóstico de autismo e os dias atuais. Conforme ela, após um parto difícil e alguns problemas de saúde encontrados no bebê, o segundo filho do casal, as notícias repassadas pelos médicos eram desesperadoras. “Eles nos afirmaram que ele não tinha nenhum dos sentidos básicos, visão, tato, paladar e olfato e que teria aproximadamente um ano de vida. Imaginem nossa situação! Ficamos sem chão, buscando explicações, mas nada disso mudaria o que teríamos que enfrentar. Decidimos, então, oportunizar a melhor vida possível no tempo que ele tivesse”, comentou Arlete.

Ao buscar orientações e acreditar em uma melhora gradativa, com muita dedicação de toda a família, a casa de Marcos se transformou, conforme a mãe, em um ambiente completamente voltado aos estímulos que o menino precisava. “Mudamos a casa toda e montamos um quarto com uma espécie de circuito, tudo colocado em prática pelo pai, que se aventurava a montar escorregadores e os mais variados utilitários que o pudessem ajudar de alguma forma a desenvolver os instintos mais básicos”, relatou.

Após anos de realização de práticas com o garoto, para que pudesse sentir e identificar cheiros e gostos e até a entender o processo de caminhar, os resultados foram aparecendo e hoje o jovem é exemplo ao ter conquistado muito mais do que a independência para se comunicar, se locomover, se alimentar e tudo mais que qualquer jovem pode fazer. “Ele, que não conseguia nem mexer os dedos direito, atualmente tem a música como uma paixão e uma aliada na conscientização, por exemplo”, completou.

“Por ele mesmo”

Sob a ótica de quem se desenvolveu, como ele mesmo diz, do 0 ao 100%, Marcus Petry dividiu suas experiências de forma brilhante ao longo da palestra. Usando da sua paixão, a música, o jovem deixou todos boquiabertos com seu talento e sua desenvoltura diante de centenas de pessoas. “Hoje eu consigo estar aqui na frente de vocês contando nossa história porque tive o apoio incondicional da minha família para que pudesse me desenvolver a esse ponto. Há alguns anos isso seria impossível, mas hoje eu consigo e gosto de me comunicar dessa forma para que possa levar informações que de alguma forma consigam ajudar outras famílias”, salientou.

Os obstáculos encarados em cada fase de sua vida e em partes relatados ao longo da noite, de acordo com Petry, se transformaram em empurrões para que fossem vencidos. “Os gatilhos, como chamo, são para mim algo que diz ‘Marcos tu podes mais’ e assim não desisto. Quero que vocês não esqueçam disso: não desistam. Cada um tem seu tempo, mas todo ser humano pode, sim, se superar e se desenvolver. Nós temos que buscar um pequeno avanço porque é assim que se consegue chegar longe. Eu devo minha superação a minha família, que acreditou mesmo diante de um cenário pessimista e hoje continua me acompanhando e apoiando”, completou.

Falar sobre desafios, superação e, principalmente, inclusão, de acordo com Marcos, é o que o motiva. “Foi um prazer conversar com esse auditório cheio de pessoas ávidas a saber mais sobre o autismo com informações que podem mudar a vida das pessoas. Fácil é falar de inclusão, mas difícil é fazer com que as pessoas vejam, de fato, o que as pessoas têm bom, valorizar e desenvolver o que existe de positivo”, destacou.

Ainda entre as lições deixadas pelo palestrante esteve a importância da paciência da família e dos professores, as diferenciações na forma de entendimento e aprendizado para aqueles que possuem o espectro, e, em destaque, a necessidade de a sociedade eliminar as comparações entre os indivíduos. “É muito comum que as pessoas sejam comparadas, mas cada um é único. Eu não consegui pronunciar palavras com a mesma idade que meu irmão conseguiu e talvez outros não consigam avançar na idade que avancei, mas isso não importa. É necessário apenas valorizar as pequenas conquistas e continuar tentando, eliminar as comparações e focar naquilo que queremos desenvolver. Isso faz com que o autista consiga caminhar dentro do espectro com muito mais facilidade”, pontuou ainda Marcos.

Ao fim da palestra Petry recebeu o agradecimento especial da reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, e dos presidentes dos Centros Acadêmicos envolvidos na organização do evento.

Os interessados em conhecer melhor a história de Marcos Petry e acompanhar seus trabalhos podem segui-los em suas redes sociais (Facebook e Instagram), no seu Canal no YouTube e acessar seu site.

Mayara Cardoso - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Mayara Cardoso 16 de agosto de 2019 às 15:47
Compartilhar Comente

Em visita à Unesc, deputada Paulinha demonstra apoio para o projeto do Centro de Cocriação

Em visita à Unesc, deputada Paulinha demonstra apoio para o projeto do Centro de Cocriação
Reitora Luciane Bisognin Ceretta recebeu a deputada nesta sexta-feira (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, recebeu na manhã desta sexta-feira (16/8), a deputada estadual Paulinha, para um diálogo sobre projetos da Universidade e parcerias nas áreas de inovação e educação.

Durante a visita, Paulinha recebeu uma carta solicitando apoio para a implantação do Centro de Cocriação na Unesc, com o objetivo de motivar a inovação na comunidade acadêmica. A deputada atendeu ao pedido e se comprometeu a buscar os recursos no valor de R$ 200 mil para o espaço.   

A deputada se colocou à disposição para colaborar em projetos da Instituição que tenham em vista o desenvolvimento dos municípios e ouviu da reitora o trabalho da Universidade na qualificação profissional e nas parcerias com o poder público em diversas ações e projetos.

Entre os assuntos abordados, a deputada ainda falou sobre o projeto de educação para o não preconceito que pretende propor para a rede de ensino em Santa Catarina e convidou a Universidade para colaborar tecnicamente na formatação deste projeto.

Participaram da reunião também a coordenadora da Sala dos Municípios da Unesc, Izabel de Souza e a assessora do gabinete da Reitoria, Tatiane Macarini.

Milena Nandi - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 16 de agosto de 2019 às 14:31
Compartilhar Comente

Unesc representa Santa Catarina na premiação nacional “Para Mulheres na Ciência”

Unesc representa Santa Catarina na premiação nacional “Para Mulheres na Ciência”
Josiane Budni está entre as vencedoras do programa da L’Oréal, Unesco e Academia Brasileira de Ciências (Fotos: Milena Nandi) Mais imagens

A Unesc é a única IES (Instituição de Ensino Superior) de Santa Catarina a ter uma pesquisadora laureada com o prêmio do programa “Para Mulheres na Ciência” 2019, realizado pela L’Oréal Brasil, Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) Brasil e ABC (Academia Brasileira de Ciências). A professora doutora Josiane Budni, está entre as sete jovens pesquisadoras laureadas pelo programa, que reconhece e incentiva o trabalho realizado por mulheres cientistas de todo o país. Esta é a quinta vez que a Universidade tem uma profissional condecorada pelo programa.

A Unesc ainda representa as Universidades Comunitárias no prêmio. Com exceção de sua professora, todas as outras pesquisadoras premiadas são de universidades federais ou estaduais brasileiras. Josiane é graduada em Farmácia e em Análises Clínicas, possui mestrado em Neurociências, doutorado em Bioquímica pela UFSC e pós-doutorado em Ciências da Saúde pela Unesc. Na Unesc, ela é docente do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde), pesquisadora do Laboratório de Neurologia Experimental e coordenadora adjunta do curso de Biomedicina. É coordenadora do grupo de pesquisa em doenças neurodegenerativas que estuda o envelhecimento e a doença de Alzheimer.

Josiane e as demais vencedoras receberão cada uma, bolsa-auxílio de R$ 50 mil para ser utilizada em um período de dois anos no desenvolvimento de pesquisa aprovado pela comissão julgadora do projeto, composta por 16 profissionais renomados no campo da ciência. E no dia 10 de outubro, a premiação será oficializada em um evento no Rio de Janeiro, no qual as pesquisadoras serão homenageadas.

O Programa “Para Mulheres na Ciência”, é desenvolvido desde 2006 e tem como ponto de partida a transformação do panorama da ciência no país, favorecendo o equilíbrio dos gêneros no cenário e incentivando a entrada de jovens mulheres no universo científico. As pesquisadoras escolhidas atuam nas áreas de Ciências Físicas, Ciências Matemáticas; Ciências Químicas ou Ciências da Vida (Biomédicas, Biológicas e da Saúde) – categoria na qual a professora da Unesc foi premiada.   

Projeto premiado tem como tema principal a doença de Alzheimer

O projeto que a professora da Unesc irá executar relaciona distúrbios do sono como um fator de risco para a Doença de Alzheimer. A proposta dela é trabalhar uma visão translacional do estudo, ou seja, utilizando experimento em modelos animais e estudo com humano. Josiane explica que o uso dos dois estudos, roedores e humano, dá mais força e base ao projeto e colabora com a ampliação das respostas aos questionamentos levantados pela pesquisa.

Josiane já havia utilizado a melatonina em uma pesquisa para tentar reverter a perda de memória relacionada à doença de e vai usar este hormônio novamente neste novo estudo. A pesquisa consiste em realizar a privação do sono no animal, e depois induzir a doença de Alzheimer neste mesmo animal. A ideia é tentar tratar com melatonina, para ver se ela consegue reverter esse dano causado pelo distúrbio do sono associado com a doença de Alzheimer. “Também quero entender o processo fisiopatológico. O que acontece no animal com distúrbio do sono e com a doença. Será que o dano que vai ter na memória é maior que do que daqueles animais que apresentam os problemas separadamente?”, comenta.

Em um segundo momento, a pesquisadora irá realizar o estudo em humanos. Pessoas com declínio cognitivo leve – que começaram a perder a memória, podendo sinalizar o começo da Doença de Alzheimer – e que têm diagnóstico de apneia do sono serão convidadas a participar da pesquisa. “Durante seis meses iremos utilizar nestas pessoas um aparelho que ajuda a evitar a apneia do sono e junto disso, ministrar melatonina, para ver se eles terão melhora no declínio cognitivo”, explica.

Para desenvolver a pesquisa, Josiane contará com o apoio da equipe formada por alunos de Iniciação Científica e de Mestrado e Doutorado que atuam no Laboratório de Neurologia Experimental da Unesc. “Em pesquisa não se faz nada sozinho. Todo o trabalho é realizado em equipe. A parceria com os profissionais e estudantes da Unesc é imprescindível para que o estudo saia do papel”.

Reconhecimento chama a atenção para trabalho desenvolvido na Unesc


Em 2019, o programa “Para Mulheres na Ciência” da L’Oréal/Unesco/ABC recebeu mais de 500 inscrições com projetos de todo o Brasil. “Ser vencedora e ainda em Ciências da Vida, área que mais teve projetos inscritos é indescritível. Este é um prêmio que vai para você como pesquisadora e como mulher e para a Instituição. E ele vindo no momento político e econômico que estamos no país, com crise na pesquisa que vivemos, é um atestado de que o trabalho científico desenvolvido no país é excelente e as mulheres têm sim parte nisso”, afirma.

Segundo a professora, o prêmio ainda abre portas e dá visibilidade para o trabalho desenvolvido em uma Universidade Comunitária. “Ele mostra para todo o país que na Unesc é feito pesquisa de qualidade e divulga para a comunidade o trabalho que é realizado com o objetivo de contribuir com a vida e saúde da população”, salienta Josiane. Ela pontua ainda que o reconhecimento estimula também os estudantes da Instituição a atuarem e investirem na carreira acadêmica.

Resultado de investimentos na pesquisa

A reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, observa que esta é a quinta vez que uma professora do PPGCS (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) é laureada pelo programa “Para Mulheres na Ciência”. Segundo ela, a premiação é uma honra para a Universidade e também comprova o importante investimento da Unesc na área da pesquisa e dos profissionais ligados a ela.

“Somos uma referência importante na pesquisa nacional. O trabalho da Josiane tem sido impecável. É uma pesquisadora muito focada nos seus objetivos, com uma pesquisa lindíssima voltada aos estudos e alvos terapêuticos na doença de Alzheimer, dentre outros estudos na área de neurociência. Tê-la em nosso hall de pesquisadoras é um privilégio. Para a Unesc, é motivo de orgulho e muita satisfação”, ressalta.

O diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da Unesc, Oscar Montedo, lembra da importância do Programa “Para Mulheres na Ciência” para o incentivo e reconhecimento de jovens profissionais brasileiras que se destacaram nacionalmente na pesquisa científica. “Pela quinta vez, a pesquisa feminina da Instituição é agraciada com este importante reconhecimento, o que nos enche de orgulho e alegria. Isso demonstra a relevância da pesquisa realizada na Unesc e o quão talentosas são nossas mulheres, como a professora Josiane”, afirma.

Segundo o coordenador do PPGCS, Felipe Dal Pizzol, para o programa, ser agraciado cinco vezes com o mais importante reconhecimento às mulheres cientistas brasileiras é uma fonte de orgulho. “Isso nos faz ter a certeza de que estamos no caminho certo. Claramente todas as pesquisadoras fazem o PPGCS crescer e o programa faz com que a carreira científica delas cresça junto, com o auxílio e apoio incondicional da Universidade. É uma marca delas, do PPG e da Unesc para ser disseminada pelo país e pelo mundo”.

Milena Nandi - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing 

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Milena Spilere Nandi 15 de agosto de 2019 às 17:11
Compartilhar Comente

Unesc e Nova Veneza projetam parcerias para o turismo gastronômico e ensino universitário

Unesc e Nova Veneza projetam parcerias para o turismo gastronômico e ensino universitário
Encontro ocorreu na tarde desta quinta-feira (15/8) (Fotos: Leonardo Ferreira) Mais imagens

A Unesc e a gestão municipal de Nova Veneza fortaleceram relações e prospectaram parcerias na tarde desta quinta-feira (15/8). O prefeito do município, Rogério José Frigo, foi acolhido pela reitora da Universidade, Luciane Bisognin Ceretta, em um momento para pensar em ações para o futuro.

Durante o encontro, o foco foi o curso superior Tecnólogo em Gastronomia. A ideia é levar os estudantes da Universidade para a Capital Catarinense da Gastronomia Italiana, reconhecida em lei pelo Governo Federal. O município disponibilizará espaços e estruturas locais para aprendizados e a Instituição contribuirá com sua expertise em ensino, pesquisa e extensão.

“Com inteligência, criatividade e parcerias se desenvolve uma grande riqueza local. Será um lindo projeto, que trará frutos aos dois lados e principalmente para a comunidade de nossa região”, destaca a reitora.

Os trabalhos em conjunto podem ser estendidos ao Hospital São Marcos, com atuação dos estudantes da área da saúde da Universidade no local. “A Unesc presente no município é um sonho realizado e um objetivo da gestão. Será um marco na história de Nova Veneza”, afirma Frigo.

Também participaram do encontro a pró-reitora Acadêmica, Indianara Reynaud Toreti; a coordenadora da Sala dos Municípios, Izabel Regina de Souza; o vice-reitor, Daniel Preve, e a assessora do gabinete da Reitoria, Tatiane Macarini.

A secretária de Cultura, Esporte e Turismo de Nova Veneza, Susan Bortoluzzi Brogni, e o procurador jurídico do município, Ricardo de Souza Mello Filho, também estiveram presentes.

O curso superior Tecnólogo em Gastronomia da Unesc

Com previsão de início para outubro, o curso foi pensado para atender o constante crescimento da área no mercado. Em dois anos e meio de estudos híbridos, com aulas presenciais e a distância, a graduação abordará técnicas culinárias das cozinhas tradicionais e contemporâneas; segurança de alimentos; serviços de A & B (Alimentos e Bebidas); nutrição; história da gastronomia; cozinha quente, fria e confeitaria; e empreendedorismo gastronômico.

Conforme o tutor do curso, Marco Antônio da Silva, o público alvo da graduação é abrangente. “O curso destina-se a pessoas que querem se tornar empreendedoras no setor de alimentos e bebidas, chefes de cozinha, assessores ou até consultores na área de A & B e todos os que desejam desenvolver habilidades em executar e apresentar preparações culinárias com sofisticação”, comenta.

Entre os diferenciais apresentados pelo curso, de acordo com Silva, está a estrutura laboratorial de ponta, além dos professores com experiência na área gastronômica. Além disso, a região apresenta potencialidades para o ramo, e o curso procura aprimorar o serviço já oferecido.

Entre as formas de entrada na Universidade está o Ingresso sem vestibular, uma modalidade via histórico escolar e com possibilidade de bolsas. Para mais informações os interessados devem entrar em contato pelo (48) 3431-2560 ou pelo e-mail nutricao@unesc.net.

Leonardo Ferreira – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing

Por: Leonardo Ferreira Barbosa 15 de agosto de 2019 às 16:55
Compartilhar Comente